Grupo da Nasa busca evidências químicas de vida extraterrestre
set30
Leia mais
O veneno do modelo agrícola
set30

O veneno do modelo agrícola

  Terça-feira, 28 de setembro de 2014, às 18h08   Após impactar o Brasil mostrando as perversas consequências do uso de agrotóxicos em O Veneno está na Mesa, o diretor Sílvio Tendler apresenta no segundo filme uma nova perspectiva. O Veneno Está Na Mesa 2 atualiza e avança na abordagem do modelo agrícola nacional atual e de suas consequências para a saúde pública. O filme apresenta experiências agroecológicas empreendidas em todo o Brasil, mostrando a existência de alternativas viáveis de produção de alimentos saudáveis, que respeitam a natureza, os trabalhadores rurais e os consumidores. Com este documentário, vem a certeza deque o país precisar tomar um posicionamento diante do dilema que se apresenta: Em qual mundo queremos viver? O mundo envenenado do agronegócio ou da liberdade e da diversidade agroecológica? Apoiadores Realização: Caliban Cinema e Conteúdo Campanha Permanente contra os Agrotóxicos e pela Vida Fiocruz Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio Bem Te Vi Cineclube Crisantempo. Fonte: ecodesenvolvimento.org, via Portal do Meio...

Leia mais
Produtos orgânicos em São Paulo
set30

Produtos orgânicos em São Paulo

Terça-feira, 28 de setembro de 2014, às 09h12 A organização dos agricultores para defender as feiras orgânicas de São Paulo. As feiras sempre foram vistas pelo movimento de agricultura orgânica nacional e internacional como fundamentais para o avanço deste padrão tecnológico. Por colocar diretamente em contato produtor e consumidor, estabelecem-se as condições de confiança e credibilidade que tornam as atividades de troca personalizadas, não impessoais como no mercado convencional, informa o Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta) da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.     “Do ponto de vista do produtor, ao conhecer seus consumidores e suas famílias, o comprometimento com a qualidade do produto deixa de ser uma exigência burocrática e legal, para se tornar uma questão ética e de comprometimento pessoal, afirma a pesquisadora Yara Chagas de Carvalho. Para o consumidor, a feira é um meio de conhecer a procedência dos produtos que consome, além de estimular o consumo de maior gama de produtos de época. Do ponto de vista do movimento, a feira é um local de encontro, troca, difusão de conhecimento, atração de novos adeptos e integração de movimentos sociais diversos, ressalta a pesquisadora. Há cerca de um ano e meio, a prefeitura de São Paulo convidou várias entidades do movimento orgânico do Estado para ajudarem a organizar uma feira semanal nas proximidades do parque Ibirapuera. O objetivo do programa foi estimular a conversão para produção orgânica de agricultores, em todos os municípios da sub-bacia do Guarapiranga. Foi neste cenário que surgiu a feira orgânica no local mais nobre da cidade: o Modelódromo, nas vizinhanças do parque Ibirapuera. A feira reúne produtores de várias regiões do Estado: Botucatu, região metropolitana de São Paulo e Campinas, Vale do Paraíba, Ibiúna, Rio Claro, além do sul de Minas Gerais e também um atacadista certificado que traz produtos da agricultura familiar de todo país. Assuntos relacionados Feiras orgânicas em São Paulo Endereços das Feiras orgânicas em SP e no Brasil A feira logo se tornou aos olhos de todos um local de referência no Estado. A garantia da qualidade orgânica dos produtos é de responsabilidade do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), mas há de se reconhecer a limitada capacidade de fiscalização. A feira do Ibirapuera assume, assim, o papel de experiência piloto para se construir novas relações com o poder público municipal responsável pelo espaço e pela autorização das feiras e com a esfera federal responsável pela regulação do mercado orgânico. Recentemente, os participantes da feira (produtores e consumidores) foram surpreendidos pela prefeitura de São Paulo (Secretaria de Esportes), informando a impossibilidade de continuidade da feira naquele local. Os agricultores foram gradativamente se mobilizando...

