Hubble faz 26 anos e destaca bolha gigante soprada no espaço, vídeo


Terça-feira, 26 de abril de 2016 às 20h16


A imagem, que pode ser vista em expansão num vídeo publicado na última quinta-feira (21), comemora lançamento do telescópio espacial em abril de 1990.

NASA – Telescópio Espacial HUBBLE
Texto original: NASA, ESA, and the Hubble Heritage Team (STScI/AURA)
Edição: Gerson Soares

Os astrônomos da NASA estão comemorando o 26º aniversário de lançamento do telescópio espacial Hubble, colocado na órbita da Terra pela tripulação do ônibus espacial STS-31 (Space Transportation System) em 24 de abril de 1990. Para comemorar a data, eles elegeram a imagem de uma enorme bolha sendo inflada para o espaço por uma estrela massiva super quente (super-hot massive star) da Nebulosa da Bolha ou NGC 7635.

 

Imagem escolhida pelos astrônomos da NASA para comemorar os 26 anos de lançamento do telescópio espacial Hubble. Créditos: NASA, ESA, and the Hubble Heritage Team (STScI/AURA), F. Summers, G. Bacon, Z. Levay, and L. Frattare (Viz 3D Team, STScI)

Imagem escolhida pelos astrônomos da NASA para comemorar os 26 anos de lançamento do telescópio espacial Hubble. Créditos: NASA, ESA, and the Hubble Heritage Team (STScI/AURA), F. Summers, G. Bacon, Z. Levay, and L. Frattare (Viz 3D Team, STScI)

 

“Na medida em que o Hubble faz sua revolução de 26 anos ao redor do nosso Sol, comemoramos o evento com a imagem espetacular da interação dinâmica e emocionante de uma jovem estrela e o seu entorno. A visão da Nebulosa da Bolha, elaborada a partir das imagens da câmera WFC-3, lembra que o Hubble nos coloca na primeira fila para o universo imponente e inspirador em que vivemos”, disse o astronauta e administrador da Diretoria de Missões Científicas da NASA, John Grunsfeld, na sede da empresa norte-americana em Washington, DC.

As distâncias espaciais são imensas e suas medidas também, lembrando que um ano-luz equivale a 10 trilhões de quilômetros. A Nebulosa da Bolha está a 7.100 anos-luz da Terra na constelação de Cassiopéia e tem sete anos-luz de diâmetro, aproximadamente uma vez e meia a distância do Sol à sua vizinha mais próxima, a estrela Alpha Centauri – a terceira mais brilhante no céu do Hemisfério Sul e que pode ser vista a olho nu, a Leste do Cruzeiro do Sul.

A estrela fervente em plena ebulição que forma esta nebulosa é 45 vezes mais massiva do que o Sol. O gás na estrela fica tão quente que escapa para o espaço como um “vento estelar” movendo-se a mais de quatro milhões de milhas por hora. Esse escape varre o gás frio interestelar à sua frente, formando a borda externa da bolha que pode ser vista na imagem (assista o vídeo). Como a superfície da casca da bolha se expande para fora, ela bate em regiões densas de gás frio em um lado. Esta assimetria faz com que a estrela pareça dramaticamente fora do centro da bolha, com sua posição a 10 horas na visão do Hubble.

Assista o zoom na fotografia do telescópio espacial Hubble de uma enorme bolha, sendo soprada para o espaço como um balão, por uma estrela massiva super quente na Nebulosa da Bolha, ou NGC 7635. Créditos: NASA, ESA, and the Hubble Heritage Team (STScI/AURA), F. Summers, G. Bacon, Z. Levay, and L. Frattare (Viz 3D Team, STScI)

Esta série de ilustrações fotográficas mostra a fusão prevista entre a Via Láctea e a vizinha galáxia de Andrômeda. :: Primeira fila • foto da esquerda: dias atuais. • à direita: em 2 bilhões de anos o disco da galáxia de Andrômeda se aproxima e é visivelmente maior. :: Segunda fila • esquerda: em 3,75 bilhões de anos Andrômeda preenche o campo de visão. • direita: em 3,85 bilhões de anos, um céu flamejante devido à formação de novas estrelas. :: Terceira fila • esquerda: em 3,9 bilhões de anos, a formação de estrelas continua. • direita: em 4 bilhões de anos Andrômeda se estende e a Via Láctea perde a sua forma. :: Quarta fila • esquerda: em 5,1 mil milhões de anos, os núcleos da Via Láctea e Andrômeda aparecem como um par de lóbulos brilhantes. • direita: em 7 bilhões de anos, as galáxias unidas formam uma enorme galáxia elíptica e o seu núcleo brilhante domina o céu noturno.

Esta série de ilustrações fotográficas mostra a fusão prevista entre a Via Láctea e a vizinha galáxia de Andrômeda.
:: Primeira fila
• foto da esquerda: dias atuais.
• à direita: em 2 bilhões de anos o disco da galáxia de Andrômeda se aproxima e é visivelmente maior.
:: Segunda fila
• esquerda: em 3,75 bilhões de anos Andrômeda preenche o campo de visão.
• direita: em 3,85 bilhões de anos, um céu flamejante devido à formação de novas estrelas.
:: Terceira fila
• esquerda: em 3,9 bilhões de anos, a formação de estrelas continua.
• direita: em 4 bilhões de anos Andrômeda se estende e a Via Láctea perde a sua forma.
:: Quarta fila
• esquerda: em 5,1 mil milhões de anos, os núcleos da Via Láctea e Andrômeda aparecem como um par de lóbulos brilhantes.
• direita: em 7 bilhões de anos, as galáxias unidas formam uma enorme galáxia elíptica e o seu núcleo brilhante domina o céu noturno.

Leia mais sobre
ASTRONOMIA

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*