Governador de SP pede agilidade ao Governo Federal


Segunda-feira, 10 de novembro de 2014, às 20h25

Alckmin pede agilidade na liberação de recursos federais para obras de mobilidade e solicita R$ 3,5 bi para investimentos no abastecimento de água no Estado de São Paulo.

Governador Geraldo Alckmin concede entrevista coletiva em Brasília. Foto: A2 Fotografia / Paulo Negreiros

Governador Geraldo Alckmin concede entrevista coletiva em Brasília. Foto: A2 Fotografia / Paulo Negreiros

O governador Geraldo Alckmin esteve reunido com a presidente Dilma Roussef em Brasília nesta segunda-feira (10) e houve consenso para criação de um grupo de trabalho que vai se reunir no dia 17 para discutir os detalhes dos projetos apresentados pelo governador.

Após a reunião, Alckmin falou sobre os investimentos que reforçarão o abastecimento de água no Estado. “Trouxemos uma relação de investimentos que somam R$ 3,5 bilhões. É um conjunto de obras que vêm sendo trabalhadas pelo Governo do Estado. Tivemos uma boa conversa sobre a possibilidade de recursos do Tesouro ou financiamento”, afirmou o governador.

Garantindo não haver risco de desabastecimento de água a curto prazo, o governador de São Paulo disse que a proposta apresentada a Dilma é de novas obras. Segundo ele, várias obras para melhorar o abastecimento estão em andamento. “Nós temos repetido isso desde o início do ano. Nós temos em São Paulo um sistema extremamente forte, nem entramos na segunda reserva técnica do Cantareira. Então, não são obras para amanhã; as obras para amanhã estão sendo feitas. Nós vamos entregar neste mês de novembro mais um metro cúbico por segundo (m³/s) do Guarapiranga. Mais 300 mil pessoas saem do Cantareira”, informou.

Obras sugeridas

As oito obras sugeridas pelo Governo do Estado são: interligação dos reservatórios Atibainha e Jaguari, construção de dois grandes reservatórios na região de Campinas, adução desses reservatórios com os sistemas distribuidores, duas estações de produção de água de reúso em São Paulo, interligação do Jaguari com a região de Campinas, interligação do Rio Grande com a Billings e poços artesianos na região do Aquífero Guarani para a região de Campinas.

“A presidente viu com bons olhos o conjunto das obras, mas nós vamos ter uma conversa mais aprofundada para que ela bata o martelo naquilo que o governo federal ajudará São Paulo”, disse a ministra Miriam Belquior, complementando que, do meio para o fim da semana que vem, poderá haver uma resposta do melhor formato de financiamento. “É comum a presidenta dizer que o montante de recursos, claro, depende da nossa capacidade, mas, fundamentalmente, depende da importância das obras a serem realizadas. Se durante o processo de discussão estiverem claras a importância das obras para o abastecimento da região, nós poderíamos até apoiar tudo”, disse.

Rede paulista de transporte sobre trilhos

Durante a reunião com Dilma Roussef, Alckmin também fez uma série de reivindicações para dar continuidade à expansão e qualificação da rede paulista do transporte sobre trilhos. Alckmin pediu ainda que a União autorize o governo estadual a usar faixas de domínio federal para que o Estado dê andamento ao projeto do trem intercidades.

“Temos o decreto do governo federal para três obras de mobilidade em São Paulo. O trem que vai de São Paulo para Guarulhos, a nova Linha 13 da CPTM, o trem que vai para Varginha, na capital, Linha 9 da CPTM e reforma de estações, ampliação e acessibilidade”.

Linha 9-Esmeralda

Entre as reivindicações então a extensão da Linha 9-Esmeralda, no trecho Grajaú e Varginha, que encontra-se em andamento, tendo o Governo do Estado de São Paulo já comprometido, até agosto, R$ 129,6 milhões em desapropriações. Devido a não assinatura do respectivo Termo de Compromisso, foi necessária a liberação de mais R$ 30 milhões por parte do Estado para dar continuidade ao projeto, o que representa mais de 100% do aporte inicialmente previsto a título de contrapartida. O aporte federal nesta obra é de R$ 500 milhões.

Linha 13-Jade

Alckmin também pediu agilidade para liberações de recursos para a implantação da Linha 13-Jade (o trem de Guarulhos), no valor de R$ 250 milhões. As obras para a implantação da linha foram iniciadas em outubro de 2013 e continuam em pleno andamento. Os recursos a serem liberados pelo OGU (Orçamento Geral da União) referem-se a investimentos para aquisição dos sistemas de sinalização e telecomunicações.

Reforma e modernização

Por fim, foi solicitado à presidente Dilma a liberação de R$ 590 milhões para a reforma e modernização de 18 estações da CPTM e implantação de terminal em Franco da Rocha. O repasse desse recurso é importante para o prosseguimento dos processos licitatórios, já que está pendente a homologação das licitações de quatro estações, bem como a continuidade dos demais certames.

Com informações do Portal do Governo do Estado e Agência Brasil

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*