Detran muda setor de pontuação e não avisa usuários causando confusão diária


Sábado, 28 de fevereiro de 2015, às 07h06 – atualizado às 12h29

 

A autarquia do Governo do Estado de São Paulo, subordinada à Secretaria de Planejamento e Gestão, efetuou a mudança de endereço, colocou um aviso no site e quem quiser que adivinhe.

Gerson Soares
Cidadão se dirige ao setor de pontuação do Detran, na estação Armênia. Endereço foi alteração sem aviso. Foto: aloimage

Cidadão se dirige ao setor de pontuação do Detran, na estação Armênia. Endereço foi alteração sem aviso. Foto: aloimage

Mais uma vez o cidadão é humilhado por aqueles que deveriam dar o exemplo, as autoridades, cujos salários são devidamente pagos por aqueles que desprezam. Isso é um costume arraigado na cultura dos servidores públicos, que para se protegerem de suas próprias inconsequências, ainda criaram leis que obrigam os cidadãos a respeitar suas arbitrárias decisões, remetendo aos tempos da monarquia. Algumas repartições chegam a exibir o aviso de que o funcionário público não pode ser desrespeitado.

Mas a ele parece ter sido dado o direito de desrespeitar e uma das piores formas é estar despreparado para o atendimento, colocando toda a arrogância que os cargos públicos lhe conferem para ignorar aqueles que pagam seus salários. Os usuários são ofendidos, humilhados e colocados em filas sem obter informações condizentes com suas necessidades. Como se fossem rebanhos, devem aguardar sem fazer perguntas ou causar constrangimentos aos poderosos servidores.

Ontem estivemos no Setor de Pontuação do Detran de São Paulo, na Unidade Armênia, recentemente transferida da Rua João Brícola, sem nenhum aviso. Vimos pessoas aguardando com senhas em bancos colocados a céu aberto logo na entrada. Os serviços são lentos, burocráticos e as filas se acumulam por toda parte. Especificamente no Setor de Pontuação, onde os motoristas são chamados de infratores e assim tratados genericamente, a demora é de mais de 2 horas para serem atendidos, isso se tudo funcionar bem e o cidadão conseguir alinhar a sua necessidade aos trâmites do Detran.

Desde o dia 9 de fevereiro, o setor que funcionava na Rua João Brícola, 32 – Centro, passou para a Unidade Armênia, mas a mudança não foi divulgada e não há notícia desse fato na imprensa ou qualquer tipo de comunicação que tenha sido enviada àqueles que haviam agendado o atendimento no antigo endereço, apesar de ser exigido um email para contato e telefone para que o cadastro do motorista seja aprovado.

Confusão e filas, espera de mais de duas horas para atendimento que havia sido agendado. Foto: aloimage

Confusão e filas, espera de mais de duas horas para atendimento que havia sido agendado. Foto: aloimage

Portanto, se você mora na capital paulista e tiver agendamento com o Setor de Pontuação do Detran, não vai adiantar seguir até a Rua João Brícola, 32, no centro da cidade, o atendimento está sendo feito na Avenida do Estado, 900, caso contrário perderá a viagem. Sem saber da mudança, tendo agendado o horário em dezembro do ano passado, o motorista B., esteve na Rua João Brícola, 32 (Estação São Bento) na manhã de ontem às 9h, horário marcado, e assim que chegou foi encaminhado pela recepcionista para a Estação Armênia. A moça não soube nem mesmo dizer o novo endereço: “Fica ao lado do Metro”, disse.

Sem saber o endereço correto, quando conseguiu chegar ao local, que descobriu perguntando aos camelôs e seguranças do Metrô Armênia e que fica distante da estação, deparou-se com a confusão causada pelo despreparo das atendentes que pareciam mais perdidas do que os usuários do sistema do Detran para lá transferidos e que se acumulavam com as mesmas dúvidas; devido à mudança, não sabiam o que fazer. “Eu tinha agendado às 9h na Rua João Brícola e me mandaram para cá. Com quem eu falo?”, tentou saber B., sem sucesso. Às respostas desencontradas das atendentes, assim como outros cidadãos, foi direcionado para uma fila, onde teria de fazer um novo agendamento, segundo elas.

