Cemaden Educação lança a 3ª Campanha #AprenderParaPrevenir
ago14

Cemaden Educação lança a 3ª Campanha #AprenderParaPrevenir

Com o objetivo de incentivar as comunidades escolares a refletir sobre os desastres socioambientais, unindo esforços na construção e no fortalecimento da proteção de suas comunidades, o Cemaden Educação, do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, lançou a Campanha #AprenderParaPrevenir.

Leia mais
Educação pública de qualidade custaria até 5 vezes mais, diz estudo
jun05

Educação pública de qualidade custaria até 5 vezes mais, diz estudo

O Brasil deveria investir até cinco vezes mais do que gasta hoje para garantir uma educação pública de qualidade da creche ao ensino médio, segundo estudo lançado hoje (5) pela Campanha Nacional pelo Direito à Educação.

Leia mais
Livro investiga os três modelos mais influentes de educação superior
maio21

Livro investiga os três modelos mais influentes de educação superior

Três modelos de educação superior repercutiram globalmente, influenciando as iniciativas educacionais de diferentes países: o alemão, o francês e o norte-americano. No Brasil, por exemplo, as diretrizes que estruturaram o ensino superior foram, de início, fortemente calcadas na norma francesa – determinante na criação da Universidade de São Paulo, em 1934. Sofreram, depois, pesada influência norte-americana, na reforma educacional promovida pela ditadura civil-militar, em 1969. Um livro, há pouco publicado, investiga os três modelos internacionais de educação superior referidos. Seu título expressa de forma muito simples e direta o conteúdo: Modelos internacionais de educação superior: Estados Unidos, França e...

Leia mais
Educação: PF apura desvio de verbas em três estados e em Brasília
maio09

Educação: PF apura desvio de verbas em três estados e em Brasília

Operação Prato Feito da Polícia Federal investiga mais desvios de verbas por agentes públicos.

Leia mais
Lição de casa: dicas para estudar com os filhos
set23

Lição de casa: dicas para estudar com os filhos

Conheça seis dicas que vão fazer a diferença na hora de estudar com os filhos.

Leia mais
Instituto Ayrton Senna propõe painéis educacionais em evento internacional, vote até o dia 25
ago23

Instituto Ayrton Senna propõe painéis educacionais em evento internacional, vote até o dia 25

O Instituto Ayrton Senna (IAS), há mais de 20 anos trabalha impulsionado pela vontade do tricampeão de Fórmula 1 Ayrton Senna de construir um Brasil melhor, buscando incessantemente novos conhecimentos como resposta aos desafios de um mundo que se transforma a todo momento. Leia a matéria e decida se quer votar.

Leia mais
Freire cuidará dos interesses da Cultura e do Brasil, diz Temer
nov23

Freire cuidará dos interesses da Cultura e do Brasil, diz Temer

O presidente da República, Michel Temer, deu posse, nesta quarta-feira (23), a Roberto Freire como ministro da Cultura. Ao oficializar Freire no cargo, Temer relembrou a trajetória do novo titular da pasta e afirmou que ele “não vai cuidar apenas da Cultura”.

Leia mais
Ensino Médio na modalidade EJA a distância abre inscrições para terceira série
ago31

Ensino Médio na modalidade EJA a distância abre inscrições para terceira série

Supletivo online gratuito está com os três módulos disponíveis para quem quer retomar os estudos. É possível começar a estudar a qualquer momento. Não há limite de vagas nem processo seletivo.

Leia mais
Professores de Etecs e Fatecs utilizam Pokémon GO para abordar temas didáticos
ago14

Professores de Etecs e Fatecs utilizam Pokémon GO para abordar temas didáticos

Febre entre os jovens, game se tornou ferramenta de ensino. Vídeo de professor da Etec de Itapeva sobre a matemática do jogo é sucesso na web.

Leia mais
Etec de Guarujá ganha avião a jato para curso de Manutenção de Aeronaves
jul05

Etec de Guarujá ganha avião a jato para curso de Manutenção de Aeronaves

Modelo britânico Hawker de aviação executiva apreendido pela Receita Federal foi doado para ser utilizado pelos alunos na Base Aérea de Santos.

Leia mais
MEC libera R$ 742,8 milhões para educação básica e superior, vídeo
jun29

MEC libera R$ 742,8 milhões para educação básica e superior, vídeo

Recursos contemplam o Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação.

Leia mais

Catavento tem exposição sobre preservação da diversidade marinha

A mostra “CEBIMar 60 anos – Exposição de seres marinhos” está em cartaz até 31 de julho de 2016 no Museu Catavento Cultural e Educacional, em São Paulo.

Leia mais
ETEC Albert Einstein cria bicicleta movida a impulso magnético
jun15

ETEC Albert Einstein cria bicicleta movida a impulso magnético

Sistema potencializa pedalada e amplia em até três vezes o rendimento do ciclista. Leve e de baixo custo, pode ser instalado em qualquer bike.

Leia mais
“Manual da Família – a difícil arte de educar no século XXI”, poderá ser lido grátis
jun10

“Manual da Família – a difícil arte de educar no século XXI”, poderá ser lido grátis

Lançamento oficial será feito nesta terça-feira na Casa das Caldeiras numa parceria com o Itaú Social em evento fechado para convidados. Em seguida o e-book poderá ser baixado e lido gratuitamente.

Leia mais
TV Cultura estreia o programa Zupt! Com o Seninha
abr02

TV Cultura estreia o programa Zupt! Com o Seninha

Em homenagem ao mais querido piloto brasileiro, a série animada estreou no canal aberto da televisão no dia 21 de março, dia em que o piloto completaria 56 anos. Leia a matéria do Instituto Ayrton Sena.

Leia mais
Estudantes continuarão ocupando escolas, mesmo após recuo do governo
dez07

Estudantes continuarão ocupando escolas, mesmo após recuo do governo

De acordo com a UBES, os estudantes devem continuar ocupando as escolas até que as mudanças pretendidas pelo Governo do Estado de São Paulo sejam totalmente canceladas.

Leia mais
Estudantes na Escola Estadual Fernão Dias, contra a reorganização
nov14

Estudantes na Escola Estadual Fernão Dias, contra a reorganização

Até o final da tarde de ontem (13), estudantes ocupavam a Escola Estadual Fernão Dias. A ocupação é um protesto contra a reorganização feita pelo Governo do Estado de São Paulo.

Leia mais
Alunos ocupam segunda escola em protesto contra fechamento em SP
nov12

Alunos ocupam segunda escola em protesto contra fechamento em SP

Dois dias antes da reunião marcada com pais, responsáveis, alunos, professores e equipes gestoras, chamado de “Dia E” pelo Governo do Estado de São Paulo, alunos ocupam estabelecimentos de ensino, vigiados de perto pela PM. A situação gera muitas críticas sobre o uso da força militar armada, contra os estudantes. Leia a reportagem.

Leia mais
Mobilização nas escolas pretende tirar dúvidas dos pais sobre a reorganização
nov11

Mobilização nas escolas pretende tirar dúvidas dos pais sobre a reorganização

“Dia E”, que acontece neste sábado nas cinco mil unidades estaduais, vai reunir pais, responsáveis, alunos, professores e equipes gestoras. A informação foi divulgada ontem (10), pela assessoria de comunicação do Governo do Estado.

Leia mais
Começa em Paris principal evento anual da UNESCO
nov05

Começa em Paris principal evento anual da UNESCO

Conferência Geral da UNESCO, corpo diretor da agência da ONU, acontece entre os dias 3 e 18 de novembro com a participação dos 195 Estados-membros da Organização.

Leia mais
UNESCO convoca municípios para a Rede Global de ‘Cidades Aprendizagem’
nov05

UNESCO convoca municípios para a Rede Global de ‘Cidades Aprendizagem’

Conferência Internacional realizada na Cidade do México terminou com chamamento a municípios de todo o mundo para que participem da Rede Global de Cidades Aprendizagem da UNESCO. Ideia é orientar políticas públicas para promover a educação ao longo da vida, dentro e fora da escola; Sorocaba (SP) é uma das cidades que integra iniciativa.

Leia mais
UNICEF: Caravanas chegam aos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas
out30

UNICEF: Caravanas chegam aos Jogos Mundiais dos Povos Indígenas

Em Palmas, onde é realizado o evento internacional, meninos e meninas de comunidades indígenas, de áreas rurais próximas e também moradores da capital tocantinense brincam e aprendem juntos novos esportes, danças e músicas.

Leia mais
MP instaurou inquérito para apurar a reorganização da rede estadual de ensino
out29

MP instaurou inquérito para apurar a reorganização da rede estadual de ensino

GEDUC investiga implicações da medida anunciada pela Secretaria da Educação, a notícia foi divulgada hoje pelo MPSP.

Leia mais
São Paulo fechará 94 escolas para reorganizar rede estadual de ensino
out26

São Paulo fechará 94 escolas para reorganizar rede estadual de ensino

A Secretaria de Educação de São Paulo informou hoje (26) que 94 escolas serão fechadas por causa do processo de reorganização da rede estadual. O objetivo é segmentar as escolas em três grupos (anos iniciais e finais do ensino fundamental e ensino médio), conforme o ciclo escolar. A estimativa é que 311 mil alunos tenham que mudar de escola no ano que vem.

Leia mais
Educação, constituição e legislação
out21

Educação, constituição e legislação

Às vésperas do ENEM, livro de Paulo Henrique Camargo Rinaldi (Editora Baraúna) aborda as bases da criação do próprio exame e outros temas importantes para a educação.

Leia mais
Parque Ibirapuera comemora os 80 anos da educação infantil paulistana
out18

Parque Ibirapuera comemora os 80 anos da educação infantil paulistana

A festa reuniu crianças para homenagear a data com apresentações artísticas, oficinas, brincadeiras e contação de histórias. A Prefeitura estimava um público de quatro mil pessoas, maior parte alunos da rede municipal e seus familiares.

Leia mais
Enem 2015
out14

Enem 2015

De acordo com balanço divulgado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), até as 12h de ontem (13), 4.940.458 de candidatos acessaram o cartão de confirmação na página do Enem. Esse número significa que 64% já acessaram local de prova; faltam ainda 2,8 milhões.

Leia mais
Dilma defende ensino técnico e “cada centavo” investido no Pronatec
set02

Dilma defende ensino técnico e “cada centavo” investido no Pronatec

O Brasil ficou em primeiro lugar na competição, conhecida como a olimpíada internacional das profissões técnicas. No total, a equipe brasileira levou 27 medalhas: 11 de ouro, dez de prata e seis de bronze, além de 18 certificados de excelência.

