Área 40 está na zona Leste, CET passa a fiscalizar velocidade das motos


Terça-feira, 15 de setembro de 2015, às 10h08


Medida será implantada nesta quarta-feira (16) em São Miguel e visa aumentar a segurança para usuários, especialmente pedestres e ciclistas. De acordo com o órgão da Prefeitura, incentivará o melhor compartilhamento do espaço urbano. Motos passam a ser fiscalizadas com mais rigor na cidade e terão de respeitar os limites de velocidade nas marginais. Conheça as estatísticas dos acidentes nestas seis semanas de redução.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, entrevistado pelo especial “Para onde vai São Paulo” do jornal O Estado de São Paulo, disse que a demanda na cidade é por áreas de lazer. “As pessoas precisam se encontrar mais”, afirmou, mas não respondeu diretamente à pergunta se o Minhocão ou a Avenida Paulista deveriam deixar de ser as importantes rotas viárias, cuja função já está assimilada pelos paulistanos, para se tornarem parques ou áreas de lazer.

Toda e qualquer mudança que envolva o caótico trânsito de São Paulo cria polêmica e divide opiniões. A implantação da operação “Área 40” (velocidade máxima de 40 km/h) e as reduções de velocidades por toda parte estão mudando o ato de dirigir. A partir de amanhã (16/9) mais uma importante localidade da área mais populosa da cidade, a zona Leste, passa a ter ruas e avenidas inseridas nesse contexto.

 

Área 40: mapa mostra a área de São Miguel, onde a operação será implantada, à partir desta quarta-feira (16/9). Imagem: Divulgação / CET

Área 40: mapa mostra a área de São Miguel, onde a operação será implantada, à partir desta quarta-feira (16/9). Imagem: Divulgação / CET

 

Esta será a 11ª implantação da operação na cidade. Conforme divulgado pela Prefeitura, a medida busca melhorar a segurança de pedestres e ciclistas, usuários mais vulneráveis do sistema viário, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos na área. A medida busca melhorar a segurança de pedestres e ciclistas, usuários mais vulneráveis do sistema viário, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos na área. O órgão considera que a ação deva promover condições seguras e confortáveis de circulação a esses usuários, que ainda representam o maior número de vítimas no trânsito em São Paulo.

Violência no trânsito

• A cidade de São Paulo registrou 23.547 acidentes com vítima em 2014;
• Em média, foram 78 vítimas por dia;
• 1249 pessoas morreram no trânsito no ano passado;
• A meta da cidade é reduzir para 6 mortes a cada 100 mil habitantes o número de vítimas em acidentes até 2020;
• Foram aplicadas 10,6 milhões de multas na cidade em 2014;
• Mais da metade dessas infrações multadas foi cometida por apenas 4,9% dos veículos licenciados;
• Em 2015, estima-se uma arrecadação de 1,2 bilhão com os valores das multas.

Saiba mais sobre o programa e as áreas onde já foi implantado

Área 40

O projeto da Área 40 foi lançado com o objetivo de melhorar a segurança de pedestres e ciclistas, usuários mais vulneráveis do sistema viário, buscando a convivência pacífica e a redução de acidentes e atropelamentos. A iniciativa, que começou a ser implantada em outubro de 2013, já abrange todas as regiões da cidade. Abaixo a lista completa das Áreas 40.

Centro

Área 40 na Rótula Central - 1ª Fase - (21/10/2013) - Possui área interna de cerca de 1,6 km² e extensão aproximada de 5,0 km na junção das seguintes vias: Avenida Mercúrio, Avenida Senador Queirós, Avenida Ipiranga, Avenida São Luís, Viaduto Nove de Julho, Viaduto Jacareí, Rua Maria Paula, Viaduto Dona Paulina, Praça Dr. João Mendes, Rua Anita Garibaldi, Praça Clóvis Beviláqua, Avenida Rangel Pestana, Viaduto 25 de Março, e, fechando o círculo, Viaduto Mercúrio.

