Cúpula do Clima 2014 em NY

Cúpula do Clima das Nações Unidas em Nova York. Foto: Foto: Palazzochigi

Na imagem: E/D: Sam Kutesa Kahamba, presidente da sexagésima nona sessão da Assembleia; Secretário Geral da ONU, Ban Ki-moo e Robert Orr, secretário-geral adjunto para Planejamento Estratégico. Foto:Cia Pak/ UN Photo

Ator Leonardo di Caprio fala durante a abertura da Cúpula do Clima da ONU, em Nova York. Foto:Cia Pak/ UN Photo


Terça-feira, 23 de setembro de 2014, às 17h33 – Atualizado às 18h46


Encontro virtual entre os Centros de Informação da ONU é realizado paralelamente à Cúpula do Clima

Organização das Nações Unidas, Brasil – “Fornecer as melhores informações sobre as mudanças climáticas porque é um problema causado pelas pessoas, e só elas podem fazer alguma coisa para melhorar a situação atual”. Esta foi a resposta do vice-presidente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), Jean-Pascal van Ypersele, ao ser perguntando sobre a função e a importância do painel.

Tal importância também pode ser atribuída aos comunicadores, que tem a missão de informar a população. Foi pensando na potencialização da cobertura jornalística da Cúpula do Clima, que ocorreu hoje, 23 de setembro, em Nova York, que a ONU convocou uma reunião online entre os Centros de Informação das Nações Unidas (UNIC) de mais de 10 países, dentre eles Brasil, Quênia, Colômbia e Burundi, para acompanharem a transmissão online da conferência e conversarem com especialistas que tiraram dúvidas e atualizaram os jornalistas sobre o que está sendo debatido no evento.

Mais de 120 chefes de Estado e de governo se reuniram nesta terça-feira (23) no maior evento já realizado para discutir as mudanças climáticas. A Cúpula do Clima foi convocada pelo secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon para que os líderes mundiais apresentem o que estão fazendo e vejam outras ações e soluções usadas para acelerar as reduções de emissões de gases do efeito estufa, o consumo de energia e a poluição, métodos agrícolas sustentáveis, técnicas de adaptação e redução de riscos de desastres, financiamento climático e outras questões ligadas ao clima.

Um dos jornalistas perguntou ao painel de comentaristas como podemos garantir que o ser humano é o responsável pelas mudanças climáticas, já que não são as pessoas que criam o clima.

Ypersele respondeu que realmente existem fatores naturais, mas que pesquisas comprovam que nos últimos 50 anos os “fatores humanos”, especialmente o aumento na emissão de gases que provocam o efeito estufa, contribuíram para uma potencialização nas alterações climáticas. O representante da OMM destacou a importância da conscientização das pessoas sobre o que está acontecendo, pois apenas o ser humano tem a capacidade de agir para mudar as circunstâncias.

A especialista em mudanças climáticas e professora da Universidade das Nações Unidas, Koko Warner, complementou a fala de Williams ao dizer que “achar soluções é essencial para a humanidade, por isso o ser humano precisa saber que alguma coisa precisa ser feita”. A cientista ressaltou a importância da Cúpula do Clima por ser um evento oportuno para promover o envolvimento e a participação dos países e organizações. “Precisamos trabalhar juntos, precisamos de uma grande mudança”, concluiu a pesquisadora.

Coletiva de Imprensa

A coletiva de imprensa em que o chefe da ONU anunciou as medidas mais importantes anunciadas durante a Cúpula no período da manhã foi transmitida simultaneamente aos Centros de Informação das Nações Unidas ao redor do mundo, que abriram suas portas para profissionais das imprensas locais de cada região.

Representando o grupo de 40 cidades envolvidas em promover ações para diminuir as emissões de efeito estufa, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, citou a nova pesquisa Grandes Cidades para a Liderança Climática, desenvolvida pelo C40. O documento mostra que se todas as cidades se empenhassem na redução de transporte, consumo de energia e da poluição, poderiam reduzir potencialmente a emissão de gases do efeito estufa, com uma previsão de redução de 140Gt de CO2 até 2050.

Ao final da coletiva, Ban Ki Moon alertou a todos sobre a importância do tema: “As mudanças climáticas estão acontecendo mais rápido do que você está pensando. Nós não temos outro planeta Terra, precisamos agir urgentemente”, concluiu.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*