Prefeitura não dará continuidade ao CEU Carrão
set13

Prefeitura não dará continuidade ao CEU Carrão

Parque corre risco de continuar fechado indefinidamente. Uma irresponsabilidade em forma de obra eleitoreira, deixada pela gestão Haddad que também deixou um rombo de 7,5 bilhões. Por outro lado, a devolução do parque como era antes de ser usado politicamente é ignorada pela gestão Doria (PSDB-SP), que diz ter outras prioridades. Tatuapé e os usuários da zona Leste podem perder o acesso ao parque ou obtê-lo precariamente, devido más gestões à frente da Prefeitura de São...

Leia mais
CEU Carrão não vinga e ainda prejudica atividades do Centro Esportivo
set07

CEU Carrão não vinga e ainda prejudica atividades do Centro Esportivo

Depois de uma ação notadamente eleitoreira do ex-prefeito Fernando Haddad (PT-SP), dois anos antes do final do seu mandato em 2014, ele deu início a uma obra que até agora só prejudicou a população do Tatuapé. Também é notória a falta de interesse da gestão Doria em finalizá-la. O “elefante branco” agora ficou para o bairro, cuja população perdeu sua área de lazer e esportes.

Leia mais
CEU Carrão/Tatuapé em construção
mar22

CEU Carrão/Tatuapé em construção

Clube Esportivo Brigadeiro Eduardo Gomes que em breve passará a ser conhecido como CEU Carrão/Tatuapé está com obras em andamento e previsão de entrega da Prefeitura é para o final deste ano.

Leia mais
Prefeitura anuncia CEU Carrão/Tatuapé para dezembro deste ano
jan21

Prefeitura anuncia CEU Carrão/Tatuapé para dezembro deste ano

Há quem duvide que o CEU ficará pronto até dezembro, mas também há quem afirme que a obra foi atrasada devido o ano eleitoral e Haddad não perderá a oportunidade para destacar mais uma façanha em sua gestão. Apesar de obras com nomes esquisitos e desconhecidos, Prefeito deixará sua marca nos parques do bairro.

Leia mais
Engenheiro de carreira foi convidado para assumir a Subprefeitura Mooca
maio22

Engenheiro de carreira foi convidado para assumir a Subprefeitura Mooca

Gerson Soares Evando Reis, engenheiro elétrico com especialização em Meio Ambiente, funcionário de carreira da Prefeitura de São Paulo, assumiu a Subprefeitura Mooca no dia 09 de maio. A indicação foi concretizada após uma entrevista pessoal com o prefeito Fernando Haddad. “Ele mantém uma linha de indicar pessoas ligadas às estatais e de carreira pública”, revela. O novo Subprefeito da Mooca demonstra forte ligação com a zona Leste. Cresceu em Itaquera, morou na Avenida Pires do Rio, aos 14 anos disse que já trabalhava em frente sua casa. “E estou aqui, trabalhar com essa idade não me fez mal algum”, admite aos 57. Reis chegou com os pais de Fortaleza, CE, aos seis meses de idade, e tem mais cinco irmãos. “Cinco homens e uma mulher”. Segundo ele, acompanhou o crescimento da populosa região de São Paulo. Leia a entrevista “Estudei em colégio público (Grupo Engenheiro Alvares de Azevedo), depois fiz Eletrônica e Engenharia Elétrica”. Após concluir seus estudos especializou-se em Meio Ambiente pela Fundação Alvares Penteado, fazendo carreira desde auxiliar técnico na Eletropaulo. “Ainda trabalhei quatro anos na antiga Light”, disse referindo-se à empresa do Reino Unido, que supriu durante décadas a luz em São Paulo e Rio de Janeiro, onde ainda atua. Durante sua passagem pela Eletropaulo, foi presidente da Associação dos Engenheiros da empresa, onde 1.200 mil profissionais, a maioria com cargo de direção, recebiam informações sobre os interesses da comunidade. Sua carreira como funcionário público, passa ainda pela CETESB – onde permaneceu três anos. Em 2001, passou a ser chefe da Subprefeitura de São Miguel Paulista, onde permaneceu por duas gestões e mais uma como supervisor de Habitação no Itaim. Frase: “Eu quero a Mooca um brinco”. Leia mais  Obras no Tatuapé são largadas pela metade  Conservação de ruas do Jardim Anália Franco acontece após anos Depois de quase três meses de cobranças, calçada do João Borges está sendo...

Leia mais
0800 complementa serviço da carretas da mamografia
maio12

0800 complementa serviço da carretas da mamografia

Publicado em 12 maio de 2014, às 08h33   Acesse uma atualização deste asssunto   Mulheres paulistas com idades entre 50 e 69 anos, que nasceram em ano par e fazem aniversário em abril já podem marcar seus exames de mamografia sem necessidade de pedido médico, gratuitamente, pelo SUS (Sistema Único de Saúde).   Esta é uma iniciativa complementar às carretas-itinerantes, que tem como objetivo rastrear ativamente o câncer de mama e incentivar a realização de exames preventivos para detecção precoce da doença. Para fazer o agendamento da mamografia, basta ligar para o callcenter da Secretaria, pelo número 0800-779-0000. O serviço telefônico está disponível de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Neste caso, os exames não serão realizados nas carretas, e sim em uma das 300 serviços com mamógrafo do SUS paulista. Essa primeira fase do programa é destinada a quem nasceu em ano par, mas, caso a mulher tenha nascido em ano ímpar e esteja há mais de dois anos sem fazer o exame, também poderá fazer o agendamento no mês de seu aniversário, ainda este ano. As mulheres nascidas em ano ímpar e que realizaram o exame recentemente terão a oportunidade agendar a mamografia no próximo ano, também no mês do aniversário, em unidades como AMEs (Ambulatórios Médicos de Especialidades), hospitais e clínicas. Doze mil mamografias a mais serão ofertadas na rede com o programa. A previsão é que a mamografia seja realizada ainda no mês de aniversário da paciente ou, no máximo, em 45 dias após a solicitação do exame. Caso sejam detectadas alterações no exame ou suspeitas de câncer, a paciente será encaminhada a um serviço de referência do SUS para fazer exames complementares, acompanhamento ou tratamento, de acordo com cada caso. Saiba mais   Zona Norte terá carreta da mamografia por 15 dias Carreta conta com mamógrafo, ultrassom e equipe de...

Leia mais
Idoso sofre acidente devido obra mal executada na Francisco Marengo
jan21

Idoso sofre acidente devido obra mal executada na Francisco Marengo

Visitamos o local que virou piada entre os anciãos do grupo de bocha do futuro CEU Carrão / Tatuapé.

Leia mais
Crateras continuam se formando no bairro, esta flagramos no Belenzinho
mar06

Crateras continuam se formando no bairro, esta flagramos no Belenzinho

Gestão anterior na Prefeitura, que priorizou a criação de ciclovias – em grande parte do Tatuapé são inúteis – e a batalha contra o uso dos carros, se esqueceu da manutenção das ruas e avenidas. A consequência é o número de buracos que surgem a cada dia.

Leia mais
Rua Antonio João Fiore esquina com Henrique Dumont: virou depósito de lixo
mar22

Rua Antonio João Fiore esquina com Henrique Dumont: virou depósito de lixo

Domingo, 22 de março de 2015, às 12h13   O local está sub a jurisdição da Subprefeitura Aricanduva/Carrão. No dia 21 de maio do ano passado, antes de uma entrevista marcada com o Subprefeito da Mooca, Evandro Reis, para falar sobre sua posse – que aconteceu dias antes – e os problemas do Tatuapé, nossa reportagem levou imagens do lixo depositado na esquina das ruas Antonio João Fiore com Henrique Dumont, que ficam na divisa entre os bairros do Tatuapé e Carrão.     Tendo assumido o cargo no dia 9 de maio e ainda familiarizando-se com as delimitações dos bairros sob sua jurisdição, imaginou que aquelas ruas estivessem a cargo da Subprefeitura da Mooca. Antes mesmo de começarmos a entrevista, tomou o telefone e ligou para o encarregado daquele assunto. Momentos depois, recebeu o retorno da ligação, que dizia estar aquele logradouro sob jurisdição da Subprefeitura Aricanduva/Carrão. Os coletores de lixo fazem o seu trabalho às segundas, quartas e sextas-feiras, mas o lixo no local é depositado diariamente, seja sábado ou domingo. Hoje, entramos em contato com a subprefeitura que não atendeu a chamada. Nesta segunda-feira, faremos contato novamente para saber qual seria a solução para o problema. “Acho que isso é caso de polícia”, disse a moradora cansada de reclamar. “Já arranjei confusão com todo mundo, mas ninguém assume que joga o lixo aqui”, diz revoltada. Outro morador, afirmou que é preciso fazer alguma coisa para que a imundice tenha fim. “Precisa fazer alguma coisa de algum jeito”. A proliferação de pragas urbanas, como os ratos e os pernilongos, têm o agravante da dengue e chikungunya que também se alastram na sujeira. “Até rato já tive de tirar da minha casa”, reclama outra moradora. “Isso é falta de educação”, disse uma senhora com seus cabelos brancos, voltando do mercado. Gentil, talvez não encontrasse palavras para dar o seu parecer. Passando pelo local, outra moradora antiga, manifestou-se constrangida com as moscas, baratas e a sujeira gerada pelo lixo depositado na esquina. Os horários de coleta têm sido rigorosamente respeitados, portanto não há motivos para que o lixo não seja colocado na hora certa, como faz a grande maioria dos moradores. À minoria, que parece não ter compromisso com a limpeza, cabe seguir as...

