Alckmin dá início às obras da PPP que aumentará a oferta de água para a Grande São Paulo

Novo sistema vai tratar 4.700 litros por segundo e abastecer 1,5 milhão de moradores de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista.

Maquete do Sistema Produtor de Água São Lourenço, que vai ampliar a capacidade de produção de água tratada em 4.700 litros por segundo. Foto: Vagner Campos

Maquete do Sistema Produtor de Água São Lourenço, que vai ampliar a capacidade de produção de água tratada em 4.700 litros por segundo. Foto: Vagner Campos

O governador Geraldo Alckmin anunciou, nesta quinta-feira 10, o início das obras da PPP (Parceria Público-Privada) do Sistema Produtor de Água São Lourenço, em Vargem Grande Paulista. A obra vai ampliar a capacidade de produção de água tratada para a Região Metropolitana de São Paulo em 4.700 litros por segundo. Atualmente, a Sabesp tem capacidade instalada para produzir 73 mil litros de água tratada a cada segundo. Com a entrada do sistema São Lourenço, esse volume chegará a 77.700 L/s.

Serão beneficiados diretamente 1,5 milhão de moradores de Barueri, Carapicuíba, Cotia, Itapevi, Jandira, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista. A iniciativa também trará benefícios indiretos para toda a Região Metropolitana de São Paulo, já que o novo sistema produtor aumentará a oferta de água e será interligado a outros sistemas existentes.

“Hoje nasce um novo sistema produtor de abastecimento de água que será importante para toda a metrópole, porque vai aliviar o Sistema Cantareira. Para chegar até aqui, foram mais de dois anos e meio de trabalho, com planejamento, projeto funcional, projeto executivo, outorgas, audiências públicas, licenciamento, preparação da PPP, assinatura de contrato e agora o início das obras”, afirmou Alckmin durante o evento.

O investimento de R$ 2,21 bilhões será feito integralmente pela empresa vencedora da licitação. Batizada de Sistema Produtor São Lourenço S.A., ela é uma parceria entre as construtoras Camargo Correa e Andrade Gutierrez. A expectativa é que sejam criados 2.000 empregos diretos e indiretos. A entrada em operação do sistema está prevista para 2017.

Com o investimento, a Sabesp vai captar água na represa Cachoeira do França (Ibiúna), que é formada pelo rio Juquiá. É uma obra de grande porte e complexa. Um dos pontos principais é o bombeamento da água para superar o desnível de 300 metros da Serra de Paranapiacaba. A tubulação que levará a água até as residências inclui ainda um túnel de 1.100 metros pela serra e uma passagem por baixo da rodovia Raposo Tavares, por meio de método não destrutivo. Ou seja, não será necessário interromper o tráfego para a execução dessa travessia. Em parte do trajeto, os tubos chegam a ter 2,10 metros de diâmetro.

Serão instalados também uma Estação de Tratamento de Água, estações de bombeamento, 83 km de adutoras (grandes tubulações), além de reservatórios para armazenar um total de 110 milhões de litros de água.

Alckmin destaca que o novo sistema produtor de abastecimento de água será importante para toda a metrópole. Foto: Vagner Campos

Alckmin destaca que o novo sistema produtor de abastecimento de água será importante para toda a metrópole. Foto: Vagner Campos

A nova água vai abastecer o oeste e sudoeste da Grande São Paulo, onde mais cresce a população na metrópole. Serão beneficiados condomínios residenciais (como Alphaville, Tamboré e Granja Viana), centros comerciais e 685 núcleos de baixa renda, onde vivem as famílias atraídas pela oferta de empregos. Enquanto a média de aumento populacional do Estado é de 0,87% ao ano, cidades como Cotia, Santana de Parnaíba e Vargem Grande Paulista têm média anual acima de 2%.

Crescimento populacional (média anual)
– Barueri: 1,03%
– Carapicuíba: 0,74%
– Cotia : 2,32%
– Itapevi: 1,78%
– Jandira: 1,41%
– Santana de Parnaíba: 2,72%
– Vargem Grande Paulista: 2,27%
– Cidade de São Paulo: 0,59%
– Estado de São Paulo: 0,87%
– Região Metropolitana de São Paulo: 0,77%

Tecnologia avançada e sustentabilidade

O projeto do novo sistema prevê uma série de ações sustentáveis e de tecnologia de ponta. Os edifícios da Estação de Tratamento de Água, a ser construída em Vargem Grande Paulista, terão ventilação e iluminação naturais, energia solar e reuso da água de chuva, aproveitando ao máximo os recursos naturais.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*