Detran muda setor de pontuação e não avisa usuários causando confusão diária
fev28

Detran muda setor de pontuação e não avisa usuários causando confusão diária

Sábado, 28 de fevereiro de 2015, às 07h06 – atualizado às 12h29   A autarquia do Governo do Estado de São Paulo, subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão, efetuou a mudança de endereço, colocou um aviso no site e quem quiser que adivinhe. Gerson Soares Mais uma vez o cidadão é humilhado por aqueles que deveriam dar o exemplo, as autoridades, cujos salários são devidamente pagos por aqueles que desprezam. Isso é um costume arraigado na cultura dos servidores públicos, que para se protegerem de suas próprias inconsequências, ainda criaram leis que obrigam os cidadãos a respeitar suas arbitrárias decisões, remetendo aos tempos da monarquia. Algumas repartições chegam a exibir o aviso de que o funcionário público não pode ser desrespeitado. Mas a ele parece ter sido dado o direito de desrespeitar e uma das piores formas é estar despreparado para o atendimento, colocando toda a arrogância que os cargos públicos lhe conferem para ignorar aqueles que pagam seus salários. Os usuários são ofendidos, humilhados e colocados em filas sem obter informações condizentes com suas necessidades. Como se fossem rebanhos, devem aguardar sem fazer perguntas ou causar constrangimentos aos poderosos servidores. Ontem estivemos no Setor de Pontuação do Detran de São Paulo, na Unidade Armênia, recentemente transferida da Rua João Brícola, sem nenhum aviso. Vimos pessoas aguardando com senhas em bancos colocados a céu aberto logo na entrada. Os serviços são lentos, burocráticos e as filas se acumulam por toda parte. Especificamente no Setor de Pontuação, onde os motoristas são chamados de infratores e assim tratados genericamente, a demora é de mais de 2 horas para serem atendidos, isso se tudo funcionar bem e o cidadão conseguir alinhar a sua necessidade aos trâmites do Detran. Desde o dia 9 de fevereiro, o setor que funcionava na Rua João Brícola, 32 – Centro, passou para a Unidade Armênia, mas a mudança não foi divulgada e não há notícia desse fato na imprensa ou qualquer tipo de comunicação que tenha sido enviada àqueles que haviam agendado o atendimento no antigo endereço, apesar de ser exigido um email para contato e telefone para que o cadastro do motorista seja aprovado. Portanto, se você mora na capital paulista e tiver agendamento com o Setor de Pontuação do Detran, não vai adiantar seguir até a Rua João Brícola, 32, no centro da cidade, o atendimento está sendo feito na Avenida do Estado, 900, caso contrário perderá a viagem. Sem saber da mudança, tendo agendado o horário em dezembro do ano passado, o motorista B., esteve na Rua João Brícola, 32 (Estação São Bento) na manhã de ontem às 9h, horário marcado, e assim...

Leia mais
Final do Garota Verão 2015 é amanhã!
fev27
Leia mais
Extremos climáticos devem ocorrer com mais frequência e intensidade em SP
fev27
Leia mais
“Cante lá que eu canto cá”, na Cassiano Ricardo no Tatuapé
fev27

“Cante lá que eu canto cá”, na Cassiano Ricardo no Tatuapé

Sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015, às 16h34 Os eventos são gratuitos com a Cia do Tijolo e a Oficina Clube do Coral. TEATRO Cante lá que eu canto cá Com a Cia do Tijolo “Cante Lá Que Eu Canto Cá” é um espetáculo musical inspirado na vida e na obra do poeta Patativa do Assaré. São apresentadas canções de Chico Buarque, Nelson Cavaquinho e Luis Gonzaga que dialogam com a obra de Patativa, com suas reflexões e a arte de versejar; com o sertão, a cidade e a alegria que é a vida. Dia 28 de fevereiro às 15h – Gratuito MÚSICA Oficina “Clube do Coral” Você gosta de cantar?!! Gostaria de aprender… venha então participar desta oficina, aonde será dado orientações sobre a teoria, a técnica e a prática musical, com a finalidade de habilitar os participantes vocalmente e musicalmente. Os participantes serão estimulados a se apresentarem para que aproveitem ao máximo essa oficina. Todas as 5ª feiras, às 15h. +14 anos – Gratuito Biblioteca Pública Cassiano Ricardo – Temática em Música Av. Celso Garcia, 4200 – Tatuapé – Tels. 2092-4570 e 2942-9952 Email: bmcassianoricardo@yahoo.com.br ou acesse: www....

