Trânsito no Tatuapé: Pergunte à CET

A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), costuma fazer mudanças de acordo com suas projeções e quantificações criadas nos mais sofisticados e modernos sistemas de engenharia de tráfego existentes. Técnicos se aperfeiçoam constantemente para atender as demandas de trânsito e opinam nas alterações de manutenção e recapeamento de vias, pelo menos no que diz respeito ao Tatuapé e Jardim Anália Franco. Com isso o trânsito melhora a cada dia.

Bem, se tudo isto fosse verdade, não haveria valetas que atrasam o fluxo de carros, segundo os próprios agentes de trânsito e já teria sido feita uma ampla campanha para que os cruzamentos não fossem fechados por motoristas inexperientes – nos horários de pico principalmente, advertindo assim os mais descuidados.

Se houvesse planejamento na cidade de São Paulo, ela não teria crescido tão desordenadamente, e teríamos menos a lamentar. Mas não custa tentar melhorar, como por exemplo, adequar praças e ruas para estacionamento. Hoje quase inexistentes no bairro, apesar da Zona Azul, em muitos locais poderiam sair do tradicional para 45º graus ampliando o número de vagas.

É louvável tentar acomodar os veículos - que crescem em progressão geométrica - através da implantação de três faixas nas esquinas. Porém, após sua demarcação também deveriam ser assinaladas para virar à esquerda ou direita, o que inibiria os motoristas que utilizam as faixas de acomodação para ultrapassagens arriscadas, causando transtornos e confusões.

Por outro lado, no sentido da conservação, observamos o asfalto da Rua Azevedo Soares em frente ao Colégio Ascendino Reis, onde já se formou uma costela de vaca, ou seja lá como se denomina aquele fenômeno, e até agora ninguém toma providências. A Rua Alonso Calhamares é apenas outro exemplo, a via mais parece um pista de rali.

São vários outros pontos a serem abordados, que certamente deveriam ter sido discutidos com a população através de pesquisas ou então que houvesse uma quantidade maior de bom senso antes da adoção das medidas. Como por exemplo, nas demarcações de faixas exclusivas de ônibus no final do Viaduto Conselheiro Carrão (sentido Vila Carrão) ou a faixa exclusiva pouco antes do acesso de entrada ao Shopping Anália Franco, na Avenida Regente Feijó, causando confusões aos motoristas e proporcionando mais um filão inesgotável à indústria de multas.

A cifra, referente aos motoristas multados por trafegarem nas faixas exclusivas de ônibus já deve ter ultrapassado os números do ano passado, quando chegou à casa dos 8,3 milhões, entre os meses de janeiro e outubro, segundo o G1. Multiplicando pelo valor de R$ 53,20, relativo à infração, chega-se a mais de 400 milhões de reais. Se o motorista entrar na faixa exclusiva, poderá esbarrar com os olhos atentos dos marronzinhos, a lente das câmeras e engrossar essa quantia.

Mas, o pior não é apenas saber que tapa-se o sol com a peneira, tentando mostrar à população que utiliza o transporte coletivo que algo está sendo feito em prol de melhorias para esse setor depois de muita briga com os governos, não só de São Paulo. Mas quem pega ônibus sabe que a situação não mudou muito.

Veja as perguntas que a redação do Alô Tatuapé enviou à CET. Faça suas críticas e acrescente; comente e corrija. Participe deste fórum e traga a sua questão.

1) Valetas.
O número de valetas que impedem a fluidez do trânsito no Tatuapé é notório. Sendo elas as responsáveis por parte da má fluidez do trânsito, temos informações dos próprios agentes da CET que as valetas mal feitas atrasam essa fluidez, fazendo com que os carros diminuam a marcha, ampliando os congestionamentos ou impedindo que o fluxo seja normal.

Questões:
- Quando essas benfeitorias são feitas pelos órgãos competentes a CET não é consultada?
- Como melhorar isso agora e consertar os erros?

