Conheça distonia e seus sintomas


Sexta-feira, 26 de agosto de 2016, às 19h26


A distonia é uma doença neurológica causada por movimentos involuntários que podem ocorrer em diversas partes do corpo. Sua principal característica são as contrações dos músculos favoráveis e desfavoráveis ao movimento, simultaneamente, que pode causar problemas de postura e dor, assim como aumento do tônus muscular. Em alguns casos, como na distonia cervical, também pode ocorrer tremor. Fatores como desidratação, estresse e alimentação inadequada podem agravar os sintomas.

Em geral, elas surgem devido a uma disfunção do sistema nervoso responsável por controlar o movimento muscular, em uma área denominada núcleos da base. Com seu funcionamento alterado, resulta na contração involuntária de alguns músculos. Sua origem pode ser genética, traumas na cabeça ou decorrente de doenças como AVC e Parkinson.

 

Foto: Divulgação / ABN

Foto: Divulgação / ABN

 

Podem ser classificadas como focais, segmentares, multifocal e generalizada, conforme explica o dr. Delson José da Silva, coordenador do Departamento de Transtornos do Movimento da Academia Brasileira de Neurologia (ABN).

“São focais quando se localizam somente em uma parte do corpo, como olhos (blefaroespasmo), por exemplo. Segmentares quando localizadas em mais de uma parte do corpo de forma contígua, como cervical e membro superior, olhos e boca, entre outros. Multifocal atinge mais de uma parte não contígua, e generalizada está presente em mais de duas regiões, incluindo um membro inferior”, esclarece o neurologista.

Segundo dr. Delson, a doença pode atingir qualquer faixa etária, assim como ser hereditária ou esporádica. Sobre o diagnóstico e tratamento, afirma: “O paciente com suspeita da doença passa por uma anamnese e exames clínicos para sua confirmação. Os exames complementares servem para afastar as causas secundárias em outras patologias que podem acarretar em distonias. O tratamento pode ser medicamentoso. Atualmente, indicamos aplicações de toxina botulínica, principalmente e, em especial, nas distonias focais”.

Até o momento, a distonia não possui cura, pois faz parte do grupo de doenças neurogenerativas. Apesar dos avanços tecnológicos, na maioria das vezes não se encontra uma causa da doença, por isso os esforços se voltam pensando na redução da intensidade dos sintomas. Como não é passível de prevenção, se o indivíduo possuir histórico familiar, é aconselhável procurar orientação neurológica para conhecer melhor as chances de portar ou transmitir o seu gene.

Compressas geladas, banhos de acento, roupas largas e roupas íntimas de algodão podem aliviar o desconforto. Foto: Divulgação / SBED

Compressas geladas, banhos de acento, roupas largas e roupas íntimas de algodão podem aliviar o desconforto. Foto: Divulgação / SBED

Leia mais sobre
MEDICINA

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*