Muda Brasil
jun23

Muda Brasil

Segunda-feira, 23 de junho de 2014 às 15h30 Gerson Soares Há exatamente um ano, o antigo site do Alô Tatuapé saiu do ar, foi desconfigurado. Tentamos alcançar uma explicação para o problema, mas depois de inúmeras tentativas junto aos servidores, resolvemos que o melhor era começar tudo de novo, outra vez.     Com essa solução perdemos quase todo o material equivalente a seis meses de trabalho, postagens e fotografias que estavam no servidor. Só conseguimos aproveitar uma parte disso. Dentre os arquivos salvos estavam as reportagens feitas naquele momento histórico, já que a partir de então não conseguimos mais editar nossas páginas ou colocá-las no site. Exatamente um ano depois, estamos transformando esse fato memorável nos 21 anos do Alô Tatuapé, com a publicação de reportagens inéditas sobre a maior manifestação da história do bairro de que possamos ter notícia, intitulada na época de “Muda Brasil”, uma alusão ao coro dos manifestantes e seus movimentos. O site www.alotatuape.com.br só voltou a funcionar, três meses depois com uma nova estruturação, muito mais moderna, que vemos hoje.     A única reportagem publicada sobre as manifestações de junho de 2013, no Tatuapé, foi veiculada neste novo site somente no dia 1º de outubro e está no link: Muda Brasil no Tatuapé Acompanhe agora esta reportagem especial nas próximas postagens, através de imagens e um dos vídeos produzidos, acessando os links abaixo. Começamos com duas matérias, escritas nos dois dias anteriores (19 e 20 de junho de 2013) à grande manifestação no bairro, que explicam os fatos que ocorriam no país, horas antes da manifestação que saiu do Tatuapé em direção ao centro da cidade de São Paulo, no dia 21.   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto não é festa Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé Protestos no Tatuapé, passam para a história de...

Leia mais
Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem
jun23

Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h36 18 de junho de 2013 Baixaram as tarifas! Do Portal do Governo do Estado de São Paulo — Alckmin e Haddad voltam tarifas de metrô, CPTM e ônibus para R$ 3. Decisão foi tomada de forma conjunta nesta quarta-feira (18/6/2013) e anunciada no Palácio dos Bandeirantes.     Em resposta às manifestações populares que pediram a revogação do aumento das passagens, o governador Geraldo Alckmin e o prefeito Fernando Haddad anunciaram na tarde desta quarta-feira, 19, a redução no valor das tarifas de metrô, CPTM e ônibus, de R$ 3,20 para R$ 3 na capital e no Estado. Assim, a integração ônibus-metrô volta a ser R$ 4,65. “No caso do metrô e do trem nós vamos revogar o reajuste voltando a tarifa original de R$ 3, nós vamos ter que cortar investimentos que as empresas vão ter que ficar com a diferença, o tesouro paulista vai arcar com os custos, fazendo um ajuste, mas entendo que é importante para o transporte, que é prioridade para o transporte coletivo e de outro lado para que a cidade tenha tranquilidade para debater temas tranquilamente”, disse Alckmin. O prefeito Fernando Haddad, em consonância com o governador anunciou a revogação da tarifa de ônibus da capital. “Nós faremos um diálogo permanente com a população (…) Assim como o governo do Estado, a tarifa de São Paulo volta a R$ 3 a partir de segunda-feira, pois é preciso fazer um reajuste nos leitores. A revogação continua por prazo indeterminado”. Do Portal do Governo do Estado   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto não é festa Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé Protestos no Tatuapé, passam para a história de...

Leia mais
Causa definida: Mudar o Brasil
jun23

Causa definida: Mudar o Brasil

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h35 21 de junho de 2013 Gerson Soares Para quem achava que após a redução das tarifas, os protestos perderiam força, a tarde de ontem (20) provou que os protestos por um país mais justo não irão parar tão cedo. Pelo menos até que os responsáveis tomem as atitudes necessárias para que a população entenda que mudanças estão sendo processadas e a classe política, responsável pelas diferenças sociais e uma das piores distribuições de riquezas do planeta, perceba sua insatisfação e urgência.     Por outro lado, os líderes do Movimento Passe Livre, as autoridades e dentre elas todos os poderes, manifestantes que não pertencem a nenhum partido – são apenas pessoas cansadas daquilo que todos já sabem e a população brasileira de forma geral –, repudiaram ontem os atos oportunistas do PT (Partido dos Trabalhadores) e da CUT, que corajosamente, a que se dizer, tentaram empunhar suas bandeiras em meio à Avenida Paulista. Não fosse essa ousadia, e não haveria nenhum incidente em São Paulo. Apesar deles, os populares – senhoras, crianças, jovens, mães, pais e a família paulista – se juntaram aos mais de 1 milhão de brasileiros para protestar. A tentativa dos oportunistas, exemplifica claramente com que descaramento os mandatários do país vêm praticando seus atos há décadas. “Nós não temos medo do povo na rua”, disse ontem o presidente nacional do PT, Rui Falcão, afirmando que iria conclamar as militâncias do partido para participar das manifestações.     Essa afronta, no que diz respeito a elevar as bandeiras do partido em meio aos manifestantes, parece coroar a falta de visão e audição de uma classe decadente de políticos e líderes sindicais. Ontem, ao repudiá-los, quase 1.200 milhão de brasileiros confirmaram o basta que lhes está sendo dado e às suas deficiências visuais e auditivas. Apesar da grandeza que os manifestantes inspiram em suas manifestações ordeiras e legítimas para mudar o país, uma face deprimente vem se mostrando com infiltrados arruaceiros e bandidos, que agridem e vandalizam de jornalistas a obras de arte, passando pelo comércio e as lojas de varejo. No futuro, essas pessoas também serão ignoradas quando disserem que participaram das ações que mudaram o Brasil – que há de mudar, apesar de tudo e de todos que não querem ver a alegria do povo. Os baderneiros e inconsequentes que estão atrapalhando, não terão a mesma honra de viver em um novo país que está se desenhando, onde no futuro suas atitudes superadas serão ainda mais repudiadas. O povo quer mudança de atitude.   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas...