Leia mais
Por um país melhor  e mais unido milhares poderão se reunir domingo
mar12

Por um país melhor e mais unido milhares poderão se reunir domingo

Quinta-feira, 12 de março de 2015, às 13h21 Em todo o Brasil, os opositores ao governo petista de Dilma Roussef pretendem se manifestar, entre eles um dos partidos que mais lhes faz oposição, o PSDB. A corrupção, a degradação moral e o enfraquecimento das instituições mais importantes do país, como o próprio STF (Supremo Tribunal Federal) está sendo divulgada na mídia não só do Brasil, mas em países como Inglaterra, Espanha, Itália, França e Estados Unidos. A revolta com o descaramento político assola a opinião mundial. De acordo com o regimento interno, pela falta de indicação de um nome para ocupar a vaga deixada pelo ex-ministro do STF Joaquim Barbosa (cabe ao Poder Executivo do país essa indicação que ainda não foi feita), o presidente ministro Ricardo Lewandowski (indicado pelo ex-presidente Lula) aprovou ontem (11) a transferência do ministro José Antonio Dias Toffoli da primeira para a segunda turma. Portanto, passando ele a ser o mais novo membro dessa turma, conforme a tradição do STF deverá presidir o julgamento do escandaloso caso Petrolão. Ocupando a vaga de assessor da Casa Civil, quando o Ministro da pasta era José Dirceu – condenado no Mensalão –, durante a presidência de José Inácio Lula da Silva, foi indicado por este para ocupar uma vaga no STF. Toffoli fez carreira na área jurídica do PT e foi advogado do partido. Conforme divulgado pela revista Veja, em 2013 foi dele a iniciativa de patrocinar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) uma espécie de “lei da mordaça” para o Ministério Público Eleitoral, a PEC 37 (Proposta de Emenda Constitucional 37/2011). A norma estabelecia que os promotores e procuradores precisam de autorização prévia do juiz eleitoral para abrir uma investigação, com exceção dos casos de flagrante delito e ficou conhecido entre eles como “PEC da impunidade”. Manifestações em todo o país pressionaram o Congresso e impediram que a medida fosse à frente. O fenômeno das manifestações de 2013, que marcou a história brasileira, começou contra os aumentos das tarifas dos ônibus e se espalhou pelas capitais em todo o território nacional. Nas faixas, uma das reivindicações era o “não” para a PEC 37. Em 2014, manifestantes foram vistos protestando contra a Copa do Mundo, a Fifa e suas exigências e pedindo “Padrão Fifa” para a saúde, educação, segurança. Em 2015, estamos prestes a presenciar manifestantes que desejam moral na política e mudanças; sempre elas a movimentar a opinião pública. Essas alterações no comportamento dos políticos, que possuem a função de governar o país e o fim dos escândalos de corrupção, poderão levar a algum resultado se houver organização e entendimento entre os que assim desejam um país...

Leia mais
Detran muda setor de pontuação e não avisa usuários causando confusão diária
fev28

Detran muda setor de pontuação e não avisa usuários causando confusão diária

Sábado, 28 de fevereiro de 2015, às 07h06 – atualizado às 12h29   A autarquia do Governo do Estado de São Paulo, subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão, efetuou a mudança de endereço, colocou um aviso no site e quem quiser que adivinhe. Gerson Soares Mais uma vez o cidadão é humilhado por aqueles que deveriam dar o exemplo, as autoridades, cujos salários são devidamente pagos por aqueles que desprezam. Isso é um costume arraigado na cultura dos servidores públicos, que para se protegerem de suas próprias inconsequências, ainda criaram leis que obrigam os cidadãos a respeitar suas arbitrárias decisões, remetendo aos tempos da monarquia. Algumas repartições chegam a exibir o aviso de que o funcionário público não pode ser desrespeitado. Mas a ele parece ter sido dado o direito de desrespeitar e uma das piores formas é estar despreparado para o atendimento, colocando toda a arrogância que os cargos públicos lhe conferem para ignorar aqueles que pagam seus salários. Os usuários são ofendidos, humilhados e colocados em filas sem obter informações condizentes com suas necessidades. Como se fossem rebanhos, devem aguardar sem fazer perguntas ou causar constrangimentos aos poderosos servidores. Ontem estivemos no Setor de Pontuação do Detran de São Paulo, na Unidade Armênia, recentemente transferida da Rua João Brícola, sem nenhum aviso. Vimos pessoas aguardando com senhas em bancos colocados a céu aberto logo na entrada. Os serviços são lentos, burocráticos e as filas se acumulam por toda parte. Especificamente no Setor de Pontuação, onde os motoristas são chamados de infratores e assim tratados genericamente, a demora é de mais de 2 horas para serem atendidos, isso se tudo funcionar bem e o cidadão conseguir alinhar a sua necessidade aos trâmites do Detran. Desde o dia 9 de fevereiro, o setor que funcionava na Rua João Brícola, 32 – Centro, passou para a Unidade Armênia, mas a mudança não foi divulgada e não há notícia desse fato na imprensa ou qualquer tipo de comunicação que tenha sido enviada àqueles que haviam agendado o atendimento no antigo endereço, apesar de ser exigido um email para contato e telefone para que o cadastro do motorista seja aprovado. Portanto, se você mora na capital paulista e tiver agendamento com o Setor de Pontuação do Detran, não vai adiantar seguir até a Rua João Brícola, 32, no centro da cidade, o atendimento está sendo feito na Avenida do Estado, 900, caso contrário perderá a viagem. Sem saber da mudança, tendo agendado o horário em dezembro do ano passado, o motorista B., esteve na Rua João Brícola, 32 (Estação São Bento) na manhã de ontem às 9h, horário marcado, e assim...

Leia mais
Minas Gerais se dividiu, Dilma ganhou
out27

Minas Gerais se dividiu, Dilma ganhou

Segunda-feira, 27 de outubro de 2014, às 11h28 Dilma venceu em 15 estados, Aécio em 12. Wellton Máximo – Agência Brasil Edição: Nádia Franco A divisão no resultado das eleições presidenciais refletiu-se nos estados. Das 27 unidades da Federação, a candidata do PT, Dilma Rousseff, venceu em 15 e o candidato do PSDB, Aécio Neves, em 12. Dilma venceu nos estados de Alagoas, do Amazonas, do Amapá, da Bahia, do Ceará, do Maranhão, de Minas Gerais, do Pará, da Paraíba, de Pernambuco, do Piauí, do Rio de Janeiro, do Rio Grande do Norte, de Sergipe e do Tocantins. Os melhores resultados foram obtidos no Maranhão (78,76%), no Piauí (78,29%) e no Ceará (76,75%). Aécio Neves ganhou a disputa no Distrito Federal e nos estados do Espirito Santo, de Goiás, de Mato Grosso do Sul, de Mato Grosso, do Paraná, de Rondônia, de Roraima, do Rio Grande do Sul, de Santa Catarina e de São Paulo. Os estados que mais deram vantagem ao tucano foram Santa Catarina (64,59%), São Paulo (64,31%) e Acre (63,86%, com resultado parcial). No estado natal dos dois candidatos, Minas Gerais, Dilma derrotou Aécio. Dilma ficou com 52,41% dos votos e Aécio, com 47,59%. De um universo de 15,2 milhões de eleitores, a petista venceu o tucano por uma diferença de 550,5 mil votos. Embora nascida em Minas, Dilma começou a carreira política no Rio Grande do Sul. No estado, onde tem domicílio eleitoral, a presidente obteve 46,47% dos votos, contra 53,53% do adversário. Em um colégio de 8,4 milhões de eleitores, Aécio venceu Dilma por 455 mil votos de diferença.   Assuntos relacionados “Cumprimos o nosso papel”, diz Aécio Minas Gerais se dividiu, Dilma ganhou Oposição aumenta após eleições Dilma faz primeiro discurso ao lado de Lula Dilma é...

