Começa obra para aumentar entrada de água no Sistema Alto Tietê


Quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015, às 16h46

Captação no rio Guaió, em Suzano, fará com que o sistema receba mais 1.000 litros de água por segundo, suficiente para abastecer cerca de 300 mil pessoas.

Captação no rio Guaió, em Suzano, fará com que o Sistema Alto Tietê receba mais 1.000 litros de água por segundo.  Foto: Diogo Moreira

Captação no rio Guaió, em Suzano, fará com que o Sistema Alto Tietê receba mais 1.000 litros de água por segundo. Foto: Diogo Moreira

A obra que vai aumentar a entrada de água no Sistema Alto Tietê teve início no sábado, 14. Executado pela Sabesp, o investimento vai captar água do rio Guaió, que fica em Suzano, e transferi-la até a represa Taiaçupeba, que faz parte do sistema Produtor Alto Tietê. O trabalho será feito com mão-de-obra própria da companhia e deve estar pronto em maio.

A Sabesp vai implantar 9 km de adutoras (grandes tubulações) e uma estação de bombeamento. A obra vai retirar 1.000 litros de água por segundo do Guaió e bombeá-la por tubulação até o ribeirão dos Moraes. Este curso d’água termina no rio Taiaçupeba-Mirim, que então deságua na represa Taiaçupeba, pertencente ao Sistema Alto Tietê. Dessa forma, a água do Guaió será armazenada na represa e depois tratada para ser distribuída à população.

Esse volume adicional de 1.000 litros de água por segundo equivale ao consumo de cerca de 300 mil pessoas. O Sistema Alto Tietê abastece parte da zona leste de São Paulo, as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá e parte de Guarulhos.

Sistema Alto Tietê abastece parte da zona leste de São Paulo, as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá e parte de Guarulhos.  Foto: Diogo Moreira

Sistema Alto Tietê abastece parte da zona leste de São Paulo, as cidades de Suzano, Mogi das Cruzes, Ferraz de Vasconcelos, Poá, Itaquaquecetuba e Arujá e parte de Guarulhos. Foto: Diogo Moreira

Mais água

A importância dessa obra é aumentar a quantidade de água que entra no Sistema Alto Tietê no período de poucas chuvas. O sistema é composto por cinco represas (Ponte Nova, Paraitinga, Biritiba-Mirim, Jundiaí e Taiaçupeba). Elas são alimentadas pela chuva direta e pelos rios que deságuam nelas. Portanto, a entrada de mais um rio (o Guaió) para alimentar as represas vai ampliar o nível de todo o sistema.

A captação do rio Guaió é semelhante a duas outras obras da Sabesp para aumentar a entrada de água nos sistemas que abastecem a Região Metropolitana de São Paulo. No dia 27 de janeiro foi entregue a ampliação da transferência de água do córrego Guaratuba para o Sistema Alto Tietê. A obra, feita em pouco mais de dois meses pela Sabesp, contribuiu para aumentar o volume armazenado nesse sistema.

O córrego Guaratuba nasce na serra do Mar e deságua em Bertioga, no litoral. Com a obra, o volume transferido para a Grande São Paulo subiu de 500 litros por segundo de água para 1.000 litros por segundo. A obra teve início no dia 5 de novembro de 2014 e foi feita com mão-de-obra própria da Sabesp.

Técnicos da companhia também trabalham para bombear água de um novo manancial, o rio Juquiá, e transportá-la até a represa Guarapiranga. O objetivo é transferir também 1.000 litros de água a cada segundo. O rio Juquiá, localizado em Juquitiba, fica a cerca de 70 km da capital. Sua água será bombeada por uma tubulação de 5,5 km até a cabeceira do rio Santa Rita. Este termina no rio Embu-Guaçu, que finalmente deságua na represa Guarapiranga. A obra, que deve estar concluída até o início do segundo semestre de 2015, está em fase de projeto.

Do Portal do Governo do Estado e Assessoria de Imprensa da Sabesp
alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*