Leia mais
Tatuapé toma parte nas manifestações do país
jun23

Tatuapé toma parte nas manifestações do país

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h33 22 de junho de 2013 Gerson Soares Às 16h30 de ontem (dia 21/06), a reportagem do Alô Tatuapé seguiu a pé pela Rua Cantagalo e depois pela Rua Serra de Bragança, desde a confluência com a Rua Monte Serrat. A situação era de calma e tranquilidade, com poucos veículos transitando – situação totalmente adversa do que se vê numa sexta-feira nesse horário no agitado bairro do Tatuapé. Caminhando, constatamos que o assunto nas ruas era a manifestação programada para a Praça Silvio Romero. Nas conversas, notamos os semblantes carrancudos, com a situação do país.     Ao atingirmos a Rua Coelho Lisboa, por volta das 17h, já na Silvio Romero, acompanhamos a chegada da faixa que dizia: “Não à PEC 137”, abaixo da inscrição lia-se “movimento sem partido”. Com mais de três metros a faixa parava o trânsito e a seguimos até o encontro com algumas dezenas de pessoas que já estavam na famosa praça. Assim que chegou, os manifestantes se aglutinaram ao lado dos outros que carregavam o emblemático protesto contra a PEC37, que tira o poder do Ministério Público, que com coragem vem colocando os políticos no banco dos réus. Em pouquíssimo tempo, mais e mais pessoas se juntavam ao encontro marcado para as 17h. Logo, milhares estavam gritando palavras de ordem, trazendo cartazes de todos os matizes. Inclusive um que dizia: “Fora Dilma”. “Saúde, educação e trabalho”, cantavam em coro. Para os manifestantes, a Copa do Mundo no Brasil é carta fora do baralho. E assim eles se manifestaram pacificamente, pedindo: “Sem vandalismo, sem vandalismo”, que realmente não houve.     “Da minha geração não tem mais ninguém”, nos disse um simpático senhor ao lado do amigo. Talvez, em seu coração e no espírito, estivesse a vontade e o clamor de ver um Brasil melhor e mais justo que através dos seus longos anos não pode ver. Juntando-se aos jovens, representou sua geração com a esperança renovada.   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto não é festa Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé Protestos no Tatuapé, passam para a história de...

Leia mais
Muda Brasil: Isto não é festa
jun23

Muda Brasil: Isto não é festa

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h32 21 de junho de 2013 Gerson Soares “Vem pra rua, vem pra rua”. Com sonoridade juvenil, os gritos de “isto não é festa, veio pra rua então protesta”, soavam mais do que advertência, uma conclamação. Eram vozes jovens que depois do encontro com outro grupo que subiu a Rua Tuiuti para juntar-se a eles na Praça Sílvio Romero, no percurso discutiam política e concordavam com os cartazes ostentados.     Uma senhora levou seu cachorro, o casal levou seu bebê no carrinho, os gritos não eram de guerra, soavam mais como um desabafo. Muitos moradores do bairro se juntaram aos manifestantes espontaneamente e a massa foi tomando corpo. “Olha que legal, o Tatuapé vai invadir a Radial”. O combinado com a Polícia Militar era de que às 18h30 estariam na Radial Leste e assim foi feito. “Vamos pra Radial, vamos pra Radial”. E foram. Um grande número de pessoas iniciou a descida da Rua Tuiuti – há muito desviado do local pela CET – na contramão do tráfego, a partir da Praça Sílvio Romero e dirigiram-se à Radial Leste. Em dado momento nossa reportagem iniciou uma filmagem para documentar aquele momento e em meio à multidão percebemos que o bloco havia tomado um tamanho muito maior do que imaginávamos.     Entre a Praça Sílvio Romero e Rua Platina, a Rua Tuiuti foi tomada. Com palavras de ordem e incitando as pessoas a se juntarem a eles, os manifestantes logo chegaram a grande avenida da zona Leste de São Paulo. A faixa que encontramos na Rua Coelho Lisboa se destacava e os líderes a levavam à frente até a Radial Leste.   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto não é festa Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé Protestos no Tatuapé, passam para a história de...

