IX Mostra de Teatro de S. Miguel acontece com realização do Buraco d´Oráculo


Segunda-feira, 18 de maio de 2015, às 15h15


O teatro de rua invade a zona Leste com 13 espetáculos, além de intervenções circenses, oficina e lançamento de livro, na nona edição da Mostra. Cultura e diversão ao ar livre!

Entre os dias 22 e 31 de Maio, acontece a IX Mostra de Teatro de São Miguel Paulista na Praça do Casarão (ao lado da Estação Vila Mara, da CPTM), no Jardim Helena, zona Leste de São Paulo. A programação – gratuita e diversificada – dá um panorama atual do teatro de rua brasileiro.

 

burac orac dest

Saiba mais

O evento reúne grupos, artistas e coletivos que são referência nesta arte, oriundos de regiões como Porto Alegre (RS), Campo Grande (MS), Goiana (GO), Itapipoca (CE), João Pessoa (PB), Macapá (AP) e São Paulo (interior e capital). O cortejo de Abertura acontece no dia 22/5, às 15h, no bairro da Vila Mara, com a Cia. Antropofágica. A programação traz ainda Oficina de Intervenção Urbana (30/5, às 10h) com Dyonisio Bombinha (Grupo Teatro Que Roda, de Goiana) e lançamento do Livro Artes da Enganação do cearense Orlângelo Leal, integrante da Banda da Dona Zefinha.

Os espetáculos apresentados são: Tekoha – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno (Teatro Imaginário Maracangalha), Um Show de Variedades Palhacística (Teatro de Rocokóz), O Concerto da Lona Preta (Trupe Lona Preta), Canção, Malazarte e Trupezupe (Quem Tem Boca é Pra Gritar), A Cobra Vai Fumar - Uma Estória da FEB (Teatro Popular União e Olho Vivo), Guerras desconhecidas na Barraca de Cena (Estudo de Cena), Metapólis (Cia. Trova 8), Pinta de Palhaço (Núcleo Pavanelli de Teatro de Rua e Circo), Futebol Mossa Paixão: Pra Falar de Política, Futebol e Religião (Cambada de Teatro em Ação Direta Levanta FavelA...), Era Uma Vez Um Rei! (Pombas Urbanas), Pagina 469 (Grupo Engasga Gato), Pato e Laranjinha Pintando o 7 (Ass. Cultural Teatral Trupe do Pato) e O Casamento de Tabarim (Dona Zefinha).

Idealizada e realizada pelo Buraco d’Oráculo, a Mostra chega à nona edição, contemplada pelo ProAC Festivais e Mostras, da Secretaria de Estado da Cultura. O evento, atualmente, é referência nacional no âmbito do teatro de rua. Desde sua quarta edição, essa modalidade teatral se tornou a sua principal atração.

Neste ano, buscando fortalecer e reconhecimento de sua história, a mostra reafirma laços com os artistas locais e faz uma homenagem ao Movimento Popular de Artes - MPA, que surgiu no final de 1970, a partir da pesquisa de Antonio Arantes e Tadeu Giglio, antropólogos da Unicamp, para a revitalização de sítios históricos de bairros paulistanos.

Com o movimento surgiu a necessidade de espaços para abrigar a produção artística local e ter um centro aglutinador e irradiador da cultura produzida na região. Mais de 30 anos depois, o MPA continua sendo referência para pesquisadores de diversas linguagens e instituições. “Homenagear este importante movimento cultural é reconhecer que suas ações foram significativas e que ainda reverberam no bairro de São Miguel Paulista, um dos mais antigos da cidade”, explica Edson Paulo Souza, diretor do Buraco D’Oráculo. Outro ponto importante é que neste ano a Mostra reforçará as ações do grupo na Praça do Casarão, visto que, juntamente com outros coletivos, ocupa o espaço do antigo casarão, localizado na praça.


Programação / Serviço

Mostra de Teatro de São Miguel Paulista
Local: Praça do Casarão
Vila Mara (ao lado da estação Vila Mara da CPTM). Jardim Helena/SP
De 22 a 31 de maio - sexta a domingo - 15h, 16h, 17h, 18h e 19h
Grátis (espetáculos ao ar livre). Recomendação: Livre
Informações: (11) 98152-4482
www.buracodoraculo.com.br / www.facebook/buracodoraculo


Mestres de Cerimônias
Antes de cada apresentação e também nos intervalos entre uma e outra, os mestres de cerimônia fazem breves intervenções.

Dias 22, 23 e 24 de maio – J.E. Tico (São Paulo, SP) - O ator, bonequeiro e palhaço, faz pequenas intervenções, tendo como inspiração os brinquedos populares.

Dias 29, 28 e 31 de maio – Pato e Laranjinha (Macapá, AP) - A dupla de palhaços, realiza números próprios e clássicos da palhaçaria, típicos do jogo do cômico feito por duplas. De forma hilária, eles se colocam em constante competição.


