Amazônia perdeu 402 quilômetros quadrados no mês passado


Terça-feira, 21 de outubro de 2014 às 17h23

 

Desmatamento na Amazônia aumentou de 288 km2 para 838 km2 no bimestre agosto e setembro de 2014 em relação ao mesmo período de 2013. Foto: Hebert Rondon/ Ibama

Desmatamento na Amazônia aumentou de 288 km2 para 838 km2 no bimestre agosto e setembro de 2014 em relação ao mesmo período de 2013. Foto: Hebert Rondon/ Ibama

Os dados são do Boletim do desmatamento da Amazônia Legal (setembro de 2014) SAD, elaborado por Antônio Fonseca, Carlos Souza Jr. e Adalberto Veríssimo do Imazon – Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia, que fica no Pará.

O SAD detectou 402 quilômetros quadrados de desmatamento na Amazônia Legal em setembro de 2014. Isso representou um aumento de 290% em relação a setembro de 2013 quando o desmatamento somou 103 quilômetros quadrados. Foi possível monitorar 93% da área florestal na Amazônia Legal enquanto que em setembro de 2013 o monitoramento cobriu uma área menor (79%) do território.

Em setembro de 2014, o desmatamento concentrou em Rondônia (33%), Pará (23%), seguido pelo Mato Grosso (18%) e Amazonas (12%), com menor ocorrência no Acre (10%), Roraima (4%) e Tocantins (1%).

Foto: Hebert Rondon/ Ibama

Foto: Hebert Rondon/ Ibama

As florestas degradadas na Amazônia Legal somaram 624 quilômetros quadrados em setembro de 2014. Em relação a setembro de 2013 houve um aumento de 3.797%, quando a degradação florestal somou 16 quilômetros quadrados.

Desde julho de 2012, a detecção de alertas de desmatamento e de degradação florestal vem sendo realizada na plataforma Google Earth Engine (EE), com a nova versão do SAD EE. Esse sistema foi desenvolvido em colaboração a Google e utiliza o mesmo processo já utilizado pelo SAD, com iamgens de reflectância do MODIS para gerar os alertas de desmatamento e degração florestal. O MODIS é um dispositivo da NASA que orbita a Terra enviando imagens de monitoramento.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*