CET responde:
As valetas cumprem a função de facilitar o escoamento das águas pluviais nas vias, sendo de responsabilidade da PMSP/Subprefeitura a implantação e manutenção das mesmas. A CET é informada pela Subprefeitura sobre os locais onde serão executadas obras de melhoria nas valetas e a CET sugere locais onde existem valetas com necessidade de manutenção.

2) Três faixas que se transformam em duas, e duas em uma.
Recentemente a CET adotou esse sistema em alguns cruzamentos no bairro e agentes admitem que isso é um padrão da companhia. Essas providências acabam causando transtornos, discussões e brigas de trânsito, já que os espertinhos ou atrasadinhos utilizam-nas para ultrapassagens e levar vantagem sobre os outros motoristas. O afunilamento também não demonstra ter resolvido o problema de excesso de veículos.

Questão:
- Existe alguma explicação para a adoção dessa medida, a de três faixas que se transformam em duas após os cruzamentos, ou do mesmo modo duas faixas que se transformam em uma?

CET responde:
A largura das faixas de trânsito são definidas em função da composição do tráfego e dos níveis de desempenho do fluxo veicular, devendo-se evitar variações na largura e no número de faixas, mantendo-se a continuidade. A medida foi regulamentada através da Resolução 236, de 11/05/2007, do CONTRAN. Em condições normais são recomendadas as seguintes larguras mínimas: faixa adjacente à guia = 3,00m (ideal, 3,50m); não-adjacente à guia = 2,70m (ideal, 3,50m); vias de trânsito rápido = 3,00m (ideal, 3,50m). Em condições especiais, admitem-se larguras variando entre 2,50m e 4,00m.
É importante frisar que, em todos os locais onde é necessário readequar a largura das faixas de rolamento, seja para implantação das faixas exclusivas ou mesmo por obras de readequação da geometria viária, a CET faz um estudo específico que varia de local para local, levando em consideração diversos fatores. Entre eles podemos citar as características estruturais da via, extensão, número de faixas de rolamento e o fluxo de veículos para garantir a segurança dos usuários das vias.
Destacamos que não existe nenhum indicativo que aponte o aumento do número de acidentes com a readequação das faixas de rolamento e que as faixas exclusivas estão sendo estruturadas para aumentar a velocidade dos ônibus na capital.

3) Uma faixa que se transformou em duas.
Outra providência da CET transforma uma pista normal em duas, onde dois carros médios têm dificuldade de emparelhar, quanto mais as pick-ups que proliferam no bairro. A medida só é viável para carros populares de menor tamanho que com dificuldade conseguem emparelhar nas faixas citadas.

Questão:
- Existe alguma explicação para a adoção dessa medida, já que da mesma forma não melhora o trânsito e acaba causando transtornos e confusões?

CET responde:
Vide resposta anterior.

4) Vagas de estacionamento
Usando o Largo N. Sra. do Bom Parto como referência sobre este assunto, na esquina com a Rua Serra do Japi recentemente foi sinalizada uma restrição de horários, proibição de estacionar e acrescentada uma faixa de trânsito e este é um dos casos, citados acima, onde três faixas afunilam para duas. O que se pode imaginar é que a faixa mais à direita seja para aqueles motoristas que desejarem virar naquela direção. Mas infelizmente não é isso o que acontece, senhores.

Questão:
- Vale a pena perder vagas preciosas de estacionamento, no caso pelo menos três, por um motivo que nunca foi necessariamente estudado ou demonstrado? Pelo menos não se tem conhecimento de um estudo dizendo que isso funcione, sem um semáforo de três estágios ou sinalização.

CET responde:
A proibição de estacionamento, junto às aproximações de um cruzamento, principalmente os semaforizados, são utilizadas para aumentar a capacidade nestas aproximações, criando área de acomodação dos veículos, para que as conversões possam ser feitas com mais visibilidade, conforto e segurança.

5) Faixa exclusiva de ônibus
Av. Conselheiro Carrão, logo após o Viaduto Antonio de Barros; Av. Regente Feijó, em frente ao shopping Anália Franco. Estes são apenas dois endereços, dos quais os motoristas reclamam sobre pequenos trechos, usados para conversões, mas que estão dando margem para multas. Os números, em milhões de reais, mostram que as penalidades impostas pelo sistema de trânsito nesse sentido não condizem com as necessidades dos motoristas, já que as manobras se tornam quase impossíveis de serem realizadas com segurança, como por exemplo, nos trechos citados.

