São Paulo e suas águas: Memória


Domingo, 3 de abril de 2016 às 10h27


São Paulo e suas águas, faz referência aos rios Anhangabaú, Tamanduateí, Tietê e Pinheiros. Leia a matéria da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo (FES).

 

Canal do Rio Pinheiros em direção sul da Avenida Cidade Jardim. Foto: acervo da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo.

Canal do Rio Pinheiros em direção sul da Avenida Cidade Jardim. Foto: acervo da Fundação Energia e Saneamento de São Paulo.

 

Em 22 de março de 1992, a Organização das Nações Unidas (ONU), estabeleceu o Dia Mundial da Água. Na ocasião, foi divulgada a Declaração Universal dos Direitos da Água, documento composto por dez artigos com sugestões que visam despertar a consciência ecológica para essa questão. A Declaração informa em seu artigo primeiro que “a água faz parte do patrimônio do planeta. Cada continente, cada povo, cada nação, cada região, cada cidade, cada cidadão é plenamente responsável aos olhos de todos.”

Elemento essencial à vida, a água tem sido evocada por poetas, prosadores e historiadores. Entre as muitas referências à sua importância, tornou-se célebre a frase de Heródoto (séc. 5 a.C.), segundo o qual o Egito seria uma dádiva do Nilo.

A mesma expressão pode ser usada em referência à cidade de São Paulo, pois sem o Anhangabaú, o Tamanduateí, o Tietê e a rede de córregos e regatos inseridos em seu território, a capital paulista e os demais núcleos urbanos vizinhos não teriam florescido.

 

Rio Tamanduateí, no bairro da Ponte Pequena, quase junto ao ponto de confluência no rio Tietê. 27/1/1900. Foto de Guilherme Gaensly

Linha de transmissão de energia na altura da Ponte Pequena, no rio Tamanduateí, em direção à várzea do rio Tietê. 4/12/1900. Foto de Guilherme Gaensly

No decorrer do século passado, políticas públicas levaram ao soterramento de cerca de 1.500 quilômetros de rios paulistanos. Embora tenha enterrado vivos seus corpos d’água, conforme expressão do engenheiro Guilherme Castagna, eles continuam fundamentais para a cidade.

Com a missão de preservar e divulgar o patrimônio histórico dos setores de energia e saneamento ambiental, a Fundação Energia e Saneamento preserva e coloca à disposição dos pesquisadores e do público em geral um rico e diversificado acervo – datado de final do século 19 ao 21 –, que registra muitas das transformações da paisagem urbana e das soluções adotadas em relação ao aproveitamento das águas na capital paulista, ao longo de mais de 100 anos.

Vista da Ponte Grande em 1926, sobre o Rio Tietê, durante competição de esportes náuticos. S.d. Foto de Raul Almeida Prado

Confluência dos rios Tietê e Pinheiros, olhando-se em direção a Osasco. S.d. Foto: acervo FES

Multidão recepciona aviador Francesco de Pinedo e seus companheiros de viagem na Guarapiranga. Foto retirada do livro “Il Mio Volo Attraverso L'Atlantico e Le Due Americhe”, de Francesco de Pinedo. Acervo dos autores

Multidão recepciona aviador Francesco de Pinedo e seus companheiros de viagem na Guarapiranga. Foto retirada do livro
“Il Mio Volo Attraverso L'Atlantico e Le Due Americhe”, de Francesco de Pinedo. Acervo dos autores

Leia mais sobre
HISTÓRIA DE SÃO PAULO

 

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro
Assista ao programa de TV Ciência Aberta
Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo
STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo
Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo
Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo
Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula
Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo
  • Cineasta sueco registrou a paisagem carioca vista do morro

  • Assista ao programa de TV Ciência Aberta

  • Alckmin inaugura estações com Operação Assistida grátis na ZL, vídeo

  • STF julga Habeas Corpus de Lula, assista ao vivo

  • Stella Artois | Buy A Lady A Drink – Social Experiment, vídeo

  • Centro faz pesquisas para tratar e prevenir a obesidade, vídeo

  • Acompanhe ao vivo o julgamento do recurso do ex-presidente Lula

  • Centro Esportivo do Tatuapé: obra abandonada e larvas de pernilongos, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

2 Comentários

  1. Eu gosto da história antiga de São Paulo; pra mim, é tão rica quanto a história do Rio de Janeiro. Tem locais por onde eu passo sempre, como essa região da Ponte Pequena (a localidade ainda é chamada assim, tanto quanto Armênia) e pela ponte das Bandeiras, que fiquei um tempão achando que era a Ponte Grande, mas reformulada, haha.

    E o rio Pinheiros era serpenteado, hein? Pessoal mudou muito ele.

    Envie uma Resposta
    • alotatuape

      David, seja bem-vindo ao Alô Tatuapé. Agradecemos seu comentário.

      Envie uma Resposta

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*