Chile rejeita hidroelétrica de US$ 8 bi na Patagônia por razões ambientais

Quarta-feira, 24 de junho de 2014 às 17h01

Colaboração: Ignacio Agudo
Edição final: Alô São Paulo

Em decisão que reflete uma consciência com o meio ambiente que geralmente não é encontrada em outros países, o governo chileno decidiu dizer não à construção da usina hidroelétrica de HidroAysen na região da Patagônia por temer impactos no ecossistema.

O projeto, que seria conduzido pela empresa espanhola Endesa e pela chilena Colbún, inundaria uma área estimada em 56 quilômetros quadrados para gerar 2,7 GW de energia, ao custo de US$ 8 bilhões em investimento. A região que ficaria embaixo da água abriga florestas intocadas às margens dos rios Baker e Pascua, além de ser habitat de diversas espécies de animais e plantas que são apenas encontradas na Patagônia. A usina ainda precisaria que dois mil quilômetros de linhas de transmissão fossem construídos através de diversas áreas de proteção ambiental na Patagônia chilena.

A decisão de negar a permissão ao projeto partiu de um comitê formado pelos ministérios do Meio Ambiente, Agricultura, Energia, Economia, Saúde e de Mineração. Todos os representantes do comitê foram contrários à construção da hidroelétrica. “Chegamos à conclusão de que a comunidade está certa em protestar contra o projeto, assim consideramos que é melhor para o Chile não seguir com a obra”, disse Pablo Badenier, ministro do Meio Ambiente, fazendo referência às 35 ações judiciais que entidades ambientalistas e conselhos comunitários promoveram contra a usina. “É um dia histórico. É uma alegria ver que o povo conseguiu sensibilizar os governantes”, disse Juan Pablo Orrego, coordenador da campanha Patagônia sem Barragens, à agência IPS.

A Endesa e a Colbún terão um mês para contestar a decisão. O Chile tem se destacado recentemente pelos seus projetos de energia alternativa, em especial os solares. No começo deste mês, o país inaugurou a usina fotovoltaica Amanhecer, a maior da América Latina.

Fonte: Instituto Carbono Brasil, recebido via Rebia

O Rio Baker, que fica ao Norte da Patagônia chilena também abriga espécies de plantas tão peculiares como a que pode ser vista abaixo, própria do Sul. Foto: Jorge Morales F.

A Patagônia Chilena é divida em Norte e Sul. A Calceolaria uniflora, que nasce na região conhecida como Torres del Paine, fica no Sul. Foto: Thomas Mathis

Torres del Paine voltadas para o Lago Pehoé, no Parque Nacional Torres del Paine, na Patagônia Sul do Chile, que pode ser avistada de outro ângulo através do Rio Baker. Foto: Miguel Vieira

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*