Eduardo Campos no JN, última entrevista

Quarta-feira, 13 de agosto de 2014 às 16h22

 

O site do partido Rede Sustentabilidade divulgou hoje, não é possível estimar se antes ou depois do acidente com o candidato à presidência Eduardo Campos, um resumo e o vídeo da entrevista durante o Jornal Nacional da Rede Globo. Veja a seguir:

No Jornal Nacional, Eduardo Campos defende propostas e aliança com Marina

Rede Sustentabilidade – Eduardo Campos, candidato à Presidência da República pela Coligação Unidos pelo Brasil, afirmou em entrevista nesta terça-feira (12) ao “Jornal Nacional”, da Rede Globo, que sua candidatura, ao lado de Marina Silva como vice, representa a nova agenda exigida pela sociedade brasileira, que espera por “desenvolvimento, com respeito ao meio ambiente e com inclusão social”.

 

O presidenciável Eduardo Campos (PSB) em entrevista no Jornal Nacional, na noite de ontem (12). Foto: Divulgação / Rede Sustentabilidade

O presidenciável Eduardo Campos (PSB) em entrevista no Jornal Nacional, na noite de ontem (12). Foto: Divulgação / Rede Sustentabilidade

 

Nos 15 minutos de entrevista para William Bonner e Patrícia Poeta, Eduardo disse que haverá dinheiro para implantar propostas como o Passe Livre e as escolas em tempo integral, que farão parte de seu programa de governo. Lembrou que, quando o Banco Central decide aumentar a taxa básica de juros em 0,5%, isso representa um custo de R$ 14 bilhões ao país: “O Passe Livre, que é um compromisso nosso com os estudantes, custa menos do que isso”.

Eduardo declarou que seu governo trará a inflação para o centro da meta e fará o Brasil crescer. Para atingir esses objetivos, haverá “responsabilidade na condução macroeconômica, Banco Central com independência, Conselho Nacional de Responsabilidade Fiscal, gente séria e competente governando”, disse. “A inflação não pode ser combatida só com a taxa de juros, como está sendo feito no país.”

O programa de governo da Coligação Unidos pelo Brasil, disse Eduardo, está em fase final e será a síntese de muitas contribuições, não apenas de especialistas e técnicos, mas de segmentos da sociedade, de jovens, que manifestaram sua opinião pela internet. “É possível cumprir todas as promessas e fazer o Brasil voltar a crescer com responsabilidade”, declarou.

Questionado se 2015 será um ano difícil, afirmou que “difícil está sendo este ano”. “O Brasil perdeu de 7 a 1 dentro do campo na Copa do Mundo e está perdendo também de 7 a 1 fora do campo. Porque é 7 de inflação, com a presidente guardando na gaveta o aumento da energia e o aumento do combustível para depois da eleição e, mesmo assim, com menos de 1% de crescimento”.

“Acho que 2015 vai ser um ano que nós vamos terminar melhor do que 2014, porque nós vamos enfrentar os problemas. A pior coisa na vida de uma pessoa, de uma família, de um governo, é a gente ficar escondendo os problemas. É não ter a humildade, a coragem, de dizer, ‘estamos com problema, vamos resolver o problema’.”

Contestou a afirmação dos apresentadores sobre supostas restrições de Marina Silva ao agronegócio: “Marina não tem nada contra o agronegócio, contra a indústria ou contra o desenvolvimento econômico. O que Marina defende, e eu defendo também, e a sociedade brasileira quer ver hoje, é que nós temos que ter desenvolvimento, com respeito ao meio ambiente e com inclusão social”.

Ao final, concluiu: “Não vamos desistir do Brasil. É aqui onde vamos criar nossos filhos, é aqui onde temos de criar uma sociedade mais justa. Para isso, é preciso ter a coragem de mudar, de fazer diferente, de reunir uma agenda, a agenda da escola em tempo integral para todos os brasileiros, a agenda do Passe Livre, a agenda de mais recursos para a saúde, a agenda do enfrentamento do crack, da violência. O Brasil tem jeito, vamos juntos”.

 

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*