Governador inaugura novo Copom da capital

Sexta-feira, 13 de junho de 2014 às 20h01

 

A modernização do Centro de Operações da PM aumentará a capacidade de atendimento do 190 e a integração com serviços públicos.

Governador Geraldo Alckmin e o secretário Fernando Grella Vieira (segurança Pública) inauguram a nova sede do Copom da capital. Foto: Diogo Moreira

Governador Geraldo Alckmin e o secretário Fernando Grella Vieira (segurança Pública) inauguram a nova sede do Copom da capital. Foto: Diogo Moreira

SSP-SP – O governador Geraldo Alckmin e o secretário da Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, inauguraram nesta quarta-feira, 11, a nova sede do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) da capital. Foram investidos R$ 85,1 milhões nas obras do prédio e aquisição de equipamentos que permitirão a ampliação do serviço de emergência.

O novo Copom foi construído para aumentar a capacidade de recebimento das ligações ao 190. A mudança permite à PM quase quadruplicar as posições de atendimento do setor, que antes contava com 56 pontos e agora passa a ter 208. O novo espaço tem 10.645 m² e possui seis pavimentos.

Foram investidos R$ 85,1 milhões nas obras do prédio e aquisição de equipamentos. Foto Diogo Moreira

Foram investidos R$ 85,1 milhões nas obras do prédio e aquisição de equipamentos. Foto Diogo Moreira

O edifício funciona como um Centro Integrado de Comando e Controle, pois possibilita a integração com outros órgãos prestadores de serviço público, como Metrô, CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), SPTrans e Vivo. A ação conjunta facilita o planejamento, coordenação e acompanhamento de atividades conjuntas entre os envolvidos.
“Nós já fizemos a licitação e contratamos a empresa que será responsável pelo atendimento, desta forma conseguiremos liberar 280 policiais militares para atuarem em outras funções”, explicou o governador, ressaltando que “o atendimento vai ser feito por civis, mas o despacho (decisão quanto à ação a ser adotada) será feita por policiais militares”.

O espaço tem um videowall (telão) com 95 monitores de 55 polegadas. Ele permitirá, em tempo real, a análise inteligente da dinâmica criminal por meio de imagens de câmeras de videomonitoramento, mapas georreferenciados com posicionamento das ocorrências e da localização em tempo real das viaturas.

No videowall, será possível monitorar as imagens das 352 câmeras em pontos estratégicos da capital para realizar o patrulhamento e o planejamento policial.

Tecnologia

Uma inovação da nova sede do Copom é a rede de dados totalmente dedicada para os seus serviços. Isso permite o recebimento e transmissão de imagens e informações em tempo real com os demais COPOMs e COBOMs (Centros de Operações de Bombeiros) do Estado, além de outras centrais de emergência.

No primeiro andar do edifício funciona a sala do “Olho de Águia”, um sistema que permite aos policiais ter acesso ao vivo a imagens captadas pelas câmeras dos helicópteros e motocicletas da PM durante o acompanhamento de ocorrências. Por meio da ferramenta, as imagens são capturadas e retransmitidas à sala do “Olho de Águia” do Copom.
A sede conta com sistemas de gravação de áudio do atendimento 190 e de despacho por rádio, o que viabiliza o controle e auditoria de qualidade.

O Copom da capital recebe 40 mil ligações por dia. Nos últimos cinco anos, houve um crescimento de mil chamadas diárias a cada ano. Desse total, apenas 20% dos atendimentos geram ocorrência policial. As demais ligações não são de emergência, como pedidos de informações, e 5% são trotes.

O Governo do Estado já investiu outros R$ 9,5 milhões na expansão e modernização do Copom de Campinas, que foi entregue em janeiro. Em abril do ano passado, foram inauguradas as novas instalações do Centro de Operações de Presidente Prudente, que custaram R$ 6,1 milhões.

 

Nova sede do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) da capital. Foto: Diogo Moreira

Nova sede do Centro de Operações da Polícia Militar (Copom) da capital. Foto: Diogo Moreira

 

Ampliação do atendimento

A modernização do Copom viabilizará, ainda, o processo de terceirização do serviço de atendimento das chamadas do 190, com uma empresa que será responsável pelo atendimento.
Por meio do projeto, civis serão colocados na atividade, permitindo que os PMs que atuam nos atendimentos telefônicos possam reforçar o policiamento preventivo e ostensivo das ruas.
A primeira fase do programa de terceirização do 190 está sendo iniciada pela capital e também contemplará Osasco e São José dos Campos.

O serviço do Copom continuará sob o comando de PMs. Os civis que vão atender as chamadas serão treinados por policiais e supervisionadas por eles. Por exemplo, a decisão sobre o envio de uma viatura será feita por um PM.

As pessoas que atuarão no atendimento passarão por um processo de capacitação, treinamento, testes e avaliações. Assim como acontece hoje, o funcionário seguirá um roteiro de perguntas e respostas.

O sistema de terceirização já está implantado em 12 capitais brasileiras. A PM paulista fez pesquisas nessas capitais e aprofundou análise com visitas a Minas Gerais e Distrito Federal. Os resultados dessas pesquisas orientaram o modelo adotado em São Paulo.
A PM paulista também terá planos de contingência, caso a empresa terceirizada falhe na prestação do serviço. Ou seja, sempre haverá policiais militares aptos a desempenharem as funções do 190. As informações são da Secretaria de Segurnça Pública do Estado de São Paulo.

 

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*