Luta contra as drogas: ONU pede ação coletiva para efetivar compromissos globais


Terça-feira, 27 de junho de 2017 às 13h30


Para marcar o Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito – nesta segunda-feira (26) –, as Nações Unidas pediram a todos os países que honrem seus compromissos para combater as drogas. A ONU pediu também a adoção de medidas de enfrentamento que sejam consistentes com os direitos humanos e que promovam igualdade, paz, segurança e desenvolvimento sustentável.

ONU Brasil

Para marcar o Dia Internacional contra o Abuso de Drogas e o Tráfico Ilícito, nesta segunda-feira (26), as Nações Unidas pediram a todos os países que honrem seus compromissos para combater as drogas. A ONU pediu também a adoção de medidas de enfrentamento que sejam consistentes com os direitos humanos e que promovam igualdade, paz, segurança e desenvolvimento sustentável.

“Apesar dos riscos e desafios inerentes ao combate a esse problema global, eu espero e acredito que estamos no caminho certo. Juntos, podemos implementar uma abordagem coordenada, equilibrada e abrangente que levará a soluções sustentáveis”, disse o secretário-geral da ONU, António Guterres.

 

Usuário de drogas adolescente nas ruas escuras da Capital Federal. Foto: Marcello Casal Jr. / Agência Senado

 

Em sua mensagem para a data, o chefe das Nações Unidas lembrou sobre a realização de uma sessão especial da Assembleia Geral que tratou do tema em 2016 – a UNGASS, na sigla em inglês –, quando governos concordaram com uma série de passos mais eficazes e humanos, e que não deixassem ninguém para trás.

“Eu sei por experiência pessoal como uma abordagem baseada em prevenção e tratamento pode render resultados positivos”, afirmou Guterres, referindo-se às medidas adotadas por ele enquanto primeiro-ministro de Portugal. Os passos incluem a descriminalização da posse de drogas para uso pessoal – uma flexibilidade apoiada pelas três convenções que tratam do controle de drogas.

Guterres também citou como medida positiva o maior financiamento para prevenção, tratamento e programas de reintegração à sociedade. Tais passos – sustenta o chefe da ONU – ajudaram o seu país a alcançar uma das mais baixas taxas de mortes por uso de drogas na Europa, bem como reduziram a prevalência de HIV entre usuários de drogas injetáveis.

“Estou orgulhoso desses resultados e espero que a experiência contribua para a discussão e encoraje os Estados-membros [da ONU] a continuar explorando soluções abrangentes e baseadas em evidências”, acrescentou o secretário-geral.

Ele observou que o processo de acompanhamento da sessão especial de 2016 inclui um quadro institucional de compartilhamento das melhores práticas. “Essa seria a melhor maneira possível de implementar as recomendações da UNGASS e obter um impacto positivo na vida de milhões de pessoas em todo o mundo”, disse.

O diretor-executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yury Fedotov, também lembrou os compromissos feitos na sessão especial da Assembleia Geral, destacando os desafios que o abuso do uso de drogas e o tráfico ilícito representam para o desenvolvimento sustentável.

“Antigamente considerados elementos marginais nas etapas de desenvolvimento, as drogas e o crime são agora vistos como uma obstrução perturbadora para a realização da Agenda 2030 de desenvolvimento sustentável, particularmente o Objetivo três, sobre saúde, e o 16, sobre sociedades pacíficas”, afirmou Fedotov. Ele ressaltou a importância do comprometimento feito pelos Estados-membros das Nações Unidas ano passado.

O tema para a edição de 2017 do dia é “Ouça primeiro! Ouvir crianças e jovens é o primeiro passo para ajudá-los a crescer saudáveis e seguros”. A iniciativa quer aumentar a prevenção do uso de drogas com base em evidências científicas, tornando estas ações um investimento efetivo no bem-estar desse segmento da sociedade, bem como de suas famílias e comunidades.

Relatório global

Na semana passada, o UNODC lançou seu relatório global sobre o tema. Segundo o documento, cerca de 250 milhões de pessoas usavam drogas em 2015 no mundo. Desse total, cerca de 29,5 milhões — ou 0,6% da população adulta global — usavam drogas de forma problemática e apresentam transtornos relacionados ao consumo, incluindo a dependência.

Os opioides (ópio, morfina, heroína e derivados sintéticos) apresentam os maiores riscos de danos à saúde, representando 70% do impacto negativo associado ao consumo de drogas no mundo. Confira detalhes do Relatório Mundial sobre Drogas desse ano clicando aqui.

“Darkweb” tem sido usada para a venda de drogas para fins recreativos, tais como cannabis, ecstasy (foto), cocaína, alucinógenos e novas substâncias psicoativas (NPS). Foto: EBC

Leia mais sobre
INTERNACIONAL

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*