Mais de 1 milhão na Av. Paulista, contra o governo petista de Dilma


Domingo, 15 de março de 2015, às 15h39
Com faixas e gritos de fora Dilma e fora PT, paulistanos pedem o fim da corrupção.

Foto: Rose Rossetti

Foto: Rose Rossetti

Mesmo levando em conta o seu conservadorismo na divulgação de números, a PM divulgou às 15h30 mais de 1 milhão de pessoas nas imediações da Avenida Paulista. Com faixas de Fora Dilma, Chega de Corrupção pediam o impeachment da presidente, apesar da opinião contrária também existir. Por sua vez, o Metrô computava 4.000 pessoas a cada 2 minutos chegando à região.

Esta é a maior manifestação de protestos que se tem registro contra os desmandos do governo federal brasileiro. Nem mesmo as Diretas Já levou tantos às ruas.

Agências de notícias internacionais começam a divulgar a marcha dos brasileiros. Em outras capitais, mesmo em menor número, as manifestações contra o governo petista repercutem em todo o país.

Até o final da tarde, espera-se que o governo se manifeste. Até este horário, as manifestações de protestos não causaram nenhum incidente que merecesse destaque pelas autoridades policiais. Não há registro da presença de políticos entre os manifestantes.

Portanto, trata-se de um movimento estritamente de insatisfação popular, superando todas as expectativas do governo, que até a entrada de São Paulo nas manifestações de hoje, desconsiderou o poder da movimentação popular.

Diante dessa situação a presidente Dilma Roussef, alvo principal dos ataques nas últimas semanas, sairá bastante enfraquecida e a tentativa de defendê-la feita pela CUT, na última sexta-feira (13), não passou de outro erro.

Lembrando que antes do impeachment de Fernando Collor, a insatisfação da população estava nos mesmos níveis obtidos pela presidente Dilma, que nesta sexta-feira chegou a um dígito.


Às 16h30 um grupo, autointitulado Carecas do Subúrbio, foi detido pela PM e se trata do único incidente. Eles estavam armados com rojões, socos ingleses e os próprios policiais militares os salvaram de um linchamento ao detê-los, já que a população é pacífica e não tolera esse tipo de infiltrados a fim de causar distúrbios.


Às 17h05, o Ministério da Justiça, qualificou de odiosa as manifestações. Veja abaixo, a nota publicada no facebook do ministério.

“Discurso de ódio é diferente de liberdade de expressão!

O discurso do ódio é usado para insultar, perseguir e justificar a privação dos direitos humanos. Já liberdade de expressão, é o direito de todos se manifestarem, mas não deve afrontar o direito alheio, como a honra e a dignidade de uma pessoa ou determinado grupo”.


Veja outras imagens em nossa página do facebook

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*