Carros antigos: Museu Louwman, na Holanda

Museu Louwman. Foto: Fabio Bruna para The Hague (Den Haag), Netherlands.

Hall do Louwman. Foto: Pvt Pauline.

Um dos modelos da coleção. Foto: Alf van Beem

Sexta-feira, 4 de junho de 2014 às 5h05 – atualizado às 7h41


Edição: Alô São Paulo

Museu Louwman – Conheça algumas raridades da Coleção Louwman, uma extraordinária mostra de veículos num local sofisticado e bonito, onde é possível realizar reuniões de negócios ao lado das magníficas peças do museu.

Pela complexidade em definir toda a história da coleção saboreamos aos poucos a autenticidade daquilo que significa preservar, mas ao mesmo tempo compartilhar com o público, veículos que se transformaram em obras de arte sobre rodas.

O Museu Louwman fica na cidade de Haia, na Holanda, e foi fundado em 1934. Compilado por duas gerações da família Louwman, o museu guarda a mais antiga coleção de automóveis, composta por mais de 250 modelos, dos clássicos aos antigos. Carros de corrida, como o D-Type que mostramos na semana passada, fazem parte da coleção, considerada pelos especialistas como a mais bela do mundo.

“O museu exala paixão. Cada carro tem a sua própria história para contar e a contribuição para os registros do automobilismo mundial. O automóvel é um espelho da cultura”, exalta a descrição do Louwman.

A coleção está guardada em um local construído propositalmente em Haia, a cidade onde PW Louwman estabeleceu sua empresa de importação de carros Dodge e Chrysler. O edifício, projetado pelo arquiteto americano Michael Graves, mescla simpatia com os arredores históricos. Os jardins paisagísticos, desenhados por Lodewijk Baljon, complementam a arquitetura.

Um dos automóveis mais exóticos desta coleção é o Brooke Swan. Vamos conhecê-lo, hoje.

Brooke Swan, o carro cisne. Foto: Divulgação/Museu Louwman

BROOKE 25/30-HP SWAN CAR
Brooke – Carro Cisne, com motor de 25/30 HP

Este é o Brooke Swan, um carro verdadeiramente extraordinário. Foi a criação do excêntrico e rico cidadão inglês Robert Nicholl ‘Scotty’ Matthewson, que viveu em Calcutá no início do século 20, então capital da Índia Britânica. Matthewson queria chocar a elite local com o seu carro, e ele certamente conseguiu fazê-lo.

A carroçaria representa um cisne deslizando através da água. A parte traseira é decorada com um design flor de lótus com acabamento em folha de ouro – antigo símbolo da sabedoria divina. Além dos faróis normais, existem lâmpadas elétricas nos olhos do cisne que brilham assustadoramente no escuro. Escovas foram instaladas atrás das rodas para limpar dos pneus o esterco dos elefantes.

O Brooke causou pânico e caos nas ruas em sua primeira aparição e a polícia teve de intervir. Matthewson vendeu o carro para o marajá de Nabha, cuja família o guardou por mais de 70 anos. O carro cisne foi descoberto anos mais tarde, em seu estado original, embora em mau estado. Os suntuosos estofamentos revestidos de seda indiana tinham sido devorados por ratos. Em 1991, entrou para a coleção do Museu Louwman e foi totalmente restaurado. Novos estofamentos foram encomendados a uma tecelagem indiana após a descoberta de restos de material original sob os assentos. Todos os dispositivos e acessórios do carro foram refeitos por encomenda para voltar a funcionar. Em 1993, o Swan ganhou o Prêmio Montagu no prestigiado Pebble Beach Concours d’Elegance, na Califórnia.

Amanhã, vamos conhecer o
CHASE
alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*