Leia mais
Feiras orgânicas em São Paulo
set30

Feiras orgânicas em São Paulo

Leia mais
Ferrovia que integrou o sertão marca urbanização do interior
set30

Ferrovia que integrou o sertão marca urbanização do interior

Terça-feira, 28 de setembro de 2014, às 15h37 Por Claudia Izique Agência FAPESP – A Estrada de Ferro Noroeste do Brasil, inaugurada em 1914, foi fator crucial para a ocupação econômica de regiões de fronteira agrícola dos Estados de São Paulo e Mato Grosso e para o escoamento da produção do café paulista e da erva-mate mato-grossense até o porto de Santos, na Primeira República.     Em Bauru – km 0 da ferrovia que se estendia por 1.622 quilômetros ao longo do rio Tietê, cruzava o rio Paraná e margeava o Pantanal até Corumbá, em Mato Grosso –, a estrada deixou um legado particularmente importante para a compreensão do processo de urbanização do interior de São Paulo: um complexo de estações, oficinas, escritórios e vilas de funcionários, além de móveis, vagões, locomotivas, documentos, fotos, mapas e projetos. “Algumas dessas construções estão entre as mais importantes do país, por suas dimensões, linguagem arquitetônica e tecnologia”, afirma Nilson Ghirardello, da Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC) da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Bauru, coordenador do projeto “Estrada de Ferro Noroeste do Brasil/Bauru Km 0”, apoiado pela FAPESP no âmbito de um convênio com o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). Esse patrimônio arquitetônico e urbanístico começou a se formar no início da construção da estrada, em 1905. A ferrovia partia de uma região com pouco mais de 7 mil habitantes – a mais de 300 quilômetros da capital paulista – e avançava pelo sertão, até então povoado por índios caigangues, abrindo novas frentes para o avanço da produção cafeeira no oeste do Estado. Em torno da estrada de ferro formaram-se cidades como Avaí, Presidente Alves, Cafelândia, Lins, Promissão, Araçatuba, entre outras. Em 1917, a ferrovia, até então privada – e pouco rentável –, foi estatizada e a administração central transferida do Rio de Janeiro para Bauru. “Para a cidade foi um marco. Toda a infraestrutura da ferrovia foi reconstruída, as curvas retificadas e as estações reformadas. Isso exigiu a edificação de grandes oficinas para a construção de vagões, envolvendo metalurgia, fundição, carpintaria e estofamento. A estrada deixa de ter uma função exclusivamente de transporte de pessoas e carga para constituir também indústrias”, conta Ghirardello. Em 1996, no âmbito do processo de privatização da Rede Ferroviária Federal Sociedade Anônima (RFFSA), a Noroeste foi arrematada pela Novoeste S.A. e fundida com a Ferronorte e a Ferroban por meio do consórcio Brasil Ferrovias S.A. Atualmente, depois de mais uma cisão e fusão de empresas, a malha da velha Noroeste integra a rede da América Latina Logística. Desde a privatização, os trens de...

Leia mais
Coleta seletiva de lixo é ampliada em SP
set30
Leia mais
Caras de pau não, de granito!
set30

Caras de pau não, de granito!

Terça-feira, 28 de setembro de 2014, às 12h09   Empresa é condenada em ação da AGU a pagar mais de R$ 2 milhões por extração ilegal de granito no Amazonas. ASCOM|AGU – Com a finalidade de proteger o patrimônio mineral brasileiro, a Advocacia-Geral da União (AGU) obteve a condenação de uma empresa a pagar R$ 2,1 milhões a título de indenização por extração ilegal de granito. O processo tramitou na Justiça Federal do Amazonas.     A iniciativa tinha como base fiscalização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), em setembro de 2011, para averiguação de denúncia em uma mina situada próximo à BR 174, quilômetro 165, no ramal denominado Rumo Novo. A exploração do local era feita pela Pedreira Samaúma Ltda., sediada no município de Presidente Figueiredo/AM. Foi constatada a retirada de 27.285,26 m³ de granito fora dos limites da área autorizada, além da comercialização ilegal do minério, o que resultou em auto de paralisação do funcionamento da mina. Conforme destacado pela AGU nos autos do processo, o dano causado, de acordo com os valores apurados em relatório do Departamento, alcançou R$ 2.128.250,58. O direito ao ressarcimento, segundo a ação da AGU, tinha respaldo no artigo 20, inciso IX, da Constituição Federal, que dispõe que são bens da União “os recursos minerais, inclusive os do subsolo”, em conjunto com o artigo 176, caput e parágrafo 1º, também da Carta Magna. De acordo com os advogados da União, a empresa agiu intencionalmente ao usurpar o minério. “Aquilo que outrora pertencia à sociedade brasileira, na figura do Estado por ela constituído para satisfazer os seus interesses, ilicitamente passou a integrar o patrimônio privado da ré, que, portanto, enriqueceu indevidamente em decorrência da conduta praticada ao arrepio da lei”, ressaltou a AGU em um trecho da ação. Acolhendo o argumento da AGU de que a retirada irregular causou danos ao meio ambiente e ao Tesouro Nacional, a 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas julgou procedente o pedido de ressarcimento em favor da União. O magistrado que analisou o caso entendeu que “os recursos minerais estão intrinsecamente ligados ao meio ambiente, pelo simples fato de estarem alocados na própria natureza, sendo a sua exploração descontrolada capaz de acarretar graves danos ambientais. Diante dos princípios e regras do Direito Civil – relativos à vedação ao enriquecimento sem causa e a responsabilidade civil por ato ilícito (arts. 186, 884 e 927 do CC) -, bem como dos preceitos da Lei de Improbidade Administrativa (art. 12, I, da Lei n. 8.429/92), os réus possuem o dever de indenizar a União pela quantidade de minérios extraída ilicitamente”, concluiu a decisão. A ação foi ajuizada...