Área 40 na Rótula Central - 2ª Fase - (15/12/2014) - Possui área interna de cerca de 2,4 km², delimitada pelas seguintes vias: Avenida Rangel Pestana, Rua Anita Garibaldi, Praça João Mendes, Viaduto Dona Paulina, Avenida Ipiranga (entre a Rua Cásper Líbero e a Avenida São Luís), Avenida Senador Queirós e Avenida Mercúrio.

Área 40 na Rótula Consolação - (29/06/2015) - Possui área interna de cerca de 1,2 km², delimitada pelas seguintes vias: Avenida Paulista, Rua da Consolação, Rua João Guimarães, Avenida Nove de Julho e Rua Professor Olavo Mendes.

Zona Oeste

Área 40 na Região da Lapa – 1ª Fase (01/09/2014) - Possui área interna de cerca de 0,8 km², delimitada pelas ruas Clélia, Carlos Vicari, Guaicurus, John Harrison e Doze de Outubro, respectivamente.

Área 40 na Região da Lapa – 2ª Fase - (27/03/2015) - Possui área interna de cerca de 0,3 km², delimitada pelas ruas John Harrison, Doze de Outubro, Barão de Jundiaí e Domingos Rodrigues.

Zona Norte

Área 40 em Santana (22/09/2014) - A intervenção ocorreu num espaço de 1,2 km² delimitado pelas avenidas Brás Leme, Santos Dumont, Morvan Dias de Figueiredo, Cruzeiro do Sul, General Ataliba Leonel, e ruas Jovita, Conselheiro Saraiva, Alfredo Pujol, Chemin Del Pra e Doutor César.

Zona Sul

Área 40 em Moema - 1ª Fase – (03/11/2014) - A intervenção tem cerca de 1,7 km², delimitada pelas avenidas dos Bandeirantes, Ibirapuera, Indianópolis e Moreira Guimarães.

Área 40 em Moema - 2ª Fase –(17/11/2014) - A área tem cerca de 1,7 km², sendo geometricamente inversa à da 1ª fase, delimitada agora pelas avenidas dos Bandeirantes, Ibirapuera, Santo Amaro, Hélio Pellegrino e República do Líbano.

Zona Leste

Área 40 na Penha (01/12/2014) – Com cerca de 0,8 km², a área está delimitada pela Avenida Governador Carvalho Pinto, Avenida Cangaíba, Rua Padre João, Rua Doutor João Ribeiro, Rua Coronel Rodovalho, Avenida Engenheiro Alberto Pretini, Rua Vereador Cid Galvão da Silva e vias lindeiras à linha da CPTM.

Área 40 no Brás (23/02/2015) – A intervenção tem cerca de 2,7 km² delimitados pela Avenida do Estado, Rua João Teodoro, Rua Rodrigues dos Santos, Rua Rio Bonito, Rua Behring, Rua Júlio César da Silva, Rua Firmiano Pinto, Rua Coronel Albino Bairão e vias lindeiras à linha da CPTM.

Radares passam a fiscalizar também as motos

Demonstração do funcionamento dos “radares pistola” que fiscalizarão cumprimento do limite de velocidade por motociclistas nas marginais Tietê e Pinheiros. Foto: Cesar Ogata / SECOM

Demonstração do funcionamento dos “radares pistola” que fiscalizarão cumprimento do limite de velocidade por motociclistas nas marginais Tietê e Pinheiros. Foto: Cesar Ogata / SECOM

Desde a última quinta-feira (10/9), guardas civis metropolitanos estão espalhados por 38 pontos das marginais Pinheiros e Tietê para fiscalizar o cumprimento do limite de velocidade, imposto aos demais veículos, também pelas motos. A CET entende que essa medida irá reduzir o número de mortes de motociclistas nessas vias (leia a nota do Sindicato das Empresas de Distribuição das Entregas Rápidas do Estado de SP).

Serão utilizados dez equipamentos medidores de velocidade, conhecidos como “radares pistola”. De acordo com as estatísticas do órgão, nas seis semanas após a redução das velocidades máximas nas Marginais, mais de 80% dos acidentes registrados envolvem motos. A fiscalização será realizada diariamente, das 7h às 19h.