Leia mais
ONU seleciona estudantes para Programa de Bolsas de Tecnologias de Nano Satélites
ago16
Leia mais
Alunos da USP ainda têm dúvidas sobre a carreira escolhida
jul27
Leia mais
Educação é ‘essencial para a visão de uma vida digna para todos’, diz Ban na Noruega
jul09
Leia mais
A essência da universidade deve ser mantida, jamais corrompida
jul08
Leia mais
No Japão, limpeza se aprende nas escolas
jun02
Leia mais
A influência de Jean-Ovide Decroly na reforma educacional no Brasil
maio25
Leia mais
Sem diálogo, governos e professores vão à Justiça para encerrar greves
maio23
Leia mais
Prefeito inaugura EMEF em São Mateus, na zona Leste
maio20
Leia mais
Museu do Índio e UNESCO lançam publicações sobre língua e cultura
maio16
Leia mais
Olimpíada Brasileira de Astronomia deve reunir 1 milhão
maio14
Leia mais
Sem acordo, estudantes poderão pagar parte da mensalidade fora do Fies
maio12
Leia mais
Brasil incoerente
maio12

Brasil incoerente

Leia mais
Associação entre a embaixada e entidades italianas criam o “CLiCK ITÁLIA”
abr30
Leia mais
Dilma defende Petrobras e diz que ajuste não vai cortar programas do MEC
abr06

Dilma defende Petrobras e diz que ajuste não vai cortar programas do MEC

Segundo Dilma, os recursos dos royalties e do Fundo Social do Pré-Sal – que, por lei, serão destinados a investimentos em saúde e educação – já são uma realidade e o modelo de partilha precisa ser defendido.

Leia mais
Finlândia substitui as matérias escolares por método de ensino interdisciplinar
abr02

Finlândia substitui as matérias escolares por método de ensino interdisciplinar

Quinta-feira, 2 de abril de 2015, às 17h18 Língua Portuguesa, Geografia, Matemática… As chamadas matérias escolares sempre estiveram (e ainda estão) presentes em nossa formação educacional, concorda? Mas na Finlândia, país cuja área da educação é considerada uma das melhores do mundo, o conceito tradicional de aprendizado tem sido revisto. Para dar mais uma alavancada em seu sistema de ensino, caracterizado pela valorização dos professores e das artes, a Finlândia pretende extinguir as matérias escolares. “Nós ainda temos escolas ensinando à moda antiga, que foi proveitosa no início dos anos 1900 – mas as necessidades não são mais as mesmas e nós precisamos de algo adequado ao Século 21”, explica a gerente educacional de Helsinki, Marjo Kyllonen. Agora, as matérias serão substituídas pelo estudo de fenômenos, método que já é adotado por cerca de 70% dos professores das escolas de ensino médio da capital do país. A ideia é que cada fenômeno possa ser estudado com diferentes abordagens: a Segunda Guerra, por exemplo, poderia reunir professores de História, Geografia e Matemática. As escolas do país já são obrigadas a oferecer ao menos um período de ensino multidisciplinar baseado em fenômenos, enquanto na capital Helsinki, as instituições são encorajadas a oferecer dois períodos de ensino seguindo este estilo – e a tendência é que este número siga aumentando nos próximos anos. Do Portal...

Leia mais
MPEduc: programa já está presente em 26 unidades da federação
mar27
Leia mais
Começam as inscrições para a Feira Tecnológica do Centro Paula Souza
mar17

Começam as inscrições para a Feira Tecnológica do Centro Paula Souza

Terça-feira, 17 de março de 2015, às 12h58 Estudantes têm até 15 de maio para inscrever seus projetos na 9ª edição da Feteps. Estudantes dos Ensinos Técnico, Médio e Tecnológico das Escolas Técnicas (Etecs) e das Faculdades de Tecnologia estaduais têm até 15 de maio para inscrever seus projetos na 9ª edição da Feira Tecnológica do Centro Paula Souza (Feteps). A inscrição deve ser feita exclusivamente pela internet. Alunos das escolas de Educação Profissional Técnica e Tecnológica das redes públicas municipais e estaduais, dos Institutos Federais de Educação e deinstituições parceiras internacionais também podem participar do evento, programado para o mês de outubro. A relação dos finalistas será divulgada no site da Feteps no dia 10 junho. Os trabalhos podem ser desenvolvidos individualmente ou em grupo de até três alunos. Cada estudante pode participar de um único projeto, desde que o estudo tenha sido desenvolvido em 2014 ou que esteja em andamento, com conclusão até 30 de junho. É indispensável que o aluno ou grupo tenha um professor orientador, que deve ser da unidade escolar na qual os orientandos estão matriculados. Durante a Feira, os projetos serão submetidos a um Comitê de Avaliação, que analisará os trabalhos de acordo com diversos critérios, como criatividade e inovação, conhecimento científico, levantamento dos dados e condução da pesquisa, apresentação oral, aplicabilidade e pontualidade no cumprimento dos prazos do regulamento. Conheça as dez categorias da mostra: Categoria 1 – Artes, Cultura e Design Categoria 2 – Gestão e Ciências Econômicas Categoria 3 – Ciências Biológicas e Agrárias Categoria 4 – Informática e Ciências da Computação Categoria 5 – Tecnologia Industrial Mecânica Categoria 6 – Tecnologia Industrial Elétrica Categoria 7 – Saúde e Segurança Categoria 8 – Tecnologia Química, de Alimentos, da Agroindústria e da Bioenergia Categoria 9 – Infraestrutura Categoria 10 – Hospitalidade e Lazer Edição 2014 Realizada entre os dias 21 e 23 de outubro de 2014 na Expo Barra Funda, zona oeste da Capital, a 8ª edição da Feteps expôs 244 trabalhos de Etecs, Fatecs, 15 projetos de outros países (Argentina, Costa Rica, Colômbia, México, Peru, Guatemala, Polônia) e 5 de outros Estados (Amazonas, Bahia e Mato Grosso do Sul). Os vencedores de cada categoria receberam tablets como prêmio. Para conhecer o regulamento e ter outras informações sobre a feira basta acessar o site www.feteps.com.br. Do Centro Paula...

Leia mais
MEC divulga gabaritos das provas do ENEM 2014
nov12

MEC divulga gabaritos das provas do ENEM 2014

Quarta-feira, 12 de novembro de 2014, às 17h34   Gabaritos das provas objetivas já podem ser consultados pelos participantes do exame. Os gabaritos das provas objetivas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2014 estão disponíveis e podem ser consultados on-line pelos participantes. Por meio da internet, é possível verificar as respostas das provas aplicadas no sábado, 8, e no domingo, 9. A divulgação dos resultados individuais está prevista para o início de janeiro de 2015, em data a ser definida. Quatro provas objetivas foram aplicadas (ciências humanas e suas tecnologias, ciências da natureza e suas tecnologias, linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e suas tecnologias), além da redação, que teve como tema Publicidade infantil em questão no Brasil.   enem 2014 – gabaritos   O desempenho dos participantes no Enem é usado como critério de acesso a programas oferecidos pelo governo federal, como o Sistema de Seleção Unificada (Sisu), o Programa Universidade para Todos (ProUni), o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) e o programa Ciência sem Fronteiras, além do Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Os participantes desta edição do exame podem consultar o gabarito na página do Enem na internet. As informações são da Assessoria de Comunicação Social do MEC, com o Inep...

Leia mais
Gabaritos do Enem devem sair até quarta-feira
nov10

Gabaritos do Enem devem sair até quarta-feira

Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 12h43 Da Agência Brasil | Edição: Marcos Chagas Os gabaritos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devem ser divulgados até quarta-feira (12) no site inep Já os resultados individuais da avaliação, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), serão disponibilizados em janeiro, mediante inserção do número de inscrição ou CPF e senha do candidato. As provas foram aplicadas no fim de semana em 1,7 mil cidades brasileiras. Mais de 8,7 milhões de pessoas se inscreveram para o exame. O segundo dia do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), ontem (9), foi marcado por provas mais cansativas, na avaliação de professores ouvidos pela Agência Brasil. Apesar de seguir o padrão de provas anteriores e abordar temas atuais com o mesmo número de questões, o teste deste ano foi considerado mais longo e exigente. “A prova foi muito longa e a sensação era que não dava tempo para o aluno fazer todas as questões, precisava fazer escolhas”, avaliou o professor do Sistema Elite de Ensino, Rafael Coelho. Segundo ele, o exame trouxe textos de autores nacionais, o que é positivo por valorizar a língua e a cultura brasileira. Questões como a exploração sexual, o selfie e o consumo de água foram abordadas no exame. Para ele, é interessante a “busca de conscientizar os candidatos sobre problemas que o país...

Leia mais
Professores dão dicas de como aproveitar o tempo de prova do Enem
nov07

Professores dão dicas de como aproveitar o tempo de prova do Enem

  Sexta-feira, 7 de novembro de 2014, às 19h02 Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil Edição: Graça Adjuto Uma boa divisão do tempo de prova, alimentação adequada e até mesmo alguns minutos para esticar as pernas podem fazer a diferença durante o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). As provas serão aplicadas amanhã (8) e domingo. No primeiro dia, os candidatos terão quatro horas e meia e, no segundo, cinco horas e meia. Para aproveitar bem o tempo e aumentar o rendimento, professores dão algumas dicas. De acordo com o professor de português do Colégio Sigma, em Brasília, Eli Carlos Guimarães, o candidato terá, em média, três minutos por questão e essa é a primeira coisa que precisa ter em mente e controlar. “A segunda é que deve respeitar a gradação de dificuldade das questões. Qual é a ideia? Leio a questão, tenho facilidade, resolvo, se leio e tenho dificuldade, devo saltar. Isso para que o aluno não fique preso na questão no sentido de perder tempo”. A dica do professor é que logo na leitura, o candidato identifique o que está incorreto nos itens e sublinhe. “Se acha alguma coisa errada ou dúbia, deve grifar, porque chama a atenção. No Enem, ele terá que marcar a opção correta, a prova não tem como prática que o candidato assinale a opção incorreta. Então, é interessante que o aluno dê algum destaque para o que está errado, porque elimina logo”, diz. Guimarães explica que como o Enem é uma prova muito cansativa, a recomendação é que a cada 45 minutos, o aluno pare, descanse, faça algum exercício de relaxamento ou peça para ir ao banheiro a fim de andar um pouco. A pausa não deve durar mais que alguns minutos. Quando completar duas horas de prova, a recomendação é que coma algo doce. “Vou começar pelo que não levar: não leve chocolate, o chocolate, em um primeiro momento, ativa por conta da glicose, mas, depois de uma hora, tem efeito de letargia”, lembra. “O aluno tem que se hidratar e tem que ter alguma barra de cereal, uma fruta e um doce, como mel, rapadura, doce de banana. Mas não consuma chocolate”, reforça. No primeiro dia, os candidatos farão as provas de ciências humanas e ciências da natureza. No segundo, serão aplicadas as provas de linguagens e códigos, matemática e redação. Apesar de o estudante ter mais tempo para as provas no domingo, a professora de português do Centro de Ensino Médio Setor Leste, em Brasília, Eliana Luíza de Azevedo, diz que é preciso atenção. Ela recomenda que o candidato comece pela redação. “A primeira coisa é ler o...

