ONU Mulheres lança programa de empoderamento de meninas por meio dos esportes


Sábado, 24 de outubro de 2015, às 13h26


“Uma Vitória leva à Outra” é o nome da parceria entre a ONU Mulheres e o Comitê Olímpico Internacional pela promoção da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres através das práticas esportivas.

ONU Brasil

A representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, apresentou na sexta-feira (16), no Rio de Janeiro, o programa “Uma Vitória leva à Outra”, um projeto de empoderamento e liderança para meninas por meio dos esportes. O objetivo do programa é acelerar o alcance da igualdade de gênero no Brasil, bem como deixar um legado sustentável para a cidade do Rio de Janeiro pós-Olimpíadas.

 

Atletas observam painel da ONU sobre Igualdade. Jogos Escolares da Juventude, etapa 12 a 14 anos. Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

Atletas observam painel da ONU sobre Igualdade. Jogos Escolares da Juventude, etapa 12 a 14 anos. Foto: Saulo Cruz/Exemplus/COB

 

Nos próximos dois anos, com uma série de oportunidades geradas pelos Jogos Escolares da Juventude e as Olimpíadas, a ONU Mulheres emprestará sua experiência no desenvolvimento de um currículo educativo de nove meses que aborda temas como saúde e higiene, empoderamento, confiança e autoestima e economia e finanças. O programa “Uma Vitória leva à Outra” integra um Memorando de Entendimento entre a ONU Mulheres e o Comitê Olímpico Internacional pela promoção da igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres através dos esportes.

“Investir na liderança de jovens mulheres e meninas por meio dos esportes é uma metodologia efetiva para acabar com a desigualdade de gênero e modificar percepções, atitudes e comportamentos que causam e justificam a violência. Quando as meninas praticam esportes, elas têm a oportunidade de desenvolver habilidades para a vida, como confiança e liderança”, disse a representante da ONU Mulheres no Brasil, Nadine Gasman.

No mundo, o programa formou 1 milhão de meninas usando este currículo. No Brasil, a iniciativa começa com um piloto para 2.500 meninas de 12 a 14 anos no Rio de Janeiro em 2016, com apoio do Comitê Olímpico Internacional e do Comitê Olímpico Brasileiro, e deve ser ampliado para outros Estados ao longo do ano. Além da formação curricular, o projeto conectará as comunidades e famílias dessas meninas, para que sejam agentes de prevenção da violência contra mulheres e meninas e promovam a liderança feminina.

Banner divulgado pelo INCA (D) e laço que simboliza a Outubro Rosa (E). Ilusração: aloart

Banner divulgado pelo INCA (D) e laço que simboliza a Outubro Rosa (E). Ilusração: aloart

Leia mais sobre
MULHER

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro
Assista ao programa de TV Ciência Aberta
Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo
STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo
Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo
Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo
Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula
Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo
  • Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro

  • Assista ao programa de TV Ciência Aberta

  • Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo

  • STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo

  • Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo

  • Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo

  • Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula

  • Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*