Leia mais
Endereços das Feiras orgânicas em SP e no Brasil
set30
Leia mais
Corrida Maluca em Torino, na Itália
set29
Leia mais
Brasil Cycle Fair
set29

Brasil Cycle Fair

Leia mais
Grande Prêmio de Aragão de Moto GP
set29

Grande Prêmio de Aragão de Moto GP

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 19h Aragão, Espanha – Com direito a quebra de recorde da pista, o fenômeno espanhol Marc Márquez conquistou mais uma pole position na temporada do Mundial de Motovelocidade – a 11ª em 14 corridas. Num Grande Prêmio (GP) que a chuva tornou particularmente traiçoeiro, com várias quedas entre os principais candidatos à vitória, Jorge Lorenzo acabou por aproveitar os azares alheios e venceu pela primeira vez esta temporada. O comandante do Mundial Marc Márquez foi um dos pilotos que não evitou ir ao chão, acabando numa modesta 13.ª posição, somando, mesmo assim, mais um ponto do que Dani Pedrosa (14.º), o seu principal perseguidor na luta pelo título. A diferença entre os dois é de agora de 75 pontos na classificação geral. Fonte:...

Leia mais
Jacarés e abutres em meio aos anjos do Uberaba: Srur
set29

Jacarés e abutres em meio aos anjos do Uberaba: Srur

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 19h O artista plástico Eduardo Srur, faz sua segunda intervenção no rio Pinheiros em São Paulo. Através dos portais, ele utiliza esculturas e alegorias de desfiles de escolas de samba para sensibilizar a população. No portal instalado bem na foz do Córrego Uberaba que desagua no Tietê, o artista utilizou um abutre e dois anjos, assim como no Jaguaré. A intenção do artista é promover a conscientização das pessoas e pressionar tomadores de decisão para a necessidade de recuperação da bacia hidrográfica do Rio Pinheiros. Acesse outras imagens na nossa página do facebook   Assunto relacionado Eduardo Srur faz intervenção no Rio Pinheiros...

Leia mais
Deputado Ricardo Izar devolve R$ 200 mil para a Friboi
set29
Leia mais
Treinos de força e creatina evitam perda de massa muscular
set29