Leia mais
Funcionário público derruba velhos estigmas
out26

Funcionário público derruba velhos estigmas

Domingo, 26 de outubro de 2014, às 08h37 Na próxima terça (28), Dia do Servidor Público, o país tem motivo para comemorar. Os funcionários do Estado estão cada vez mais qualificados e já não se encaixam no velho estereótipo de empregados despreparados. A parcela de pós-graduados no Executivo federal subiu de 12% para 21% em 10 anos. Agência Senado – Faz tempo que os brasileiros recorrem ao humor para criticar os funcionários públicos. Num Carnaval do início dos anos 50, os foliões do Rio foram embalados pela marchinha Maria Candelária, que falava de uma servidora que só aparecia na hora de bater o ponto e ir embora. Mais recentemente, em meados dos anos 2000, na série Os Aspones, da TV Globo, o trio Marisa Orth, Drica Moraes e Pedro Paulo Rangel arrancou gargalhadas como funcionários de um poeirento arquivo onde simplesmente não havia serviço. As críticas ficaram datadas. O serviço público no Brasil já não é uma casta de burocratas despreparados, pouco afeitos ao trabalho e repletos de mordomias. Basta verificar a qualificação da nova geração de funcionários públicos. No Poder Executivo federal, a grande maioria, 66,5%, tem diploma universitário. A parcela pós-graduada praticamente dobrou de dez anos para cá, passando de 12% para 21% — metade tem doutorado. No caso dos que não passaram do ensino fundamental, o índice caiu de 17% para 7%. Nos demais Poderes (Legislativo e Judiciário) e esferas (estadual e municipal), a máquina pública também vem se profissionalizando de forma extraordinária. Esses números são motivo suficiente para que no Dia do Servidor Público – 28 de outubro – o país comemore. — A qualidade das políticas públicas é diretamente proporcional ao nível profissional dos servidores. São eles que assessoram a classe governante na elaboração das políticas e também são eles que executam os projetos. O grande beneficiado, no fim das contas, é o cidadão — explica Pedro Cavalcante, um dos diretores da Escola Nacional de Administração Pública (Enap). O Estado é patrão de cientistas, professores, médicos, arquitetos, advogados e economistas, por exemplo. Há também as chamadas carreiras típicas de Estado. São elas que garantem o funcionamento da Justiça (juízes, procuradores), da segurança pública (policiais, carcereiros, bombeiros), da defesa nacional (militares), da diplomacia (embaixadores) e da máquina arrecadatória (fiscais da Receita Federal), entre outros setores. Trabalhar era feio No Brasil, o funcionalismo floresceu em 1808, quando a corte portuguesa, fugindo de Napoleão, refugiou-se no Rio, acompanhada do aparato burocrático da metrópole. Os funcionários eram indicados, promovidos e demitidos ao bel-prazer dos poderosos. Prevaleciam o nepotismo e o apadrinhamento. É nessa época, com a escravidão em plena vigência, que o funcionalismo constrói sua famigerada reputação. No...

Leia mais
Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé
out08

Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé

Quarta-feira, 8 de outubro de 2014, às 14h56 – Atualizado às 18h39 A cidade está passando por mudanças promovidas pela Prefeitura. Mobilidade urbana ligada ao transporte público, iluminação, ocupação de ruas e praças com eventos, virada cultural e esportiva. Estes são alguns exemplos de ações interessantes e que merecem destaque positivo. Outra iniciativa em prol dos munícipes, mas que ainda tem opositores, até mesmo entre quem pratica exercícios regularmente são as ciclovias.     Em sua visita ao bairro, na manhã desta quarta-feira (8), o prefeito Fernando Haddad declarou que não há nada contra os carros, mas que é a favor de mudanças e demonstra entusiasmo quando fala da implantação das faixas exclusivas para bicicletas. Ao nos dirigirmos para o evento que ocorria na entrada do Parque Esportivo do Trabalhador (PET – muito mais lembrado pelo antigo nome Ceret), logo no início desta reportagem, encontramos Sueli que observadora não se conteve em dizer: “A ciclovia termina aqui. Quando vai ficar pronta?”, ao perceber que a lente de nossa câmera estava voltada para o final da faixa exclusiva das bikes, na esquina da Rua Nello Bini com a Rua Eleonora Cintra, em frente ao Ceret. Sueli disse mora no bairro desde que nasceu e contou sobre seu filho que precisa ir até a faculdade. “Existe uma faixa de ciclovia na Praça Ituzaingó, mas não tem continuidade. Precisaria descer pela Rua Coelho Lisboa, Rua Serra de Bragança”, exemplificou. Apesar da nova modalidade em transporte ser o assunto do momento, Sueli afirma que são necessárias outras linhas de ônibus para o centro. “Nós não temos como ir do Tatuapé para o Centro, só há uma linha de ônibus, que sai da Silvio Romero, e o Metrô. Meu filho estuda na Consolação e gostaria de usar a ciclovia como alternativa”. Sobre as ciclovias o Prefeito reafirmou nesta manhã no encontro com a imprensa e diversos usuários do parque que até o final de 2015 todas as estações e ciclovias estarão interligadas. “São 400 quilômetros. Essa distância dá para ir até o Rio de Janeiro”, exagerou ao perguntarmos sobre as estações que estão sendo instaladas no bairro. “Todas as estações serão interligadas”, disse ao questionarmos as obras nas ruas Emílio Mallet e Euclides Pacheco. Portanto, os adeptos ao uso da bicicleta como meio de transporte terão de aguardar mais um tempo. Mas, segundo nos informou Haddad, onde há estações também haverá ciclovias.   Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Haddad está mudando o estilo da cidade e o Tatuapé faz parte Prefeitura entregará nova iluminação no...

Leia mais
Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé
out02

Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé

Quinta-feira, 2 de outubro de 2014, às 16h02 Os cruzamentos do bairro estão cada vez piores com o aumento do número de veículos. Disso todo mundo sabe, mas o objetivo desta obra inacabada ninguém explica.     Há pelo menos duas semanas, os motoristas que cruzam a esquina das ruas Francisco Marengo e Emílio Mallet se deparam com uma obra sem identificação, placa ou motivo. O aumento de carros e coletivos que percorrem esse perigoso cruzamento é notório. A cada manhã o número de veículos aumenta e as filas para percorrer os poucos metros entre as esquinas também. Apesar disso, a obra que apareceu numa determinada manhã sem nenhuma identificação e assim permanece, atrapalha e causa estranheza. Quem teria feito os buracos e para quê? Independentemente dos motivos, o problema é que o cercado pode causar acidentes com ciclistas, pedestres e carros que passam pelo local.       Estamos em contato com a Subprefeitura Mooca para saber do que se trata.   Assuntos relacionados Haddad fala das ciclovias e estações de bikes no Tatuapé Privilégios e estação inacabada põe em dúvida ciclovias no bairro Obra inacabada causa transtornos em cruzamento do Tatuapé Obra inacabada na Emílio Mallet será estação de...

Leia mais
Caras de pau não, de granito!
set30

Caras de pau não, de granito!

