Dor de origem genética


Terça-feira, 27 de setembro de 2016, às 20h13


Os genes, responsáveis pela nossa constituição biológica, são transmitidos verticalmente. Características físicas como cor dos olhos, tipo de cabelo e estatura são alguns exemplos do que pode ser geneticamente herdado. Do mesmo modo, algumas patologias também podem ter origem genética.

A Dra. Cláudia Carneiro, doutora em ciências pela Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), e membro da Equipe de Controle da Dor da Anestesia do Instituto Central do Hospital das Clínicas (ICHC), explicou as possíveis relações com a genétiva para as causas de algumas dores.

 

Patologias também podem ter origem genética. Imagem: divulgação

Patologias também podem ter origem genética. Imagem: divulgação

 

“A percepção à dor é um processo complexo influenciado por múltiplos fatores. Por exemplo, evidências sugerem que determinadas síndromes dolorosas, como a fibromialgia, apresentam predisposição genética associada aos fatores ambientais”, esclarece a especialista.

Patologias

A fibromialgia, dor crônica idiopática ou dor de origem desconhecida, refere-se a um grupo de quadros nos quais os mecanismos envolvidos ainda não são completamente conhecidos, que se caracteriza por dor moderada a intensa generalizada com diminuição do limiar álgico. Sintomas depressivos e também de ansiedade são comuns. Em pesquisa publicada na revista Arthritis Research & Therapy entre 58 indivíduos filhos de fibromiálgicas, com idades entre 5 e 46 anos, 28% apresentavam a doença. “Além disso, eles apresentaram menor limiar mecânico à dor, e maior incidência de depressão comparada aos filhos de mães não-fibromiálgicas”, acrescentou.

Sintomas como perda de memória, inflamação da garganta, dor muscular inexplicável e extrema exaustão podem estar relacionados à Síndrome da Fadiga Crônica – outra doença com chance de ter fatores genéticos entre a sua causa. Porém, há a possibilidade de doenças infecciosas prévias, faixa etária, estresse e fatores ambientais serem responsáveis por essa síndrome.

Além disso, a Dra. Cláudia ressaltou alguns estudos que demonstram que a Síndrome do Cólon Irritável - perturbação motora do tubo digestivo que provoca constipação, diarreia, dor abdominal, sensação de gás e distensão – ocorre mais frequentemente em parentes diretos de afetados, tendo um provável componente genético e ambiental.

“O estudo de variações genéticas decorrentes de mutações e sua responsabilidade nessas síndromes é fundamental ao desenvolvimento da fármaco-genética. Bem como ao auxílio de tratamentos individualizados, em um futuro não tão distante – assim esperamos”, finaliza.

Natação em bebês: mitos e verdades. Foto: divulgação / SPSP

Natação em bebês: mitos e verdades. Foto: divulgação / SPSP

Leia mais sobre
MEDICINA

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*