Leia mais
ETEC do Tatuapé faz parceria com grafiteiros
nov05
Leia mais
Conheça o trabalho do Instituto Ayrton Senna
out24

Conheça o trabalho do Instituto Ayrton Senna

  Assista o vídeo divulgado pelo instituto sobre educação. Ismael | Boca do Acre/AM Instituto Ayrton Senna Publicado em 27/03/2014 Ismael, de 7 anos, acorda entre 4h e 5h da manhã e faz um percurso de 1 hora de barco para chegar ao colégio. No entanto, ele não se queixa: “Quanto mais a gente estuda, mais a gente está aprendendo”. Determinação e superação, valores cultivados pelo ídolo Ayrton Senna, podem ser observados neste aluno de uma das escolas que fazem parte dos programas educacionais do Instituto Ayrton Senna, no Amazonas. reportagem MAÍRA VILLAMARIN DAVID MOISES edição e finalização MAÍRA VILLAMARIN   Sexta-feira, 24 de outubro de 2014, às 15h22 Os programas do Instituto Ayrton Senna são soluções educacionais que ajudam a combater os principais problemas da educação pública do País. E contemplam três grandes áreas: educação formal, educação complementar e educação e tecnologia. Implementados em grande escala com estratégias e metas pré-definidas, os programas recebem acompanhamento e avaliações sistemáticas para alcançar um único objetivo: o sucesso do aluno na escola. Todos os programas oferecem subsídios para que a criança e o jovem possam desenvolver seus potenciais. Por isso, trabalham as competências pessoais, cognitivas, relacionais e produtivas. Os gestores educacionais e os professores recebem capacitação e uma equipe acompanha o passo a passo dos programas para que qualquer problema possa ser resolvido durante o processo, sem comprometer o aprendizado do aluno. As famílias são mobilizadas a participar da formação de seus...

Leia mais
MPEduc está avaliando as escolas nos rincões do país
out23
Leia mais
Parabéns, aos professores
out15

Parabéns, aos professores

Quarta-feira, 15 de outubro de 2014, às 21h21   Parabenizamos os professores neste dia, que apesar de ser feriado, é mais um dos que são pouco lembrados e comemorados. Mas há de se ter o consolo, os hinos à República, à Bandeira, o Hino Nacional e até a Independência, também estão sendo esquecidos. Esse processo de inversão de valores morais e cívicos precisa ser revisto, para que o país volte a se valorizar. Ninguém melhor do que os professores, aqueles dos tempos das maçãs, para lembrar-nos das nossas responsabilidades e também dos momentos em que deixamos de ser crianças e nos tornamos...

Leia mais
Instituto Ayrton Senna
set26

Instituto Ayrton Senna

Leia mais
Butantan exibe peça sobre legado científico muçulmano
set25

Butantan exibe peça sobre legado científico muçulmano

Quinta-feira, 25 de setembro de 2014, às 20h32 Legado científico das civilizações muçulmanas é apresentado em peça no Butantan Agência FAPESP – As descobertas da chamada “Idade do Ouro” da civilização muçulmana – incluindo a álgebra, o astrolábio e as máquinas de contagem do tempo –são temas de um espetáculo teatral em cartaz no Instituto Butantan, em São Paulo. O teatro faz parte do programa “1001 Invenções”, lançado na terça-feira (23/09), que inclui vídeo e materiais educativos para contar a história de mais de mil anos da ciência e do legado científico das civilizações muçulmanas. O programa fica no Butantan até o dia 29 de setembro e é voltado a alunos do segundo ciclo do ensino fundamental e do ensino médio. Em 45 minutos, quatro atores interpretam cientistas do passado, abordando as descobertas científicas da história. As apresentações são feitas para alunos de escolas, com visitas previamente agendadas. No sábado (27/09), porém, haverá duas seções abertas ao público. O programa foi produzido pela organização educacional “1001 Inventions”, do Reino Unido, e contou com a parceria do Instituto Butantan, do Museu do Catar, do Ministério da Cultura do Catar e do governo do Estado de São Paulo. Ele integra as ações do Ano Cultural Brasil–Catar 2014. “O programa é muito importante para inspirar nossas crianças, porque ajuda a demonstrar que a ciência é global e que outras civilizações têm contribuído para o mundo em que nós vivemos desde sempre. Esta viagem ao passado pode nos ajudar a construir um futuro melhor”, disse Jorge Kalil, diretor do Instituto Butantan. Mais informações: “1001...

Leia mais
Brasil conquista quatro medalhas em olimpíada de Biologia
set22

Brasil conquista quatro medalhas em olimpíada de Biologia

Segunda-feira, 22 de setembro de 2014, às 18h29   Agência FAPESP – A delegação brasileira conquistou uma medalha de ouro, duas de prata e uma de bronze na Olimpíada Ibero-Americana de Biologia (Oiab 2014), realizada entre 7 e 13 de setembro no México. Foi o melhor resultado do Brasil na história da competição.   A estudante Leticia Pereira de Souza, do Ceará, ficou com a medalha de ouro. Gabriel Guedes, de São Paulo, e Ana Luiza Smith, da Bahia, conquistaram a de prata; e Mario Anderson, também do Ceará, ficou com a de bronze. Antes de viajar, a equipe participou de um treinamento intensivo com professores das Universidades do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), da Federal Fluminense (UFF) e da Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Eles tiveram aulas teóricas e práticas de Bioquímica, Biotecnologia, Microscopia, Ecologia, Genética, Histologia vegetal e Dissecção de vertebrados e invertebrados. Durante a programação da Oiab, os jovens participaram de duas provas teóricas e uma prática, seguindo o modelo da olimpíada internacional. Além da preparação promovida pelas universidades, a delegação contou com o apoio do Conselho Federal de Biologia, do Conselho Regional de Biologia (CRBIO-02), do Instituto Butantan, do Instituto de Tecnologia ORT, da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e da empresa Catalita Soluções. A próxima Oiab será realizada em 2015 em El Salvador. Para participar, o aluno deve antes competir na Olimpíada Brasileira de Biologia (OBB). Podem se inscrever jovens de no máximo 19 anos, que estejam cursando o ensino médio ou que já concluíram, mas ainda não se matricularam em uma instituição de ensino superior. Mais informações:...

Leia mais
Equipamento leva a realidade virtual à educação física
set12

Equipamento leva a realidade virtual à educação física

Sexta-feira, 12 de setembro de 2014, às 09h02 Stable possui 6 câmeras, plataforma de força e tela para projeção 180º Por Paula Bassi, da Seção de Relações Institucionais e Comunicação da EEFE No começo de agosto, o Laboratório de Comportamento Motor (Lacom) da Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) recebeu o aparelho Stable, que irá integrar o Laboratório Didático de Realidade Virtual na promoção de Atividade Física, Lazer, Saúde e Reabilitação. O objetivo é equipar uma sala didática com diversos consoles e equipamentos que possam criar diferentes ambientes de realidade virtual. Esta sala proporcionará aos alunos de graduação conhecimentos teóricos e práticos para a aplicação da realidade virtual na educação física e esporte, voltados para a saúde, reabilitação, lazer e esporte. Além disso, será possível realizar avaliações neuromotoras e fisiológicas sobre os efeitos da prática de atividade física em ambiente virtual. O Stable possui seis câmeras, plataforma de força e tela para projeção em 180º. O equipamento permite a criação de cenários virtuais para tarefas específicas do dia-a-dia ou relacionadas a alguma modalidade esportiva a partir da criação de jogos virtuais. Por meio do aparelho, a pessoa em avaliação sente que desempenha uma tarefa em um ambiente real, embora esteja no ambiente virtual. É possível avaliar e melhorar o desempenho de pessoas com distúrbios no equilíbrio e no controle postural, como idosos, pessoas com AVC, Parkinson, entre outros. A vantagem do uso da realidade virtual é a prática de movimentos em ambientes contextualizados, em que o profissional pode manipular a intensidade, o número de repetições e a realização de treinamento orientado a tarefas personalizadas para cada pessoa. Além disso, a prática nesse ambiente é extremamente segura, pois a pessoa estará sobre uma plataforma de força, presa com cinto de segurança fixo no teto, a fim de evitar quedas, quando desempenham as atividades em ambiente virtual. As alterações fisiológicas, psíquicas e somáticas promovidas pelo ambiente virtual são similares às situações da vida real e isso pode garantir condições para a melhora do desempenho motor e da aprendizagem, pois os participantes sentem-se em um ambiente desafiador e motivador em níveis acentuados de intensidade de prática física. Projetos irão estudar a aprendizagem motora em pacientes que sofreram AVC O equipamento será utilizado na graduação e na pós-graduação. Na graduação, os professores demonstrarão aos graduandos uma possibilidade de prática de atividade física que permitirá avaliar os aspectos comportamentais, fisiológicos e biomecânicos dessas intervenções. Também será possível a observação prática das respostas orgânicas e do impacto fisiológico durante a execução de atividades em ambiente virtual, o que é difícil em um contexto real. Os alunos de pós-graduação também poderão utilizar o equipamento para...