Treinos de força e creatina evitam perda de massa muscular

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 16h11 Por Antonio Carlos Quinto da Agência USP Na Escola de Educação Física e Esportes (EEFE), trabalho do professor Bruno Gualano indica que a suplementação de creatina, principalmente quando aliada a um programa de treinamento de força, promove ganho de massa muscular e força em pacientes com disfunção muscular e sarcopenia — condição de baixa massa muscular que afeta muitos idosos e os predispõe à mortalidade. Os benefícios do suplemento estão descritos em sua tese de livre-docência intitulada Estudos sobre eficácia terapêutica da suplementação de creatina. Gualano é docente do Departamento de Biodinâmica do Movimento Humano da EEFE. O estudo compila resultados de quatro ensaios clínicos destinados a investigar a segurança e eficácia da creatina em idosos e adultos, com ou sem doenças associadas. “A creatina é um derivado de aminoácidos produzida endogenamente e consumida em carnes”, descreve o professor. A suplementação desse nutriente tem sido utilizada, com sucesso, para melhorar o desempenho esportivo. Mais recentemente, tem crescido o interesse no papel terapêutico da creatina que, potencialmente, poderia melhorar massa e função musculares, saúde óssea e capacidade cognitiva. A segurança do consumo da creatina, segundo Gualano, também tem sido alvo de intenso debate. “A creatina é um nutriente produzido pelo próprio organismo, e obtida também com o consumo de carnes”, explica. Atualmente, a suplementação de creatina é classificada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) como “alimento para atletas” e é comercializada no mercado. “Há alguns anos, advogo que a recomendação desse suplemento nutricional deveria ser estendida a idosos, pois a literatura científica tem dado bom suporte para isso”, justifica o cientista. Ele garante que a suplementação de creatina, principalmente quando aliada a um programa de treinamento de força, promove ganho de massa muscular e força em pacientes com disfunção muscular e sarcopenia. “Idosos com sarcopenia e pacientes com osteoartrite de joelho, por exemplo, foram significativamente beneficiados pelo uso desse suplemento nutricional”, afirma o docente. “Ademais, todos os ensaios clínicos apontaram que a suplementação não provocou nenhum efeito adverso importante, contrariando a crença de que esse suplemento poderia ser prejudicial à saúde, sobretudo aos rins”. Contudo, a tese também refuta a hipótese inicial de que a creatina poderia beneficiar a saúde óssea e a função cognitiva. “Coletivamente, os achados obtidos, publicados em quatro diferentes revistas científicas internacionais de impacto na área, trazem uma nova perspectiva de uso terapêutico da creatina, particularmente quando aliada ao treinamento de força, em condições de baixa massa muscular, como na sarcopenia, e debilidade física, como em casos de osteoartrite e fibromialgia”, explica. Novos estudos Gualano destaca, no entanto, que novos estudos têm sido conduzidos pelo seu grupo...

Leia mais
Por que os cidadãos afastam-se da política?
set29

Por que os cidadãos afastam-se da política?

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 12h36 Especialistas discutem razões para afastamento dos cidadãos da política Guilherme Oliveira – Agência Senado Nas últimas eleições presidenciais brasileiras, em 2010, a abstenção eleitoral cresceu pela primeira vez desde 1998. A taxa de 18,12% é inferior à média registrada nos últimos 16 anos (18,53%), mas quebrou a tendência de comparecimento eleitoral crescente que o Brasil vinha experimentando nas décadas anteriores. Para especialistas, porém, esse número não é motivo de preocupação. Segundo Manoel Leonardo Santos, professor de Ciência Política da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), uma abstenção de até 20% não chega a ser sinal de problemas em uma democracia.     — A política não interessa a todo mundo mesmo, não. Isso é natural. Mesmo em democracias altamente consolidadas a participação não é total — minimiza ele. Santos acredita que o país passa por um momento de afastamento dos cidadãos em relação à política, o que teria culminado nas manifestações de rua de junho de 2013. — Tivemos um evento incomum, onde um forte sentimento antipolítica foi repercutido. As pessoas reagem a isso. Acho que esse é um problema residual. A partir do momento em que o debate vá se aprofundando, as pessoas se envolvem mais — acredita o professor. De acordo com Acir Almeida, técnico de planejamento e pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), essa tendência de distanciamento dos eleitores pôde ser registrada em diferentes países em tempos recentes. — O engajamento das pessoas tem aparentado declínio mesmo nas democracias mais consolidadas. É um padrão internacional, mas ainda não há explicação consolidada para isso — observa. Santos e Almeida participaram do 1º Seminário de Estudos e Pesquisas no Poder Legislativo, promovido pelo Instituto Legislativo Brasileiro (ILB). A instituição funciona como centro de estudos, destinado tanto à qualificação dos servidores do Senado quanto a atividades de educação à distância, várias das quais abertas a todos os brasileiros. O porquê da abstenção Os motivos que levam o eleitor a não votar são tão desconhecidos para estudiosos da Ciência Política quanto os que o impulsionam às urnas. — As razões que movem o eleitor são uma esfinge. Por que as pessoas votam quando sabem que sua possibilidade de influenciar o resultado é ínfima? Votam por algum sentimento de pertença, ou porque acham importante a democracia, e uns votam só porque é obrigatório — avalia Santos. A obrigatoriedade do voto é, por razões óbvias, apontada como o principal motor da participação eleitoral no Brasil. Almeida, porém, não acredita que ela conte a história toda. — Voto obrigatório significa comparecimento obrigatório. Se você vai pensar no seu voto é outra história. É...