Leia mais
Nova CPI do Petrolão: coitada da raposa
fev27

Nova CPI do Petrolão: coitada da raposa

Sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015, às 18h34   O que se poderia esperar de uma CPI, cujos investigadores podem se tornar os investigados?     Gerson Soares Ontem (28) foram definidos os membros da CPI instalada na Câmara dos Deputados para investigar a roubalheira na Petrobrás. Dos 27 deputados que farão parte da Comissão, 15 receberam doações das empreiteiras envolvidas no escândalo do Petrolão, investigado pela Polícia Federal. Nunca as fábulas e os contos de fadas foram tão verdadeiros. A falta de ética dos parlamentares que receberam doações milionárias é notória. A raposa que toma conta do galinheiro nas histórias infantis, pobre personagem de fantasia, jamais imaginaria que sua imagem seria tão denegrida. Leia também: CPI da Petrobrás elege deputados do PMDB e do PT para presidente e...

Leia mais
Memória SP: Mapeando o território paulista
fev27
Leia mais
Memória SP: A Comissão Geográfica e Geológica
fev27
Leia mais
Extremos climáticos devem ocorrer com mais frequência e intensidade em SP
fev26
Leia mais
CPI da Petrobras elege deputados do PMDB e do PT para presidente e relator
fev26

CPI da Petrobras elege deputados do PMDB e do PT para presidente e relator

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 17h42 Apesar de ter como relator um membro do PT – partido que segundo as apurações estaria no comando das ações que levaram ao escândalo da Petrobras –, oposição consegue instalar uma segunda CPI sobre o Petrolão. Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil Edição: Jorge Wamburg A reunião de instalação da comissão parlamentar de inquérito (CPI) destinada a investigar a prática de atos ilícitos na Petrobras confirmou os nomes dos deputados Hugo Motta (PMDB-PB) e Luiz Sérgio (PT-RJ) na presidência e relatoria do colegiado. Motta foi eleito com o voto de 22 dos 27 integrantes da comissão. Ele concorreu com o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), que apresentou candidatura avulsa e recebeu quatro votos. Um voto foi em branco. No início da reunião, Valente também apresentou uma questão de ordem questionando a indicação de parlamentares que receberam doações para a campanha de empresas investigadas na Operação Lava Jato integrar a comissão. O partido pediu a saída desses parlamentares da comissão, ao questionar a isenção de quem recebeu os recursos para apurar irregularidades envolvendo a estatal. A CPI terá prazo de 120 dias para concluir os trabalhos, que podem ser estendidos por mais 60 dias, por decisão do plenário. A finalidade do colegiado é investigar a prática de atos ilícitos e irregulares no âmbito da Petrobras, relacionados a superfaturamento e à gestão temerária na construção de refinarias no Brasil, entre outras denúncias envolvendo a estatal. A comissão foi proposta principalmente por deputados de partidos de oposição para continuar as investigações sobre as denúncias de corrupção na empresa de 2005 a 2015. Após depoimento do ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, um dos presos pela Operação Lava Jato, segundo o qual o esquema de corrupção e pagamento de propina começou em 1997, o PT decidiu pedir que também seja investigado o período em que Fernando Henrique Cardoso foi presidente da República...

