Pichar é considerado crime, lei obriga prestação de serviços comunitários


Quinta-feira, 14 de maio de 2015, às 11h59


Desde 1998, os crimes ambientais, onde se incluem as pichações, são passíveis de pena de prisão (3 meses a um ano) e multa. Uma mudança na lei que pune os pichadores foi aprovada no Senado no último dia 29 de abril, e agora eles terão de cumprir até 5 meses de serviços comunitários – na reincidência a pena dobra – ao invés de prisão e multa. Mas a medida ainda terá de voltar à pauta.

No Tatuapé, as pichações proliferam e fachadas recém-pintadas são alvos certos. Para os pichadores, eles estão dando uma nova cara à cidade quando praticam sua “arte”. Cada um pode analisar essa arte à sua maneira, ao mesmo tempo computar o prejuízo e encarar uma nova visão da sua fachada – muito diferente da simples pintura de uma determinada cor escolhida pelo seu proprietário e não por alguém que se autointitula dono dos espaços urbanos.

Notícias têm mostrado guerra de pichadores por locais, caídos de prédios ou mortos pela polícia quando praticavam ilícitos. Sem dúvida deveria haver motivação maior e destinação melhor para esses talentos artísticos ao invés de se arriscarem a ser alvejados ou vítimas das suas próprias falhas, inclusive de caráter, psicológicas e de convivência social.

A emenda que muda as penalizações para os pichadores prevê que a prestação dos serviços à comunidade deverão estar relacionados a ações de conservação de edificações, patrimônio ou vias públicas. Além disso, os infratores deverão reparar os danos às vítimas, como na pichação de casas particulares.

“Não podemos deixar o governo financiar o crime. É isso que está acontecendo hoje. Pichador é uma forma de entrar no crime organizado”, disse o deputado Domingos Neto (PROS-CE), defendendo também a retirada de benefícios sociais dos pichadores.

A pichação envolve distúrbios sociais e psicológicos, fatores relacionados aos autores desse tipo de crime. Foto: aloimage

Rua Antonio de Barros, no Tatuapé: depois de gastar dinheiro com a pintura, a surpresa desagradável da interferência de pichadores. Foto: aloimage

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*