Tatuapé: Mato cresce e pode abrigar mosquito da dengue

Gerson Soares

O Tatuapé é um dos bairros mais importantes da região Leste da cidade, mas em contrapartida não possui uma Subprefeitura.

Já repetimos inúmeras vezes esse enunciado, mas é inevitável. Fazendo uma análise sobre as reportagens colhidas nos parques do Tatuapé e Jardim Anália Franco no início deste mês, vias que se transformaram em pistas off-road, a respeito dos buracos e deformações nas ruas, praças esquecidas e o mato que cresce, constatamos o quanto há para lamentar pela falta de uma Subprefeitura dedicada exclusivamente a essa região.

Carlos Sá, um dos mais notáveis moradores da história recente do bairro, previu isso há mais de 20 anos e faleceu sem ver seu sonho realizado. Também nesse mesmo período, registrando reclamações e dúvidas constantes de moradores, temos de pontuar que o bairro não recebe um atendimento a altura pelas subprefeituras da Mooca, Aricanduva-Formosa-Carrão ou Penha – cada uma delas responde por áreas nos limites do bairro.

Essas subdivisões da Prefeitura de São Paulo, devem atender outros bairros tão grandes e importantes para suas correspondentes regiões e ao mesmo tempo prestar serviços aos crescentes Tatuapé e Jardim Anália Franco.

Esse crescimento não se trata apenas dos buracos e valetas mal acabadas nas ruas, do mato que encobre fachadas e atinge quase a altura de uma árvore, das praças ou iluminações. Todas as vezes que os moradores desses locais estiverem com problemas quanto ao IPTU, registros de documentos, retiradas de certidões e outros serviços que essencialmente devem ser requeridos nas subprefeituras, precisam se deslocar a outro bairro. Pior ainda se for a sua primeira vez, por que precisarão ter um bom senso de dedução, para saber se a rua onde moram está enquadrada nesta ou naquela subprefeitura.

Explicamos isso há muitos anos, mas não custa relembrar. Alguém poderia nos dizer rapidamente, a qual subprefeitura pertence a Rua Candido Lacerda esquina com Rua Eleonora Cintra? E melhor: Rua Emília Marengo esquina com Rua Apucarana, lado par e lado ímpar? Pois é, perguntas difíceis de responder? Mas não foi aleatoriamente que as escolhemos.

Durante as distribuições de áreas das antigas Administrações Regionais para Subprefeituras, o Tatuapé ficou sem nenhuma subprefeitura, mas vinculado a quatro delas – Vila Formosa, Mooca, Penha e Aricanduva. Uma decisão política que causou muitos transtornos aos moradores. No futuro, Aricanduva e Vila Formosa somando-se ao Carrão viriam a fundir-se administrativamente, mais uma decisão política.

Para aprovarem a criação das Subprefeituras em 2002, os vereadores brigaram muito, literalmente. É que vários mandavam nas antigas Regionais, escolhendo apadrinhados para cargos, mandando e desmandando, bem aos moldes do coronelismo brasileiro.

Foi uma época em que os resquícios dos favores e trocas ainda imperavam nessa hierarquia do poder municipal e a então Câmara Municipal de São Paulo não se livrava dos escândalos envolvendo vereadores, acusados de corrupção e desvios de conduta parlamentar os mais variados.

Alô Tatuapé acompanhou a transição das Administrações Regionais para Subprefeituras e vimos atônitos que o Tatuapé deveria permanecer relegado aos desmandos dos políticos e que a voz do bairro e seus representantes não ecoou na Câmara Municipal ou na própria Prefeitura, a fim de que o bairro tivesse sua própria administração. A política, afastada da vontade popular, falou mais alto. Hoje precisa gritar, talvez um dia se cale e passe a ouvir.

Há aproximadamente um ano, no dia 28 de maio de 2013, o prefeito Fernando Haddad promulgou a lei 15.764 que criou a Subprefeitura de Sapopemba, dentre outras atribuições. Portanto, deduzimos que nunca é tarde para que o sonho do senhor Carlos Sá, fundador e presidente da Sociedade Amigos do Tatuapé ainda se torne realidade e o bairro possa ter representatividade política suficiente para que as cenas vistas ao lado possam ser amenizadas ou suprimidas da vida de quem reside no bairro que mais cresce na cidade de São Paulo, mas ironicamente não possui uma subprefeitura própria.

 

 

Leia mais sobre as reportagens dos parques Pet, Ceebeg e Piqueri (este último, em melhores condições), além da última reportagem sobre o Largo Nossa Senhora do Bom Parto, clicando na tag bairro, na nuvem de tags. Se preferir vá direto à categoria Tatuapé_Bairro.

 

Calçada em frente E.E. João Borges, Rua Itapura esquina com Rua Euclides Pacheco. Foto: aloimage|Tatuapé - 19/04/2014

Moita de mato na Rua Euclides Pacheco, esquina com Rua Itapura, em frente concessionária de carros: Um abrigo para insetos, ratos e mosquitos da dengue. Foto: aloimage|Tatuapé - 19/04/2014

Calçada em frente E.E. João Borges e comércio na Rua Euclides Pacheco esquina com Rua Itapura: Risco de abrigar insetos e mosquitos da dengue. Foto: aloimage

Mato alcançando a copa da árvore no Pet. Foto: aloimage

Mato alcançando a altura do banco no Pet. Foto: aloimage

Mato chega a a encobrir os bancos no Ceebeg. Foto: aloimage

Sujeira no Largo N. Sra. do Bom Parto. Falta de higiene não é competência da Prefeitura, mas a vigilância do local precisa ser feita também à noite nos finais de semana. Foto: aloimage

Pichações e depredações no Largo N. Sra. do Bom Parto. Falta de higiene e vandalismo não podem ser responsabilidades da Prefeitura, mas a vigilância do local precisa ser feita também à noite nos finais de semana, é uma necessidade hoje. Foto: aloimage

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*