Terça-feira, 28 de setembro de 2014, às 12h09   Empresa é condenada em ação da AGU a pagar mais de R$ 2 milhões por extração ilegal de granito no Amazonas. ASCOM|AGU – Com a finalidade de proteger o patrimônio mineral brasileiro, a Advocacia-Geral da União (AGU) obteve a condenação de uma empresa a pagar R$ 2,1 milhões a título de indenização por extração ilegal de granito. O processo tramitou na Justiça Federal do Amazonas.     A iniciativa tinha como base fiscalização do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), em setembro de 2011, para averiguação de denúncia em uma mina situada próximo à BR 174, quilômetro 165, no ramal denominado Rumo Novo. A exploração do local era feita pela Pedreira Samaúma Ltda., sediada no município de Presidente Figueiredo/AM. Foi constatada a retirada de 27.285,26 m³ de granito fora dos limites da área autorizada, além da comercialização ilegal do minério, o que resultou em auto de paralisação do funcionamento da mina. Conforme destacado pela AGU nos autos do processo, o dano causado, de acordo com os valores apurados em relatório do Departamento, alcançou R$ 2.128.250,58. O direito ao ressarcimento, segundo a ação da AGU, tinha respaldo no artigo 20, inciso IX, da Constituição Federal, que dispõe que são bens da União “os recursos minerais, inclusive os do subsolo”, em conjunto com o artigo 176, caput e parágrafo 1º, também da Carta Magna. De acordo com os advogados da União, a empresa agiu intencionalmente ao usurpar o minério. “Aquilo que outrora pertencia à sociedade brasileira, na figura do Estado por ela constituído para satisfazer os seus interesses, ilicitamente passou a integrar o patrimônio privado da ré, que, portanto, enriqueceu indevidamente em decorrência da conduta praticada ao arrepio da lei”, ressaltou a AGU em um trecho da ação. Acolhendo o argumento da AGU de que a retirada irregular causou danos ao meio ambiente e ao Tesouro Nacional, a 7ª Vara Federal da Seção Judiciária do Amazonas julgou procedente o pedido de ressarcimento em favor da União. O magistrado que analisou o caso entendeu que “os recursos minerais estão intrinsecamente ligados ao meio ambiente, pelo simples fato de estarem alocados na própria natureza, sendo a sua exploração descontrolada capaz de acarretar graves danos ambientais. Diante dos princípios e regras do Direito Civil – relativos à vedação ao enriquecimento sem causa e a responsabilidade civil por ato ilícito (arts. 186, 884 e 927 do CC) -, bem como dos preceitos da Lei de Improbidade Administrativa (art. 12, I, da Lei n. 8.429/92), os réus possuem o dever de indenizar a União pela quantidade de minérios extraída ilicitamente”, concluiu a decisão. A ação foi ajuizada...

Leia mais
Corinthians campeão de 77, narrado por Osmar Santos
set27

Corinthians campeão de 77, narrado por Osmar Santos

Sábado, 27 de setembro de 2014, às 11h28 ‘Ripa na chulipa!’, pois Osmar Santos continua com a bola toda Por Rafael Carneiro da Cunha Da redação – CMSP A “gorduchinha” rolava solta na Copa do Mundo de 1994, e mais uma vez a Rádio Globo fazia a cobertura do torneio, que acontecia nos Estados Unidos. A rotina era intensa, mas sempre que sobrava um tempinho a equipe aproveitava para conhecer a terra do Tio Sam. Em um dos passeios, o comentarista Paulo Morsa e o supervisor técnico Mauro de Lima resolveram passear no famoso bondinho de São Francisco. Dentro de um carro estava Osmar Santos, que, rindo, propôs aos dois pularem do bonde em movimento na curva de uma ladeira. Brincalhão, humilde e irreverente, o locutor não era só o “Pai da Matéria”, mas de todos que trabalhavam com ele.       “Muitas vezes você nem sentia saudades de casa porque estava com ele”, diz Lima, que o acompanhou em diversas viagens. O mundial de 94 não foi o único que Osmar narrou. Ele também esteve na Argentina, em 1978, na Espanha, em 1982, no México, em 1986, e na Itália, em 1990. A sua paixão pelo rádio vem desde cedo. Osmar nasceu em Osvaldo Cruz, no interior de São Paulo, e passou a infância na também paulista Marília. Quando garotinho, sempre escutava escondido do seu pai os jogos de futebol em um radinho de pilha. Mais velho dentre os quatro filhos de Romeu e Clarice, ele chegou a ter problemas de gagueira, mas isso foi logo superado, tanto que fez da voz seu ganha-pão. O primeiro emprego como locutor foi na Rádio Clube de Osvaldo Cruz. De lá, ainda passou pela Rádio de Marília antes ser contratado pela Jovem Pan. “Sou oito anos mais novo que o Osmar e, especialmente quando eu estava perto da adolescência, fiquei mais próximo dele. Nossa família era, e ainda é, muito unida” afirma o irmão Oscar Ulisses, que também se tornou locutor esportivo. Segundo Oscar, ele e o irmão já trabalharam juntos várias vezes. A primeira foi em um campeonato infanto-juvenil organizado por Osmar, em Marília. Já conhecido no meio, Osmar Santos assinou em 1977 um contrato com a Rádio Nacional, futuramente Rádio Globo. A estreia na nova casa não poderia ser mais emocionante: uma final do Paulistão entre Corinthians e Ponte Preta. Na época, o campeonato tinha um sistema diferente do atual e a decisão era disputada em três jogos. No fim, o Corinthians sagrou-se campeão, acabando com um jejum de 23 anos sem títulos. A narração da última partida é considerada uma das melhores do locutor. Ouça a antológica...

Leia mais
Ricardo Maurício se iguala a Chico Serra em Curitiba
set02

Ricardo Maurício se iguala a Chico Serra em Curitiba

  Vídeo com os melhores momentos da 7ª da Stock Car, realizada em Curitiba-PR.   Terça-feira, 2 de setembro de 2014 às 12h55 Ricardo Maurício vence 2ª corrida da rodada dupla de Curitiba neste final de semana. Parece que a visita à aldeia indígena urbana Kakané Porã trouxe sorte ao piloto da equipe Eurofarma RC que largou na pole position e venceu de ponta a ponta pela 4ª vez em Curitiba. Ricardo Maurício levou a melhor na segunda corrida da etapa de Curitiba do Circuito Schin Stock Car. Sob a intensa chuva que caiu sobre a capital paranaense, o piloto da equipe Eurofarma RC driblou as adversidades e, mesmo sem o Limpador do para-brisafuncionando adequadamente, venceu a prova de ponta a ponta. De quebra, Ricardo Maurício escreveu seu nome no automobilismo paranaense: com o triunfo, o primeiro dele na temporada, ele alcança o lendário Chico Serra como o maior vencedor do Autódromo Internacional de Curitiba, com 4 vitórias.     Depois de quase 1h30 de paralisação por conta da chuva, a direção de prova declarou encerrada a corrida 1. Com os carros já alinhados no grid, depois de a decisão oficial ser comunicada os pilotos receberam sinal verde para completar a rodada dupla da etapa. Sob auxílio do Safety car, a largada da corrida 2, teve duração de 20 minutos mais uma volta, e se deu com grid invertido entre os 10 primeiros colocados da primeira corrida: Ricardo Mauricio, Sergio Jimenez, Galid Osman, Rubens Barrichello, Julio Campos, Cacá Bueno, Átila Abreu, Allam Khodair, Valdeno Brito e Daniel Serra. Apesar de a chuva ter dado uma trégua, os pilotos ainda se depararam com água acumulada na pista e, principalmente o spray de água, que prejudica seriamente a visibilidade. Após 2 voltas os carros foram liberados para a disputa, e logo na primeira curva Valdeno Brito recebeu um toque de Allam Khodair, perdendo o controle de seu carro. O maior beneficiado com a relargada foi Rubens Barrichello, que declaradamente prefere guiar em condições adversas. O piloto não demorou para impor sua familiaridade com o piso molhado, ultrapassando Galid Osman e Sergio Jimenez até chegar na vice-liderança. A partir daí, iniciou-se um intenso duelo pela ponta. Por vezes Ricardo Mauricio mudou seu traçado para defender a liderança das investidas de Rubens Barrichello. A ameaça se concretizou na 8ª volta, quando Rubinho assumiu a ponta. Só que Ricardinho, que havia largado na pole position não somente devolveu a ultrapassagem como também conseguiu, sem acionar o Botão Shell V-Power, abrir mais de 2 segundos de vantagem para Rubinho. Apesar da chuva ter voltado com intensidade , e a cortina d’água ser cada vez mais...

