Mestre Geral Song Un Kim


Publicado em 26 de setembro de 2013

Mestre Song, aplica técnica de Hapkido em dois alunos faixas pretas. Foto: Academia Kim

Mestre Song, aplica técnica de Hapkido em dois alunos faixas pretas. Foto: Academia Kim

Hapki-Do: Conjunto de energia e força da mente

Mestre Geral Song Un Kim ou apenas mestre Song, como o chamam, é envolto num clima de sabedoria prestes a explodir, mas para absorver essa explosão precisaríamos de muitas semanas ou meses e assim mesmo não conseguiríamos apreender o suficiente para transmitir tantos conhecimentos acumulados ao longo de 39 anos dedicados ao Hapki-Do tradicional.

Modesto, humilde e atencioso, nos recebeu em sua academia duas vezes para concluírmos esta reportagem, que transcrevemos agora.

Existem registros sobre o Hapki-Do numa época tão distante quanto o ano 670 d.C. com o surgimento de guerreiros conhecidos por hwarangs no reino unificado da dinastia Sin-la (668–935 d.C.) – que ocupou o território da península aonde está localizada a Coréia.

Os hwarangs eram comparavéis aos samurais japoneses ou aos cavaleiros medievais europeus. Essa tropa elitizada foi formada por aristocratas e militares com o propósito de proteger o reino recém formado, através da união dos reinos de Sin-La (o mais adiantado), Baekje e Goguryeo. O nome Coréia é proveniente da dinastia Koryo (918-1392).

Grão mestre Park Sung Jae em visita à Academia Kim, ao lado do mestre Song. Foto: Academia Kim

Grão mestre Park Sung Jae em visita à Academia Kim, ao lado do mestre Song. Foto: Academia Kim

O treino dos hwarangs consistia em técnicas no uso de lanças, espadas, arco e flecha, montaria perfeita, além da disciplina mental e física (influências do Budismo e Taoísmo), complementadas com o uso dos pés e mãos para lutar. O código de honra Hwarang-do era composto por cinco itens:
1 – Obediência ao Rei;
2 – Respeito aos pais;
3 – Lealdade para com os amigos;
4 – Nunca recuar ante o inimigo;

A partir dessa filosofia originou-se o Hapki-do que significa: hap = conjunto, ki = força da mente (energia), do = caminho, doutrina. Com a modernidade os itens foram sendo adaptados mas não perderam a essência, como podemos observar no atual código de honra:
1 – Amar a Pátria;
2 – Confraternização mútua;
3 – Não recuar um só passo na luta;
4 – Respeitar os pais;
5 – Ajudar os fracos.

Mestre geral Song Um Kim, o mestre Song: além do Hapkido, conhecido pelos incontáveis atendimentos em Acupuntura auricular. Foto: Academia Kim

Mestre geral Song Um Kim, o mestre Song: além do Hapkido, conhecido pelos incontáveis atendimentos em Acupuntura auricular. Foto: Academia Kim

O Hapki-do foi adotado pela guarda pessoal do Presidente da República coreana, após a I Guerra Mundial e após a segunda grande guerra mundial passou a ser mais difundida. Possui 3.876 golpes, incluindo chutes, saltos, socos, torções, balões, defesa contra faca, manejos de bastões, espadas e outras técnicas.

Sendo a luta mais popular da Coréia, hoje é praticado também em quase todo o globo. Começou a ser difundido no Brasil, a partir da chegada oficial do Grão Mestre Park Sung Jae, em 1971, que iniciou suas aulas junto ao Exército Brasileiro, incentivado pelo Coronel Paulo da Silva Freitas pelo qual foi condecorado Patrono do Hapki-Do no Brasil.

Um de seus discípulos foi o mestre Carlos Ramos Filho que ministrava aulas na Água Rasa, sendo sua a primeira academia de Hapki-do de São Paulo. Outro aluno e discípulo do grande mestre Park Sung Jae é o Mestre Geral Song Un Kim, atual presidente da Federação Paulista de Hapki-do há sete anos, que também está à frente da Academia Kim, no Tatuapé. Coube a ele receber a honrosa incumbência de continuar o trabalho do Grão Mestre Park junto ao exército brasileiro, aonde ministra aulas semanalmente para um grupo especial da PE (Polícia do Exército), o PIC (Polícia Investigadora Criminal).

O grupo PIC do 2º Batalhão da Polícia do Exército (2º BPE), está sendo preparado desde 2009 pelo mestre Song, sob supervisão do Comandante Filter e do Sub-comandante Dario. Para esse quartel, localizado em Osasco, na grande São Paulo, foi transferido o Monumento – Patrimônio Nacional do Hapki-Do em 17 de junho de 2009, que inicialmente fora erguido no 2º Grupo de Canhões Anti-aéreo (2º G-CAN 90) em Quitaúna, sob o comando do Capitão Helcio Silva, no dia 25 de janeiro de 1973. O monumento é uma homenagem e o reconhecimento à primeira geração de Hapki-Do formada no Brasil pelo Grão Mestre Park Sung Jae.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*