 

 

Cia Antropofágica - Karroça Anropofágica. Foto: divulgação

Cia Antropofágica - Karroça Anropofágica. Foto: divulgação

22 de Maio - sexta-feira
Mestres de cerimônia: J.E. Tico (São Paulo – SP)

15h – Cortejo de abertura pelo bairro da Vila Mara com a Karroça Antropofágica
Com Cia. Antropofágica (São Paulo, SP) - Duração: 2h.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - Tomando as ruas com Cortejo cênico-musical conduzido por nossa Karroça, inicialmente inspirada nos tropeiros, homens livres do Brasil escravocrata responsáveis pela circulação de mercadorias. As intervenções de rua estão sempre ligadas aos estudos realizados pela companhia. É a mais antiga máquina do catálogo de máquinas de intervenção urbana, já tendo percorrido a cidade de São Paulo do extremo Leste ao extremo Oeste e realizado marchas com diversos outros coletivos da cidade. É uma máquina altamente adaptável às variações de conteúdo, podendo abarcar diversas paradas temáticas numa única jornada.

Ficha técnica - Dramaturgia: Companhia Antropofágica. Direção e encenação: Thiago Reis Vasconcelos. Direção Musical: Lucas Vasconcelos. Elenco: AdonisRossato, Alessandra Queiroz, Amanda Freire, Andrews Sanches, Danilo Santos, Débora Xavier, Deborah Hathner, Fabi Ribeiro, Flávia Ulhôa, Jaques Cardeal, José Abrão, Karina Pêra, Martha Guijarro, Maristela Rodrigues, Rafael Frederico, Rafael Gracioli, Renata Adrianna, Renê Costanny, Ruth Melchior e Suelen Moreira. Músicos: Bruno Miotto, Bruno Mota e Lucas Vasconcelos. Iluminação: Renata Adrianna e Rafael Frederico. Produção: Maria Tereza Urias.

Teatro Imaginário Maracangalha - Tekoha. Foto: divulgação

Teatro Imaginário Maracangalha - Tekoha. Foto: divulgação

18h – Espetáculo: Tekoha – Ritual de Vida e Morte do Deus Pequeno
Com Teatro Imaginário Maracangalha (Campo Grande - MS) - Duração: 50 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - O espetáculo, narra a trajetória do líder guarani Marçal de Souza e sua resistência histórica na luta pela terra e direitos dos povos indígenas. A palavra que dá nome ao espetáculo, Tekoha, tem um significado peculiar. “Teko” significa modo de estar, sistema, lei, hábito, costume. Tekoha, assim, refere-se à terra tradicional, ao espaço de pertencimento da cultura guarani. É no Tekoha que os guaranis vivem seu modo de ser. O Teatro Imaginário Maracangalha, faz da rua a representação tão sagrada aos guaranis.

Ficha técnica - Diretor: Fernando Cruz. Dramaturgia: Fernando Cruz em processo colaborativo com o grupo. Elenco: Alê Moura, Camila Brito, Fernando Cruz, Fran Corona e Moreno Mourão. Figurino: Ramona Rodrigues. Cenografia: Zé Eduardo Calegari Paulino. Adereços: Lício Cstro. Sonoplastia: o Grupo

Teatro de Rocokóz -ShowDeVariedadesPalhacísticas. Foto: divulgação

Teatro de Rocokóz -ShowDeVariedadesPalhacísticas. Foto: divulgação

23 de Maio - sábado
Mestres de cerimônia: J.E. Tico (São Paulo, SP)

15h – Espetáculo: Um Show de Variedades Palhacística
Com Teatro de Rocokóz (São Paulo, SP) - Duração: 50 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - Uma família de palhaços chega com sua Carroça e abre a roda para apresentar ao público Um Show de Variedades Palhacísticas, um caldeirão de números divertidos, no qual, na maior parte do tempo, o protagonista é o próprio espectador. Eles anunciam: “senhoras e senhores, damas, cavalheiros, crianças: com vocês... A Besta Fera! O Mago do Eterno Silêncio! O Acrobata Anônimo! O Homem-Bala! A Malabarista do Nilo! E o mais incrível e inacreditável número de Altíssimo Risco!”.

Ficha técnica - Texto: Teatro de Rocokóz. Direção e canções: Carlos Biaggioli. Elenco: Carlos e Ciléia Biaggioli. Participação: Júlia, Laura e Davi S. Biaggioli. Produção geral: Ciléia S. Biaggioli.

Trupe Lona Preta -O Concerto da Lona Preta. Foto: Henrique Alonso

Trupe Lona Preta -O Concerto da Lona Preta. Foto: Henrique Alonso

17h - Espetáculo: O Concerto da Lona Preta
Com Trupe Lona Preta (São Paulo, SP) - Duração: 50 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - O Concerto da Lona Preta é um espetáculo inspirado na tradição circense e em músicas que fazem parte do imaginário popular. Cinco músicos, ou melhor, cinco palhaços tentam de forma divertida executar um concerto musical com um amplo e variado repertório, que abrange arranjos musicais concernentes às manifestações populares, eruditas e popularescas.

Ficha técnica - Direção: Sergio Carozzi. Elenco: Alexandre Matos, Elias Costa, Joel Carozzi, Sergio Carozzi e Wellington Bernado. Figurinos: O Grupo. Produção: Henrique Alonso.

