Greves

Gerson Soares

Após um dia tenso, que ainda não acabou para muitos usuários dos transportes coletivos, motoristas e cobradores de ônibus entraram em acordo na sede da Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e prometeram voltar ao trabalho a 0h desta quinta-feira (22). Porém, os representantes condicionaram o acordo à intervenção do prefeito Fernando Haddad, que deve ser marcada para amanhã.

Servidores federais, estaduais e municipais da cultura, saúde e educação protestam em passeata por mais investimentos, melhores salários e condiçôes e contra gastos com a Copa, agora pouco (21/05 - 18h25). Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Servidores federais, estaduais e municipais da cultura, saúde e educação protestam em passeata por mais investimentos, melhores salários e condiçôes e contra gastos com a Copa, agora pouco (21/05 – 18h25). Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Em Ribeirão Preto, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse hoje (21) que “greve de motoristas e cobradores de ônibus é um assunto municipal e está fora de alçada do governo”. Ele também afirmou que se houve sabotagem por parte dos grevistas, como afirmou o prefeito, a polícia deve investigar. O prefeito cogitou a intervenção da PM e pediu investigação do Ministério Público.

A greve dos ônibus já atrapalhou bastante a vida dos paulistanos nestes dois últimos dias. Agora, é a vez dos metroviários que entraram em estado de greve no início da noite, mas ainda não significa uma paralisação da categoria.

E como sempre quem vai pagar a conta são os cidadãos que nada tem com essas greves que se alastram pelo país. As categorias fazem suas reivindicações exercendo plenamente seus direitos e aqueles que pagam boa parte dos salários e condições reivindicadas é que são os prejudicados, ou seja, a população.

Central do Brasil, 08 de Maio de 2014. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

Central do Brasil, 08 de Maio de 2014. Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil)

As greves que se multiplicam no país têm logicamente o intuito de serem visadas pelo mundo afora, devido a aproximação da Copa do Mundo, cuja abertura se dará em 21 dias. Que as categorias têm o direito de reivindicar não resta dúvida, mas se por um lado eles tentam resolver os seus problemas classistas, por outro não se pode perder de vista os direitos adquiridos também pelos cidadãos que precisam trabalhar, ir aos hospitais, às escolas e ter sua liberdade garantida.

Com a greve dos rodoviários, movimentação de passageiros na Central do Brasil é intensa, mostra a imagem. A situação se repete cada vez que os transportes públicos são afetados pelas greves. Em São Paulo, na noite de ontem, as pessoas tiveram de voltar a pé para suas casas, em meio a elas estão idosos, crianças, doentes e trabalhadores depois da jornada de trabalho, que com ou sem ônibus, metrô e trem terão de voltar ao trabalho no dia seguinte.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*