Brasão da cidade de São Paulo

Brasão da cidade de São Paulo.

Este é o símbolo da cidade. Em sua principal inscrição, lê-se a frase em latim “Non dvcor, dvco”, que significa “Não sou conduzido, conduzo”.

O brasão foi criado em 1916, durante o mandato do prefeito Washington Luís, num concurso que teve como vencedor o desenho de Guilherme de Almeida e José Wasth Rodrigues. Antes de ser oficializado em 8 de março de 1917, sofreu algumas alterações, solicitadas pela comissão julgadora.

A divisa NON DVCOR DVCO quer dizer Não sou conduzido, conduzo, e valoriza a independência das ações desenvolvidas pela cidade e seu papel de liderança no estado e no país.

Durante a ditadura de Getúlio Vargas, no Estado Novo, o uso de símbolos municipais ou estaduais foram suspensos pelo governo federal. São Paulo só voltou a usá-lo oificialmente depois de promulgada a Lei Municipal 3 671, de 9 de dezembro de 1947. Em sua história, o desenho original ainda passaria por mais algumas alterações.

Heráldica

O símbolo da cidade de São Paulo é formado por um escudo com um braço empunhando a bandeira da cruz de cristo usada pelos navegantes portugueses simbolizando a fé cristã. Sobre ele, há uma coroa de cinco torres visíveis (sendo 8 no total), símbolo de uma capital de estado. As laterais são adornadas por ramos de café: o principal fator da economia paulista na época.

A descrição do brasão foi alterada pela primeira vez pela lei municipal 8 129, de 2 de outubro de 1974, que acrescentou à descrição oito torres em relação às quatro originais, assim como duas janelas.

Novamente foi redesenhado e reestilizado para correção de uma falha em termos de leis internacionais de heráldica, durante a gestão do prefeito Jânio Quadros em 1986, e reinstituído em 6 de março de 1987.

Desde então a definição dos símbolos não foi alterada, apenas as normas de seu uso foram complementadas por leis subsequentes. A lei atualmente em vigor que regulariza os símbolos municipais é a 14472 de 2007.


Curiosidade sobre o erro de confecção

O brasão da cidade de São Paulo possui um erro comum na heráldica municipal (também denominada “civil”) brasileira, que é a representação incorreta da peça conhecida como “coroa-mural” (a peça de cinco torres logo acima do escudo).

O erro está na utilização da cor vermelha (goles) nas portas das torres, em detrimento do correto, que seria a cor preta (sable). Não se utiliza de forma alguma cor vermelha como a que está representada no atual desenho. É uma simples “licença artística”, adotada, sugerindo portas abertas, sinal de espírito acolhedor do cidadão do município. Nem mesmo essa orientação é correta, pois a representação de portas abertas em heráldica é a cor branca, e não a vermelha.

Na peça coroa-mural somente é utilizado o preto, símbolo de portas “fechadas”. Nenhuma outra cor é correta, valendo tal orientação para qualquer outro município brasileiro.

Com textos e informações de heráldica e da wikipedia.
alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*