Nos EUA, Dilma abre mão do combate ao desmatamento


Sexta-feira, 3 de julho de 2015, às 08h04


Em declaração ao lado de Obama sobre metas para o Clima, a presidente diz que sua maior ambição no combate ao desmatamento é tentar cumprir a lei. Na prática, Dilma se isenta de responsabilidades significativas e gera um factóide lamentável.

Greenpeace

É inaceitável que o compromisso mais ambicioso que Dilma assuma para proteção das florestas e combate às mudanças climáticas seja tentar cumprir a lei. Mas foi exatamente isso o que ela fez em aguardada reunião com Obama hoje pela manhã, em Washington (EUA): prometeu fazer o possível para combater o desmatamento ilegal no Brasil, sem dar prazo ou garantia concreta.

 

Desmatamento flagrado em sobrevoo do Greenpeace em maio, no Pará. Foto: © Rogerio Assis/Greenpeace

Desmatamento flagrado em sobrevoo do Greenpeace em maio, no Pará. Foto: © Rogerio Assis/Greenpeace

 

Essa promessa é indecente por dois motivos. Primeiro, porque cumprir a lei é o mínimo que se espera de uma presidenta, o que torna absurdo que tentar fazer isso seja apresentado como objetivo ambicioso - e, depois, caso venha a se tornar realidade, vendido como grande conquista. Segundo, porque a lei brasileira é perniciosa, amigável a desmatadores - mesmo se o desmatamento ilegal chegar a zero ainda perderemos de 10 a 20 milhões de hectares de floresta, só na Amazônia. Dilma também prometeu restaurar e reflorestar 12 milhões de hectares de florestas até 2030, mas isso é cerca de metade do exigido pelo atual Código Florestal para zerar nosso passivo ambiental.

Há anos o Greenpeace e diversas organizações e movimentos defendem o desmatamento zero no Brasil - mas zero mesmo. O governo vem tentando capturar e fragilizar o conceito, trazendo à mesa propostas como o citado “desmatamento ilegal zero” ou como “desmatamento líquido zero”, que abrem grande margem a desmatadores mas tentam se passar como grandes promessas. Enquanto dezenas de governos se comprometeram, na Declaração de Nova York sobre Florestas assinada em 2014, a zerar suas perdas florestais até 2030 - um documento que o governo brasileiro se recusou a assinar - é vergonhoso que o nível do debate e do compromisso no país ainda sejam tão baixos.

Não faltam evidências de que é possível produzir sem desmatar no Brasil. Grandes empresas já mostraram isso na prática, vide a Moratória da Soja e o Compromisso Público da Pecuária. Diversos especialistas afirmam que o Brasil dispõe de grandes áreas já desmatadas que podem e devem ser melhor utilizadas - um exemplo é o estudo liderado por um pesquisador da USP que mostra ser possível liberar 69 milhões de hectares para a agricultura, suficiente para dobrar a área agrícola do país sem derrubar mais florestas. Em defesa das florestas, o Brasil pode e deve ir muito além do que Dilma está propondo.

 

greenpeace assine a petiç

 

Além de florestas, o diálogo entre Dilma e Obama sobre mudanças climáticas também tratou de Energia. Para o setor elétrico, Dilma se comprometeu a ter 20% de geração de fontes renováveis até 2030 sem considerar as hidrelétricas quando, na verdade, poderia alcançar quase o dobro disso, segundo dados do Observatório do Clima. Considerando todo o setor de Energia, a meta ainda menos ambiciosa. Se o Brasil for na linha que Dilma indicou ao lado de Obama (de ter entre 28% e 33% de sua matriz energética total vindo de fontes renováveis, também sem considerar as hidrelétricas) o País na verdade permanece onde já está: com 28% de energia vindo de fontes renováveis. Vale ainda mencionar o assustador anúncio de uma cooperação nuclear para compartilhar tecnologias de geração ‘seguras e sustentáveis’ entre os dois países.

Com seus frágeis compromissos (ou não-compromissos), Dilma vai contra a vontade de pelo menos 1,2 milhões de brasileiros que já deram seu apoio a um projeto de lei pelo desmatamento zero verdadeiro. Também vai contra o Papa, que em sua recente encíclica alertou para a importância de proteger as florestas e investir em larga escala nas energias renováveis. E deixa muito a desejar com relação ao combate às mudanças climáticas, tendo em vista que o desmatamento e as fontes não-renováveis de energia são a principal fonte de emissão de gases de efeito estufa no Brasil - indo na contramão do movimento global por um acordo ambicioso a ser assinado na Conferência do Clima da ONU em dezembro.

Jairo Saw Munduruku, estudioso da história de seu povo. Foto: (© Fábio Nascimento/Greenpeace)

Jairo Saw Munduruku, estudioso da história de seu povo. Foto: (© Fábio Nascimento/Greenpeace)

Leia mais sobre
GREENPEACE

 

greenpeace save forestLeia mais sobre
BIODIVERSIDADE

 

Cerca de 60% das 74 espécies de mamíferos terrestres com 100 kg ou mais estão ameaçadas de extinção e as consequências para o ecossistema serão grandes. A única representante brasileira é a anta. Foto: Mauro Galetti

Cerca de 60% das 74 espécies de mamíferos terrestres com 100 kg ou mais estão ameaçadas de extinção e as consequências para o ecossistema serão grandes. A única representante brasileira é a anta. Foto: Mauro Galetti

Leia mais sobre
NATUREZA | ECOLOGIA

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
Catálogo on-line reunirá informações de 2,3 mil espécies de peixes de água doce
Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d
Video: Venha com a gente para as profundezas dos Corais da Amazônia
Desmatamento dispara na Amazônia, vídeo
Benefícios da caminhada e da bicicleta superam malefícios da poluição do ar
Animação sobre a prevenção do câncer de mama
  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

  • Catálogo on-line reunirá informações de 2,3 mil espécies de peixes de água doce

  • Faça um passeio pelo “solo alienígena” do exoplaneta TRAPPIST-1d

  • Video: Venha com a gente para as profundezas dos Corais da Amazônia

  • Desmatamento dispara na Amazônia, vídeo

  • Benefícios da caminhada e da bicicleta superam malefícios da poluição do ar

  • Animação sobre a prevenção do câncer de mama

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*