Barusco diz que US$ 300 mil da SBM foram dados a Vaccari na eleição de 2010, PT nega


Quarta-feira, 11 de março de 2015, às 13h

Luciano Nascimento – Repórter da Agência Brasil
Edição: Aécio Amado

O ex-gerente da Petrobras Pedro Barusco, disse ontem (10) que US$ 300 mil que recebeu da SBM Offshore foram repassados para o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. A informação foi dada ao depor na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, na Câmara dos Deputados.

 

Formação da mesa que dirigiu os trabalhos da CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados, ontem (10) em Brasília: Barusco (2º da esq.p/dir.) foi chamado de bandido, sua senhoria e de vossa excelência pelos deputados que o inqueriram. Foto: reprodução TV Câmara

Formação da mesa que dirigiu os trabalhos da CPI da Petrobras na Câmara dos Deputados, ontem (10) em Brasília: Barusco (2º da esq.p/dir.) foi chamado de bandido, sua senhoria e de vossa excelência pelos deputados que o inqueriram. Foto: reprodução TV Câmara

“Em 2010, foi solicitado à SBM um patrocínio de campanha, mas não foi dado a eles diretamente. Eu recebi e repassei o dinheiro para a campanha presidencial de 2010, em que disputavam José Serra e Dilma Rousseff”, disse.

Perguntado a quem era destinado o dinheiro, Barusco respondeu que foi encaminhado ao PT. “Eu recebi o dinheiro e repassei em um acerto de contas em outro recebimento”.

Segundo Barusco, a quantia foi solicitada ao empresário Júlio Faerman, representante da empresa holandesa, como um “reforço” de campanha eleitoral a pedido de Vaccari. “Foi ao PT, ao João Vaccari”, disse, destacando que a quantia foi “contabilizada” por ele como “pagamento destinado ao PT”.

Em nota, assinada pelo presidente do PT, Rui Falcão, o partido reitera que nunca tratou de finanças ou doações com Pedro Barusco. O PT diz ainda, no documento, que o ex-gerente da Petrobras não apresentou, na CPI, provas ou indícios que envolvam João Vaccari Neto com recebimento de propinas, apesar de ter falado por mais de cinco horas e ser reiteradamente questionado pelos integrantes da bancada petista.

A nota diz ainda que o PT vai processar o ex-gerente da Petrobras por fazer denúncias sem apresentar provas. “O PT só recebe doações dentro dos parâmetros legais, que são declaradas na prestação de contas ao TSE”, reafirmou.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*