Leia mais
Partidos se afastaram dos eleitores, afirma cientista político
set29
Leia mais
Comandos para disciplinar a propaganda eleitoral
set29

Comandos para disciplinar a propaganda eleitoral

Segunda-feira, 28 de setembro de 2014, às 10h38 Fiscalização e apreensão foram feitas nos seis distritos da Subprefeitura Mooca. Em nota, enviada à imprensa na manhã desta segunda-feira (29), a Assessoria de Comunicação da Subprefeitura Mooca, advertiu que o órgão está realizando fiscalizações quanto aos abusos de propagandas eleitorais.       Durante quatro dias de comandos conjuntos, realizados entre os dias 22 e 25 de setembro, o órgão da Prefeitura da cidade de São Paulo, o Tribunal Regional Eleitoral e a Polícia Militar recolheram cerca de 300 placas, cartazes, faixas e cavaletes nos distritos da Mooca, Belém, Tatuapé, Água Rasa, Pari e Brás. De acordo com a assessoria, atendendo reclamações de moradores sobre desrespeito à lei eleitoral. O material que se encontrava irregular foi armazenado no depósito da Subprefeitura Mooca. Cavaletes amarrados em postes ou árvores, publicidade bloqueando o passeio e atrapalhando o tráfego de veículos constituíram a maioria dos problemas encontrados. A propaganda eleitoral pode ser colocada ao longo das vias públicas entre 6 e 22 horas, no entanto deve ser retirada...

Leia mais
Tatuapé 346 anos: Rua Azevedo Soares
set29
Leia mais
WWF: Juruena livre de hidrelétricas até 2023
set28
Leia mais
Avanço da cristalografia é destacado por pesquisadores
set28
Leia mais
Brasil vence a Turquia e hoje pega a Sérvia
set28
Leia mais
Nasa descobre como se formam as Estrelas Zumbis
set27

Nasa descobre como se formam as Estrelas Zumbis

Sábado, 27 de setembro de 2014, às 08h29 – Atualizado às 10h45 Edição: Alô São Paulo Telescópio espacial Hubble da NASA, encontra estrela supernova relacionada com potencial estrela zumbi (“Star Zombie”). Usando o telescópio espacial Hubble, uma equipe de astrônomos da Nasa, detectou um sistema estelar que poderia ter deixado para trás uma “estrela zumbi” depois de uma explosão de supernova invulgarmente fraco.     A supernova geralmente oblitera a estrela anã branca que explode, ou morre. Nesta ocasião, os cientistas acreditam que essa explosão pode ter deixado para trás uma parte sobrevivente da estrela anã – uma espécie de estrela zumbi. Ao examinar imagens do Hubble tiradas anos antes da explosão estelar, os astrônomos identificaram uma estrela companheira azul, alimentando uma anã branca, um processo que desencadeou uma reação nuclear e lançou esta fraca explosão de supernova. Esta supernova, tipo IAX, é menos comum do que sua prima mais brilhante, tipo Ia. Astrônomos identificaram mais de 30 destas mini-supernovas que podem deixar para trás uma anã branca sobreviver. “Os astrônomos têm procurado por décadas pelos sistemas estelares que produzem explosões de supernovas do Tipo Ia”, disse o cientista Saurabh Jha, da Universidade de Rutgers, em Piscataway, New Jersey. “As estrelas do Tipo Ia são importantes porque elas são usadas para medir grandes distâncias cósmicas e da expansão do universo. Mas temos muitas restrições para saber sobre a forma como todas as anãs brancas explodem. Esta descoberta nos mostra a maneira como são obtidas a explosão da anã branca”. A fraco supernova, apelidada de SN 2012Z, foi encontrada na galáxia NGC 1309, que está a 110 milhões de anos-luz de distância. Ela foi descoberta no Lick Observatory Supernova Search em Janeiro de 2012. Felizmente, o Hubble observou a galáxia NGC 1309, por vários anos antes da explosão da supernova, o que permitiu aos cientistas comparar o antes e depois das imagens. Curtis McCully, um estudante de graduação da Universidade Rutgers e principal autor da descoberta pela sua equipe, aguçou as imagens pré-explosão do Hubble e notou um objeto estranho perto da localização da supernova. “Fiquei muito surpreso ao ver alguma coisa diferente no local da supernova. Nós esperávamos que o sistema original seria muito fraco para ser visto, como em pesquisas anteriores para progenitores normais de supernovas Tipo Ia. É emocionante quando a natureza nos surpreende “, disse McCully. Depois de estudar as cores do objeto e comparando com simulações de computador do tipo possível de sistemas IAX progenitores, a equipe concluiu que estavam vendo a luz de uma estrela que tinha perdido o seu invólucro de hidrogênio exterior, revelando seu núcleo de hélio. A equipe planeja usar o...