Leia mais
Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé
jun23

Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h31 21 de junho de 2013 Gerson Soares Tomada pela multidão, a Rua Tuiuti teve seu momento histórico nesta nova fase pela qual passa o Brasil. Um dos bairros mais importantes de São Paulo, o Tatuapé mandou sua mensagem e não recuou diante da ideia de que após a baixa das tarifas o movimento para mudar o país esfriaria.     Chegando à Radial Leste, a multidão passou pela faixa Centro–Bairro, que havia sido interditada pela CET na altura do viaduto Pires do Rio com o trânsito sendo desviado para uma das alças de acesso à Av. Salim Farah Maluf. Poucos minutos, até que o semáforo do cruzamento com a Rua Itapura fechasse, foi o tempo que demorou para que a via Bairro-Centro fosse ocupada pelos manifestantes. A tensão desse momento foi para a liberação para que três carros passassem pelo bloqueio feito, depois disso não houve mais condições de irromper diante da multidão que ocupou a via. Os líderes do movimento pediam para que o pessoal sentasse e nenhum outro veículo passou. Os últimos três conseguiram por pouco, sob palavras de ordem: “Não vai passar, não vai passar”. Daí em diante, mais e mais aderiam aos manifestantes e foram se aglomerando. A passarela e os acessos do Metrô Tatuapé estavam tomados. Com suas câmeras e celulares os pedestres registravam o evento, enquanto a multidão se adensava. Aproximadamente 30 minutos, após tomar a Radial, o grupo iniciou sua marcha rumo ao centro da cidade de São Paulo, em direção à Avenida Paulista, onde dezenas de milhares já protestavam contra a situação política do país.     Segundo um soldado da Polícia Militar, por volta das 19h30, o levantamento feito pela corporação era de que 10 a 12 mil pessoas participaram dos protestos no Tatuapé e nenhum incidente fora registrado até aquele momento. Em frente à Ponte estaiada Dom Luciano Mendes de Almeida, para o Alô Tatuapé simplesmente o emblemático Viaduto Padre Adelino, deixamos a marcha que seguiu em direção ao centro, voltando para escrever e postar as reportagens.   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto não é festa Milhares fazem a maior manifestação já vista no Tatuapé Protestos no Tatuapé, passam para a história de...

Leia mais
Protestos no Tatuapé, passam para a história de SP
jun23

Protestos no Tatuapé, passam para a história de SP

Publicado em 23 de junho de 2014 às 21h29 23 de junho de 2013 Gerson Soares Nossa reportagem acompanhou toda a manifestação que ocorreu na sexta-feira, dia 21 no Tatuapé desde as 17h até 19h45, aproximadamente. Foram momentos marcantes em meio aos jovens, moradores, senhoras e senhores que se uniram para protestar contra governos que com o passar dos anos não se modernizam, pelo contrário adotam métodos antiquados, parecem premiar a impunidade, a iniquidade e a corrupção. Há gerações, os governantes do Brasil não mudam sua forma de pensar, gerando mais e mais distanciamento de uma juventude globalizada, com ideias que devem ser ouvidas e aos poucos, mesmo sob tensão, se aproxima da política, mas a maioria ainda mantém certo distanciamento.     Por outro lado, acreditando nesse histórico afastamento, baseados talvez nas estatísticas de que o povo brasileiro não se interessa por política, o governo continua exercendo o poder de forma maléfica perante a maioria da população e seu riquíssimo território, onde apesar disso, impera uma das piores distribuições de renda do planeta, como noticiaram nesta semana os principais jornais mundiais. A inversão desse afastamento, causado pelo estopim do aumento das passagens de ônibus em São Paulo, gerou um movimento encabeçado pelo Movimento Passe Livre e se transformou nas maiores manifestações já vistas no Brasil, trazendo à pauta uma gama de reivindicações. Essa pauta precisa ser apreciada pelos líderes dos movimentos que estão surgindo e organizadas, para não perderem o foco e não deixar esfriar a ideia de que o Brasil precisa mudar imediatamente. Caso isso aconteça, contemplará aqueles que só esperam um esfriamento para começar a famosa deturpação do que é legítimo, verdadeiro e justo, devido a interesses próprios ou corporativos. Os interesses são muitos e dentre eles logicamente existem aqueles que olhando para tudo o que perdem com a vitória do povo não incentivará as manifestações. A população que vai para o trabalho feito cachos de bananas, paga fortunas para estudar em faculdades privadas, não consegue atendimento médico quando precisa e teme os bandidos ao sair cedo ou voltar tarde para casa é muito maior e seu peso também. Mas sempre perdeu para a minoria que detém o poder. G.S.S. Terminamos esta reportagem sobre os Protestos no Tatuapé contra o governo e a atual política do país com uma frase do Águia de Haia: “Com que palavras poderemos deplorar assaz o infortúnio de viver sob um governo como o nosso?” Rui Barbosa (1849–1923)   Leia as reportagens Muda Brasil Governo e Prefeitura de SP reduzem tarifas de ônibus, metrô e trem Causa definida: Mudar o Brasil Tatuapé toma parte nas manifestações do país Muda Brasil: Isto...

Leia mais