Largo N. Sra. do Bom Parto: Lixo, drogas e pichações

Gerson Soares
Fotos: aloimage

Atualizado em 20/04/2014 às 7h57

Uma praça não é só um lugar para respirar ar puro e ver o verde; pode ser também, o espaço de lazer e recreação para famílias, crianças, jovens e idosos. Aquele recanto onde é gostoso parar e tomar um sorvete ouvindo pássaros, os raios solares se mesclam às sombras das árvores, trazendo momentos de tranquilidade que chegam a dar sono. Mas uma praça também pode ser o lugar onde a mãe leva seu bebe para tomar sol, em que o pai leva seu filho cadeirante com necessidades especiais para passear e ver a vida que se movimenta ao seu redor. Uma praça é o lugar onde aqueles que trabalharam e mantiveram amizades longínquas podem se encontrar para uma partida de tranca, de caxeta, de dominó ou conversar amenidades.

E seria pouco tudo isto, se uma praça não fosse o recanto daquilo que é mais público em todos os sentidos, como escreveu Castro Alves, em seu poema O Povo ao Poder: “A praça. A praça é do povo”. Está coberto de razão o poeta e seus versos ainda nos fazem pensar antes de continuarmos esta matéria. O Largo Nossa Senhora do Bom Parto é do povo, e assim tem sido há mais de um século do que podemos relatar da história recente desse logradouro do Tatuapé, na verdade chamado antes de Vila Gomes Cardim.

O aspecto do Bom Parto nesta manhã de sábado de Aleluia era deplorável, inconcebível se pensarmos no largo há 50 anos, quando a religiosidade e os moradores o enfeitavam com flores e tudo aquilo que sua criatividade e posses lhes permitiam, tendo a igreja e as bençãos da padroeira como uma ligação com o aquilo que lhes era divino e o prenúncio da Ressurreição no domingo de Páscoa.

Mas a noite da sexta-feira Santa e a madrugada deste sábado de Aleluia deixaram um rastro de sujeira, garrafas de bebidas e as marcas indeléveis do esquecimento, não só da religiosidade de outrora, mas da falta de respeito com a aquilo que como dissemos é público. Portanto, de todos. E sendo de todos, todos tem a obrigação de conservar para que os próximos possam encontrar como estava antes.

Em nenhum momento esta reportagem seria justa se dirigisse qualquer ataque à(s) Subprefeitura(s) – o plural é porque nunca se sabe a qual subprefeitura o Tatuapé deve se reportar nestes casos já que o bairro não possui uma própria. Segundo os frequentadores do Bom Parto, a limpeza é feita e a reportagem constatou três containers para depositar lixo reciclável, além de lixeiras. As sujeiras que vemos nas imagens foram deixadas pela falta de cidadania, de consciência e a ausência de autoridades para que isso fosse coibido.

Os frequentadores fizeram reclamações sobre a falta de policiamento, que até pouco tempo era feito pela GCM (Guarda Civil Metropolitana). Assim que chegamos, já topamos com dois usuários de maconha que fumavam tranquilamente num dos recantos da praça e quando entrevistávamos outros frequentadores os usuários se drogas se alternavam.

 

 

Largo Nossa Senhora do Bom Parto, sábado de Aleluia, dia 19 de abril. Foto: aloimage

 

Bom Parto: Os anciãos, que por tanto tempo trabalharam para conquistar seu sossego, agora são obrigados a ver seu pequeno espaço tomado pelo lixo e pichações. Uma vergonha!. Foto: aloimage

Sujeira amontoada nos cantos da praça. Observe os saquinhos de supermercado, onde os frequentadores da praça se abastecem com bebidas e usam o espaço público para se embebedar e comer. Depois vão embora e largam todo o seu lixo pela praça, mesmo havendo três containers de recolhimento. Foto: aloimage

 

Caçamba para depósito de lixo. É vergonhoso que as pessoas deixem-nas nesse estado. A Prefeitura não pode ser culpada por essa degradação, mas deve assumir sua parte que é de vigilância e guarda. E, ainda, caso o povo que frequenta a praça tivesse educação a Prefeitura poderia usar o tempo perdido em vigilância e guarda em assuntos mais importantes. Foto: aloimage

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*