Túnel ligará Parque Dom Pedro à Alcântara Machado

Prefeitura apresenta projeto do primeiro túnel exclusivo para ônibus na zona Leste. Túnel terá 700 metros de extensão entre o viaduto Antonio Nakashima e a avenida Alcântara Machado. Foto: Fernando Pereira / Secom / PMSP


Domingo, 19 de outubro de 2014, às 11h41


Prefeitura apresenta projeto do primeiro túnel exclusivo para ônibus na zona Leste. Túnel terá 700 metros de extensão entre o viaduto Antonio Nakashima e a avenida Alcântara Machado, já na zona Leste, e vai permitir uma economia de 30 minutos no trajeto dos ônibus.

SECOM / PMSP – A Prefeitura de São Paulo apresentou na tarde desta sexta-feira (17) que ligará o Terminal Parque Dom Pedro à avenida Alcântara Machado. O túnel, integra as obras de construção do corredor de ônibus Radial Leste 1, previsto para ter um total de 12 quilômetros e investimentos de R$ 455 milhões, segundo a prefeitura.

Conforme o projeto, o túnel terá o seu início ao lado do Terminal Parque Dom Pedro, na região da avenida do Estado, passando próximo à estação Dom Pedro da Linha-3 Vermelha, utilizando como caminho uma plataforma subterrânea do Metrô que não era utilizada. O empreendimento conta com duas faixas em dois sentidos, além de um rolamento de segurança, caso algum ônibus apresente falhas, com o objetivo de não prejudicar o tráfego.

Conforme a notícia da prefeitura, em comparação com o acesso atual dos ônibus que saem ou chegam ao Parque Dom Pedro para a Radial Leste, o túnel proporcionará uma economia superior a 20 minutos. “Da chegada da Zona Leste pela Radial até o Parque Dom Pedro, os ônibus fazem uma circulação que leva 30 minutos já estando no Centro e o túnel poupa esses 30 minutos. O ônibus vai sair desse gargalo, vai utilizar uma estação que não está sendo aproveitada pelo Metrô e vai fazer os coletivos chegarem com uma agilidade maior”, afirmou Haddad, em visita à obra na sexta-feira, acompanhado da ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior.

Prefeito Fernando Haddad e componentes do secretariado em inspeção às obras. Foto:  Fernando Pereira / Secom / PMSP

Prefeito Fernando Haddad e componentes do secretariado em inspeção às obras. Foto: Fernando Pereira / Secom / PMSP

O Corredor Radial Leste 1, que irá da região do Parque Dom Pedro até a estação Vila Matilde da Linha-3 Vermelha, contará com piso rígido, cobrança de tarifa desembarcada e faixa de ultrapassagem nas 13 paradas em sua extensão, que terão ligação com o sistema ferroviário. O corredor deverá beneficiar 220 mil pessoas por dia.

“Foram disponibilizados R$ 4,3 bilhões em corredores para a cidade de São Paulo realizar esse conjunto de intervenções importantes para a mobilidade urbana”, disse a ministra.

“Todo o nosso objetivo é trazer pelas avenidas Radial Leste, Itaquera, Cidade Líder e Aricanduva as pessoas diretamente para o Centro em uma velocidade ainda maior do que a atingida pelas faixas exclusivas, que ajudaram, mas é preciso entrar em uma nova etapa que são os BRTs”, disse Haddad.

A zona leste ainda terá mais três obras de corredores, o Radial Leste 2 com cinco quilômetros, o Leste-Itaquera com 14 quilômetros e o Aricanduva com mais 14 quilômetros, além da ampliação do Terminal Itaquera, que também está sendo modernizado com recursos do PAC, de acordo com a assessoria.

“Esses corredores são os primeiros da zona Leste. Em toda a cidade, temos 160 quilômetros, sendo 100 licitados e 60 em licitação com empresas já qualificadas, até superando a meta”, afirmou o prefeito.

Leia a notícia completa

Vistorias

A construção do túnel exclusivo para ônibus faz parte de uma série de intervenções em mobilidade e drenagem na cidade com apoio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O prefeito e a ministra visitaram nesta sexta-feira (17) cinco dessas obras que estão em andamento.

“É a maior obra de mobilidade urbana da história de São Paulo. Hoje vamos para três regiões da cidade: zonas Sul, Norte e Leste, para que a ministra possa constatar o andamento das obras dando sequência à liberação dos recursos para acelerá-las”, afirmou Haddad durante vistoria em obras na zona Sul.

A ministra disse que está entusiasmada com o andamento. “Ouvi de vários de moradores a importância das obras porque suas casas não vão ser mais atingidas por enchentes. Quando o viário estiver pronto, vai desafogar muito o trânsito, principalmente do transporte coletivo”, disse Miriam durante a manhã.

A visita começou nas obras de requalificação do Corredor da M’boi Mirim, na zona Sul. Com extensão de oito quilômetros, o corredor está recebendo a reconfiguração total das paradas, fim de pontos à direita com realocação à esquerda, a readequação do sistema de informação ao usuário e a implantação de alça de retorno no Terminal Guido Caloi. As guias e calçadas da Estrada do M’Boi Mirim também estão passando por readequação e o novo passeio atenderá as normas de acessibilidade com padronização da largura, com eliminação dos degraus e desníveis. A obra tem investimentos de R$ 99 milhões e foi iniciada em novembro do ano passado.

A segunda vistoria foi nas obras de canalização do córrego Ponte Baixa, também na zona Sul, na região da rua Guilherme Valente com a avenida Luiz Gushiken, que faz parte do pacote de intervenção e já foi entregue pela prefeitura. Além da avenida, foram entregues dois viadutos da obra, a canalização do trecho entre o desemboque no canal do Guarapiranga e Terminal de ônibus com 1.300 metros e o tronco coletor de esgotos em ambas as margens em uma extensão de 800 metros. Também já foi concluído o remanejamento da adutora de água potável de diâmetro 1.200 milímetros. Ainda estão em execução a continuação da canalização e do sistema viário entre Guilherme Valente e José Barros Magaldi com 560 metros e a execução da canalização do córrego Jardim Letícia, além de outras intervenções.

No período da tarde, o prefeito e a ministra fizeram a visita ao terceiro ponto nas obras de implantação do Corredor Berrini, também na zona Sul. Com investimentos de R$ 45 milhões, a construção prevê faixa de ultrapassagem nas paradas, cobrança desembarcada e pavimento rígido. O corredor terá 3,3 quilômetros de extensão.

As obras do Corredor Inajar de Souza, zona Norte, foram a quarta construção vistoriada. Com 14,6 quilômetros de extensão, a via exclusiva à esquerda terá pavimento rígido e nas paradas, serão implantados rebaixamento de calçada na travessia de pedestres. Os pontos terão os novos modelos e o canteiro central contará com ciclovias. O corredor terá investimentos de R$ 170 milhões.

As informações são da Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura de São Paulo.
alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*