Leia mais
Por uma educação de qualidade para o Brasil
set10
Leia mais
Luciano Huck visita a OC
set05

Luciano Huck visita a OC

Leia mais
Olimpíadas do Conhecimento: luzes no início do túnel
set05

Olimpíadas do Conhecimento: luzes no início do túnel

Sexta-feira, 5 de setembro de 2014 às 11h56 A Olimpíada do Conhecimento é uma competição bienal em que estudantes de cursos do SENAI e do SENAC mostram suas habilidades e os conhecimentos técnicos exigidos para o desempenho de atividades na indústria, comércio e setor de serviços. Gerson Soares Com o advento da gradativa industrialização do país no século XX, principalmente na região Sudeste, foi criado em 1938 o Conselho Nacional da Indústria (CNI) e a partir dele nasceram o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI) no ano de 1942, Serviço Social da Indústria (SESI) em 1946 e mais recentemente foi fundado o Instituto Euvaldo Lodi (IEL) – que atua no aperfeiçoamento da gestão, capacitação empresarial e desenvolvimento de carreira.       Exercendo suas influências em diversos setores, o CNI e seus aliados buscam o fortalecimento e a modernização do setor produtivo, fomentam pesquisas, promovem ações sociais, esportivas e investem na formação dos trabalhadores da indústria, mas sua visão se espalha por diversas áreas do conhecimento, consequentemente iluminando as mentes jovens no caminho da realização e autoestima. Na liderança pela melhoria e fornecimento de mão de obra qualificada para a indústria, esse conjunto de entidades também participa do setor de robótica, que nesta semana faz parte da Olimpíada do Conhecimento, uma iniciativa que só pode alegrar e trazer felicidade a todos que nela se integram. Voltando no tempo, com a chegada de D. João VI ao então Brasil colônia em 1808, a indústria teve lançada nas terras brasileiras suas sementes férteis. Porém, ficaram adormecidas durante a maior parte do século XIX, ficando à margem, acompanhando distante e tardiamente a Revolução Industrial que ocorria na Europa desde 1760 – transformando e remexendo as entranhas do saber até 1840 aproximadamente, derrubando mitos, trazendo à tona invenções e descobertas que de fato mudariam os valores da humanidade, alastrando-se até o início do século XX. No Brasil, a revolução industrial ocorreu por volta de 1930 e se firmou anos depois. Foi um período conturbado, de revoluções e guerras mundiais e um passo muito importante foi o desenvolvimento da mão de obra para que a máquina industrial brasileira tivesse força para progredir. Nesse ponto é que os CNI e CNC, com seus ramificações, surgem para impulsioná-la. Com os mesmos objetivos do CNI, porém voltados ao comércio advém a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), órgão reconhecido oficialmente a partir de 1945. A ele estão unidos o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) em 1946 e a seguir o Serviço Social do Comércio (SESC). Segundo a instituição “essas entidades formam, hoje, um dos maiores sistemas de desenvolvimento social de todo o...

Leia mais
Indústria do futuro
set05

Indústria do futuro

Leia mais
Segundo dia de competições tem 30% das provas concluídas
set05
Leia mais
Leitura e escrita na internet: convivendo com a hipertextualidade
set02

Leitura e escrita na internet: convivendo com a hipertextualidade

Terça-feira, 2 de setembro de 2014 às 15h22 Instituto Ayrton Senna Por Jaqueline Souza dos Santos Silva *Graduada em Letras (2007) e especialista em Métodos e Tecnologias para o ensino de língua e literatura (2008) ambos pelas Faculdades Integradas da Vitória de Santo Antão; Mestranda Profletras/UEPB; Professora da Rede pública de ensino de Pernambuco. Introdução A tecnologia tem transformado a sociedade em todos os âmbitos. Seja no setor econômico, político, social ou educacional, ela se expande rapidamente, trazendo benefícios e eficiência. Mas, muitas pessoas ainda resistem ao seu impacto por falta de acessibilidade, devido à baixa condição financeira, ou mesmo por “tecnofobia”, resultando em uma não capacidade de renovar as condições de vida. Apesar das grandes revoluções causadas pelas Tecnologias da Comunicação e Informação (doravante TICs) na sociedade ainda é possível encontrar no ambiente escolar o tradicionalismo pedagógico: professor expõe, aluno assimila os conteúdos. Insiste-se no ensino como depósito de saberes em que o aluno não passa de mero receptor de conhecimentos, uma conta bancária (Freire, 1997), enquanto a sociedade requer um sujeito apto a agir com autonomia e que tenha habilidades letradas cada vez mais amplas. Mesmo diante de um quadro educacional propenso à pedagogia tradicional, há profissionais que já utilizam as TICs em sala de aula, principalmente o computador e a internet. Diante disso, um aspecto que deve ser observado quanto à implantação das tecnologias na educação: o conhecimento técnico e o pedagógico não devem acontecer separadamente (Valente, 2005). É ilógico pensar em ser primeiro um especialista em informática ou em mídia digital para depois tirar proveito desse conhecimento nas atividades pedagógicas. Há consistência didático-pedagógica quando esses conhecimentos crescem simultaneamente, um demandando novas ideias ao outro, pois dominar as técnicas é uma necessidade do fazer pedagógico. Sabendo utilizar a tecnologia com eficácia, o professor poderá conduzir seu aluno a refletir, aprender a pesquisar, comparar, depurar, formar ideias, discuti-las com seu grupo, enfim, questionar o próprio conhecimento (PCN+, Ensino Médio, 2002, p. 208), e, além disso, proporcionar o conhecimento tecnológico tão eminente no mundo do trabalho que futuramente o aprendiz terá de enfrentar. A matéria pedagógica completa pode ser lida no site do Instituto Ayrton Senna, aonde os interessados encontrarão amplo material. Clique no link abaixo: Leitura e escrita na internet: Convivendo com a...

Leia mais
Reitor da USP não comparece a encontro na ALESP
ago28

Reitor da USP não comparece a encontro na ALESP

Quinta-feira, 28 de agosto de 2014 às 19h29 Comissão de Educação e Cultura reúne-se com trabalhadores das universidades públicas. Convocado, reitor da USP não compareceu. Por Keiko Bailone Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo – Sem a presença do reitor da USP, Marco Antonio Zago, que se ausentou mesmo tendo sido formalmente convocado, o presidente da Comissão de Educação e Cultura (CEC), deputado Carlos Neder (PT), decidiu, com o deputado Carlos Giannazi (PSOL), realizar a reunião em caráter informal nesta quarta-feira, 27/8. O encontro serviu para que representantes de associações professores, alunos e funcionários da USP, Unesp e Unicamp justificassem suas reivindicações no que se refere à crise financeira, a greve e a desvinculação do Hospital Universitário (HU) da Universidade de São Paulo.   Antes de começar a reunião, Neder leu ofício enviado pelo reitor Marco Antonio Zago, justificando sua ausência: “reunião agendada para a mesma data, para discutir a recomposição orçamentária da USP e a questão salarial com o Sindicato dos Trabalhadores da USP (Sintusp)”. Nesse mesmo ofício, o reitor propõe que a reunião seja reagendada para o dia 10/9, às 14 horas. O deputado Carlos Giannazi informou que dava entrada, naquele momento, a duas representações contra o reitor, por crime de responsabilidade e desobediência. A primeira foi endereçada ao Ministério Público e a segunda protocolada junto à Assembleia Legislativa. Argumentou que não fora a primeira vez que parlamentares do Legislativo paulista haviam sido tratados com desprezo por Zago e denunciou a construção de um prédio nas imediações da avenida Paulista, no valor de 71 milhões de reais. “Estão sendo construídos para abrigar os órgãos centrais da reitoria, que deveriam estar na USP”, destacou. A deputada Sara Munhoz, do PCdoB, manifestou-se, em nome das enfermeiras, contra a desvinculação do Hospital Universitário da Universidade de São Paulo.     Reivindicações do Fórum das Seis Francisco Miraglia, presidente da Associação dos Docentes da USP (Adusp) apresentou as propostas do Fórum das Seis, entidade que congrega funcionários, professores e estudantes das três universidades públicas. Destacou a necessidade de um repasse emergencial de R$ 600 milhões para socorrer a USP, Unesp e Unicamp, montante esse que evitaria o plano de demissões voluntárias oferecido por Zago, “para arrecadar R$ 400 milhões”. Criticou o arrocho salarial e o desconto de 1% do repasse destinado às universidades para a habitação, e reivindicou o aumento do percentual de 9,57% da arrecadação do ICMS, face à expansão das três universidades públicas do Estado. Essa foi também a tônica dos outros participantes da Mesa, João Paulo, coordenador do Fórum Estadual da Educação; João Chaves, presidente da Associação dos Docentes da Unesp (Adunesp); e Paulo Cesar Centoducatte, presidente...

Leia mais
HU pode ser desvinculado da USP
ago22

HU pode ser desvinculado da USP

Sexta-feira, 22 de agosto de 2014 às 17h28 A USP vive momentos difíceis e a notícia divulgada agora pouco pela assessoria do Hospital Universitário e mais um fator de agravamento da crise na ainda mais prestigiada universidade do país. No entanto, devido aos inúmeros conflitos, já perdeu várias posições no ranking das instituições de ensino internacionais. Leia abaixo, a nota enviada à imprensa. Desvinculação do Hospital Universitário da USP: risco de um erro irreparável que merece uma pausa para reflexão. No momento em que se discute a crise orçamentária da USP, o Hospital Universitário da USP está sob a mira da sua desvinculação da Universidade, sem a devida análise e considerações de seus valores e missão.       Desde 1989, ano em que a USP conquistou a autonomia universitária, o Hospital Universitário da USP recebe 8% da verba destinada a Universidade de São Paulo proveniente do Governo do Estado, valor relativo que não foi modificado ao longo desses 25 anos (7.9% em 2013). Mudanças expressivas ocorreram sim, como o aumento do interesse no HU-USP como cenário para o ensino, assistência e pesquisa no âmbito de um hospital secundário, acompanhando o crescimento da Universidade. O Hospital das Clínicas, que outrora fora o único hospital escola da FMUSP, progressivamente foi cedendo lugar e dividindo a carga didática com o HU-USP, ficando o HC com a especialização médica enquanto o HU-USP com o ensino das áreas básicas da medicina. Atualmente o HU-USP é utilizado como plataforma de ensino para sete unidades da USP ministrarem seus cursos de graduação, pós-graduação e aperfeiçoamento, além de receber alunos estrangeiros através dos Programas de Cooperação Internacional. Uma característica diferencial do Hospital é possibilitar o ensino baseado numa abordagem multidisciplinar integrando todas as áreas da saúde num mesmo ambiente, proporcionando a integralidade da assistência e do ensino da mesma nesses moldes. O HU-USP recebe anualmente 2.430 alunos entre graduandos e pós-graduandos que tem sua formação conduzida por profissionais de alta qualidade, dos quais mais de 50% possuem titulação acadêmica (mestrado, doutorado e livre-docência), que atuam como professores, além de praticar assistência e pesquisa, possibilitando aproximação entre a teoria e prática. A título de exemplo, dentro do currículo do Curso de Graduação de Medicina 40% do estágio hospitalar é realizado no Hospital Universitário da USP, perfazendo o numero 332.070 horas/aulas por ano. A Escola de Enfermagem da USP mantém anualmente mais de 250 alunos realizando estágios na dependência do Hospital Universitário da USP que chegam a permanecer no campus 70% de sua carga horária. A pós-graduação conta com 4 programas de Residência de Enfermagem, onde são realizadas 8.448 horas/mês de estágio prático clínico. Na avaliação de 98%...

