Esculturas do australiano Ron Mueck já estão em SP

 

Assista o vídeo e veja como o artista trabalha em seu estúdio na Inglaterra.

Ron Mueck – Still Life: Ron Mueck at Work – 2013

Fondation Cartier pour l’art contemporain

 


Sexta-feira, 14 de novembro de 2014, às 19h43

As esculturas super-realistas de Ron Mueck estão em fase de montagem na Pinacoteca de São Paulo e poderão ser vistas pelo público a partir da próxima quinta-feira, 20 de novembro até 22 de fevereiro de 2015.

Casal de idosos na praia, estátua hiper-real de Ron Mueck. Foto: Patrick Gries

Casal de idosos na praia, estátua hiper-real de Ron Mueck. Foto: Patrick Gries

Depois da passagem pelo Rio de Janeiro e Buenos Aires, chega à Pinacoteca de São Paulo, a exposição do artista australiano. De acordo com a curadoria do evento, Ron Mueck se inscreve na tradição escultórica de representação da figura humana. “Os temas, materiais e técnicas utilizados fazem dele um autor original, inovador e contemporâneo. Suas esculturas cativam pela mudança nas dimensões de escala e realismo dos personagens, cujos gestos sutilmente expressam situações cheias de vida e mistério”, diz.

O sucesso acompanhou as estátuas, de realismo impressionante, durante as exposições pelo Japão, Austrália, Nova Zelândia, México, Buenos Aires e Rio de Janeiro. Mueck trabalha lentamente em seu pequeno estúdio no norte de Londres, onde o tempo é um importante elemento para o seu processo criativo. O detalhe de suas figuras humanas é meticuloso, com mudanças surpreendentes de escala que estão longe do realismo acadêmico, hiper-realismo ou da pop art.

De acordo com a Pinacoteca de São Paulo, as obras do australiano não descrevem pessoas reais ou situações, mas a obsessão com a verdade falada de um artista que busca a perfeição e é extremamente sensível com a forma e a matéria. Empurrando a verossimilidade ao limite, Mueck cria obras secretas, meditativas e fascinantes. Uma mãe com seu filho, casais jovens ou adultos que variam entre estados de tensão e calma e um homem nu em um barco à deriva, são algumas das imagens que fazem parte da exposição. Obras que encerram uma interioridade vital e profunda, capazes ao mesmo tempo de expressar a perfeição técnica do artista e sua obsessão com a verdade.

Mueck utiliza materiais como resina, fibra de vidro, silicone e acrílico para reproduzir fielmente cada detalhe da anatomia humana e construir esculturas que tematizam pinturas de vida e morte. Suas obras evocam uma espécie de realismo que é ao mesmo tempo íntimo e monumental. Em diferentes escalas, o artista amplia ou reduz muito o tamanho dos corpos para criar situações que movimentam o espectador.

 

Veja outras imagens hiper-reais no facebook

 

Dentre as obras apresentadas, Still Life (Natureza morta, 2009) faz parte da tradição clássica do gênero, Woman with sticks (Mulher com galhos, 2008) se inclina para trás em um feixe de lenha e nos lembra contos de bruxas. Drift (A deriva, 2009) e Youth (Juventude, 2009) parecem inspirados por manchetes, mas também evocam obras passadas. Outras esculturas de Ron Mueck, como o grande auto-retrato adormecido Mask II (Máscara II, 2002), chocam os sonhos em realidade.

Seu reservado processo criativo é revelado no documentário apresentado na mostra. Still life: Ron Mueck at work (Natureza Morta: Ron Mueck no Trabalho). Produzido para a exposição na Fundação Cartier. Foi filmado no estúdio de Ron Mueck enquanto produzia suas obras. É uma oportunidade única para observar o artista mergulhado em seu muito pessoal processo criativo.

Três esculturas estarão expostas na Pinacoteca, após o evento original em Paris: dois adolescentes na rua, uma mãe com seu bebê e um casal de idosos na praia. Todas apresentam pessoas congeladas em momentos de vida, e cada uma captura a ligação entre dois seres humanos. A natureza da relação é revelada em ações pequenas, comuns e às vezes misteriosas. A precisão de seus gestos, a representação precisa da carne, a suavidade implícita da pele lhes confere uma aparência absoluta.

A exposição terá ainda o catálogo Ron Mueck, livro referencial sobre seu trabalho artístico. Concentrando-se nas obras que compõe a mostra, revê em seus textos 20 anos da produção, as origens e trajetória do artista. Esta publicação poderá ser adquirida na loja física e virtual da Pinacoteca.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*