Proteína do soro de leite protege intestino contra efeitos de dieta gordurosa


Terça-feira, 19 de julho de 2016, às 12h10


Velha conhecida das academias pelo nome em inglês, whey, e amplamente comercializada como suplemento para ganho de massa muscular, a proteína do soro do leite pode ser importante também como proteção contra os efeitos adversos da ingestão de alimentos gordurosos na microbiota intestinal.

Diego Freire | Agência FAPESP

Para isso, pesquisadores da Faculdade de Engenharia de Alimentos (FEA) e da Faculdade de Ciências Médicas (FCM) da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) compararam os efeitos de diferentes proteínas nas populações de bactérias dos intestinos de camundongos. O estudo foi feito no âmbito da pesquisa Impacto metabólico da proteína dietética do soro do leite, seus peptídeos e aminoácidos nas heat-shock proteins (HSPs) e parâmetros associados em ratos, realizada com apoio da FAPESP.

 

Pesquisadores da Unicamp verificaram que a proteína funciona como escudo para a microbiota intestinal contra alimentos ricos em gordura. Foto: Wikimedia Commons

Pesquisadores da Unicamp verificaram que a proteína funciona como escudo para a microbiota intestinal contra alimentos ricos em gordura. Foto: Wikimedia Commons

 

“Já se sabia que quantidades e tipos diferentes de gordura ingerida alteravam de formas diversas a composição das populações de microrganismos que povoam o intestino dos animais, predispondo o hospedeiro a processos inflamatórios que podem levar à obesidade e a outras doenças crônicas. O que não se sabia era que o tipo de proteína na dieta também teria um papel decisivo, permitindo ou resistindo às alterações da microbiota intestinal”, conta Jaime Amaya Farfan, do Departamento de Alimentos e Nutrição (Depan) da FEA-Unicamp.

O estudo mostrou que, enquanto a caseína – outra proteína derivada do leite, mas de lenta digestão e absorção – pode permitir o desarranjo da microbiota normal do intestino causado por uma dieta rica em gordura, a proteína do soro conferiu ao animal a capacidade de resistir ao efeito.

Entre as principais alterações induzidas pelo excesso de gorduras na dieta está a inversão da predominância dos dois filos de bactérias mais comuns no intestino: Bacteroidetes, presentes em maior quantidade na microbiota normal, e Firmicutes, dominantes em obesos.

continue lendo

Os pesquisadores comprovaram que o consumo de uma dieta gordurosa, composta por alimentos ricos em caseína, como o queijo, ao longo de nove semanas resultou na elevação de lipopolissacarídeos sanguíneos, moléculas relacionadas ao desenvolvimento de doenças crônicas intestinais, no aumento do acúmulo de gordura no fígado (esteatose hepática) e na inversão da quantidade dos filos predominantes, favorecendo o Firmicutes. Em contraste, quando a dieta gordurosa foi administrada em conjunto com a proteína do soro de leite, a presença de lipopolissacarídeos e biomarcadores de inflamação e a esteatose hepática permaneceram significativamente baixas, impedindo a inversão dos filos.

“Esse contraste de efeitos das duas principais classes de proteínas do leite, a caseína e a whey, foi uma surpresa, mas pode ser explicado como sendo resultado da formação de peptídeos típicos de cada uma delas durante a digestão. No caso da proteína do soro, estudos anteriores realizados na FEA mostraram que certos peptídeos presentes possuem propriedades como aumento da captação de glicose pelas células musculares, maior expressão de proteínas antiestresse em roedores e até uma possível proteção contra as microlesões musculares em jogadores de futebol submetidos a treinos intensos”, diz Farfan.

Para fins de comparação, outro grupo de camundongos também foi submetido a uma dieta rica em gordura, mas em combinação com a proteína do soro lácteo pré-hidrolisada, que tem parte das ligações peptídicas de seus aminoácidos quebradas em cadeias menores de aminoácidos, os quais, por sua vez, promovem uma melhor absorção no intestino.

Os resultados indicaram que, embora o suplemento hidrolisado também fosse capaz de evitar grande aumento de lipopolissacarídeos no sangue, o rápido aumento da inflamação sistêmica e o acúmulo excessivo de gordura no fígado, ele não evitou a predominância de Firmicutes no intestino. O aumento do filo ocorreu, mas não houve uma redução tão drástica do Bacteroidetes quanto na dieta com caseína.

“Com este achado, surge a suspeita de que a redução excessiva do filo Bacteroidetes, e não simplesmente a inversão dos dois grandes filos, seja mais determinante para os efeitos nocivos da dieta gordurosa”, conta o pesquisador. O filo Bacteroidetes é uma potencial fonte endógena de lipopolissacarídeos pró-inflamatórios que podem passar para o sangue.

Da academia para o boteco

Para Farfan, “o estudo é uma contribuição ao aprofundamento do conhecimento sobre propriedades e diferenças entre as diversas proteínas que fazem parte da nossa dieta, pois, embora possam ser agrupadas genericamente numa mesma classe de nutrientes, mais uma vez, prova-se que elas não valem para a nossa saúde apenas pela somatória nutricional de seus aminoácidos”.

Se os resultados também forem verificados em humanos, completa o pesquisador, eles podem servir como alerta para o consumo excessivo de alimentos como o queijo em combinação com alimentos gordurosos.

“O sanduíche de queijo e mortadela, por exemplo, não traz uma boa combinação, já que o queijo é um alimento rico em caseína e a mortadela, em gordura de porco. O que o estudo com camundongos indica é que o queijo, ao contrário da ricota, rica em proteína do soro do leite, não protege a microbiota normal do intestino contra as alterações adversas causadas pelo excesso de gorduras.”

Dessa forma, a ricota, preparada a partir do soro do leite, seria um acompanhante mais saudável para a mortadela. Uma espécie de whey sólido para o sanduíche do boteco.

Localizado em São Vicente e São José dos Campos, IEAMar tem infraestrutura dedicada à ciência e à inovação relacionadas à exploração sustentável do litoral paulista (Foto: Wikimedia Commons)

Localizado em São Vicente e São José dos Campos, IEAMar tem infraestrutura dedicada à ciência e à inovação relacionadas à exploração sustentável do litoral paulista (Foto: Wikimedia Commons)

Leia mais sobre
CIÊNCIAS

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*