Leia mais
Alckmin apresenta projetos de lei na área de Segurança Pública
fev26

Alckmin apresenta projetos de lei na área de Segurança Pública

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 17h21 Entre as propostas está a urgência na votação do projeto de lei que prevê aumento no tempo de internação de adolescentes autores de crimes hediondos. Com o objetivo de apresentar projetos de lei na área de Segurança Pública para o Estado de São Paulo, o governador Geraldo Ackmin e o secretário de Estado da Segurança Pública, Alexandre de Moraes, se reuniram na tarde de ontem (25) com o presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, em Brasília. Entre as propostas apresentadas está a solicitação de urgência na votação do projeto de lei que prevê aumento no tempo de internação de adolescentes autores de crimes hediondos. De autoria do governador Geraldo Alckmin, o projeto altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), aumentando para até oito anos o prazo de internação em instituições socioeducativas. Atualmente, o limite máximo é de 3 anos. “A questão hoje do menor reincidente grave é uma preocupação no país inteiro. A questão do código do processo penal é uma burocracia, uma coisa extremamente lenta, cara, custosa, demorada, que pode ser agilizada. Eu diria que as mudanças na legislação ajudarão muito, por isso nós trouxemos quatro propostas”, disse o governador Geraldo Alckmin. Também foi apresentado ao presidente da Câmara um projeto de lei que prevê o agravamento em 50% das penas para quem comete crimes contra agentes de estado. A medida visa reduzir casos de assassinatos de policiais. Um terceiro projeto que foi discutido com Eduardo Cunha prevê o aumento de penas para autores de explosões de caixas eletrônicos. A última proposta foi o pedido de proibição da fabricação de emulsões encartuchadas, as populares bananas de dinamite. A ideia é que sejam substituídas por explosivos modernos já existentes no mercado que são de difícil manipulação para fins criminosos. A mudança depende de decreto presidencial. Do Portal do Governo do...

Leia mais
Ciclovias enfrentam críticas
fev26

Ciclovias enfrentam críticas

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 17h12 As ciclovias já enfrentam duras críticas sobre o alto custo e a verdadeira utilidade. Gerson Soares As manifestações contrárias que chegam dos moradores e comerciantes, referem-se ao estacionamento para os veículos – espaço em plena extinção na cidade – entre outras reclamações. Os custos também estão sendo questionados, já que o quilômetro das ciclovias paulistas chegam a custar o dobro de outros países e até mais. Quando se pensa na utilidade das ciclovias que estão sendo instaladas, como a extensão que acaba de ser inaugurada na Vila Carrão, vem a dúvida sobre o preparo físico dos usuários. O local é bastante acidentado e em relação a Avenida Conselheiro, está localizado em lugar alto com ladeiras que irão colocar qualquer usuário em boa forma, caso contrário terá de empurrar a sua bike em vários trechos. Quando o sentido é outro, a praticidade para quem vai ao trabalho, por exemplo, também não se pode esperar chegar impecável. As mulheres também reclamam, lembrando da vaidade. O fato é que as ciclovias vieram para ficar e na cidade não há mais espaço para estacionar os veículos. Com isso, os estacionamentos particulares cobram quanto querem, luxo reservado para quem pode pagar. A bike acaba sendo uma opção, mas ainda falta muito para estar entre a melhor. No Tatuapé, onde na prática a ciclovia inexiste, o ciclista precisa ficar atento, já que os motoristas disputam o mesmo espaço, e pior ainda, apostando corrida com as bikes (leia a matéria: Disputa de carros e bicicletas no bairro: isto é possível?), que pela melhor mobilidade e agilidade acabam chegando antes dos carros ao final de cada quarteirão, onde o trânsito é cada vez mais...