Leia mais
A ortografia volta à discussão
ago19

A ortografia volta à discussão

Terça-feira, 19 de agosto de 2014 às 15h37   Acordo ortográfico será discutido em audiências públicas e poderá levar a novas alterações. O professor Ernani Pimentel, idealizador do projeto Simplificando a Ortografia, é um dos coordenadores do grupo de trabalho criado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) para discutir o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ele pretende ampliar a discussão sobre a Língua Portuguesa e levar além do estágio atual as transformações no idioma. Segundo sua avaliação, o acordo ortográfico precisa ser repensado. O professor Ernani Pimentel, idealizador do projeto Simplificando a Ortografia, é um dos coordenadores do grupo de trabalho criado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) para discutir o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa. Ele pretende ampliar a discussão sobre a Língua Portuguesa e levar além do estágio atual as transformações no idioma. Segundo sua avaliação, o acordo ortográfico precisa ser repensado. “O acordo foi concebido em 1970, assinado em 1990 e promulgado em 2008. Já nasceu defasado”, analisa ele. O objetivo final do ciclo de debates, explica o professor, é levar propostas a respeito do acordo para exposição no Seminário Internacional Linguístico-Ortográfico da Língua Portuguesa, que será realizado em Brasília no mês de setembro. No evento, as melhores ideias serão selecionadas pelos participantes, que são especialistas e profissionais da Língua Portuguesa. Depois disso, audiências públicas amplificariam o assunto. Na visão de Pimentel, o que está em jogo é o próprio ensino da língua. “O acordo mantém regras que estão dissociadas da didática moderna. É tão cheio de incoerências que nenhum professor em sã consciência pode dizer que o entende completamente”, critica. Sua intenção, expressa no nome de seu projeto, é simplificar normas ortográficas. Ele acredita que muitas são mantidas por motivos que não fariam mais sentido. “A grafia de certas palavras só tem explicação pela etimologia. Mas ninguém se preocupa mais em saber a origem das palavras. Então temos regras inaplicáveis, que não são práticas. Podemos eliminar algumas delas e facilitar o aprendizado”. Por outro lado, o linguista Carlos Alberto Faraco, da Associação Brasileira de Linguística (Abralin), acredita que o país já está bem organizado em torno da proposta original do acordo e não vê razão para que se reabra a discussão da ortografia. “No momento, é absolutamente prioritário o fechamento do círculo do acordo, que veio não para reformar a ortografia, mas apenas para dissolver a dualidade de ortografias oficiais que estavam criando constrangimentos à internacionalização da nossa língua”, opina ele. Faraco acredita que o Brasil já está pronto para adotar definitivamente as normas do acordo ortográfico de forma exclusiva, o que só está previsto para acontecer em 2016. Atualmente, vive-se...

Leia mais
A expressão gráfica na educação
ago15

A expressão gráfica na educação

Sexta-feira, 15 de agosto de 2014 às 18h16   Instituto Ayrton Senna Eixo Temático: Educação e Tecnologia Por Simone da Silva Soria Medina, Ana Maria Petritis Liblik e Keilla Cristina Arsie Comunicadores e educadores têm realizado estudos e pesquisas relacionados ao uso da imagem como forma de expressão e consequentemente de comunicação. É neste sentido que apresentamos este artigo, que relaciona a Expressão Gráfica com o processo de ensino e aprendizado, pois as representações pictóricas (desenhos, fotografias, histórias em quadrinhos, esquemas, gráficos, entre outras) se constituem em eficientes formas de comunicação, estando presentes no dia a dia dos alunos, em suas mais diversas formas de manifestação, principalmente na televisão, na mídia e no cinema. Tais representações podem, e devem, se tornar aliadas do processo de ensino, facilitando o aprendizado. Independente do conteúdo a ser trabalhado, a imagem se mostra útil, pois ela favorece a geração do conhecimento por intermédio de um modelo mental mais fiel à realidade, permitindo uma interação com outros temas e disciplinas. A utilização de imagens no ensino formal não é um tema recente, pois Comênio, ainda no século XVII, já mostrava ao mundo as potencialidades da Expressão Gráfica como uma eficiente forma de comunicação no sistema educacional. Neste artigo salientamos a necessidade do uso da Expressão Gráfica na Educação, porém queremos também, deixar claro que devemos usá-la com responsabilidade, pois as representações gráficas necessitam de leitura e interpretação apropriadas: elas sozinhas não transmitem o conhecimento de forma plena. Ao falar de leitura e interpretação de imagens, estamos falando de alfabetização visual, tema este que deve ser abordado nos cursos de licenciatura, de modo a preparar nossos professores a esta tarefa, pois precisamos entender as diferentes formas de comunicação, como ter acesso ao conhecimento e como produzi-lo.   Leia a matéria completa Educação e Tecnologia | Instituto Ayrton...

Leia mais
Entrevista IAS:  Ana Maria Torres Alvarez
ago05
Leia mais
Cursinho do CRUSP 2014
ago02

Cursinho do CRUSP 2014

Leia mais
Campanha leva conhecimentos de genética ao metrô
jul30

Campanha leva conhecimentos de genética ao metrô

Quarta-feira, 30 de julho de 2014 às 19h18 Breno França, do USP Online Uma iniciativa do Instituto de Biociências (IB) da USP vai levar conhecimento científico sobre genética aos paulistanos que usam o metrô e também aos estudantes de Ensino Médio de todo o Estado de São Paulo. O Centro de Pesquisa sobre Genoma Humano e Células-Tronco, um dos Centros de Pesquisa Inovação e Difusão (Cepid) ligados à Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), criou cartazes e um hot site para divulgar a campanha “Semelhantes, mas diferentes”, dentro do Projeto Semear Ciência. A intenção dos organizadores é despertar a curiosidade do público para os assuntos ligados à genética, dando conta de uma de suas missões, que é a difusão do conhecimento. “Os centros de pesquisa da Fapesp têm que cumprir três funções: ‘pesquisa’, ‘transferência de tecnologia’ e ‘educação e difusão’. Dentro desses pilares, surgiu a ideia de levar um pouco dos conhecimentos científicos de genética para a população em geral”, conta a professora Eliana Dessen, uma das criadoras do projeto. A campanha alerta as pessoas sobre a semelhança genética que outros seres vivos guardam com o ser humano, reafirmando a teoria da evolução das espécies concebida por Charles Darwin, ainda no século 19. A professora revela que no início a ideia era fazer uma exposição no metrô. Uma exposição com painéis maiores em uma única estação. “Depois, nós pensamos na possibilidade de fazer os painéis menores que podem ser distribuídos e expostos em diversos locais”, conta. Ao todo serão cerca de 200 cartazes espalhados no metrô de São Paulo, expostos de agosto a setembro deste ano. Além disso, as peças também serão colocadas em terminais de ônibus e possivelmente dentro dos coletivos, atingindo ainda mais pessoas. Apesar da intenção inicial ser alcançar os usuários do transporte público paulistano, “a ideia evoluiu” e se ampliou para atender às escolas públicas do estado. A equipe entrou em contato com a Secretaria de Educação e os cartazes também serão distribuídos para as 3775 escolas de Ensino Médio localizadas em São Paulo. Além dos cartazes informativos, o programa também prevê uma vídeo-conferência que vai orientar os professores sobre como abordar o assunto na sala de aula. Uma vídeo-conferência está marcada para o dia 8 de agosto com os 91 professores coordenadores de núcleos pedagógicos do estado. Eles vão receber orientações, conhecer os cartazes, o hot site e entre outras informações. “A partir disso, estarão capacitados para orientar os respectivos professores”, projeta Eliana. Divulgação Depois de seis meses de trabalho, desde a concepção da ideia até a elaboração dos cartazes, a iniciativa agora se encaminha para a fase final...

Leia mais
Biblioteca Cassiano Ricardo no Tatuapé
jul29

Biblioteca Cassiano Ricardo no Tatuapé

Terça-feira, 29 de julho de 2014 às 17h19 PROGRAMAÇÃO CULTURAL ESPAÇO ITAMAR ASSUMPÇÃO CIRCUITO DE MÚSICA Ricardo Vignini e Índio Cachoeira “Viola caipira duas gerações” Ricardo Vignini é um dos violeiros mais atuantes do Brasil, produtor e pesquisador de cultura popular do sudeste. José Pereira de Souza, o Índio Cachoeira, já gravou com inúmeras duplas e é considerado um virtuose da viola. Juntos, realizaram dezenas de apresentações pelo País e lançaram o CD “Viola Caipira Duas gerações”. Dia 8 de agosto às 18h MÚSICA PARA TODOS Realização dos Coletivos T.D.V, artistas e articuladores culturais contemplados com o Prêmio Funarte de Música Brasileira 2012. Arquitetura musical com Rui Barossi A oficina pretende apresentar aos espectadores um breve insight a respeito de algumas formas usadas na música popular ocidental. Pequenos conhecimentos de como a música popular é estruturada – suas divisões de partes, recorrências, chorus de improvisação, etc – podem tornar a fruição do espectador muito mais plena, complexa e portanto, interessante. Com linguagem simples acessível para leigos, o oficineiro vai destrinchar os conceitos básicos dos mecanismos de estruturação musical – de como a música pode ser arquitetada, – e de como nós, como espectadores, podemos participar dessa arquitetura simplesmente por reconhecer certos padrões dessa estrutura, a partir de seus arranjos e de outros músicos conhecidos. Dia 30 de agosto às 14h MEDIAÇÃO DE LEITURA Funcionários da Biblioteca propõem um contato lúdico entre leitores de todas as idades e os livros, com a intenção de despertar o interesse e o hábito da leitura. Tarde entre Livros com Camila Vieira Braido e Odenir Vinhato. Livre. Dia 30 de julho às 15h Dias 6, 13, 20 e 27 de agosto às 15h PROGRAMA VOCACIONAL MÚSICA Realizado pelo DEC – Departamento de Expansão Cultural da Secretaria de Cultura em diversos espaços públicos, o Programa Vocacional é aberto a maiores de 14 anos. Turma 1: às quartas-feiras das 14h às 17h Turma 2: aos sábados das 13h às 16h CURSOS Violão popular com Anita Deixler Esse horário será dedicado para pessoas que já sabem tocar o instrumento e que desejam se aperfeiçoar ou retomar a prática. A cada semana será trabalhada uma canção da música popular brasileira. Para maiores de 14 anos. 15 vagas, inscrições na Biblioteca ou através do email:bmcassianoricardo@yahoo.com.br   Dia 7 de agosto às 17h30 Canto para contadores de histórias com Anita Deixler Encontro semanal tendo em foco uma consciência vocal e a melhoria da técnica vocal através do canto. Os encontros serão em grupo, mas com acompanhamento individual. Adulto. 15 vagas, inscrições na Biblioteca ou através do email: bmcassianoricardo@yahoo.com.br Dia 7 de agosto às 19h30   Camila Vieira Braido Coordenadora Biblioteca Pública Cassiano...