Leia mais
Reitor da USP não comparece a encontro na ALESP
ago28

Reitor da USP não comparece a encontro na ALESP

Quinta-feira, 28 de agosto de 2014 às 19h29 Comissão de Educação e Cultura reúne-se com trabalhadores das universidades públicas. Convocado, reitor da USP não compareceu. Por Keiko Bailone Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – Sem a presença do reitor da USP, Marco Antonio Zago, que se ausentou mesmo tendo sido formalmente convocado, o presidente da Comissão de Educação e Cultura (CEC), deputado Carlos Neder (PT), decidiu, com o deputado Carlos Giannazi (PSOL), realizar a reunião em caráter informal nesta quarta-feira, 27/8. O encontro serviu para que representantes de associações professores, alunos e funcionários da USP, Unesp e Unicamp justificassem suas reivindicações no que se refere à crise financeira, a greve e a desvinculação do Hospital Universitário (HU) da Universidade de São Paulo.   Antes de começar a reunião, Neder leu ofício enviado pelo reitor Marco Antonio Zago, justificando sua ausência: “reunião agendada para a mesma data, para discutir a recomposição orçamentária da USP e a questão salarial com o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp)”. Nesse mesmo ofício, o reitor propõe que a reunião seja reagendada para o dia 10/9, às 14 horas. O deputado Carlos Giannazi informou que dava entrada, naquele momento, a duas representações contra o reitor, por crime de responsabilidade e desobediência. A primeira foi endereçada ao Ministério Público e a segunda protocolada junto à Assembleia Legislativa. Argumentou que não fora a primeira vez que parlamentares do Legislativo paulista haviam sido tratados com desprezo por Zago e denunciou a construção de um prédio nas imediações da avenida Paulista, no valor de 71 milhões de reais. “Estão sendo construídos para abrigar os órgãos centrais da reitoria, que deveriam estar na USP”, destacou. A deputada Sara Munhoz, do PCdoB, manifestou-se, em nome das enfermeiras, contra a desvinculação do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo.     Reivindicações do Fórum das Seis Francisco Miraglia, presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp) apresentou as propostas do Fórum das Seis, entidade que congrega funcionários, professores e estudantes das três universidades públicas. Destacou a necessidade de um repasse emergencial de R$ 600 milhões para socorrer a USP, Unesp e Unicamp, montante esse que evitaria o plano de demissões voluntárias oferecido por Zago, “para arrecadar R$ 400 milhões”. Criticou o arrocho salarial e o desconto de 1% do repasse destinado às universidades para a habitação, e reivindicou o aumento do percentual de 9,57% da arrecadação do ICMS, face à expansão das três universidades públicas do Estado. Essa foi também a tônica dos outros participantes da Mesa, João Paulo, coordenador do Fórum Estadual da Educação; João Chaves, presidente da Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp); e Paulo Cesar Centoducatte, presidente...

Leia mais
HU pode ser desvinculado da USP
ago22

HU pode ser desvinculado da USP

Sexta-feira, 22 de agosto de 2014 às 17h28 A USP vive momentos difíceis e a notícia divulgada agora pouco pela assessoria do Hospital Universitário e mais um fator de agravamento da crise na ainda mais prestigiada universidade do país. No entanto, devido aos inúmeros conflitos, já perdeu várias posições no ranking das instituições de ensino internacionais. Leia abaixo, a nota enviada à imprensa. Desvinculação do Hospital Universitário da USP: risco de um erro irreparável que merece uma pausa para reflexão. No momento em que se discute a crise orçamentária da USP, o Hospital Universitário da USP está sob a mira da sua desvinculação da Universidade, sem a devida análise e considerações de seus valores e missão.       Desde 1989, ano em que a USP conquistou a autonomia universitária, o Hospital Universitário da USP recebe 8% da verba destinada a Universidade de São Paulo proveniente do Governo do Estado, valor relativo que não foi modificado ao longo desses 25 anos (7.9% em 2013). Mudanças expressivas ocorreram sim, como o aumento do interesse no HU-USP como cenário para o ensino, assistência e pesquisa no âmbito de um hospital secundário, acompanhando o crescimento da Universidade. O Hospital das Clínicas, que outrora fora o único hospital escola da FMUSP, progressivamente foi cedendo lugar e dividindo a carga didática com o HU-USP, ficando o HC com a especialização médica enquanto o HU-USP com o ensino das áreas básicas da medicina. Atualmente o HU-USP é utilizado como plataforma de ensino para sete unidades da USP ministrarem seus cursos de graduação, pós-graduação e aperfeiçoamento, além de receber alunos estrangeiros através dos Programas de Cooperação Internacional. Uma característica diferencial do Hospital é possibilitar o ensino baseado numa abordagem multidisciplinar integrando todas as áreas da saúde num mesmo ambiente, proporcionando a integralidade da assistência e do ensino da mesma nesses moldes. O HU-USP recebe anualmente 2.430 alunos entre graduandos e pós-graduandos que tem sua formação conduzida por profissionais de alta qualidade, dos quais mais de 50% possuem titulação acadêmica (mestrado, doutorado e livre-docência), que atuam como professores, além de praticar assistência e pesquisa, possibilitando aproximação entre a teoria e prática. A título de exemplo, dentro do currículo do Curso de Graduação de Medicina 40% do estágio hospitalar é realizado no Hospital Universitário da USP, perfazendo o numero 332.070 horas/aulas por ano. A Escola de Enfermagem da USP mantém anualmente mais de 250 alunos realizando estágios na dependência do Hospital Universitário da USP que chegam a permanecer no campus 70% de sua carga horária. A pós-graduação conta com 4 programas de Residência de Enfermagem, onde são realizadas 8.448 horas/mês de estágio prático clínico. Na avaliação de 98%...

Leia mais
Campos já mudou o Brasil
ago18

Campos já mudou o Brasil

Segunda-feira, 18 de agosto de 2014 às 10h06 – Atualizado às 19h06 De uma forma ou de outra, Eduardo Campos mudou o Brasil. Gerson Soares Como disse neste final de semana, um emérito professor de Física, para obter-se uma reação é necessário haver massa crítica. Eduardo Campos, com seu sorriso que resplandecia no olhar claro estava predestinado a mudar o Brasil e nem mesmo ele sabia disso. Mas, acreditava e disse: “Nós não vamos desistir do Brasil”. Sua frase ainda ficará na memória por muito tempo e as palavras estarão eternizadas nas imagens de sua despedida.       Menos conhecido no sudeste do que na região nordestina, onde se sobressaiu com políticas importantes, Campos vinha num crescente entendimento com a classe empresarial brasileira que vislumbrava nele as perspectivas de mudanças para fazer o país voltar a crescer. Setores progressistas e populares também enxergavam com bons olhos o jovem estadista. Campos desenvolveu-se num meio familiar voltado para a política, dela se alimentou, cresceu e se destacou, a ponto de pleitear o mais alto posto eletivo do país. Era a esperança de uma nova linhagem política no país que clama por mudanças urgentes. Com Miguel Arraes, pai de Ana sua mãe, embrenhou-se certamente pelas mais longínquas e pequenas distâncias que separam o Brasil irreal daquele verdadeiro, onde as necessidades humanas mais elementares foram esquecidas. Em que a dádiva de ter apenas água para beber é capaz de suplantar a dor da doença e até a fome, essa outra calamidade que também deve ter cruzado seus caminhos em seu assaz desejo de ser saciada por um prato de comida, numa das regiões mais castigadas. A morte trágica e surpreendente de Eduardo Campos, tão rápida quanto a explosão que lhe ceifou a vida e a promissora carreira política, provocou imediata comoção e mudança na atitude do povo brasileiro, por tradição indiferente à política. Sua morte, no mesmo dia em que nove anos atrás falecia o avô, 13 de agosto, levou muita gente à reflexão; um breve olhar para o quanto é preciso amadurecer politicamente e todo o sacrifício necessário para que o país atinja maturidade para reivindicar seus anseios e a forma como o fará. Campos deixa um legado com sua repentina ascensão e morte, ao mesmo tempo em que abre as portas para que a vice de sua chapa, Marina Silva – mulher de fibra e opinião forte – tome as rédeas da carruagem em que viajavam; um terreno pedregoso de dificuldades a serem vencidas. Ela mesma impedida de disputar a Presidência da República sob sua própria legenda, por manobras que impossibilitaram o registro do seu partido Rede Solidariedade. Através de...