Leia mais
Ciclovia no Carrão, liga Rua Taubaté à Atucuri
fev26

Ciclovia no Carrão, liga Rua Taubaté à Atucuri

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 13h19 Atualmente a cidade possui 235,3 quilômetros de vias destinadas aos ciclistas. Meta é alcançar 400 quilômetros de ciclovias até o fim do ano. SECOM – A Vila Carrão, na zona Leste da cidade, ganhou nesta quarta-feira (25) uma ciclovia com 2,2 quilômetros de extensão e o prefeito Fernando Haddad visitou o novo trecho na companhia do secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto. A via exclusiva para bicicleta passa pelas ruas Engenheiro Pegado, Rogério Giorgi e João Vieira Prioste, entre as ruas Atucuri e Taubaté, e é, em grande parte, paralela à Avenida Conselheiro Carrão, informa a secretaria executiva de Comunicação da Prefeitura da cidade de São Paulo (SECOM). “A ciclovia se integra a outros investimentos que estão sendo feitos na área da mobilidade, como expansão dos trilhos e a expansão dos corredores e faixas de ônibus. É um projeto difícil porque a malha cicloviária não existe na cidade de São Paulo, então ela não está conectada. Ela só estará plenamente conectada a partir do final do ano. Isso vai começar a sugerir que as pessoas possam pensar a mobilidade de uma maneira diferente”, afirmou Haddad. Atualmente a cidade possui 235,3 quilômetros de vias destinadas aos ciclistas. Desse total, 172,3 quilômetros foram inaugurados desde junho de 2014. Os demais 63 quilômetros foram herdados da gestão anterior. A meta da Prefeitura é viabilizar uma malha cicloviária de 400 quilômetros até o final deste ano. “Estamos ampliando nossa rede cicloviária nos mais diversos pontos da cidade. Trata-se da construção de uma malha que fará ligações com pontos estratégicos de mobilidade, como terminais de ônibus e estações do metrô, além de equipamentos como escolas, praças e bibliotecas”, disse o secretário. Segundo Tatto, o projeto de ciclovia para a região prevê que ela chegue até a Radial Leste. O novo percurso é bidirecional em toda a sua extensão, sempre ao lado da calçada. Em sua demarcação estão sendo utilizados, aproximadamente, 6.000 metros quadrados de sinalização horizontal, 48 placas de trânsito que indicam a circulação exclusiva de bicicletas e 133 placas de regulamentação e advertência. Avenida Paulista e Minhocão Em janeiro deste ano, começaram as obras das ciclovias na Avenida Paulista e sob o Elevado Presidente Costa e Silva (Minhocão). Juntas, as vias somarão quase nove quilômetros exclusivos para as bicicletas. As obras têm previsão de duração de aproximadamente 180 dias. Com quatro quilômetros de extensão, a ciclovia da Avenida Paulista fará conexão com 11 ciclovias ligando às regiões do Centro, Pacaembu, Ibirapuera e Vila Mariana, entre outras. Para o trecho da Avenida Bernardino de Campos, estão previstas ainda obras para aterramento da fiação elétrica. O projeto...

Leia mais
Bloqueios em rodovias continuam, mesmo com acordo entre governo e caminhoneiros
fev26

Bloqueios em rodovias continuam, mesmo com acordo entre governo e caminhoneiros

Quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015, às 13h19 Ana Cristina Campos – Repórter da Agência Brasil Edição: Denise Griesinger Mesmo com acordo firmado entre governo e caminhoneiros nessa quarta-feira (25), a categoria mantém diversos pontos de rodovias federais parcialmente ou totalmente bloqueados na manhã de hoje (26). Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF) do Rio Grande do Sul, há 27 trechos interditados pelos manifestantes nas seguintes BRs: 101, 116, 158, 285, 386, 392, 468, 470 e 272. Em Santa Catarina, ainda há 11 pontos de bloqueios com interdição parcial das pistas. Os caminhoneiros ocupam trechos das BRs 116, 282, 470, 158 e 163. No Paraná, as interdições continuam em 18 trechos nas BRs 376, 272, 369, 467, 163, 476, 487, 158, 277 e 373. A PRF informou que carros de passeio, ambulâncias, ônibus e caminhões com cargas perecíveis estão sendo liberados. Na BR-163, em Mato Grosso do Sul, manifestantes bloqueiam os quilômetros 256, 267 e 270, em Dourados, e os quilômetros 614 e 618, em São Gabriel do Oeste. Na BR-463, no quilômetro 102, em Ponta Porã, também há interdição total. Em Mato Grosso, dez interdições iniciadas ontem (24) continuam nas BRs 364, 163 e 70. Segundo a PRF, os manifestantes estão liberando a passagem de caminhões com carga viva e produtos perecíveis, carros de passeio e ônibus. Pela proposta apresentada ontem, o governo promete sancionar a Lei dos Caminhoneiros sem vetos, prorrogar por 12 meses o pagamento de caminhões por meio do Programa Procaminhoneiro, além de criar, por meio de negociação entre caminhoneiros e empresários, uma tabela referencial de frete. Nesse item, os representantes dos caminhoneiros pediram que o governo atue na mediação com os empresários. As manifestações dos caminhoneiros, que tiveram reflexo em mais de dez estados, já provocam desabastecimento de combustível e alimentos em algumas cidades. *Matéria ampliada às 9h57 e às 10h46 para incluir balanços parciais das polícias rodoviárias federais no Paraná, em Mato Grosso e Mato Grosso do Sul Fila de caminhões na BR-060, que liga Brasília a GoiâniaValter Campanato/Agência...