Leia mais
Você pode conseguir uma vaga grátis no Senac
jul28
Leia mais
Justiça autoriza reabertura da USP Leste
jul23

Justiça autoriza reabertura da USP Leste

Quarta-feira, 23 de julho de 2014 às 17h35 – atualizado às 20h11   Fernanda Cruz – Repórter da Agência Brasil Edição: Valéria Aguiar A Justiça de São Paulo autorizou a reabertura do campus da Universidade de São Paulo na zona leste da capital paulista (USP Leste). O local estava interditado desde 9 de janeiro, após a constatação da presença de gás metano – altamente inflamável – proveniente dos dejetos depositados no terreno resultantes da dragagem feita no Rio Tietê.     A decisão da Justiça se baseou no parecer técnico elaborado pela Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), o qual concluiu que “os gases presentes no subsolo, notadamente o metano, não impõem um risco iminente à segurança dos usuários do campus”. O órgão alertou, porém, que há risco no local que demandará “a manutenção e o aperfeiçoamento das medidas de intervenção que estão em curso”. A Cetesb exige que a USP faça uma medição semanal de metano nos poços de monitoramento de gases instalados no interior das edificações, mantenha o monitoramento semanal dos níveis de inflamabilidade em todos os ralos, grelhas, fissuras e ambientes confinados, e implante medidas de redução de ruído no sistema de exaustão de gases instalados. A reitoria da universidade informou, por meio de nota, que trabalha ativamente para atender às exigências técnicas e legais dos órgãos competentes de forma a garantir o retorno, com segurança, da comunidade universitária ao campus da USP Leste. “Importante ressaltar que medidas continuarão em andamento para resolver o passivo ambiental, de modo a fazer da USP Leste um modelo de ocupação segura e sustentável, em uma área que estaria, de outro modo, inutilizada para ocupação humana”, diz a nota. Segundo a assessoria de imprensa da unidade, que tem cerca de 6 mil alunos e 270 professores, ainda não há previsão de data para o reinício das atividades e das aulas no campus.   Saiba mais O que diz a Cetesb Nota da USP-Leste sobre a liberação do Campus  ...

Leia mais
USP Leste divulga nota sobre liberação do Campus
jul23

USP Leste divulga nota sobre liberação do Campus

Quarta-feira, 23 de julho de 2014 às 20h06   Nota do reitor Marco Antonio Zago sobre a liberação da área da USP Leste Desde o início da nossa gestão, temos trabalhado ativamente para atender às exigências técnicas e legais dos órgãos competentes, de forma a garantir o retorno, com segurança, da comunidade universitária ao campus da USP Leste. Dessa forma, a liberação da área por parte da Justiça, deliberada no dia de hoje, representa importante vitória para a Universidade, muito esperada pelos cinco mil estudantes, 260 docentes e 200 servidores que compõem a EACH. Nosso empenho em relação à EACH, no entanto, não se encerra aqui. Nossa atenção principal, a partir de agora, é garantir o retorno à normalidade das aulas de graduação e de pós-graduação, das atividades de pesquisa, de cultura e de extensão universitária e dos serviços técnico-administrativos. Importante ressaltar que medidas continuarão em andamento para resolver o passivo ambiental, de modo a fazer do campus da USP Leste um modelo de ocupação segura e sustentável, em uma área que estaria, de outro modo, inutilizada para ocupação humana. O segundo aspecto é trabalhar em longo prazo, com todos os docentes, alunos e servidores da USP Leste, para fortalecê-la como uma Unidade de Ensino e Pesquisa de grande projeção dentro da Universidade, e que sirva ao mesmo tempo de instrumento de interação da Instituição com essa importante região da cidade. Marco Antonio Zago, reitor da...

Leia mais
Após inspeção, Cetesb conclui que campus da USP Leste pode ser reaberto
jul23

Após inspeção, Cetesb conclui que campus da USP Leste pode ser reaberto

Quarta-feira, 23 de julho de 2014 às 20h Elaine Patricia Cruz – Repórter da Agência Brasil Edição: Juliana Andrade Após inspeção feita este mês na área contaminada no campus da Universidade de São Paulo na zona leste da capital paulista (USP Leste), a Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb) encaminhou ofício hoje (22) à Promotoria de Justiça do Meio Ambiente para informar que a interdição do local já pode ser suspensa, ou seja, o campus pode ser reaberto.   Parecer técnico elaborado pela Cetesb, entregue também à direção da USP Leste, concluiu que “os gases presentes no subsolo, notadamente o metano, não impõem um risco iminente à segurança dos usuários do campus”. Apesar disso, alertou o órgão, ainda há risco no local, o que demandará “a manutenção e o aperfeiçoamento das medidas de intervenção que estão em curso”. A unidade, que tem cerca de 6 mil alunos e 270 professores, está interditada desde 9 de janeiro pela Justiça, que considerou que a continuidade das atividades traz riscos à integridade física dos estudantes e funcionários. O terreno onde funciona a Escola de Artes, Ciências e Humanidades foi usado como depósito de dejetos resultantes da dragagem do Rio Tietê. Além de parte da área estar contaminada por substâncias tóxicas, existe acúmulo de gás metano no subsolo. Uma das condições impostas para a liberação do campus é que seja finalizada a instalação de equipamentos necessários para o funcionamento do sistema de exaustão de gases, que já foi implantado e está em operação em praticamente todos os edifícios da unidade. Segundo a Cetesb, falta apenas a implantação desse sistema no edifício I-1 e no ginásio. Outra medida importante, informou a Cetesb, é o isolamento da área onde foi depositado, em 2011, material contaminado com bifenilas policloradas (PCB). “A direção da unidade já providenciou esse isolamento com tapumes e cobriu o terreno com grama. A Cetesb concedeu prazo de 90 dias para que seja providenciado estudo mais detalhado desse local, visando à delimitação desse solo contaminado e, a partir dos resultados encontrados, realizar avaliação de risco”, informou o órgão. O parecer técnico da Cetesb também exige que a USP faça uma medição semanal de metano nos poços de monitoramento de gases instalados no interior das edificações, mantenha o monitoramento semanal dos níveis de inflamabilidade em todos os ralos, grelhas, fissuras e ambientes confinados e implante medidas de redução de ruído no sistema de exaustão de gases instalados. Por meio de nota à imprensa, a USP informou que a decisão para a reabertura do campus cabe à Justiça, que interditou a área. “Nesse sentido, a universidade aguarda a decisão dessa...

Leia mais
Educação e sustentabilidade no Senac Penha
jul22

Educação e sustentabilidade no Senac Penha

Terça-feira, 22 de julho de 2014 às 17h35   Sala de Educadores 2014 recebe Simone Oliveira para palestra no Senac Penha Gestora de projetos de sustentabilidade corporativa e organizacional, a psicopedagoga falará sobre integração física social e afetiva O futuro da educação, processos inovadores nas salas de aula e quais os caminhos a serem trilhados para alcançar a educação que queremos, são os temas da Sala de Educadores 2014. No dia 28 de julho, o Senac Penha recebe Simone Mello de Oliveira, ministrando a palestra: Do saber ao Ser Sustentável: para todos gostarem da escola. A psicopedagoga irá propor uma reflexão entre o físico, social e efetivo do ambiente escolar, colocando as instituições de ensino como um espaço de integração entre estas três frentes. O Senac realiza o evento com o objetivo de promover a reflexão sobre temas da área de educação a fim de contribuir com o processo de formação de educadores para que possam atuar como agentes na geração do conhecimento e no desenvolvimento de uma sociedade mais equitativa. Este ano, serão debatidos assuntos relacionados a mediação de conflitos, educação inclusiva, desafios da atualidade, uso de recursos tecnológicos na educação, cultura de paz, entre outros. Docentes dos setores público e privado, diretores e coordenadores de ensino, estudantes e demais interessados na área são o público-alvo do evento que visa incentivar que eles atuem como agentes na geração do conhecimento e no desenvolvimento de uma sociedade mais justa e igualitária. “A cada edição novos temas são sugeridos pelos participantes para o ano seguinte. Isso mantém o evento atualizado e alinhado às expectativas do público”, explica Carolina Tiemi Sato, coordenadora da área de educação do Senac São Paulo. Com metodologia dinâmica e participativa, na Sala de Educadores o público é convidado a apresentar questões e contribuições, o que favorece o debate, o compartilhamento de ideias e o livre pensar. O evento é gratuito e as inscrições podem ser feitas em www.sp.senac.br, pelo telefone (11) 2135-0300 ou pessoalmente no Senac Penha. Serviço Sala de Educadores 2014 Evento gratuito Local: Senac Penha Endereço: Rua Francisco Coimbra, 403 – Penha Data: 28 de julho, das 19h30 às 22h30 Inscrições: em www.sp.senac.br, pelo telefone (11) 2135-0300 ou pessoalmente nas unidades...

Leia mais
MPF e MPEduc juntos em Juína
jul17

MPF e MPEduc juntos em Juína

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 10h39 MPF e MPE iniciam projeto pela melhoria na educação no município mato-grossense de Juína MPEduc – Duas escolas do município de Juína, distante 750 quilômetros de Cuiabá (MT), receberam a visita do projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc). Os trabalhos foram conduzidos pela procuradora da República Talita de Oliveira e pelo promotor de Justiça Thiago Scarpellini Vieira. Ao longo do dia 23 de maio, os membros do Ministério Público conversaram com a direção e a coordenação da Escola Municipal Padre Anchieta e da Escola Estadual 9 de Maio para apresentar o projeto em prol da melhoria da educação pública.     “O MPEduc é um projeto que reúne dois ramos do Ministério Público, o Federal e o Estadual, para dialogar com toda a comunidade escolar, diretores, pais e alunos, identificar os problemas, as deficiências existentes e exigir melhorias para a educação pública. É nesse momento que o Ministério Público utilizará das ferramentas de atuação que dispõe para cobrar das secretarias municipais ou estaduais e do Governo Federal providências para que o direito à educação pública de qualidade seja, de fato, garantido aos estudantes”, explicou a procuradora da República Talita de Oliveira. O primeiro local visitado em Juína foi a Escola Municipal Padre José de Anchieta. Fundada há 21 anos, em 1998, a escola tem 300 alunos matriculados do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental, abrigados em uma estrutura de 12 salas de aula, além de refeitório, quadra poliesportiva, biblioteca, salas de professores e outras dependências de uso comum. Grande parte da escola é feita numa base de alvenaria de cerca de um metro de altura e o restante de madeira, que é bastante utilizada no município por ser uma região madeireira. As paredes e o telhado dão sinais de que precisam de manutenção. Na reunião com os membros do MP, a direção e professores da escola relataram a dificuldade para cumprir a carga horária obrigatória imposta a partir da mudança para o período integral. “A obrigatoriedade de inserir novas matérias e atividades na grade curricular não veio acompanhada de recursos, instrução e nem de capacitação adequada aos professores”, relatou a direção da escola. Um exemplo é a precariedade dos banheiros para atender os alunos que precisam tomar banho na escola. Para atender os 300 alunos, cada banheiro tem apenas cinco duchas plásticas. O piso irregular que empossa a água e um ralo pequeno não dão conta de escoar o volume de água. Por causa do banheiro alagado, alunos deixam de tomar banho. Outro problema é a falta de cobertura na área de recreação onde estão os balanços e outros brinquedos para...

