Construtora faz entrega simbólica da Arena Corinthians

Gabriel Fialho / Portal da Copa

Clube planeja evento com crianças, partida entre operários e jogo entre equipes do Corinthians antes do evento-teste oficial, em 17 de maio.

A construtora Odebrecht entregou simbolicamente ao Corinthians a arena que será palco da abertura da Copa do Mundo, nesta terça-feira (15.04). Na reta final das obras, o estádio ainda recebe retoques de acabamento, colocação do forro da cobertura no lado oeste, reparação da estrutura danificada pela queda de um guindaste em novembro de 2013 e finalização da praça externa ao local.

Inauguração provisória da Arena Corinthians pela Odebrecht. Foto: Danilo Borges/Portal da Copa/ME

Inauguração provisória da Arena Corinthians pela Odebrecht. Foto: Danilo Borges/Portal da Copa/ME

Cerca de mil operários trabalham para entregar os últimos ítens nos próximos 15 dias. Os assentos temporários, exigência para que o estádio receba a partida de abertura, têm previsão de conclusão em maio. A partir de agora, o clube começa a testar itens de operação da arena.

Conselheiro vitalício do Corinthians e um dos responsáveis pela obra, Andres Sánchez divulgou o cronograma de eventos planejados pelo clube antes de a bola rolar para Brasil x Croácia, em 12 de junho.

“Vamos fazer várias estreias. No dia 26 de abril, desde que as autoridades liberem, teremos um evento com cinco mil crianças das escolas da região, para testar os aparelhos do estádio, mas sem jogo. No dia 1º de maio, para um público entre sete mil e dez mil pessoas, teremos um jogo entre trabalhadores da obra. No dia 10 de maio, faremos a partida Corinthians x Corinthians (somente com atletas que já jogaram ou jogam no clube), para homenagear nossos jogadores, para umas 20 mil pessoas”, afirmou o dirigente.

O primeiro jogo oficial na arena será em 17 de maio, quando será realizado o evento-teste da FIFA. Corinthians x Figueirense, válido pelo Campeonato Brasileiro, deve contar com a capacidade máxima do local, que é de pouco mais de 68 mil pessoas.

“Se der tempo, a gente ainda faz um jogo aqui contra o Atlético Paranaense pelo Campeonato Brasileiro, antes de entregar o estádio à FIFA”, afirmou Sánchez, que espera a liberação dos órgãos de segurança, da prefeitura e do Corpo de Bombeiros para confirmar as datas dos eventos. No domingo, ele viajará a Dubai para negociar os naming rights da arena.

Cerimônia

A entrega simbólica da obra foi feita para um público formado por jornalistas, que se reuniram na zona mista do estádio. O local, que será usado para entrevistas durante o Mundial, recebeu o presidente do clube paulista, Mário Gobbi, além de Andres Sánchez, da vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, do engenheiro responsável pelo projeto, Antônio Gavioli, do coordenador do Comitê Paulista para a Copa, Julio Semeghini, e do operário Carlos Petrolino, representando os mais de seis mil trabalhadores que passaram pela construção.

Andres Sánchez, o coordenador do Comitê Paulista para a Copa, Julio Semeghini, presidente do Corinthians  Mário Gobbi, a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, do engenheiro responsável pelo projeto, Antônio Gavioli e do operário Carlos Petrolino. Foto: Danilo Borges/Portal da Copa/ME

Andres Sánchez, o coordenador do Comitê Paulista para a Copa, Julio Semeghini, presidente do Corinthians Mário Gobbi, a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão, do engenheiro responsável pelo projeto, Antônio Gavioli e do operário Carlos Petrolino. Foto: Danilo Borges/Portal da Copa/ME

“É uma casa privada e o clube pagará pela obra. Iniciaremos os trabalhos operacionais de adaptação de tudo o que será utilizado no interior do estádio. Ficaremos alguns meses trabalhando juntos, porque ainda há um trecho a percorrer em que construtora e clube precisam estar juntos”, afirmou o presidente corintiano.

A emoção sentida pelo presidente também foi expressa por “Carlão”, como é conhecido o operário entre os colegas da obra. Ele entregou a placa comemorativa da data à Andres Sánchez. “Aqui havia só um buraco. A gente pegava massa para carregar aqui para cima. Agradeço a todos os companheiros da arena e a meus três irmãos que estão lá em cima rezando por nós”, disse, ao lembrar dos colegas que morreram durante a construção do estádio, para em seguida soltar o grito: “Vai Corinthians”.

Na sequência, os jornalistas fizeram um tour pelo estádio, passando pelos vestiários, camarotes, áreas de imprensa, campo e arquibancada.

Entorno

As obras de construção da praça de 16 mil metros quadrados e de iluminação ao redor da Arena Corinthians, além das intervenções viárias na Radial Leste serão entregues até o fim deste mês, de acordo com a vice-prefeita de São Paulo, Nádia Campeão. Ela disse, ainda, que ficará faltando apenas a conclusão de uma passarela, prevista para maio.

“A data de inauguração poderia ser variada, no primeiro treino, hoje, num primeiro jogo, na abertura da Copa, mas esse momento, dentre todos, é muito significativo, porque materializa um feito. O metrô chegou aqui em 1988 e chamava Corinthians Itaquera, o bairro já estava aqui e faltava o clube, que tinha esse terreno. Nos três últimos anos passamos por uma transformação. A Copa é um catalizador, mas os esforços estavam presentes. Temos um estádio, um time e um grande evento para alavancar tudo que foi feito aqui e a zaona Leste têm todos os direitos para receber esse investimento”, destacou a vice-prefeita, lembrando do legado para a região, que ainda receberá uma escola técnica e outros investimentos.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*