A Legião Negra na Revolução Constitucionalista


Sexta-feira, 13 de maio de 2016 às 21h59


Por volta desta data, há 84 anos, São Paulo fervia com a opressão do governo Vargas e exigiu uma nova Constituição. Hoje, quando o país inteiro já decorou a palavra e percebeu a importância do “livrinho”, vale recordar um pouco da história do Estado onde a liberdade encontrou ferrenhos detratores e os heróis escreveram histórias de bravura para que a Justiça prevalecesse, dentre eles a Legião Negra, um episódio à parte da guerra paulista.

Da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo

Os “Pérolas Negras”

Fundada em 1931, na Capital, a Frente Negra Brasileira (FNB) foi uma das entidades mais representativas do movimento negro no período e, com o estopim da Revolução Constitucionalista, optou pela neutralidade. Uma dissidência da FNB, a Legião Negra (LN) foi criada em 15 de julho, seis dias após o início do conflito, pelo advogado baiano Joaquim Guaraná Santana. Treinada militarmente pelo capitão Gastão Goulart, estima-se que a LN chegou a enviar cerca de 2 mil homens à guerra.

 

O então governador do Estado de São Paulo e líder da Revolução Constitucionalista, Pedro de Toledo, visita a sede da Legião Negra, localizada na Chácara do Carvalho, na Barra Funda. O quartel na região central da Capital reunia um batalhão formado apenas por negros e a ida de Toledo, chefe civil dos revoltosos, demonstrava a importância e a participação ativa que a Legião teve na Revolução de 1932.  Foto: acervo da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo

O então governador do Estado de São Paulo e líder da Revolução Constitucionalista, Pedro de Toledo, visita a sede da Legião Negra, localizada na Chácara do Carvalho, na Barra Funda. O quartel na região central da Capital reunia um batalhão formado apenas por negros e a ida de Toledo, chefe civil dos revoltosos, demonstrava a importância e a participação ativa que a Legião teve na Revolução de 1932. Foto: acervo da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo

 

Algumas de suas unidades eram nomeadas em alusão a personagens de destaque da comunidade negra, como Henrique Dias e o Conselheiro Rebouças. Fato curioso é a participação de negras na guerra; além de enfermeiras, há o relato da presença de cinco mulheres entre as companhias de fuzileiros da Legião, entre elas a “Maria Soldado”, que se tornaria um dos símbolos da luta constitucionalista.


Leia também: Dia da Abolição da Escravatura, não é comemorado pelos movimentos negros


Além dos batalhões da LN, vários membros da Frente Negra Brasileira no interior do Estado se alistaram como voluntários em diversas unidades formadas pelas cidades paulistas. Entre os cerca de 40 mil soldados revoltosos, estima-se que um quarto do exército constitucionalista era formado por negros. Apesar de registrada nos jornais da época como brava e heroica, nem só de glórias viveu a Legião Negra: o historiador Petrônio José Domingues aponta evidências de que seus batalhões foram enviados, em diversas ocasiões, como linha de frente nos conflitos, o que levanta uma discussão sobre a real incorporação do negro no ideário constitucionalista e, mais a fundo, em uma sociedade que ainda convivia com movimentos comumente aceitos como o eugenista. Ao final da guerra, dos 26 constitucionalistas negros mortos, quatro pertenciam à Legião Negra.

Para saber mais, leia o artigo “Os ‘Pérolas Negras’: a participação do negro na revolução constitucionalista de 1932”, de Petrônio José Domingues.
Estação da Luz, início do século XX. Foto: Guilherme Gaensly  – Acervo FES

Estação da Luz, início do século XX. Foto: Guilherme Gaensly – Acervo FES

Leia mais sobre
HISTÓRIA DE SÃO PAULO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d
Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro
Assista ao programa de TV Ciência Aberta
Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo
STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo
Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo
Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo
Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula
  • Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d

  • Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro

  • Assista ao programa de TV Ciência Aberta

  • Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo

  • STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo

  • Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo

  • Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo

  • Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*