Leia mais
Trabalho escravo: Lei causa prejuízo aos infratores
jul24

Trabalho escravo: Lei causa prejuízo aos infratores

Quinta-feira, 24 de julho de 2014 às 18h29 Lei contra trabalho escravo inova por causar prejuízo àqueles que lucram com esse crime. No Brasil não há casos de condenação penal, embora a conduta seja tipificada. por Marisilda Silva e Fernando Caldas Assembleia Legislativa – O Estado de São Paulo possui legislação que pune com rigor a exploração de trabalho em condições análogas à escravidão. Sancionada em 28/1, a nova lei estabelece que empresas flagradas utilizando trabalho escravo perderão suas inscrições no Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), serão fechadas e não poderão realizar qualquer transação formal. A autuação vale tanto para as envolvidas diretamente quanto as beneficiárias indiretas. Atinge ainda os sócios envolvidos, que ficam impedidos de entrar com nova inscrição por dez anos.       A Lei 14.946/2013, aprovada pela Assembleia no final de 2012, concluiu uma etapa crucial para a sua aplicação efetiva com a sanção do Poder Executivo no dia 13/5/2013, do decreto que a regulamentou e estabeleceu as condições formais para a rigorosa aplicação das penalidades. Havia uma portaria editada em fevereiro pela Secretaria estadual da Fazenda que dificultava a punição das empresas, uma vez que o processo de cassação do cadastro do ICMS só poderia ser iniciado após condenação penal, transitada em julgado, de pessoa vinculada à empresa que tivesse feito exploração de trabalho escravo. Segundo informações de auditores e procuradores do Trabalho, não há no Brasil condenação criminal pela prática desse crime (tipificado no artigo 149 do Código Penal). A lei aprovada em São Paulo atinge economicamente os que fizerem uso dessa prática. A lei contra trabalho escravo inovou ao prever restrições que acarretarão prejuízo àqueles que lucram com esse crime. O viés econômico trazido pela medida é uma de suas inovações. Deve, inclusive, influenciar na lógica do mercado paulista. “A criação dessa lei deverá inibir a concorrência desleal”, ressalta Luiz Carlos Fabre, procurador do trabalho. A nova legislação foi motivada por uma série de denúncias feitas pelo Ministério Público do Trabalho sobre casos de trabalhos forçados no Estado de São Paulo. A Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa de São Paulo apurou, nos últimos dois anos, diversos casos de trabalho degradante ocorridos em oficinas de confecção e no segmento da construção civil, envolvendo empresas renomadas desses...

Leia mais
Abertura da Copa e os deuses do futebol
jun13

Abertura da Copa e os deuses do futebol

Sexta-feira, 13 de junho de 2014 às 14h09   A Copa do Mundo da Fifa começou e o jogo de abertura mostrou aquilo que os comentaristas antigos inventaram para traduzir as peripécias da bola e dos atletas que encantam o mundo. Ainda hoje a expressão “deuses do futebol” é usada para nomear fatos inusitados, lembra os deuses do Olimpo, a mitologia grega. O fato é que por ação de forças desconhecidas, energias canalizadas ou manifestação dos deuses dos estádios, o Primeiro Gol da Copa do Mundo no Brasil foi contra.     Alguns fatos do dia do jogo e outros do dia seguinte: – Jornalistas estrangeiros são machucados no confronto entre a PM e manifestantes na estação Carrão do Metrô. Eles se enfrentaram na Rua Apucarana, no Tatuapé. – Cadê o exoesqueleto? Programa de Abertura da Copa Fifa, concede sete segundos ao Exoesqueleto. – O brasileiro é tão alegre que esquece de ser triste. – Presidente Dilma não fala nada na abertura da Copa do Mundo no Itaquerão, mas é vaiada e ganha coro da torcida. – Ninguém do Comitê Organizador da Copa falou. Aliás, ninguém do governo falou nada. Conversa só no interior dos camarotes. Lula também não apareceu.     – Taxista de São Paulo devolve 40 ingressos aos torcedores mexicanos que esqueceram o tesouro em seu carro. – Estrangeiros bebem bem. – Hino emociona. – Se o Comitê Organizador da Copa não falou também ninguém quis saber deles. – O primeiro gol na Copa é contra. – Vitória salva! Até o próximo jogo, tudo bem. – Natureza do povo brasileiro é cordial e as histórias de amizade se propagam pelo país. – Tirando o que está errado, o resto está tudo certo.     – Cadê o exoesqueleto? Não fez o que estava escrito. Prometeu mas não cumpriu. Exoesqueleto está pegando manias… – …Mesmo assim, as opiniões estão divididas sobre o sucesso do projeto, sua eficiência e viabilidade que envolve 156 pessoas de 25 nacionalidades e o financiamento de 33 milhões do governo federal. – O Sindicato dos Metroviários, disse hoje (13) que não teve nada a ver com a quebradeira dos black blocs na Rua Serra do Japi, via do Tatuapé onde fica sua sede. – A reportagem do Bom Dia São Paulo veio tomar café na Padaria Marengo, também no Tatuapé, para mostrar a arte de confeitaria no dia seguinte ao jogo. Em poucos minutos um dos confeiteiros da famosa padaria do bairro, que fica na Rua Francisco Marengo com Rua Serra de Bragança, desenhou a bandeira do Brasil no bolo. – A atuação do jogador Oscar, valeu o jogo. Merecia marcar o seu...

Leia mais
Metrô: TRT-2 declara greve dos trabalhadores abusiva
jun10

Metrô: TRT-2 declara greve dos trabalhadores abusiva

Terça-feira, 10 de junho de 2014 às 9h52 TRT-2 – Na manhã do último domingo (8), o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região julgou o caso envolvendo o Metrô e os sindicatos dos engenheiros e metroviários. O TRT declarou a abusividade da greve dos trabalhadores e estabeleceu o índice de reajuste salarial para 8,7%. A Seção de Dissídios Coletivos (SDC) também analisou o cumprimento da liminar que previa o funcionamento total do efetivo nos horários de pico, o pagamento da multa arbitrada, a estabilidade dos grevistas, o piso salarial dos engenheiros, entre outros temas. Além disso, caso a greve persista após o julgamento, foi arbitrada multa adicional de R$ 500 mil por dia. A greve foi considerada abusiva por unanimidade. “O direito de greve não pode ser balizado em autoritarismo ou no exercício arbitrário de escolhas subjetivas. Não houve atendimento mínimo à população, gerando grande transtorno, inclusive no âmbito da segurança pública”, resumiu o desembargador Rafael Pugliese, presidente da SDC e relator do caso. O julgamento concluiu pela autorização do desconto pelos dias parados, além de não assegurar a estabilidade dos grevistas. Conforme informa a assessoria do TRT-2, ficou decidido também, que a multa já arbitrada pela desembargadora Rilma Aparecida Hemetério, vice-presidente judicial do TRT-2, permanece em vigor, no valor de R$ 100 mil por dia de paralisação, a ser paga solidariamente pelos sindicatos dos trabalhadores. O montante, que já soma o valor de R$ 400 mil neste domingo, será revertido para o Hospital do Câncer do Estado de São Paulo. Caso os metroviários decidam pela continuidade da greve na assembleia de hoje, serão acrescidos R$ 500 mil por dia. Quanto ao reajuste salarial, o último valor proposto pelo sindicato dos metroviários foi de 12,2%, já o Metrô ofereceu 8,7%. A não concordância de propostas fez com que o TRT-2 analisasse as justificativas das partes e do Ministério Público do Trabalho para, então, decidir: 8,7%. Cabe recurso desse julgamento ao Tribunal Superior do Trabalho (TST).As reinvindicações dos metroviários também incluíam reajustes em valores de benefícios para a categoria. O colegiado estabeleceu o valor do vale-alimentação mensal para R$ 290,00, mais parcela extra anual; e o vale-refeição diário para R$ 669,16. Outra definição importante do julgamento refere-se ao piso salarial dos engenheiros no valor de R$ 6.154,00. Os temas Participação nos Lucros e Resultados (PLR), jornada de trabalho e plano de carreira continuarão a ser discutidos no Núcleo de Conciliação de Coletivos (NCC), em pauta específica. Assim, os trabalhadores poderão participar de forma mais ativa na solução dos impasses em torno dos assuntos.O julgamento do caso dos metroviários teve revisão do desembargador Davi Meirelles. O órgão colegiado contou com...