“Nos levantamentos realizados pela CET nas seis semanas após a redução das velocidades máximas permitidas nas marginais, verificamos que o índice é bastante alto de acidentes envolvendo motociclistas. São 82% do total de acidentes com vítimas. Daí a importância de um equipamento que priorize a fiscalização das motos, para a proteção de vidas”, explicou Valtair Valadão, diretor de operações da CET. Segundo Valadão, a velocidade alta aumenta a quantidade e intensifica a gravidade dos acidentes.

Os radares móveis terão como foco a fiscalização das motos. O reforço é necessário porque os radares fixos têm dificuldades técnicas para registrar infrações cometidas pelos motociclistas, porque muitos circulam entre as faixas de rolamento, mesmo tal prática sendo proibida pelo Código Brasileiro de Trânsito. Dos 62 radares fixos em funcionamento nas duas Marginais, 25 não fiscalizam motos.

 

GCM demonstra utilização do radar móvel. Foto: Cesar Ogata / SECOM

GCM demonstra utilização do radar móvel. Foto: Cesar Ogata / SECOM

 

Velocidade

As velocidades máximas permitidas nas Marginais Pinheiros e Tietê foram reduzidas em 20 de julho. A diminuição foi de 90 km/h para 70 km/nas pistas expressas (60 km/h para veículos pesados) e de 70 km/h para 50 km/h nas pistas locais. Na pista central da Tietê, a diminuição foi de 70 km/h para 60 km/h. Após seis semanas de implantação, foi verificado que a medida levou à redução de 27% no número de acidentes com vítimas nas duas vias. As motocicletas, no entanto, participaram de 95 das 116 ocorrências registradas no período.

Somente em 2014, aconteceram 504 acidentes com vítima na Marginal Tietê, com 645 pessoas feridas e 40 mortes. Desses acidentes, 379 envolveram motocicletas. Já na Marginal Pinheiros, 544 dos 580 acidentes com vítimas tiveram a participação de motos. As 580 ocorrências deixaram 754 feridos e 33 mortos.

De acordo com informações colhidas junto a agentes da CET, os marronzinhos, a função de fiscalização foi transferida para a GCM (Guarda Civil Metropolitana) que está preparada para o caso de violência. “Nós multávamos e o motoqueiro voltava e reagia com violência, às vezes armados, pedindo a anulação da multa”, confidenciou um agente à nossa reportagem.

Dois guardas da GCM trabalharão em cada um dos pontos de fiscalização ativos. “Os nossos homens estão uniformizados e sempre estarão em dupla com uma viatura, então sempre haverá um guarda com atenção na segurança daquele que está operando o aparelho. O guarda já tem o preparo necessário para atuar em uma situação de agressão ou violência”, afirmou a inspetora Sandra Perticarrari, superintendente de planejamento da GCM.

Com informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura e CET.
Semana da Mobilidade e Dia Mundial sem Carro em SP. Na imagem ciclista na Avenida Paulista. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Semana da Mobilidade e Dia Mundial sem Carro em SP. Na imagem ciclista na Avenida Paulista. Foto: Rafael Neddermeyer/ Fotos Públicas

Leia mais sobre
MOBILIDADE URBANA

 

São Paulo concentrou capacidades de comando sem perder completamente a produção industrial. Foto: Leo Ramos

São Paulo concentrou capacidades de comando sem perder completamente a produção industrial. Foto: Leo Ramos

Leia mais sobre
ALÔ SÃO PAULO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
Catálogo on-line reunirá informações de 2,3 mil espécies de peixes de água doce
Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d
Video: Venha com a gente para as profundezas dos Corais da Amazônia
Desmatamento dispara na Amazônia, vídeo
Benefícios da caminhada e da bicicleta superam malefícios da poluição do ar
Animação sobre a prevenção do câncer de mama
  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

  • Catálogo on-line reunirá informações de 2,3 mil espécies de peixes de água doce

  • Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d

  • Video: Venha com a gente para as profundezas dos Corais da Amazônia

  • Desmatamento dispara na Amazônia, vídeo

  • Benefícios da caminhada e da bicicleta superam malefícios da poluição do ar

  • Animação sobre a prevenção do câncer de mama

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*