Entenda como funciona a transmissão de jogos da Copa do Mundo

Cada uma das 12 arenas da Copa do Mundo do Brasil conta com 34 câmeras dedicadas à transmissão oficial, o que faz com que o Mundial de 2014 registre recorde de câmeras. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

Processo começa no campo de jogo, passa pelos arredores dos estádios, chega ao IBC, no Rio de Janeiro, para depois alcançar todos os territórios do mundo. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

O centro de produção funciona no hall 3 do IBC, no Riocentro, e reúne os profissionais focados em produzir material para o pré e pós-jogo, editar as imagens capturadas e administrar o conteúdo armazenado nos servidores. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

O que está sendo exibido pela tela sinalizado como “World Feed” é o que telespectadores do mundo inteiro estão vendo em todo o mundo. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

A sala de controle mestre, localizada no IBC, é o local de controle técnico de toda a operação da geradora oficial, e é dali que é feita a distribuição do sinal de rádio e televisão para o mundo inteiro. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

A sala do controle mestre (Master Control Room) é o “coração” do IBC, que monitora as câmeras dos estádios de todas as cidades-sede. Foto: Nathália Mendes/Portal EBC

Domingo, 22 de junho de 2014 às 7h23

 

Nathália Mendes - Portal EBC

Desde o primeiro chute na bola na Arena Corinthians, no jogo de abertura, até o apito final no Maracanã, na grande final, espectadores dos 220 países vão acompanhar as jogadas, os gols e os resultados da Copa do Mundo do Brasil pela televisão ou rádio. A expectativa da Fifa é que a Copa de 2014 seja o evento mais visto da história, alcançando todos os territórios do mundo e superando a audiência de 3,2 bilhões de pessoas registrada em 2010, no Mundial da África do Sul.

A Host Broadcast Services (HBS), empresa baseada na Suíça e fundada em 1999, é a responsável pela captação, produção e emissão de imagens dos 64 jogos do Mundial. O processo para levar os jogos ao vivo até a televisão do torcedor começa nos estádios: cada arena conta com 34 câmeras dedicadas à transmissão oficial – mas este número pode ser maior, já que algumas emissoras licenciadas podem posicionar câmeras extras e exclusivas.

As imagens captadas pela geradora oficial e o áudio dos microfones dos comentaristas posicionados nas tribunas de imprensa são enviadas para as unidades de produção, localizadas nos arredores do estádio. No caso do Brasil, por causa das grandes distâncias entre as cidades-sede, a HBS optou por adotar contêineres ao invés dos caminhões de transmissão. Os contêineres ficam a até quatro quilômetros do estádio, e contam com um centro técnico de operação.

Entre estas 34 camêras, estão equipamentos de filmagem em helicópteros e também a chamada câmera-spider, que é presa por cabos de aço e consegue imagens aéreas bem próximas do campo de jogo. De acordo com a assessoria de imprensa da HBS, aproximadamente cinco mil horas de imagens devem ser armazenadas, entre jogos na íntegra, pré-jogo, pós-jogo, chegadas das seleções, lances captados por câmeras lenta e tática e imagens de pontos turísticos das cidades-sede.

Tudo que é capturado nas sedes é entregue por fibra óptica ou por satélite ao International Broadcast Centre (IBC, o centro de transmissão internacional), que fica no Riocentro, no Rio de Janeiro. O “coração” do IBC é a sala de controle mestre (Master Control Room), que monitora as câmeras de todas as sedes. A sala de controle mestre é o local de controle técnico de toda a operação da geradora oficial, e é dali que é feita a distribuição do sinal de rádio e televisão para o mundo inteiro.

O servidor que armazena o material produzido também fica no IBC: os supercomputadores são chamados de Fifa MAX Server, e disponibilizam imagens não apenas para a equipe de produção da HBS, que é responsável por administrá-lo, mas também para as emissoras licenciadas. O arquivo funciona ininterruptamente durante as dez semanas que o IBC funciona.

O controle de qualidade da imagem e do som é feito por equipes especializadas de produção, que avisam e ajudam a corrigir, em tempo real, qualquer problema neste sentido. Além disso, toda a informação que aparece na tela – como escalações, cartões, autor do gol, placar, tempo de jogo, tecnologia da linha do gol, estatísticas e por aí vai – é atualizada por profissionais que fazem parte da produção.

A Fifa oferece às emissoras licenciadas vários pacotes de transmissão, com preços e coberturas diferenciadas. O pacote considerado mínimo, que vai além da exibição básica do jogo (EBIF Show) conta com o pré-jogo, começando 40 minutos antes do pontapé inicial, a contagem regressiva e a vinheta de abertura, o jogo, o intervalo e o pós-jogo, terminando 20 minutos depois do apito final. Se pagarem mais, as emissoras podem incluir imagens ao vivo do estádio, de câmeras especiais (aérea, tática, lenta, supercâmera lenta), da chegada dos times, aquecimentos, entrevistas da zona mista e coletivas, entre outros.

Por gerar imagens para o planeta inteiro, a HBS criou um padrão internacional para a transmissão, para ser compreendido tanto por chineses quanto por brasileiros. Por conta desta padronização é que as informações, quando necessárias, podem surgir em inglês. Segundo a assessoria da HBS, siglas, símbolos e desenhos estão sendo cada vez mais testados e adotados para facilitar o entendimento. As emissoras licenciadas podem gerar caracteres em seu idioma em cima das imagens disponibilizadas pela Fifa, traduzindo informações para o público.

Até o começo do mês, 161 emissoras de TV tinham adquirido os direitos de transmissão da Copa do Mundo do Brasil. Outras 340 televisões são sublicenciadas, isto é, negociaram o direito de exibir os jogos com a Fifa e com uma emissora oficial. Entre as rádios, 158 têm autorização para transmitir os jogos da Copa do Mundo. No Brasil, são duas emissoras de tevê aberta (Globo e Bandeirantes), quatro TVs fechadas (Sportv, ESPN Brasil, Fox Sports e Bandsports) e 21 rádios. Em 2010, na Copa do Mundo da África do Sul, a Fifa arrecadou 2,4 bilhões de dólares só com a comercialização de direitos de transmissão.

Questionada pelo Portal EBC, a Fifa não informou, até o fechamento desta matéria (ontem, 21/6 às 18h50), os valores pagos para adquirir os direitos de transmissão da Copa do Mundo 2014.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*