O rosa chega a São Paulo: Outubro Rosa 2014

Monumentos da cidade, como o Viaduto do Chá, ganham iluminação especial para o Outubro Rosa. Foto: Cesar Ogata / SECOM


Quinta-feira, 9 de outubro de 2014, às 12h51


São Paulo adere ao movimento ‘Outubro Rosa’ e ilumina monumentos. Iniciativa visa chamar a atenção das mulheres para a importância do diagnóstico precoce do câncer de mama.

SECOM / PMSP – O câncer de mama é o tipo mais comum em mulheres de todo o mundo. Se identificado e tratado oportunamente, o prognóstico é positivo. Visando chamar a atenção das mulheres para o diagnóstico precoce, a cidade de São Paulo aderiu ao movimento ‘Outubro Rosa’. Ao longo de todo o mês, o Ilume (Departamento de Iluminação Pública) está iluminando diversos monumentos da capital na cor rosa. Os marcos escolhidos são Viaduto do Chá, Monumento às Bandeiras, Biblioteca Mário de Andrade, Ponte das Bandeiras, Ponte Octávio Frias de Oliveira (Ponte Estaiada) e Ponte Padre Adelino (Estaiada do Tatuapé).

Câncer de Mama

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente. Estatísticas indicam aumento de sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.

No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estádios avançados. Em 2013, estimaram-se para o Brasil 52.680 casos novos da doença, com uma projeção de risco de 52 casos a cada 100 mil mulheres. Para 2014, o Inca (Instituto Nacional do Câncer), ligado ao Ministério da Saúde, estima 57.120 novos casos, com um risco estimado de 56 casos a cada 100 mil mulheres.

Ponte estaiada jornalista Roberto Marinho. Foto: Cesar Ogata / SECOM

Monumento às Bandeiras, no Ibirapuera. Foto: Cesar Ogata / SECOM

Ponte das Bandeiras, na Marginal do Tietê. Foto: Cesar Ogata / SECOM

Diagnóstico e tratamento

Em 2012, a Secretaria Municipal da Saúde realizou 199.037 mamografias e, em 2013, 228.850. Até julho de 2014, o município realizou 124.364 procedimentos. No que diz respeito às ultrassonografias das mamas, a rede municipal de saúde realizou 58.874 procedimentos em 2012; 67.832 em 2013; e 58.021 até agosto de 2014.

O tratamento de câncer de mama se inicia logo que a paciente procura uma das UBSs da rede. Sob suspeita ou confirmada a doença, o caso é encaminhado a um dos Centros de Alta Complexidade em Oncologia (Cacons). A gestão municipal possui quatro entidades conveniadas para atendimento oncológico e multiprofissional. São elas o Hospital A. C. Camargo/Fundação Antonio Prudente, Real e Benemérita Associação Portuguesa de Beneficência, Instituto do Câncer Dr. Arnaldo Vieira de Carvalho (IAVC) e o Instituto Brasileiro de Controle do Câncer (IBCC).

Para realizar os exames, qualquer paciente deverá procurar uma das 450 Unidades Básicas de Saúde (UBS) da rede municipal para uma consulta com ginecologista, que poderá solicitar os exames de acordo com protocolos clínicos específicos.

Segundo o Inca, as formas mais eficazes para detecção precoce do câncer de mama são o exame clínico da mama e a mamografia. Para o controle da doença, é recomendado que as mulheres realizem exames periodicamente.

O exame clínico das mamas é o procedimento onde o médico ou enfermeiro observa e apalpa as mamas da paciente na busca de nódulos ou outras alterações e deve ser realizado conforme as recomendações técnicas do Consenso para o Controle do Câncer de Mama. Já a mamografia é a radiografia da mama, capaz de mostrar lesões em fase inicial e até muito pequenas (milímetros), permitindo assim, a detecção precoce do câncer de mama. Outro exame auxiliar no diagnóstico é a ultrossonagrafia das mamas, que tem por finalidade analisar o tecido mamário e colher informações sobre lesões e nódulos de maneira mais precisa.

É necessário que a mulher conheça o próprio corpo e caso veja alguma alteração, já procure atendimento médico, pois o exame das mamas realizado pela própria mulher não substitui o exame físico realizado por profissional de saúde em atendimento hospitalar qualificado para essa atividade.

Outubro Rosa

O Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990, mesma época em que o símbolo da prevenção ao câncer de mama, o laço cor-de-rosa, foi lançado pela Fundação Susan G. Komen for the Cure e distribuído aos participantes da primeira Corrida pela Cura, realizada em Nova York, Estados Unidos.

No Brasil, a primeira iniciativa neste sentido aconteceu em 2002, quando o Obelisco do Ibirapuera recebeu uma iluminação característica do movimento. A iluminação de monumentos e prédios públicos na cor rosa visa a expansão do movimento. Além de enaltecer a beleza e a elegância feminina, proporciona uma agradável leitura visual e é compreendida como um fortalecimento da causa.


Assuntos relacionados

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*