Leia mais
Museu da Imigração de SP e NY terão intercâmbio de acervos
fev25

Museu da Imigração de SP e NY terão intercâmbio de acervos

Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015, às 17h43 Nos dois países, Brasil e EUA, ambas instituições estão sediadas em antigas hospedarias de imigrantes e compartilham semelhanças do cenário imigratório. Museu da Imigração de São Paulo – Com apoio do Consulado Geral dos Estados Unidos da América em São Paulo, a exposição Retratos Imigrantes promove um intercâmbio entre os acervos iconográficos do Museu da Imigração e do Museu da Imigração de Ellis Island, em Nova Iorque. Composta por 50 fotografias das duas primeiras décadas do século 20, a exposição compartilha as semelhanças do cenário imigratório da época nos dois países. A inauguração está marcada para o dia 27 de março no MI, às 19h, com apresentação musical do Grupo de Choro EMESP, e no dia 2 de maio no Museu da Imigração de Ellis Island, em Nova York.   O diálogo inédito entre parte dos acervos das duas instituições – ambas sediadas em antigas hospedarias de imigrantes – tem como objetivo a preservação da história e memória do processo migratório para construção de seus países. Das 50 imagens que serão expostas no Brasil pela primeira vez, 35 são do acervo do Museu de Ellis Island da coleção fotográfica de Augustus F. Sherman (1865-1925) – funcionário administrativo da antiga hospedaria de Nova Iorque que retratou por duas décadas os imigrantes que chegavam aos Estados Unidos. “Sherman foi o primeiro a fazer esses registros em um momento muito importante da fotografia documental. Embora fosse um fotógrafo amador, seu material tem rigor técnico. Ele captou imagens fortes que transmitem o olhar de esperança, cansaço e o aparente questionamento do desconhecido, do que estava por vir”, ressalta o fotógrafo e professor João Kulcsár, curador da exposição. “A exposição une essas imagens que apresentam conteúdo e estética muito semelhantes”, completa. A exposição temporária fica no Brasil de 27 de março a 6 de setembro, e chega a Nova Iorque no dia 2 de maio, permanecendo para visitação até 30 de setembro de 2015. O Museu da Imigração de Ellis Island prevê receber cerca de 250 mil pessoas para a mostra que terá a configuração de 35 fotos do acervo do Museu da Imigração do Estado de São Paulo/APESP, composto por imagens da Hospedaria de Imigrantes do Brás, e 15 fotografias de Sherman. A inauguração, que terá entrada gratuita, está marcada para as 19 horas do dia 27 de março. A partir do dia 28, o valor da visitação será de R$ 6,00. O Museu da Imigração fica na Rua Visconde de Parnaíba, 1316 – Mooca – São...