Detalhe: O cadastro de B., foi feito pelo site do Detran no dia 08 de dezembro de 2014 e agendado para ontem, 27 de fevereiro. Após quase três meses (81 dias) de espera para ser atendido e sem nenhum aviso sobre a mudança de endereço, o cidadão ainda deveria remarcar um novo atendimento, possivelmente acarretando uma igual demora.

Assim como B., vários outros casos estão ocorrendo. Deduzindo que o sistema do Detran agenda diariamente os atendimentos aos motoristas que excederam a pontuação na carteira, não é difícil imaginar o caos e a falta de respeito com a qual os cidadãos paulistanos são tratados pelo Detran, o mesmo encontrado nos mais diversos setores de atendimento público por todo o país.

Filas e regras rigorosíssimas. Foto: aloimage

Filas e regras rigorosíssimas. Foto: aloimage

Intolerância e presunção

A prestadora de serviços de saúde S., também excedeu a pontuação (20 pontos) na CNH (Carteira Nacional de Habilitação) e deverá cumprir a pena, que passa pelo CFC (Curso de Formação de Condutores), após ter a suspensão do direito de dirigir. Segundo a cidadã, que coordena um grupo de fonoaudiólogos, o problema que a atinge está no rodízio de veículos. “Eu saio para atender os pacientes e quando volto fui multada, quase sempre no mesmo local, por 10 ou 15 minutos, além do horário do rodízio. Se um pneu furado causar congestionamento eu não consigo chegar antes do início do rodízio”, explicou.

Os pacientes de S. residem nas zonas Oeste e Sul da cidade, ela possui contratos e não pode deixar de atendê-los, sob pena de negligência. Por seu lado, o Detran não quis ouvir as necessidades da cidadã e nem sequer reconheceu sua apelação – fato que já é reconhecido tradicionalmente por qualquer motorista que precise entrar com recurso de multas. “Eu gostaria pelo menos de ser ouvida, mas eles ignoram. Vou embora sem solução e terei de entrar na Justiça comum, pois uso o carro para trabalhar diariamente”. Às 11h30 da manhã de ontem, depois de longa espera, dirigiu-se ao Setor de Administração da unidade Armênia para pedir um atestado, a fim de justificar aos seus pacientes, a ausência.

O Detran demonstra a sua presunção quando rejeita todo e qualquer recurso de multas, por parte dos motoristas, estejam eles com ou sem razão. Em contrapartida, o tratamento é diferente e se amplia aos despachantes e advogados que possuem canais e atendimentos próprios, outro vício antigo da autarquia, que já ocupou várias páginas do tema corrupção na imprensa, até que o antigo prédio do Detran, antro das piores práticas, foi desativado e os serviços centralizados foram informatizados e pulverizados por outros locais. Hoje, passou a ser aceito, o fato de enquanto o cidadão deve cumprir todas as rigorosíssimas regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), as mesmas podem ser quebradas pelos que possuem prerrogativas especiais.

Apesar de a monarquia ter sido extinta no país, o reinado da indústria de multas, baseadas no antigo CNT (Código Nacional de Trânsito), substituído pelo CTB, ainda persiste. Essa inexpugnável holding, chamada Detran (Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo, subordinado à Secretaria de Planejamento e Gestão), criou um séquito de despachantes e prestadores de serviços, autoescolas, centros de formação de condutores e advogados que conseguem aquilo que aos plebeus lhes cabe apenas o rigor da lei, como acontecia quando os reis eram reconhecidos como deuses sobre a terra, rodeados por divinos seguidores. Esta é mais uma mazela incomparável, somente possível num país onde a maioria do povo aceita o paternalismo, a submissão e se acovarda diante das situações que o humilham.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*