Leia mais
MPEduc é vencedor do II Prêmio da República
jul17

MPEduc é vencedor do II Prêmio da República

Quinta-feira, 17 de julho de 2014 às 10h55 O projeto Ministério Público Pela Educação (MPEduc) é vencedor da 2ª edição do Prêmio República de Valorização do Ministério Público Federal, promovido pela Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR). O projeto concorreu com outras oito iniciativas na categoria direitos do cidadão.     A cerimônia de premiação ocorreu na Sala Juca Chaves do Centro de Eventos e Convenções Brasil 21, em Brasília (DF), em 3 de junho. Foram escolhidas sete ações que se destacaram em cada categoria na defesa da justiça, da cidadania, dos direitos humanos e do estado democrático de direito. Na ocasião, o presidente da ANPR, Alexandre Camanho, destacou a qualidade das iniciativas enviadas pelos colegas e revelou que isso dificultou, de certa forma, o trabalho dos jurados na decisão. O prêmio foi recebido pelo procurador da República em Volta Redonda (RJ) Eduardo El Hage, que inscreveu o projeto para concorrer ao prêmio. MPEduc O Ministério Público pela Educação é um projeto desenvolvido para ser executado em conjunto entre o Ministério Público Federal e o Ministério Público dos Estados, tendo como característica marcante a intenção de estabelecer o Direito à Educação Básica de qualidade como tema prioritário na atuação dos Procuradores da República e Promotores de Justiça. Por meio de um site desenvolvido exclusivamente para esse fim, dados das escolas públicas são colhidos e, de posse desse diagnóstico, providências extrajudiciais são tomadas com o intuito de, em parceria com o gestor publico, implementar melhorias nas políticas públicas na área da educação.     Escolha dos vencedores – Compuseram a Comissão Julgadora o presidente da ANPR, Alexandre Camanho; o diretor de Comunicação da Associação, Alan Mansur; o procurador-geral da República, Rodrigo Janot; a fundadora da organização Escola de Gente, Cláudia Werneck; o secretário de Reforma do Judiciário, Flávio Crocce Caetano; o ministro do Superior Tribunal de Justiça Herman Benjamin; e o senador Vital do Rêgo...

Leia mais
A boa educação está no professor
jul01

A boa educação está no professor

Terça-feira, 1º de julho de 2014 às 19h01   Tom Coelho Vejo com preocupação como as famílias têm terceirizado a educação à escola, com reduzida participação no processo construtivo dos próprios filhos. A extinção de diversas disciplinas como Educação Moral e Cívica e OSPB fez com que os jovens de hoje não tenham conhecimento da história de seu país e noções básicas de cidadania. A aprovação automática, por sua vez, tem gerado analfabetos funcionais, graças à opção da educação pública em privilegiar a quantidade em detrimento da qualidade do ensino. Este é o mundo em que vivemos hoje, caracterizado pela família nuclear, onde pai e mãe trabalham fora. Um mundo em crise de valores, sem fronteiras, acessível à velocidade de um clique, que estimula o individualismo e o egoísmo. Uma sociedade de consumo, viciada em tecnologia e relações virtuais, reality shows e exposição de perfis projetados em redes sociais, em busca de inserção, reconhecimento e aprovação. Em lugar de evoluir, estamos regredindo no que concerne ao convívio social. Motoristas que trafegam pelo acostamento e motociclistas que propositadamente avariam espelhos retrovisores. Pessoas que utilizam vagas destinadas a deficientes quando sua única necessidade especial é demonstrar esperteza e ganhar alguns minutos. Pichadores que danificam patrimônio público e privado como se estivessem produzindo obras de arte. Trabalhadores que apresentam falsos atestados médicos. Pessoas queimadas em praças públicas, decapitadas em celas, agredidas em virtude de sua orientação sexual. Torcidas que se digladiam nas ruas e em estádios de futebol. Crimes do colarinho branco. Exemplos de falta de escrúpulo, intolerância e desrespeito aos direitos do outro.     Temos que nos adaptar a isso e a escola precisa avançar neste sentido, elevando o nível de ensino ao mesmo tempo em que cobra maior participação dos pais. Ademais, vale ressaltar que não é tijolo que educa. Escolas podem ser reformadas e ampliadas, quadras poliesportivas construídas, computadores de última geração instalados, e ainda assim a qualidade de ensino continuar sofrível porque a chave para a boa educação está no professor. Em meio a este cenário o Instituto Ayrton Senna surge como um oásis, promovendo e praticando a educação, a cidadania, o respeito e a dignidade. Fonte: Instituto Ayrton...

Leia mais
Mais 100 mil bolsas para o Ciência sem Fronteiras, anuncia Dilma
jun26

Mais 100 mil bolsas para o Ciência sem Fronteiras, anuncia Dilma

Quinta-feira, 26 de junho de 2014 às 8h07   Com informações da Agência Brasil e Portal Brasil Edição: Alô São Paulo “Já concedemos 83.200 bolsas e vamos atingir a meta de 101 até setembro”, disse ontem (25) a presidente Dilma Roussef, com relação à primeira etapa do programa, durante o lançamento da segunda etapa do Ciência sem Fronteiras. De acordo com o anúncio feito nesta quarta-feira, nova meta – a ser atingida entre 2015 e 2018 – deve oferecer mais 100 mil bolsas. Em cerimônia realizada no Palácio do Planalto, em Brasília, estiveram reunidos autoridades e o ministro da Educação Henrique Paim, para divulgar a expansão do Programa. A meta desta nova fase é oferecer mais 100 mil bolsas a estudantes de diversas universidades do país em graduação e pós-graduação. Lançado em 2011, o programa tinha por meta a concessão de 101 mil bolsas – 75 mil bancadas pelo setor público e 26 mil por empresas privadas. Até o momento, foram efetivadas 83.184 bolsas e a primeira etapa deve ser completada até setembro deste ano, segundo informou a presidente Dilma. Ontem, foram assinadas 5,2 mil bolsas por empresas, das quais 5 mil pela Petrobras.     “O Ciência sem Fronteiras é um programa para gerar no Brasil uma política de inovação. Já concedemos 83.200 bolsas e vamos atingir a meta de 101 mil até setembro. Por isso, nós definimos essa nova fase com a concessão de bolsas para todos os jovens brasileiros que se classificarem a partir do processo de proficiência em alguma língua estrangeira”, afirmou Dilma Rousseff que também destacou as diversas áreas contempladas e a importância do programa. “O principal objetivo do programa é conceder bolsas para estudantes de engenharia, computação, tecnologia da informação e todas as demais áreas tecnológicas. As demais bolsas estão divididas entre as áreas biológicas, fármacos, biodiversidade e bioprospecção. As bolsas têm papel importante para estudantes de graduação. Eles voltam para o Brasil com nova perspectiva, e também com experiência muito significativa na relação professor-aluno”. Lembrando que o Ciência sem Fronteiras é uma das portas oferecidas pelo Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), enfatizou que é preciso ter atingido 600 pontos na avaliação para fazer jus à participação no programa governamental. Por sua vez, o ministro da educação, Henrique Paim, falou sobre a internacionalização de toda rede de ensino superior. “Desde sua implantação, conseguimos conceder bolsas de estudo para diversos cursos nas áreas de exatas e tecnológicas. Dentre elas 52% atende todas as engenharias.” Reforçando a participação do governo em parceria com a iniciativa privada, pretende avançar ainda mais. “Nossa meta é ainda maior, nós queremos oferecer 101 mil bolsas nas melhores universidades...

Leia mais
Educação – Ecologia da Floresta Amazônica
jun20

Educação – Ecologia da Floresta Amazônica

Sexta-feira, 20 de junho de 2014 às 6h02   Agência FAPESP – O Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais (PDBFF), uma cooperação entre o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e o Smithsonian Tropical Research Institute (STRI), promove entre 7 de outubro e 6 de novembro a 23ª edição do curso de campo intensivo Ecologia da Floresta Amazônica (EFA). O curso, que tem 20 vagas, pertence à grade curricular do Programa de Pós-graduação em Ecologia do Inpa e será realizado na região de Manaus. Serão destinadas outras seis vagas a alunos regulares do Inpa. A preferência é dada a alunos de mestrado, a mestres que ainda não entraram no doutorado e a doutorandos com até um ano de curso em Ecologia ou em áreas afins relacionadas a estudos ecológicos na região neotropical. As atividades incluem pesquisas diárias com etapas de planejamento, coleta e análise de dados e apresentação vespertina dos trabalhos. As noites serão aproveitadas para seminários, excursões noturnas e redação de relatórios científicos. O curso culmina com um projeto individual de pesquisa de sete dias em que cada aluno planeja e executa um estudo, sob a supervisão do corpo docente. As inscrições devem ser feitas pela internet até 1º de julho. Mais informações:...

Leia mais
Presente e futuro da bioenergia são temas de escola
jun10

Presente e futuro da bioenergia são temas de escola

Terça-feira, 10 de junho de 2014 às 14h24 – atualizado 15h06   Agência FAPESP – A Escola São Paulo de Ciência Avançada (ESPCA) sobre o Presente e o Futuro da Bioenergia será realizada na Faculdade de Engenharia Química (FEQ) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), de 10 a 17 de outubro. A Escola, realizada com apoio da FAPESP, oferece a oportunidade para que estudantes de graduação e pós-graduação, do Brasil e do exterior, assistam a exposições e debatam sobre perspectivas e avanços em bioenergia com pesquisadores renomados na área. São 120 vagas. Entre os benefícios aos selecionados estão passagens aéreas e diárias, na cidade que sediará a Escola, para manutenção dos estudantes selecionados que venham de outras cidades, estados e países. “The FAPESP Program in Bioenergy – BIOEN”, com Gláucia Mendes Souza (USP e BIOEN), “The new Ph.D. Program in Bioenergy – USP, Unicamp, Unesp”, com Carlos Alberto Labate (USP), “What is Bioenergy and What is not Bioenergy?”, com José Goldemberg (USP), serão alguns dos temas na Escola. Entre os professores de outros países confirmados estão Stenbjörn Styrin, da Universidade de Uppsala (Suécia), Rowan Sage, da Universidade de Toronto (Canadá), Mislav Oreb, da Universidade de Frankfurt (Alemanha), e Ton van Maris, da Universidade de Tecnologia de Delft (Holanda). As atividades serão realizadas na FEQ/Unicamp, localizada na Avenida Albert Einstein, 500, na Cidade Universitária Zeferino Vaz, em Campinas (SP). Mais informações e inscrições:...

