As ruas continuam mandando seu recado

Rio de Janeiro, 28 de junho – Protesto no Dia Internacional do Orgulho LGBT. Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Rio de Janeiro, 28 de junho – Protesto no Dia Internacional do Orgulho LGBT. Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Rio de Janeiro, 28 de junho – Protesto no Dia Internacional do Orgulho LGBT. Foto: Tomaz Silva / Agência Brasil

Rio de Janeiro, 28 de junho – Manifestantes no Rio caminham contra a Copa. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Rio de Janeiro, 28 de junho – Manifestantes no Rio caminham contra a Copa. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Rio de Janeiro, 28 de junho – Manifestantes no Rio caminham contra a Copa. Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Segunda-feira, 30 de junho de 2014 às 15h42


Uma janela para o mundo, os protestos no Rio de Janeiro são frequentes durante a Copa.

Gerson Soares

O Fifa Fan Fest, no Rio de Janeiro tem sido palco para a alegria dos torcedores de diversos países que participam da Copa do Mundo no Brasil. Ao mesmo tempo eles se deparam com manifestações que também querem mostrar ao mundo que existe uma outra realidade, além das belezas naturais e da boa gente brasileira.

Temos um governo que prima pela irresponsabilidade de não ouvir atentamente tudo o que está sendo dito pelas ruas, nas manifestações populares que se repetem desde o ano passado, num momento jamais visto na história do país. Durante esse período, pudemos assistir toda sorte de protestos, como os exemplos que observamos nas imagens ao lado.

Os cenários políticos para as eleições de outubro estão quase totalmente traçados e caberá ao PT uma reviravolta difícil para contornar a insatisfação generalizada que se vê no país. A diferença de há 12 anos, quando o partido elegeu o presidente da República e espalhou por diversas capitais a ordem do petismo, é que naquele momento se pedia mudanças claras, desvinculando o novo governo das antigas políticas praticadas nas últimas décadas. Apesar de ter que dedicar-se ao controle da inflação – uma carga dura que o governo de Fernando Henrique Cardoso conseguiu superar –, estabilizando a economia e criando instituições sólidas, FHC entregou ao eleito Luís Inácio Lula da Silva, um país bem melhor do que o assumido por ele mesmo.

Lula teve tudo nas mãos para efetivar mudanças às quais ele mesmo pregava, como a educação e a saúde, tema que levou milhões às ruas das capitais e aos confrontos com a polícia, já que em seu governo e no de Dilma Roussef a situação não mudou. Ou fazendo-lhes justiça, mudou sim, mas a qualidade do ensino é uma das piores e os alunos brasileiros se encontram em péssimos patamares perante a América Latina. Apesar do avanço nas pesquisas, a população carente continua sendo tratada como trapo humano.

Atualmente, depois de ver o PT utilizar o poder apenas aperfeiçoando as técnicas antigas e moldando-as à sua necessidade de manter-se no poder, a população brasileira parece ter acordado e requer um novo tempo de mudanças. Após sua permanência no Palácio do Planalto e gozando de uma base sólida no Congresso Nacional, durante mais de uma década, está claro aos eleitores que as promessas não foram cumpridas e o distanciamento dos anseios populares continuam. A Copa do Mundo que está sendo realizada foi um tiro no pé. Com sete anos de antecedência os organizadores não conseguiram cumprir metas e objetivos, o saldo final é uma demonstração clara de gestão feita na base do improviso.

Na certeza de que o entusiasmo gerado pelo mais contagiante esporte mundial superaria as falhas, o governo aposta na vitória do Brasil para salvar a pátria petista. Onde, através da força, manifestantes insatisfeitos são intolerados. É o que as ruas dizem. A verdade estará nas urnas.

Brasília, 30 de junho – Manifestação pede tarifa zero no transporte em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

Brasília, 30 de junho – Manifestação pede tarifa zero no transporte em Brasília. Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*