Leia mais
Salve, salvem um país: impeachment é pouco
fev25

Salve, salvem um país: impeachment é pouco

Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015, às 16h51 Gerson Soares Vamos parar de hipocrisia, impeachment é pouco para uma administração que deixa uma nação caminhar sem rumo. As notícias são alarmantes e parece que o Brasil descarrilou de vez. Qualquer país que leve a sério as leis, a ordem e o progresso, a presidente Dilma e todos os envolvidos no caso do Petrolão já estariam fora de ação, levados aos bancos dos réus e afastados do poder. A improbidade administrativa não deixa dúvidas da incapacidade de governar. A vitória nas eleições foi uma calamidade, a ânsia do poder pelo poder e nada mais.     Fábricas demitindo funcionários e uma expectativa negativa de vendas em diversos setores, a população acuada pela alta dos preços começa a perceber que ter reeleito Dilma Roussef e colocado o PT no poder por mais quatro anos pode levar o país a um desastre que começa nas barracas das feiras livres, onde nem as mercadorias estão chegando, devido à greve dos caminhoneiros. A palavra impeachment já se tornou de uso comum no Palácio do Planalto, tanto pelos assessores de Dilma quanto pelos opositores ao seu governo. Nas redes sociais, a população prepara um manifesto para o dia 15 de março. A Polícia Federal desmascara a cada dia uma das operações mais escandalosas comandadas por um partido político, aliado a outros tantos, para fraudar e surrupiar a Petrobrás, levando acionistas e investidores a perdas nunca vistas. Portanto, o que mais falta para que esse governo admita que está provocando uma regressão em diversos setores? Faltaria algo que não vai acontecer, ou seja, Dilma renunciar ao cargo e deixar que o Brasil siga seu rumo, tirando do seu caminho o peso petismo, que já demonstrou o que é capaz de fazer com o poder. Notícia veiculado ontem (24) pela Band News mostra um orçamento da Marinha no Rio de Janeiro, onde podem ser gastos mais de 390 mil reais somente com bebidas alcoólicas, e onde um pedaço de torta de frango que será servido aos militares chega aos 18 reais, enquanto no supermercado não passa dos 9 reais, um equívoco administrativo inaceitável. Enquanto isso, a mesma emissora exibiu pouco antes, a situação dos pacientes que precisam de hemodiálise. As clínicas vinculadas ao SUS ameaçam com o encerramento do serviço que está custando em torno de 240 reais, mas o Governo Federal só paga 179 reais por paciente e ainda assim atrasando o repasse dessas verbas. Uma senhora que mal conseguia se locomover deixou a seguinte pergunta: “O que eu faço?”.     O que nós faremos? Seria ainda mais abrangente, pois estes são apenas alguns exemplos...

Leia mais
Pesquisadores do IPT explicam como garantir a qualidade da água de chuva coletada
fev25

Pesquisadores do IPT explicam como garantir a qualidade da água de chuva coletada

Quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015, às 17h58 É imprescindível desprezar as primeiras chuvas; são elas que vão arrastar os poluentes presentes no ar e lavar a sujeira acumulada na área de captação IPT – Apesar de ser uma técnica relativamente simples, o aproveitamento da água de chuva possui requisitos mínimos que devem ser respeitados para garantir o funcionamento do sistema e, principalmente, para assegurar a qualidade dos volumes coletados. O telhado ou a laje de cobertura da edificação funcionam como área de captação. “Jamais deve-se fazer a captação a partir de pisos”, explica o pesquisador Luciano Zanella, do Centro Tecnológico do Ambiente Construído do IPT. Calhas e tubos direcionam as águas até o reservatório. É preciso prever um sistema de tratamento, cuja complexidade vai depender dos usos pretendidos. Em alguns casos, pode-se pensar em uma rede de distribuição da água para pontos de consumo de água não potável, caso das bacias sanitárias. Em edificações já construídas, entretanto, é indicado optar por sistemas simplificados, uma vez que o custo de novas instalações hidráulicas prejudicará a viabilidade financeira do projeto. A capacidade de reservação é definida em função de diversos fatores, a começar pela localização da edificação. É preciso considerar o regime de chuvas na região, a existência e a regularidade de abastecimento de água potável por uma concessionária, além do custo do recurso. Entra no cálculo também a demanda por água não potável. O número de usuários e seus hábitos de consumo, além das diversas aplicações que essa água pode ter na edificação, como limpeza de pisos e rega de jardins, também precisam ser levados em conta. Dois aspectos não podem ser ignorados: o espaço disponível para a instalação do reservatório e, quando a intenção for instalá-lo sobre a laje de cobertura, a capacidade da estrutura para suportar o peso adicional. “A carga extra de um reservatório cheio de água pode não ser suportada por alguns tipos de construção”, ressalta Zanella. Descarte da primeira chuva É imprescindível, alertam os pesquisadores do IPT, desprezar as primeiras chuvas. São elas que vão arrastar os poluentes presentes no ar e lavar a sujeira acumulada na área de captação. As recomendação técnicas indicam um descarte em torno de um a dois litros de água da primeira chuva para cada metro quadrado de telhado. Assim, se a cobertura tem 20 metros quadrados, é necessário desconsiderar um volume entre 20 e 40 litros. Um sistema mínimo de tratamento das águas pluviais envolve não somente o descarte das primeiras águas, mas a remoção dos sólidos, como folhas, galhos e areia, por meio da utilização de filtro ou tela. “É recomendada a desinfecção com compostos de cloro,...

