Extintor em automóveis passa a ser facultativo: o que pensar do Contran?


Sexta-feira, 18 de setembro de 2015, às 19h37


Esta é mais uma espalhafatosa atitude, possível apenas diante de um governo em que as atuais lideranças (exceções feitas), espalhadas pelos mais diversos cargos – na maioria das vezes através de indicações puramente políticas – ocupam suas posições como se fossem crianças no playground ao invés de as ocuparem como homens que devem conduzir uma Nação.

Gerson Soares

Depois de infernizar a vida dos motoristas brasileiros pela busca desenfreada de extintores, prazos e prorrogações de prazos, os burocratas do Contran resolvem que o equipamento não é mais obrigatório nos automóveis, mas mantêm a exigência em outros veículos.

Você saberia utilizar aquele extintor que vem de fábrica com o carro e com o tempo perde a validade da carga? Se a resposta for não, tranquilize-se. A maioria dos motoristas não saberia como usar corretamente o equipamento no caso de incêndio. Isto é um erro, afinal pode salvar vidas. Mas sobre o dinheiro arrecadado com as multas pela falta desse item, por exemplo, não se tem notícia de que tenha sido utilizado para a educação dos usuários nesse sentido.

 

Extintores de incêndio em carros de passeio deixam de ser obrigatórios. Foto: Fernanda Carvalho/ fotos publicas

Extintores de incêndio em carros de passeio deixam de ser obrigatórios. Foto: Fernanda Carvalho/ fotos publicas

 

Se algum tipo de curso existe está restrito aos bastidores, quando deveria ser amplamente divulgado e incentivado. Mas os prazos para que os extintores estivessem no interior dos veículos, estes sim tiveram ampla publicidade para depois serem prorrogados, devido à correria dos proprietários de veículos automotores, sob pena de multas e o aumento dos pontos na CNH (carteira nacional de habilitação).

O uso de extintor de incêndio em automóveis passa a ser facultativo no Brasil a partir de hoje (18), conforme resolução do Ministério das Cidades publicada no Diário Oficial da União. A decisão foi tomada ontem (17) pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e envolve utilitários, camionetas, caminhonetes e triciclos de cabine fechada.

O equipamento continua obrigatório para todos os veículos usados comercialmente para transporte de passageiros, caminhões, caminhão-trator, micro-ônibus e ônibus, além de veículos destinados ao transporte de produtos inflamáveis, líquidos e gasosos.

A obrigatoriedade do uso do extintor estava em vigor no país desde 1970. Segundo o governo, a decisão pelo uso opcional do equipamento foi tomada após encontros com representantes dos fabricantes de extintores, do Corpo de Bombeiros e da indústria automobilística. Nem mesmo a indústria que fabrica os equipamentos estava preparada para atender as vendas, seus prazos para isso demandam anos e não meses como queria o órgão máximo do trânsito no país.

Tal o distanciamento da realidade que estes julgaram que os automóveis estão muito mais seguros contra incêndios atualmente. Mas será que ninguém percebeu isto antes? Ninguém avisou ao Contran que o país está no ano 2015, provido de um dos maiores e mais modernos parques industriais automobilísticos da América Latina? É difícil não causar estranheza o fato de haver tanta falta de conhecimento, só agora percebida?

No final de 2014 o produto desapareceu e os preços foram parar em Plutão! O prazo determinado para 1º de janeiro foi adiado várias vezes até 1º de outubro, data final. A brincadeira do Contran levou muita gente a enfrentar filas enormes. Há 14 dias do prazo final, o órgão chega à conclusão de que os motoristas são mais perigosos com os extintores nas mãos do que sem eles e cancela a obrigatoriedade para os automóveis – grande maioria da frota nacional.

De acordo com o próprio Contran, a Associação Brasileira de Engenharia Automotiva (AEA) informou que dos 2 milhões de sinistros em veículos cobertos por seguros, 800 tiveram incêndio como causa. Desse total, apenas 24 informaram que usaram o extintor, equivalente a 3%, informou o G1.

Autoridades de trânsito vão continuar a fiscalizar o uso de extintores de incêndio nos veículos em que seu uso é obrigatório. A punição para quem não estiver com o equipamento ou para quem estiver com o equipamento com validade vencida inclui multa de R$ 127,69 e cinco pontos na carteira de habilitação.

Com informações da Agência Brasil
Joaquim Levy disse que medidas em tramitação no Congresso podem ajudar na reestruturação fiscal do paísFabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Joaquim Levy disse que medidas em tramitação no Congresso podem ajudar na reestruturação fiscal do país. Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Leia mais sobre
ALÔ BRASIL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*