Brasil tem kit inédito para diagnóstico de HTLV

O Brasil está na liderança de importante conquista na área da saúde. A notícia é da Finep (Financiadora de Estudos e Projetos).

O coordenador da pesquisa, professor Dimas Tadeu Covas. Foto: Divulgação FINEP

O coordenador da pesquisa, professor Dimas Tadeu Covas. Foto: Divulgação FINEP

Pesquisadores do Centro de Terapia Celular do Hemocentro de Ribeirão Preto (SP) desenvolveram, com apoio de R$ 1 milhão da Finep, um kit diagnóstico capaz de confirmar, com 100% de acerto, a infecção por HTLV. Da mesma família do HIV, com a diferença de não causar a imunodeficiência, este vírus também é transmitido por relação sexual desprotegida, compartilhamento de agulhas e seringas e da mãe infectada para o filho, principalmente pelo aleitamento materno.

Estudos mostram que, do total de infectados, entre 1% e 5% irão desenvolver alguma doença relacionada ao HTLV. O tipo I é associado a doenças graves neurológicas degenerativas e hematológicas, como a leucemia e o linfoma (tumor) de células T, responsáveis pela defesa celular. São elas que regulam o funcionamento do sistema imunológico. Já o segundo tipo ainda não se tem esclarecida a ligação com enfermidades.

O projeto do kit diagnóstico foi financiado pela Finep por meio de chamada pública destinada a apoiar projetos de instituições públicas de ensino e pesquisa desde que desenvolvidos em parceria com uma empresa. A empresa Gene ID, parceira do projeto na chamada pública, é a candidata natural a produzir o kit.

Metodologia atual

Hoje, um exame de sangue de rotina pode indicar a possibilidade de infecção pelo HTLV, mas há necessidade de confirmação do diagnóstico. “Nem todo exame positivo se confirma”, afirma o professor Dimas Covas, médico especializado em infecções transmitidas pelo sangue. Daí a relevância deste diagnóstico, já que a doença leva anos para se manifestar. Segundo Covas, a certeza da infecção permite o correto acompanhamento do paciente, o aumento da segurança em casos de transplante e transfusão de sangue, além de evitar a transmissão da mãe para o filho, hoje considerada a principal via de contaminação.

Na atualidade, a única forma de confirmação do HTLV é pelo exame western Blot, que não é 100% seguro. Ele busca no organismo evidências indiretas da infecção, como a detecção de anticorpos contra o vírus. Ao contrário, o kit desenvolvido pelo Hemocentro utiliza tecnologia molecular, o que permite a busca direta do vírus no organismo. Outro diferencial refere-se ao valor do exame. Enquanto o importado sai por R$ 170,00, o teste nacional tem custo estimado em R$ 10,00, ou seja 17 vezes menor.

A Finep é uma empresa pública vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia. seu objetivo é fomentar a ciência, tecnologia e inovação em empresas, universidades, institutos tecnológicos e outras instituições públicas ou privadas.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*