Museu do Índio e UNESCO lançam publicações sobre língua e cultura


Sábado, 16 de maio de 2015, às 13h40

Representantes de etnias receberam nesta sexta-feira (15) dossiês contendo produtos dos projetos de documentação de suas culturas e línguas. O lançamento aconteceu às 11h na Fundação Nacional do Índio (FUNAI) em Brasília.

OUN-BR | O Museu do Índio no Rio de Janeiro e Organização da ONU para a Educação, a Ciência e a Comunicação (UNESCO) no Brasil apresentaram ontem (15) as 12 publicações que marcam o trabalho dos projetos de documentação de línguas indígenas. Os documentos reúnem narrativas tradicionais e autobiográficas, livros de letramento, glossário enciclopédico, documentação etnográfica e registros de música vocal e instrumental. Todo o material foi produzido por pesquisadores indígenas em oficinas de documentação linguística, de editoração, de desenhos, de técnicas de informática, entre outras.

 

Foto: ONU-BR / Divulgação

Foto: ONU-BR / Divulgação

 

Os dossiês linguísticos contêm, além das publicações, todo material de áudio e vídeo produzido durante as viagens a campo pelas equipes de pesquisadores de línguas indígenas com aprovação das comunidades envolvidas. Foram confeccionados dez dossiês para cada Projeto. Os dossiês podem ser distribuídos entres as aldeias e as escolas indígenas, de modo a servir de instrumento de pesquisa e ensino-aprendizagem por parte das comunidades.

Desde 2008, quando o Programa foi lançado em parceria com a UNESCO no Brasil, mais de 30 mil indígenas foram beneficiados pelos 42 projetos de línguas, culturas e acervos desenvolvidos. A formação de pesquisadores indígenas e não indígenas e a criação de arquivos digitais, em centros de documentação nas aldeias e no Museu do Índio, são outros objetivos da iniciativa. O Programa abrange quatro projetos – Prodoclin (de línguas indígenas), Prodocult (de culturas), Prodocerv (de preservação de acervos) e Prodocson (de documentação sonora).

No âmbito dessa prioridade da UNESCO, o projeto “Documentação de línguas indígenas” traz a particularidade de ter envolvido, ao longo de sua execução, indígenas de 35 etnias que participaram como atores, não meros espectadores do processo. Oficinas e inúmeros workshops foram realizados com esse intuito. As 12 publicações são o resultado dos seis anos de trabalho conjunto.

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro
Assista ao programa de TV Ciência Aberta
Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo
STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo
Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo
Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo
Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula
Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo
  • Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro

  • Assista ao programa de TV Ciência Aberta

  • Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo

  • STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo

  • Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo

  • Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo

  • Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula

  • Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*