Leia mais
3 milhões de ingressos vendidos para a Copa do Mundo da FIFA
jun09

3 milhões de ingressos vendidos para a Copa do Mundo da FIFA

Segunda-feira, 9 de junho de 2014 às 17h50 Minutos antes do pontapé inicial do primeiro jogo, o Brasil e a FIFA dedicarão um momento especial à celebração da paz. Após o protocolo de apresentação e o cara ou coroa, os jogadores e o trio de arbitragem se reunirão no círculo central, com cada seleção em seu respectivo campo. Três crianças, cada uma carregando uma pomba branca, entrarão em campo e caminharão até o centro do gramado, onde soltarão as pombas em direção ao céu. O símbolo da paz irá declarar a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014 oficialmente aberta. As informações são da FIFA. O entusiasmo global com o torneio ficou muito bem ilustrado pelo número sem precedentes de pedidos de ingresso. Até o momento, foram mais de 11 milhões de solicitações recebidas para cerca de 3,1 milhões de bilhetes disponíveis. Um total de 2.961.911 entradas foram vendidas até agora, das quais 2,2 milhões diretamente para o público geral através do FIFA.com. “Para qualquer torcedor, é um sonho assistir à Copa do Mundo da FIFA ao vivo no único país pentacampeão mundial”, disse o secretário-geral da FIFA, Jérôme Valcke. “Nunca tínhamos vendido tantos ingressos diretamente para o público geral, e para nós isso foi importante. A partida de abertura e a final tiveram uma demanda até dez vezes maior do que a oferta. As longas filas de pessoas querendo comprar ingressos nos pontos de venda ontem são uma prova do alto interesse dos torcedores brasileiros e estrangeiros pela Copa.” No total, 60% dos bilhetes foram adquiridos por brasileiros e 40% por torcedores do resto do mundo. Após o Brasil (1.363.179 ingressos comprados), os Estados Unidos lideram o ranking internacional, com 196.838 entradas, seguidos de Argentina (61.021), Alemanha (58.778), Inglaterra (57.917), Colômbia (54.477), Austrália (52.289), Chile (38.638), França (34.865) e México (33.694). Restam poucos ingressos para apenas 27 dos 64 jogos. A partida de abertura, a final e as semifinais estão esgotadas. Mesmo assim, torcedores que ainda estão ansiosos atrás de bilhetes, devem ficar atentos à página FIFA.com/ingressos, já que potenciais revendas e compras não concluídas podem resultar em novos ingressos à disposição do público. Cordialidade, alegria e paixão pelo futebol devem sintetizar a 20ª Copa do Mundo da FIFA no Brasil. Lamentáveis casos recentes de racismo realçaram a necessidade de se promoverem ações concretas para combater de maneira inequívoca as demonstrações de preconceito no futebol. A Copa do Mundo da FIFA, com sua capacidade de alcançar todos os países e territórios do planeta, é a plataforma ideal para transmitir uma manifesta mensagem de repulsa contra qualquer forma de discriminação. Nesse sentido, a FIFA está lançando nesta quinta-feira uma...

Leia mais
Engenheiros e arquitetos mantêm greve na Prefeitura de SP
jun05

Engenheiros e arquitetos mantêm greve na Prefeitura de SP

5 de junho de 2014 às 17h50 – atualizado às 20h06 Deborah Moreira – SEESP Mais uma vez, com o auditório lotado, no Sindicato dos Engenheiros no Estado de São Paulo (SEESP), engenheiros e arquitetos da Prefeitura de São Paulo votaram pela manutenção da greve das categorias, que completa oito dias nesta quarta-feira (4/6). Para comportar a todos, foi necessário instalar caixas de som no andar térreo para que os que não conseguiram entrar pudessem acompanhar. Pouco antes da assembleia, o Executivo chamou representantes dos trabalhadores em reunião que, apesar de retomar a negociação, não ofereceu nenhuma nova proposta salarial. Entre as próximas ações definidas estão um protesto no vão livre do Masp, na quinta-feira (5), com concentração a partir das 10h; e uma nova reunião às 10h, na sexta (6), na sede do SEESP. A próxima assembleia da categoria está marcada para a quarta-feira (11), véspera da abertura da Copa do Mundo. “Quero ver cada companheiro aqui levar pelo menos mais um no ato desta quinta”, pediu o engenheiro Sérgio Souza, delegado sindical do SEESP na prefeitura. “Está rejeitado o projeto de lei nesses moldes e devemos também ficar de olho em outras duas instâncias que discutem atualmente o nosso plano de carreira e salário: no Supremo Tribunal Federal (SFT) e no Senado. Se essas instâncias acenarem positivamente já temos mais instrumentos para lutar”, lembrou o engenheiro João D’Amaro, vice-presidente da Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos Municipais de São Paulo (Seam). Segundo a comissão de servidores recebida pelos representantes da prefeitura, será enviada até sexta-feira para os trabalhadores o projeto de lei (PL) que propõe uma reestruturação de carreiras, divididas em quatro faixas de analistas do município, que iguala diversas categorias em um mesmo nível salarial com remuneração a partir de subsídios que, de acordo com os servidores, só beneficiam engenheiros e arquitetos em início de carreira (quase 40% da categoria). Os cerca de 500 servidores presentes à assembleia, que representam um terço do quadro total do município, além de rejeitarem o PL nesses moldes, aceitaram fortalecer os grupos técnicos de estudos, formados nesta semana dentro do movimento grevista, para formular novas propostas para a reestruturação da carreira. Nos próximos dias os grupos deverão se reunir para aprofundar o trabalho. A decisão foi feita após a chegada de um outro grupo, vindo de uma reunião da Comissão de Administração Pública da Câmara Municipal onde formalizou o pedido de criação de um grupo de estudo na comissão para analisar a política salarial e estruturas das carreiras dos servidores. Na terça-feira (3), os servidores estiveram no Colégio de Líderes pela terceira vez. Na ocasião, o presidente da Câmara, José...

Leia mais
Metroviários x Metrô = Greve
jun05

Metroviários x Metrô = Greve

5 de junho de 2014 às 16h30   Decididos pela greve, os metroviários pararam à 0h desta quinta-feira, por tempo indeterminado. Segundo o Sindicato dos Metroviários de São Paulo, o Metrô ofereceu apenas 8,7% de reajuste em audiência nesta quarta-feira (4), no TRT (Tribunal Regional do Trabalho) e após várias negociações com a companhia e o governo estadual, a assembleia dos metroviários realizada no dia 4/6 confirmou a greve. Uma nova assembleia está marcada para as 17h, na sede do sindicato no Tatuapé, a fim de avaliar o movimento. A assembleia acontecerá após a audiência de conciliação entre o sindicato e o Metrô, agendada para as 15h30 de hoje no Tribunal Regional do Trabalho. Vejas as reivindicações dos metroviários: – 35,47% de reajuste (7,95% de Inflação + 25,5% de aumento real); – Reajuste de 13,25% para o vale refeição (VR); – Vale alimentação (VA) de R$ 379,80 (atual é R$ 247,69); – Plano de carreira para as gerências de Manutenção (GMT*) e Operação (GOP); – Metrus Saúde para aposentados; – Reposição do quadro de funcionários; – Participação nos resultados (PR) igualitária; – Além das principais reivindicações dos cargos ligados à operação (OTMs 1) estação, dos agentes de segurança (ASMs 1), dos OTMs 2 e 3 tráfego, dos serralheiros e pintores, dos oficiais de instalação, dos técnicos, do pessoal dos cargos de gerência (GLG), da obra e da administração. A depredação da estação Itaquera foi uma das consequências da greve. Por volta das 7h30 desta manhã, a Radial Leste se transformou num imenso estacionamento de carros, praticamente parada com alguns pontos de avanço. A greve deixa milhões de pessoas sem saber como fazer para ir e vir na cidade. O metrô transporta 4,8 milhões de pessoas diariamente. Neste momento acontece a reunião conciliatória no TRT-2. Segundo o Metrô, a empresa deve pedir ilegalidade da greve. O governador Geraldo Alckmin considera a greve abusiva e política. Conforme o último boletim da secretaria de Transportes Metropolitanos, às 11h, o metrô opera parcialmente com as seguintes linhas: Linha 1 – Azul: de Luz a Ana Rosa; Linha 2 – Verde: de Ana Rosa a Vila Madalena; Linha 3 – Vermelha: de M.Deodoro a Bresser; Linha 4 -Amarela (Via Quatro): toda a linha; Linha 5 – Lilás: toda a...