Leia mais
Câmara aprova aumento para professores municipais que encerram greve
jun04

Câmara aprova aumento para professores municipais que encerram greve

4 de junho de 2014 às 8h47 A Câmara de São Paulo informa que foi aprovado, na noite desta terça-feira (3), o texto substitutivo ao Projeto de Lei 235/2014, que prevê um reajuste de 15,38% ao abono complementar dos professores da rede municipal. O aumento valerá para todos os servidores, inclusive aposentados e será incorporado aos salários.     A categoria, que compareceu ao Palácio Anchieta para acompanhar a votação, decidiu hoje pôr fim à greve que já durava 42 dias. O acordo com o governo se deu após o novo texto do PL prever que o bônus seja incorporado ao salário. O aumento começará a valer a partir do ano que vem e será incorporado em três datas. O primeiro reajuste, de 5,54%, será feito em 1º de maio de 2015; o segundo, de 3,74%, em 1º de maio de 2016 e o terceiro, de 5,39%, em 1º de novembro de 2016. Para o líder do governo, vereador Arselino Tatto (PT), “todo mundo saiu ganhando com o acordo. O governo, que sempre esteve aberto, entendeu que era possível atender às reivindicações. Então agora as crianças voltam a ter aula. Isso que é mais importante”. O PL teve 39 votos favoráveis e nenhum contrário. O texto será encaminhado para o prefeito Fernando Haddad (PT) e deverá ser sancionado até o final desta semana, segundo Tatto.   Mais notícias Outras notícias da CMSP publicadas hoje Vereadores debatem alargamentos de vias para ampliar corredores de ônibus Prefeito veta fim do rodízio em São...

Leia mais
MPEduc marca presença no Dia Internacional da Educação
abr28

MPEduc marca presença no Dia Internacional da Educação

O Dia Internacional da Educação, 28 de abril, está sendo marcado por atividades realizadas pelo Ministérios Públicos Federal e Estaduais, programadas no âmbito do projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc), lançado na Procuradoria-Geral da República no dia 8 de abril. A informação é do Ministério Público pela Educação, um projeto do Ministério Público Federal e dos ministérios públicos dos Estados, lançado na sede da Procuradoria Geral da República, em Brasília, no dia 8 deste mês. “O MPEduc é um projeto que busca encaminhar soluções para reparação de um dos mais graves problemas do país, a baixa qualidade no ensino público. Como almejar um crescimento sem oferecer educação básica qualificada? Essa é uma prioridade dos procuradores e promotores engajados no projeto,” declarou o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, na abertura do evento. Hoje, escolas públicas de ensino básico em vários municípios brasileiros receberam a visita do Ministério Público com o objetivo de averiguar a qualidade do ensino e as condições dessas escolas. As visitas, somadas a outras informações colhidas durante a execução do Projeto, permitirão aos promotores de Justiça e procuradores da República obterem um diagnóstico dos pontos críticos das redes escolares, para que as respectivas soluções sejam cobradas dos gestores públicos. Serão realizadas atividades nos estados do Acre, Alagoas, Amapá, Distrito Federal, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Minas Gerais, Pará, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rondônia, Roraima e Tocantins. Itens estruturais, pedagógicos, acessibilidade e inclusão, alimentação escolar e execução de programas federais serão verificados. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, visitou a E. M. Professora Helena Lopes Abranches: Rua Acapari, n° 495, Gardênia Azul, Jacarepaguá. “A busca de um serviço público de educação básica de qualidade deve ser prioridade para todas as instituições. O Ministério Público Brasileiro está mobilizado para que sejam obtidas melhorias desse direito fundamental”, afirma Janot. Itens estruturais, pedagógicos, acessibilidade e inclusão, alimentação escolar e execução de programas federais serão verificados. As visitas, somadas a outras informações colhidas durante a execução do projeto, permitirão aos promotores de Justiça e procuradores da República obterem um diagnóstico dos pontos críticos das redes escolares, para que as respectivas soluções sejam cobradas dos gestores públicos. “É importante que a sociedade civil, juntamente com o Ministério Público, una-se para que o Brasil possa avançar na educação. Nossas escolas estão pedindo socorro e não podemos mais fechar os olhos para essa demanda, pois essa responsabilidade é de todos nós “, alerta a procuradora da República no Rio de Janeiro, Maria Cristina Manella Cordeiro, coordenadora Nacional do MPEduc. Fotos: Tânia Rêgo / Agência Brasil   Saiba mais sobre o projeto  MPEduc marca presença no Dia Internacional da Educação Projeto Ministério Público pela Educação – MPEduc...

Leia mais
Projeto Ministério Público pela Educação – MPEduc
abr28

Projeto Ministério Público pela Educação – MPEduc

O projeto consiste em fazer um diagnóstico por meio de audiências públicas com a sociedade, visita às escolas e pela análise de questionários que são preenchidos no site do MPEduc pelos gestores dos municípios e dos estados, pelos diretores das escolas e pelos presidentes dos Conselhos de Alimentação Escolar (CAE) e de Acompanhamento do Fundeb (CACS-Fundeb). Após essa fase, os membros do Ministério Público têm condições de compreender as deficiências do serviço público de educação básica na localidade e podem apresentar aos gestores públicos, por meio de recomendações, soluções para os problemas identificados. O MPEduc já foi executado como projeto piloto em oito municípios dos estados de Roraima, Pará, Alagoas, Amapá, Rio de Janeiro. Nesses locais, ocorreram melhorias nos aspectos estruturais, pedagógicos, alimentação escolar, na inclusão de políticas públicas e no funcionamento de Conselhos Sociais. Você pode conferir os resultados desses projetos na área de projetos aqui no site. Outros 44 municípios implantarão o projeto ainda este ano. Confira a lista completa aqui. “O que nos move é promover oportunidade igual para todos, oferecendo educação básica de qualidade. O Ministério Público pode fazer a diferença e deixar um legado em nosso país. Temos o dever de zelar pela efetividade das políticas públicas e vamos trabalhar intensamente para isso”, disse a procuradora da República e gerente do projeto, Maria Cristina Manella Cordeiro. Participaram do lançamento do projeto aproximadamente 70 procuradores da República e 40 promotores de Justiça. Os atores Nelson Freitas e Fabiana Karla também participaram do evento. Eles protagonizam campanha de divulgação do MPEduc sem cobrar cachê. “Foi muito bacana emprestar minha imagem para um projeto tão importante. A educação é a melhor arma contra tudo que se vê de errado no Brasil. A presença do Ministério Público trará mudanças em todo o país. Vamos nos unir e dizer que não pode mais ficar do jeito que está”, disse Nelson Freitas. Para a atriz Fabiana Karla, o humor é uma arma forte pra tocar na ferida com amenidade. “Sinto-me muito importante por fazer parte desse projeto, e estou com o Ministério Público porque não sou omissa com a educação”, revelou. Exposição fotográfica – Dos dias 9 a 30 de abril o Ministério Público apresenta a exposição fotográfica “Escola? A história que o Brasil não quer ver”, na cobertura da PGR. A fotos apresentam a triste realidade de algumas escolas do país e retratam a prioridade da atuação do Ministério Público, que é a defesa do direito à educação básica de qualidade. A exposição é aberta ao público no horário das 9h às 19h. Com informações da Secretaria de Comunicação Social da Procuradoria Geral da República | Fotos: Tânia Rêgo /...

Leia mais
Ministério Público pela Educação apresenta primeiros resultados
abr28

Ministério Público pela Educação apresenta primeiros resultados

O projeto Ministério Público pela Educação (MPEduc), uma parceria entre o Ministério Público Federal (MPF) e Ministérios Públicos dos Estados apresentou, no dia 8 de abril, os primeiros resultados, em evento de lançamento realizado na Procuradoria Geral da República em Brasília. Idealizado pelo Grupo de Educação da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC) do MPF, o projeto foi executado como piloto em oito municípios dos Estados de Roraima, Pará, Alagoas, Amapá e Rio de Janeiro.   O município de Oiapoque, no Amapá, foi um desses locais escolhidos. O procurador da República Felipe de Moura Palha e Silva, um dos executores do projeto na região, destacou a importância da iniciativa. “É um projeto fascinante, que permite uma verdadeira transformação social”, declarou. Juntamente com a promotora de Justiça do município Neuza Barbosa, ele apontou que a presença do Ministério Público promoveu mudanças visíveis. “Em pouco tempo, já conseguimos a reforma de duas escolas, além de reparação, troca de mobiliário e capacitação de servidores para acessar programas de governo”, concluiu. Já no município alagoano de Santana do Mundaú, assolado por uma enchente em 2010, os resultados vieram em apenas cinco meses de trabalho. A procuradora da República Niedja Gorete Kaspary e a promotora de Justiça Carmem Silva Sarmento explicaram que foram expedidas 19 recomendações que solicitavam desde a disponibilização de bebedouros, a reparos estruturais, além da elaboração de um plano de ação. “Após a atuação do Ministério Público, o município fez uma busca ativa por alunos que tinham abandonado os estudos e conseguimos reduzir a evasão escolar em 80%”, disse a procuradora. Outros resultados, como a aquisição de dez ônibus escolares, reconstrução de escolas destruídas pelas chuvas e a perfuração de poços artesianos para atender as escolas estão entre as conquistas da execução do MPEduc na região. Em Cocalzinho, município de Goiás, os resultados também são perceptíveis. “O efeito da presença do Ministério Público é catalisador e causa uma reação de efeitos inesperados antes mesmo da formalização de qualquer recomendação nossa” afirmou a procuradora da República em Anápolis Ana Paula Fonseca de Góes Araújo. Segundo ela, a chegada da equipe do MPEduc fez com que a prefeitura local iniciasse reformas nas escolas. Para a procuradora da República Mariane Guimarães Mello Oliveira e as promotoras de Justiça Karina D’Abruzzo e Simoni Disconsi, houve uma grande aceitação e mobilização da comunidade em torno do projeto, o que garantiu o sucesso dessa ação do Ministério Público. No estado do Pará, o município de Novo Repartimento comemora a atuação do Ministério Público. O procurador da República Paulo Rubens Carvalho Marques e o promotor de Justiça Francisco Charles Pacheco Teixeira destacaram a reativação de uma escola...

Leia mais