Entre o Judô e o Jiu Jitsu brasileiro: Kano e Maeda

Gerson Soares

Quem treina mais de oito anos aproximadamente para chegar à faixa preta, considerada por muitos mestres, o início do caminho, sabe o quanto seria difícil tentar explicar todo o conhecimento e diversidade, adquiridos através dos milênios pelos quais as artes marciais são difundidas no mundo. Portanto, este ensaio sobre artes marciais, não tem a pretensão de esgotar o assunto, nem tampouco ser definitivo por que este tema é infinito. Nesta oportunidade, tentarei resumir como o Jiu Jitsu chegou ao Brasil e à família Gracie, que difundiu essa arte pelo mundo.

Hiki-otoshi é um dos golpes do Koshiki-no-kata, que é um kata do Judo.  Jigoro Kano de kimono preto aplica o golpe em Yamashita Yoshiaki.

Hiki-otoshi é um dos golpes do Koshiki-no-kata, que é um kata do Judo. Jigoro Kano de kimono preto aplica o golpe em Yamashita Yoshiaki.

Primeira parte

Ju Jutsu e o Judô. Mestres Jigoro Kano e Conde Koma.

O profundo estudo sobre o surgimento das Artes Marciais nos remetem a épocas ancestrais, conhecimentos advindos da observação de animais e da natureza. Mas, superficialmente falando quando se trata deste assunto, as mais diversas técnicas surgiram para o avanço da defesa pessoal ou ataque e também para o condicionamento físico. O emprego das artes marciais pelos monges budistas desde a antiguidade ou dos professores de educação física atuais, que utilizam algumas técnicas de aquecimento entre outros exercícios, demonstra sua eficiência.

No Japão, durante o Período Meiji (1868 a 1912), as artes marciais perdem a popularidade devido a vários fatores. Esse declínio também pode ser creditado ao uso de armas de fogo, que exerciam a mesma função de um exército treinado em artes marciais de forma mais rápida e com mais impacto. Porém, sem a mesma coragem e honra dos samurais.

Mestre Mitsuyo Maeda, conde Koma, aplica golpe durante treino de Jiu Jitsu.

Mestre Mitsuyo Maeda, conde Koma, aplica golpe durante treino de Jiu Jitsu.

Nesse processo, o Ju Jutsu ganhou má fama, pois com a modernização do Japão, o treinamento em artes marciais não era mais essencial para a sobrevivência da nação e com a falta de popularidade certas escolas passam a aceitar qualquer tipo de aluno, muitos deles arruaceiros, que não faziam muita questão de aprender a parte filosófica da arte marcial.

Nesse período surge Jigoro Kano, um praticante de Ju Jutsu que adapta a arte marcial ao seu porte físico de pequena estatura, criando assim o Judô. Jigoro Kano apresentou a nova arte marcial ao imperador que a oficializou e a introduziu no treinamento da polícia japonesa. Após ter se ramificado em diversas outras artes marciais, o Ju Jutsu perdeu quase totalmente sua popularidade chegando quase à extinção.

Já o Judô de Jigoro Kano ganhava cada vez mais popularidade e começou a percorrer o mundo. Um de seus alunos Mitsuyo Maeda, ou Conde Koma, viajou através das Américas e da Europa fazendo apresentações e em 1914 chegou ao Brasil, onde percorreu diversos estados fazendo demonstrações em diersas capitais, como PortoAlegre, Rio de Janeiro e São Paulo, chegando ao Norte do país. Em 18 de dezembro de 1915, chegou a Manaus.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*