Leia mais
Subprefeituras comemoram o Dia do Meio Ambiente
jun04

Subprefeituras comemoram o Dia do Meio Ambiente

04 de junho de 2014 às 17h36 O Dia Mundial do Meio Ambiente é celebrado em 5 de junho, mas sua criação ocorreu na Assembleia Geral das Nações Unidas, em 1972, durante a Conferência de Estocolmo (Suécia). A data visa aumentar a conscientização e ação política aos povos e países na preservação ambiental. Neste ano, o foco da data serão as mudanças climáticas, com o tema Aumente sua voz, não o nível do mar. Em São Paulo, as subprefeituras celebram o Dia do Meio Ambiente com atividades gratuitas. Ações promovidas nos bairros são voltadas a públicos de todas as idades. Para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente (5/6), as subprefeituras promovem atividades de educação ambiental para todos os públicos. As comemorações iniciam às 9h30, desta quinta-feira, na Praça Santíssima Trindade, com atividades especiais para as crianças na região da Subprefeitura Casa Verde. A programação terá apresentação de coral, plantio de mudas e atividades recreativas para as crianças. Ainda na zona Norte, a partir das 14h, haverá roda de conversa sobre A Sustentabilidade na nossa região… É fato ou boato, no CEU Jaçanã. O encontro terá a presença de especialistas em meio ambiente, personalidades do setor público, privado e população local. Na zona Leste, acontecerá a 3ª edição do Canteiro não é lixeira, no CEE Centro Educacional Esportivo Vicente Ítalo Feola (Clube da Vila Manchester), no bairro Aricanduva. A partir das 10h, os moradores estão convidados a participar de diversas atividades, como: oficinas de hortas verticais, reaproveitamento de materiais recicláveis, distribuição de mudas e a exposição de tenda de zoonoses. A iniciativa quer conscientizar a população a não jogar lixo em calçadas, canteiros, ruas e terrenos baldios. Para os alunos da EMEF Prof. Carlos Rizzini, a atividade será o workshop Verde que te quero ver de perto, nas trilhas da centenária Praça Floriano Peixoto, em Santo Amaro, com a equipe de engenheiros agrônomos da subprefeitura da região. A ação terá início às 10h30 e ao final, os estudantes participarão de encontro com contadores de histórias do grupo Línguas Encantadas e Encantantes. Exposições Ainda no dia 5, às 19h, será realizada a abertura da exposição fotográfica Jardins Secretos, de Alexandre Ozório. O fotógrafo registra a força da natureza, em pleno centro de Santo Amaro. Com curadoria da Casa de Cultura Cora Coralina, a mostra ficará aberta ao público até 5 de julho no saguão do Paço Cultural Júlio Guerra. Para fechar as celebrações, no sábado (7), a partir das 10h, os moradores de Guaianases poderão retirar mudas de plantas ornamentais e sementes de cacto, camomila, couve, brócolis, alface e rúcula, no Parque Linear Guaratiba. A iniciativa é uma parceira entre...

Leia mais
Prefeito veta fim do rodízio em São Paulo
jun04

Prefeito veta fim do rodízio em São Paulo

4 de junho de 2014 às 10h40 Gerson Soares O prefeito Fernando Haddad vetou na última sexta-feira (30/5) o Projeto de Lei (PL) 15/2006, votado simbolicamente e aprovado na Câmara Municipal de São Paulo (CMSP), que extinguiria o Rodízio de Veículos na cidade. A votação ocorreu no dia 28 de maio e pegou de surpresa vários vereadores, mesmo assim foi aprovado simbolicamente – quando não há contagem de votos. O PL é de autoria do vereador Adilson Amadeu (PTB), e alega que a lei que implementou o rodízio, foi criada para combater o problema de poluição ambiental na Capital, mas o crescimento da a utilização de carros bicombustíveis (flex) tornou a frota menos poluente. Segundo as informações da CMSP, o vereador argumenta também que a lei “incentivou” os paulistanos a adquirirem um segundo veículo, geralmente mais antigo e mais poluidor — para burlar o rodízio e a medida não tem mais efeito no trânsito em São Paulo. “Quando o rodízio foi implantado, não tinha o número de carros que tem hoje. A gente percebe que a classe média alta tem hoje dois, três carros na garagem para circular nos dias de rodízio. O reflexo do rodízio é zero”, afirmou. Por sua vez, o prefeito Fernando Haddad, justifica o veto argumentando que a medida afetaria diretamente a população da cidade e precisaria ser debatida antes de ser implantada. “O Programa de Restrição ao Trânsito de Veículos Automotores no Município de São Paulo, instituído pelo Decreto nº 37.085, de 3 de outubro de 1997, tem se mostrado relevante para a redução do trânsito na Cidade de São Paulo. Dessa forma, qualquer modificação em seu escopo ou a própria revogação da lei que autorizou sua criação, como ora proposto, devem necessariamente estar respaldadas por estudos técnicos e associadas a outras políticas públicas”, afirma o veto.     Debate Um dia depois de aprovado, houve a manifestação contrária no plenário. O presidente da Comissão de Meio Ambiente, vereador Natalini (PV) expôs que o fim do rodízio não é a maioria na Câmara. “Nós temos em São Paulo dois problemas de uma grandeza imensa. Um é o da mobilidade urbana: as ruas estão entupidas de carros. E outro é a poluição do ar, que tira cinco mil vidas por ano na cidade”, enumerou. Em seu discurso, afirmou que se o prefeito não vetasse o PL, proporia às bancadas contrárias, um novo projeto “restituindo de novo o rodízio, e de maneira mais aprofundada, mais restritiva, que é o que a cidade precisa”, disse. Líder da bancada do PT na Câmara, o vereador Alfredinho estranhou a aprovação. “Aconteceu uma desatenção. Ninguém esperava que um projeto sem...

Leia mais
Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas
jun02

Ponto turístico, mas o entorno é para espantar turistas

02/06/2014 – 19h26 Gerson Soares Repugnante, esta palavra seria amena, diante do cenário que pode ser visto neste sábado (31/05) no entorno do Mercado Municipal de São Paulo. A aparência da Avenida do Estado, sob o viaduto Diário Popular, na Rua Cavalheiro Basílio Jafete e nas duas esquinas que antecedem o Mercadão, como é conhecido, tinham um aspecto decadente. Nauseabundo, isto é o que se poderia falar sobre o odor na Rua Cavalheiro Basílio Jafete, ao lado do viaduto Diário Popular que faz a ligação entre a Avenida Mercúrio e o Parque Dom Pedro. A menos de 200 metros do maior entreposto municipal da cidade e em frente a diversos pontos de comércio de hortifrutis, esta palavra mal traduz a situação que se encontra ao lado de um dos pontos turísticos mais famosos de São Paulo, o Mercadão. Se não fosse com estes termos, deveríamos arranjar outros, para designar o odor das fezes a céu aberto, esgoto, galerias expostas, sujeira, poças de urina que formavam rios no último sábado. O caso se torna ainda mais extremo, quando a maior cidade do país e da América Latina recebe pessoas de vários países e aponta esse local para visitação turística durante a Copa do Mundo. Do outro lado do rio que separa as marginais da Avenida do Estado, está o Palácio das Indústrias, antiga sede da prefeitura da cidade. Ao chegarmos, por volta das 9h30, nos páteos internos do Mercadão não havia lugar para estacionar e a maioria dos estacionamentos do entorno já estavam lotados. Isso nos fez seguir em frente pela Rua Cantareira, já que um agente do CET impedia a conversão à esquerda contornando o Mercado pela Rua Com. Assad Abdala: “Só sei que estou mandando seguir em frente”, disse ele sem saber explicar o porquê. Seguindo o indicado, a cada momento diversos flanelinhas cercavam os carros tentando arranjar-lhes vagas e foi assim que tivemos de ceder àquela demanda, já que não havia onde estacionar. Fomos levados até a Rua Cavalheiro Basílio Jafete e ao chegarmos orientados a estacionar o carro em cima da calçada. Havia em torno de dez flanelinhas ou mais naquele local guardando vagas para vender. Com carros estacionados estrategicamente para garantir o acesso às calçadas e outros pontos embaixo do viaduto, além das ruas, demarcadas com zona azul, eles cobravam em torno de 20 reais adiantados. O cheiro de fezes que exalou ao abrirmos as portas do carro quase nos fez retroceder. Vimos um rapaz que andava com uma mulher, ambos caminhavam na ponta dos pés para não pisar nos dejetos e nas poças de urina. Lama, lixo, folhas de hortaliças, frutas estragadas e um...

Leia mais