Leia mais
Alckmin alcança 51% dos votos em SP
set27

Alckmin alcança 51% dos votos em SP

Sábado, 27 de setembro de 2014, às 21h09 O candidato à reeleição ao governo do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), venceria no 1º turno do pleito se a eleição fosse hoje, conforme pesquisa do Datafolha.       O último levantamento feito no dia 10 de setembro, Alckmin tinha 49% dos votos e agora está com 51%, enquanto seu concorrente mais próximo, Paulo Skaf (PMDB) manteve os 22%. Alexandre Padilha (PT) está com 9%; brancos e nulos somam 16%. Durante o debate realizado ontem pela Rede Record de Televisão, Alckmin disse ter sofrido ataques paralelos dos dois concorrentes, mas não fez perguntas a eles, que reclamaram de não terem a chance de se defender. Antes do debate os candidatos avaliaram o encontro. Perguntado se os 51% garantiam a eleição, o candidato do PSDB disse que a eleição só está ganha após a apuração. “Mas quero agradecer a confiança, é com enorme humildade que a gente recebe esse resultado”, afirmou. Skaf disse que “todo debate é sempre e uma oportunidade para que os candidatos possam expor suas ideias”. Questionado sobre o debate Padilha aproveitou para atacar. “Acho que é um primeiro debate, já que o candidato Alckmin vem fugindo dos debates anteriores, nós desafiamos ele para estar presente e discutir abertamente”. Na avaliação final, o debate seguiu a previsão de críticas e ataques ao candidato Geraldo Alckmin. Foram levantadas questões sobre a crise da água e segurança pública, transportes, saúde e educação. Além dos pretendentes ao governo de São Paulo, já citados, também participaram Gilberto Natalini (PV), Gilberto Maringoni (PSOL), Laércio Benko (PHS) e Walter Ciglioni...

