Imóveis: Conheça os resultados da pesquisa em SP

Terça-feira, 5 de agosto de 2014 às 18h22


Venda e locação de imóveis usados têm queda reduzida na cidade de SP. Este é o resultado da última pesquisa divulgada em julho pelo Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo sobre o primeiro trimestre do ano, realizada em abril.

O “trimestre para esquecer”, como resume José Augusto Viana Neto, presidente do Creci de São Paulo, começa a ser superado pelos mercados de venda de imóveis usados e de locação residencial da cidade de São Paulo. Depois de ter acumulado queda de 7,2% entre Janeiro e Março, as vendas caíram 3,02% em Abril. E a locação de casas e apartamentos praticamente ficou estável, com redução de 0,2% em comparação com Março.

Imagem da cidade de São Paulo. Foto: Stock Photo

A comparação direta dos resultados de vendas e locação de Abril com Março indica mais claramente o que pode ser um início de reversão de tendência. Em Março as vendas haviam caído 17,02%, ou 14 pontos percentuais a mais que em Abril, enquanto que a locação recuara 18,84%, ou 18,64 pontos percentuais mais que em Abril.

“Pode ser um indício de mudança no comportamento do mercado, mas será preciso esperar os resultados das próximas pesquisas do CRECISP para termos uma definição mais clara”, afirma Viana Neto. A pesquisa de Abril do Conselho Regional dos Corretores de Imóveis do Estado de São Paulo (CRECISP) foi feita com 341 imobiliárias da cidade de São Paulo e mostrou comportamentos distintos nos preços de venda e nos valores de locação residencial.

Os preços do metro quadrado dos imóveis usados vendidos em Abril subiram em média 1,87% em relação a Março. Nos últimos 12 meses, de Maio de 2013 a Abril último, o aumento acumulado é de 18,15%, mais de 12 pontos percentuais acima da inflação de 6,28% medida pelo IPCA do IBGE. Os aluguéis em Abril baixaram 0,19% em média na comparação com Março, e o aumento acumulado nos mesmos 12 meses é de 7,86%, pouco mais de 1 ponto percentual acima do IPCA.

Financiados lideram vendas

Financiados lideram vendas

As 341 imobiliárias consultadas pelo CRECISP venderam em Abril 69,3% em apartamentos e 30,7% em casas. O índice de vendas da Capital recuou de 0,3447 em Março para 0,3343 em Abril, uma queda de 3,02%.

Os imóveis mais vendidos, com 57,89% das vendas, foram os de preço final até R$ 400 mil. Na divisão por faixa, predominaram as com preço médio de metro quadrado de até R$ 5.000,00, com 62,5% do total de casas e apartamentos vendidos. Os proprietários dos imóveis vendidos concederam descontos médios de 3,27% (bairros da Zona B) a 11,25% (bairros da Zona A).

A pesquisa CRECISP apurou que 57,02% dos imóveis usados foram vendidos em Abril com financiamento de bancos e outros 40,35% à vista. Houve ainda 2,63% vendidos a prazo diretamente pelos proprietários.

O imóvel que ficou mais caro em Abril foram os apartamentos de padrão médio com 8 a 15 anos de construção e situados em bairros agrupados na Zona D, como Cidade Ademar, Cupecê, Freguesia do Ó. O preço médio do metro quadrado subiu 20,46%, passando de R$ 3.676,47 em Março para R$ 4.428,57 em Abril.

Entre as casas e apartamentos usados cujos preços baixaram em Abril, a maior queda foi a dos apartamentos também de padrão médio mas com mais de 15 anos de construção e situados na Zona C, onde estão bairros como Lapa, Mandaqui, Mirandópolis. A queda foi de 16,69%, com o preço médio do metro quadrado baixando de R$ 5.203,75 em Março para R$ 4.335,30 em Abril.

Lugar de bairros como Água Branca, Bosque da Saúde, Barra Funda, a Zona C concentrou a maioria das vendas de imóveis usados em Abril, com 28,07% dos negócios fechados nas 341 imobiliárias consultadas pelo CRECISP. Em segundo lugar ficou a Zona A, onde estão os Jardins, com 23,67%, seguida da Zona B, com 18,4%, e das Zonas D e E, empatadas com 14,93% das vendas.

Aluguel de apartamento sobe 43%

Aluguel de apartamento sobe 43%

A pesquisa CRECISP registrou aumento de até 43% no aluguel de apartamentos em Abril na Capital, caso das quitinetes situadas na Zona D. O valor médio subiu de R$ 500,00 para R$ 715,00. Entre os aluguéis que baixaram de Março para Abril, a maior redução foi de 28,17% nos apartamentos de 3 dormitórios situados na Zona E. O aluguel médio de R$ 1.040,00 em Março caiu para R$ 747,00 em Abril.

As 341 imobiliárias que o CRECISP consultou receberam de volta 534 imóveis, o equivalente a 73,25% dos imóveis alugados em Abril. Esse número é 8,39% menor que o apurado em março, que foi de 79,96%.

A inadimplência também baixou em Abril, com índice de 4,1% do total de contratos em vigor nas imobiliárias. Em Março estavam inadimplentes 5,45% dos inquilinos.

Aluguel inicial teve desconto de até 11% em Abril

Aluguel inicial teve desconto de até 11% em Abril em SP

Quem alugou imóveis na Capital em Abril conseguiu desconto de até 11% sobre o valor originalmente pedido pelos proprietários de casas e apartamentos em oferta nos bairros da Zona D. Foi o maior percentual apurado pelo Pesquisa CRECISP nas 341 imobiliárias pesquisadas. O menor desconto foi de 7,65% nos imóveis da Zona A, que agrupa bairros como Alto da Boa Vista, Alto de Pinheiros, Brooklin Velho, entre outros.

Foram alugados em Abril 54,73% do total em apartamentos e 45,27% em casas. O número de locações foi 0,2% inferior ao de Março, com o índice de locação da Capital recuando de 2,1421 em Março para 2,1378 em Abril.

O seguro de fiança e o depósito de três meses do valor do aluguel foram adotados em 46,09% dos contratos como garantia de pagamento em caso de inadimplência do inquilino. O fiador respondeu por 46,23% dos contratos, outros 5,21% foram garantidos por caução de imóveis e 2,06% foram alugados sem garantia. Houve ainda 0,41% de contratos assinados por cessão fiduciária.

Os imóveis com aluguel mensal até R$ 1.200,00 somaram 55,69% do total de novas locações em Abril, segundo a pesquisa CRECISP. O aluguel mais barato na Capital foi de R$ 513,80 por casas simples de 1 dormitório situadas em bairros da Zona E, na periferia, como Jardim Ângela, Jardim Brasil, Jardim São Luis. O mais caro aluguel de Abril foi de R$ 6.475,00 por apartamentos de 4 dormitórios nos bairros da Zona A.

Ações judiciais aumentam 6,83%

Ações judiciais aumentam 6,83%

O número de ações judiciais propostas em Abril nos Fóruns da Capital foi 6,83% maior que o de Março, de 4.125 para 4.503, segundo apuração feita pelo CRECISP.

Cresceu 10,94% em Abril o número de ações de rito sumário (de 2.587 para 2.870). As ações consignatórias de pagamento tiveram alta de 9,09% (de 11 para 12) enquanto que o número de ações por falta de pagamento aumentou 2,63% (de 1.295 para 1.329). Foram 177 ações de rito ordinário Abril, ou 1,72% a mais que 174 propostas em Março. A única queda – 22,3% - foi a de ações renovatórias, de 148 em Março para 115 em Abril.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*