Quem Tem Boca é Pra Gritar - Cancão, Malazarte e Trupizupe. Foto: divulgação

Quem Tem Boca é Pra Gritar - Cancão, Malazarte e Trupizupe. Foto: divulgação

19h - Espetáculo: Canção, Malazarte e Trupezupe
Com Quem tem Boca é Pra Gritar (João Pessoa, PB) - Duração: 60 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - O espetáculo Canção, Malazarte e Trupizupe busca, por meio dos trambiques de três espertalhões, mostrar uma faceta do povo nordestino que, para sobreviver, precisa desenvolver uma enorme sagacidade, uma perspicácia e um extraordinário senso de humor. Esta faceta proporciona a esses anti-heróis brasileiros a possibilidade de existirem, não anonimamente, mas como sobreviventes de um país onde os abastados e poderosos usufruem da totalidade. O pano de fundo da trama é uma história simples que transita por um mosteiro, terminando numa pensão onde a aparente fragilidade dos conflitos esconde personagens que, apesar de serem aqueles que não têm poder, utilizam de uma esperteza ímpar para continuarem vivos e de certa forma, levando no “bico” os poderosos e tiranos.

Ficha Técnica: Direção: Humberto Lopes. Texto/concepção: Bráulio Tavares. Atores / músicos: Ademilton Barros, Cleiton Teixeira, João Paulo, Joelson Topete, Maycon Nascimento e Mirtia Guimarães. Música original: Beto Brito. Direção musical: Cleiton Teixeira. Preparação de canto: Eleonora Montenegro. Figurino: Adriano Bezerra. Cenografia: Grupo de Teatro Quem Tem Boca é Pra Gritar. Operação de som: Arthur Lopes. Produção executiva: Mirtia Guimarães.

19h – Homenagem ao Movimento Popular de Arte – MPA
Com a presença de remanescentes do Movimento.

 

Teatro Popular Olho Vivo -A Cobra Vai Fumar. Foto: divulgação

Teatro Popular Olho Vivo -A Cobra Vai Fumar. Foto: divulgação

24 de Maio - domingo
Mestres de cerimônia: J.E. Tico (São Paulo, SP)

16h - Espetáculo: A Cobra Vai Fumar – Uma Estória da FEB
Com Teatro Popular União e Olho Vivo (São Paulo, SP) - Duração: 90 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - A partir de relatos de ex-pracinhas da Força Expedicionária Brasileira, que combateram na Itália na Segunda-Guerra Mundial (1944-1945), o Olho Vivo conta fragmentos, um passado-presente, como se a memória teimasse em esquecer e lembrar.

Ficha técnica - Texto e direção: César Vieira (Idibal Pivetta). Direção de arte: Graciela Rodriguez. Músicas: Jose Maria Giroldo. Assistente de direção: Oswaldo Ribeiro. Coordenação musical: Ana Lucia Silva. Coordenação de percussão: Cesinha Pivetta. Violão: Thiago Nogueira. Produção: Teatro Popular União e Olho Vivo. Coordenação produção: Cícero Almeida e Isaias Cardoso. Confecção de figurinos: Euda Alves Souza. Elenco: Ana Lucia Silva, Césinha Pivetta, Cícero Almeida, Camila Morelli, Edir Evaristo da Silva, Isaias Cardoso, Luiza Maia, Michelle Gabriolli, Neriney Moreira, Osmar Azevedo, Pedro Inovador, Rafinha Werblowsky, Talita Ferreira e Thiago Nogueira.

Estudo de Cena - Guerras Desconhecidas... Foto: divulgação

Estudo de Cena - Guerras Desconhecidas... Foto: divulgação

18h - Espetáculo: Guerras desconhecidas na Barraca de Cena
Com Estudo de Cena (São Paulo, SP) - Duração: 120 min.

Sinopse e Ficha técnica

Sinopse - Guerras Desconhecidas na Barraca de Cena tem característica de um espetáculo de variedades que acontece na Barraca de Cena, um pequeno teatro mambembe. No espetáculo são apresentadas três Peças curtas de conflitos sociais brasileiros: Cortejo de Quintino Gatilheiro, Guerra do Pau-de-Colher e Guerra de São Bonifácio, junto com as Peças curtas são apresentados uma série de números de variedades que se remetem ao universo da memória e da resistência popular.

Ficha técnica - Concepção e produção: Companhia Estudo de Cena. Direção e dramaturgia: Diogo Noventa. Atores criadores: Anderson Oliveira, Cau Peracio, Juliana Liegel, Marilza Batista, Nei Gomes e Roberto Kroupa. Núcleo de direção musical: Iraci Tomiato, Juh Vieira, Lucas Vasconcellos, Vinícius Hoffman e Roberto Kroupa. Preparação vocal: Rani Guerra. Direção de Arte: Valter Mendes. Assistente de arte: Danielly Abreu. Apoio: Engenho Teatral. Produção executiva: Juliana Liegel e Nei Gomes.

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*