Bom Parto: Reclamações que exigem atenção

Gerson Soares
Fotos: aloimage

Atualizado em 20/04/2014 às 9h

As imagens mostram o aspecto do Largo Nossa Senhora do Bom Parto na manhã deste sábado. Uso de drogas, lixo espalhado, garrafas de bebidas, papel picado (incrível, por que será que fazem isso?), pichações e sua poluição visual - que desafia as autoridades locais, uma vitória do vandalismo contra aquilo que é público e deveria ser preservado.

Em meio a isso, os frequentadores tentavam usufruir do espaço para jogar cartas e dominó, passear com os filhos e as crianças brincavam no playground e nos aparelhos instalados. Ao seu redor a sujeira e o cheiro de maconha no ar. Ah! Presidente Fernando Henrique, como gostaria que estivesse aqui para ver e ouvir o casal que tentava distrair a filha no balanço, enquanto o cheiro da erva lhes penetrava as narinas.

Perguntamos a essa mãe o que achava da praça naquele estado: “Estou decepcionada, acho que não vou voltar nunca mais. A gente cria nossos filhos e educa para ficar distante disso, aí chega aqui e estamos sujeitos a tudo”. Os frequentadores do carteado e do dominó também se manifestaram e com eles a nossa conversa foi mais longa. “O vereador Toninho Paiva gastou 200 mil reais para fazer esse playground e trocar as lâmpadas. Mas a praça ficou mais escura e os brinquedos não tem manutenção”. O outro dizia: “A sujeira é do povo que é porco, não se pode culpar a Prefeitura por isso”. Os comentários continuaram: “Desativaram as luzes maiores e a praça fica sem iluminação a noite”. “Já chegaram a pegar a placa da moto que faz entrega de drogas e não aconteceu nada”, revelou um dos entrevistados. “Nem daqui a mil anos luz vamos mudar isto”, desilude-se outro.

Vimos a falta de esperança nas autoridades e a cobrança de providências, principalmente nos finais de semana: “De sexta para sábado e de sábado para domingo precisaria ter ronda da polícia e a praça voltaria ao normal”, disse um dos conhecedores do Bom Parto há mais de 30 anos. “Chega a ter 50 pessoas fumando maconha e se o vento estiver para o lado de cá (no sentido das mesas de jogos) nós não conseguimos ficar aqui, o cheiro é insuportável”, reclama um morador. Outro problema apontado, mas que não seria difícil resolver é o dos skatistas que insistem em fazer suas manobras próximo das mesas de jogos, colocando em alerta os senhores que já passaram da idade de ter sobressaltos e querem fazer suas jogadas sossegados.

 

 

Ao lado do playground, papel picado, latas de cerveja e cheiro de maconha: Um péssimo exemplo para aqueles que começam a vida. Foto: aloimage

Incontáveis bitucas de cigarro podiam ser vistas pela praça. Um tapete de sujeira as acompanhava, deixadas pelos usuários. Uma família quis saber se a GCM iria prender os usuários de drogas que foram embora assim que a polícia chegou. Foto: aloimage

Mais uma caçamba para depósito de lixo em estado lastimável. Foto: aloimage

Iluminação desativada: Segundo os anciãos da praça, ela ajuda inibir o uso de drogas e má frequência. Foto: aloimage

 

Quanta dignidade! Mesmo com o lixo deixado pelo mau uso da praça, os anciãos jogam. Foto: aloimage

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*