Leia mais
Preços agropecuários sobem 1,10% em janeiro
fev19
Leia mais
Começa obra para aumentar entrada de água no Sistema Alto Tietê
fev18

Começa obra para aumentar entrada de água no Sistema Alto Tietê

Quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015, às 16h46 Captação no rio Guaió, em Suzano, fará com que o sistema receba mais 1.000 litros de água por segundo, suficiente para abastecer cerca de 300 mil pessoas. A obra que vai aumentar a entrada de água no Sistema Alto Tietê teve início no sábado, 14. Executado pela Sabesp, o investimento vai captar água do rio Guaió, que fica em Suzano, e transferi-la até a represa Taiaçupeba, que faz parte do sistema Produtor Alto Tietê. O trabalho será feito com mão-de-obra própria da companhia e deve estar pronto em maio. A Sabesp vai implantar 9 km de adutoras (grandes tubulações) e uma estação de bombeamento. A obra vai retirar 1.000 litros de água por segundo do Guaió e bombeá-la por tubulação até o ribeirão dos Moraes. Este curso d’água termina no rio Taiaçupeba-Mirim, que então deságua na represa Taiaçupeba, pertencente ao Sistema Alto Tietê. Dessa forma, a água do Guaió será armazenada na represa e depois tratada para ser distribuída à população. Esse volume adicional de 1.000 litros de água por segundo equivale ao consumo de cerca de 300 mil pessoas. O Sistema Alto Tietê abastece parte da zona leste de São Paulo, as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá e parte de Guarulhos. Mais água A importância dessa obra é aumentar a quantidade de água que entra no Sistema Alto Tietê no período de poucas chuvas. O sistema é composto por cinco represas (Ponte Nova, Paraitinga, Biritiba-Mirim, Jundiaí e Taiaçupeba). Elas são alimentadas pela chuva direta e pelos rios que deságuam nelas. Portanto, a entrada de mais um rio (o Guaió) para alimentar as represas vai ampliar o nível de todo o sistema. A captação do rio Guaió é semelhante a duas outras obras da Sabesp para aumentar a entrada de água nos sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo. No dia 27 de janeiro foi entregue a ampliação da transferência de água do córrego Guaratuba para o Sistema Alto Tietê. A obra, feita em pouco mais de dois meses pela Sabesp, contribuiu para aumentar o volume armazenado nesse sistema. O córrego Guaratuba nasce na serra do Mar e deságua em Bertioga, no litoral. Com a obra, o volume transferido para a Grande São Paulo subiu de 500 litros por segundo de água para 1.000 litros por segundo. A obra teve início no dia 5 de novembro de 2014 e foi feita com mão-de-obra própria da Sabesp. Técnicos da companhia também trabalham para bombear água de um novo manancial, o rio Juquiá, e transportá-la até a represa Guarapiranga. O objetivo é transferir...

Leia mais
Vai-Vai é a vencedora do carnaval de São Paulo
fev18
Leia mais
Amil cobra adicional de medicamentos, mas o serviço não existe em SP
fev17
Leia mais
Amil não responde sobre cobrança indevida
fev17
Leia mais
Falta de remédios distribuídos pelo Governo causa medo e apreensão aos pacientes
fev14
Leia mais
Alckmin apresenta ações integradas de segurança para o Carnaval
fev12
Leia mais
Empresas dos EUA oferecem energia solar aos funcionários
fev12
Leia mais
Estudo define valores para psicodiagnóstico de Rorschach com adolescentes
fev12
Leia mais
Novo semáforo na Rua Francisco Marengo deveria ter começado a funcionar ontem
fev12
Leia mais
Cratera da Rua Emílio Mallet é recapeada
fev12
Leia mais
Em três dias surgem duas crateras na Rua Emílio Mallet
fev11
Leia mais
Tapa-buracos na Rua Emílio Mallet expõe serviços mal feitos
fev09
Leia mais
Falta de melatonina causa obesidade e diabetes, aponta pesquisa
fev09
Leia mais