Leia mais
Corinthians campeão de 77, narrado por Osmar Santos
set27

Corinthians campeão de 77, narrado por Osmar Santos

Sábado, 27 de setembro de 2014, às 11h28 ‘Ripa na chulipa!’, pois Osmar Santos continua com a bola toda Por Rafael Carneiro da Cunha Da redação – CMSP A “gorduchinha” rolava solta na Copa do Mundo de 1994, e mais uma vez a Rádio Globo fazia a cobertura do torneio, que acontecia nos Estados Unidos. A rotina era intensa, mas sempre que sobrava um tempinho a equipe aproveitava para conhecer a terra do Tio Sam. Em um dos passeios, o comentarista Paulo Morsa e o supervisor técnico Mauro de Lima resolveram passear no famoso bondinho de São Francisco. Dentro de um carro estava Osmar Santos, que, rindo, propôs aos dois pularem do bonde em movimento na curva de uma ladeira. Brincalhão, humilde e irreverente, o locutor não era só o “Pai da Matéria”, mas de todos que trabalhavam com ele.       “Muitas vezes você nem sentia saudades de casa porque estava com ele”, diz Lima, que o acompanhou em diversas viagens. O mundial de 94 não foi o único que Osmar narrou. Ele também esteve na Argentina, em 1978, na Espanha, em 1982, no México, em 1986, e na Itália, em 1990. A sua paixão pelo rádio vem desde cedo. Osmar nasceu em Osvaldo Cruz, no interior de São Paulo, e passou a infância na também paulista Marília. Quando garotinho, sempre escutava escondido do seu pai os jogos de futebol em um radinho de pilha. Mais velho dentre os quatro filhos de Romeu e Clarice, ele chegou a ter problemas de gagueira, mas isso foi logo superado, tanto que fez da voz seu ganha-pão. O primeiro emprego como locutor foi na Rádio Clube de Osvaldo Cruz. De lá, ainda passou pela Rádio de Marília antes ser contratado pela Jovem Pan. “Sou oito anos mais novo que o Osmar e, especialmente quando eu estava perto da adolescência, fiquei mais próximo dele. Nossa família era, e ainda é, muito unida” afirma o irmão Oscar Ulisses, que também se tornou locutor esportivo. Segundo Oscar, ele e o irmão já trabalharam juntos várias vezes. A primeira foi em um campeonato infanto-juvenil organizado por Osmar, em Marília. Já conhecido no meio, Osmar Santos assinou em 1977 um contrato com a Rádio Nacional, futuramente Rádio Globo. A estreia na nova casa não poderia ser mais emocionante: uma final do Paulistão entre Corinthians e Ponte Preta. Na época, o campeonato tinha um sistema diferente do atual e a decisão era disputada em três jogos. No fim, o Corinthians sagrou-se campeão, acabando com um jejum de 23 anos sem títulos. A narração da última partida é considerada uma das melhores do locutor. Ouça a antológica...

Leia mais
Marina e Dilma empatadas no 2º, Aécio corre por fora
set27
Leia mais
Osmar Santos é homenageado no Dia do Rádio
set27
Leia mais
XVI Circuito de Vela de Ilhabela
set26

XVI Circuito de Vela de Ilhabela

Leia mais
Leis irão valorizar turismo em SP
set26
Leia mais
Vencedor do Prêmio Leibniz de 2001, faz palestra em SP
set26

Vencedor do Prêmio Leibniz de 2001, faz palestra em SP

Sexta-feira, 26 de setembro de 2014, às 18h09 Conferência: Stars, polyhedra, elipses and soap bubbles: some stellar images between geometry and physics Agência FAPESP – O professor da Freie Universität Berlin Günter Ziegler, vencedor do Prêmio Leibniz de 2001, ministra no dia 30 de setembro a conferência “Stars, polyhedra, elipses and soap bubbles: some stellar images between geometry and physics”, na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo. O evento é uma Leibniz Lecture, estratégia da Deutsche Forschungsgemeinschaft (DFG), entidade alemã de amparo à pesquisa, para estimular o diálogo entre os vencedores do Prêmio Leibniz e a comunidade científica. O Prêmio Leibniz é o mais prestigioso prêmio científico da Alemanha. A apresentação de Ziegler será a conferência de abertura do 3º Diálogo Brasil-Alemanha, promovido pelo Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH), cujo tema central é a Matemática. A conferência será proferida em inglês, com tradução simultânea. É preciso confirmar presença pelo site do Centro Alemão de Ciência e Inovação – São Paulo. Mais informações no site Deutsche...

Leia mais
Pesquisador Luiz Hildebrando morre aos 86 anos
set26

Pesquisador Luiz Hildebrando morre aos 86 anos

Sexta-feira, 26 de setembro de 2014, às 17h52 Agência FAPESP – Referência mundial no estudo de doenças tropicais, o pesquisador Luiz Hildebrando Pereira da Silva morreu nesta quarta-feira (24/09), aos 86 anos, em São Paulo. Internado no Instituto do Coração (Incor) por causa de uma pneumonia, não reagiu ao tratamento e teve falência múltipla de órgãos.     Diretor aposentado da Unidade de Parasitologia Experimental do Instituto Pasteur, na França, estava à frente do Instituto de Patologias Tropicais de Rondônia (Ipepatro) e era vice-diretor de Pesquisa, Desenvolvimento Tecnológico, Inovação e Serviços de Referência da Fiocruz Rondônia. Luiz Hildebrando liderou, no Brasil, um programa que reduziu o percentual de registros de malária em Rondônia de 40% para 7% do total de casos da doença na região amazônica em uma década. Assunto relacionado “A malária já não é uma doença...

Leia mais