Questão:
- Como se explica essa questão?

CET responde:
As faixas exclusivas implantadas, são determinadas pelo volume de ônibus que circulam pela via, visando o aumento da velocidade do transporte coletivo, meta que está sendo atingida. Embora em alguns trechos tenham uma extensão reduzida e fracionada, em decorrência das características do viário, fazem parte de um corredor como um todo, e para que as conversões possam ser realizadas pelos automóveis, esta sinalização necessita ser alterada junto à estes cruzamentos para permitir o movimento. Nossos agentes são orientados à autuar, somente os veículos que circulam pela faixa e que não convergiram à direita, permanecendo em circulação pela faixa exclusiva de ônibus.

Esta reportagem ainda conversou com motoristas na Avenida Regente Feijó, outros que cairão em verdadeiras armadilhas de linhas pontilhadas e contínuas. A opinião é de que as demarcações estão mal feitas e consideram um absurdo, por exemplo, serem multados em trechos, cujas marcações são difíceis de entender. Um dos exemplos, mas absurdos está em frente ao IBCC, um hospital especializado em doenças do câncer, que fica ao lado do Viaduto Bresser. Um dos pacientes se sente indignado por ter sido multado no local, devido à má interpretação do agente de trânsito.

Gerson Soares

Zig-zag 1: Nesta e nas próximas imagens você pode observar os malabarismos dos motoristas na Av. Conselheiro Carrão.

Zig-zag 2: Depois de vencer o pequeno trecho para mudar de pista, o motorista deve contar com a boa vontade alheia, que nem sempre existe.

Zig-zag 3: Vencida a etapa anterior, agora ele deve ultrapassar o ônibus para entrar no local adequado àqueles que pretendem virar à direita, contando sempre com a boa vontade dos motoristas de ônibus, que aceleram sem dó.

Zig-zag 4: Depois de vencer essas etapas, num trecho onde em pouco mais de 300 metros existem duas entradas para a pista dos ônibus, uma para entrar após o semáforo no final do Viaduto Antonio Abdo (mais conhecido como Viaduto Conselheiro Carrão) e outra para dobrar à direita na Rua Ibicaba, os motoristas que conseguem fazer as conversões já devem ter levado fechadas, buzinadas e outros tantos elogios. Um jogo arriscado e mal traçado.

Zig-zag 5: O jogo continua. Este motorista, se quiser entrar no shopping à direita, deverá sair para a esquerda antes de terminar a linha pontilhada à sua frente, menor que o tamanho de dois carros. Depois, numa distância ainda menor, deverá sinalizar e entrar novamente à direita, para finalmente atingir seu objetivo.

Zig-zag 6: O motorista do carro vermelho percebeu que estava caindo numa armadilha e rapidamente saiu. Os outros, talvez não tivessem enxergado a placa logo acima do semáforo ou ficaram confusos, devido ao trecho ser mínimo entre as linhas pontilhadas e as linhas contínuas que indicam a exclusividade aos coletivos.

Zig-zag 7: Os carros que atravessam a Avenida Regente Feijó, não conseguem enxergar a placa e podem cair numa armadilha. Sorte dos cofres públicos, falta de respeito com o cidadão.

Zig-zag 8: Armadilha X Motoristas. Saldo final, mais de 400 milhões de reais em multas somente entre janeiro e outubro do ano passado. Cuidado! Você pode estar na mira... Participe do nosso fórum e envie suas questões.

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

6 Comentários

  1. Esta trafegando pela BR 153, pista com duas faixas. Ao passar por um radar fixo, 40 km por hora passou no mesmo instante outro carro a 50 km. Acontece que recebi notificação com a foto do meu veículo a 48 km. Tenho certeza que estava abaixo da velocidade permitida, bem como no momento ainda comentei com minha esposa. Só falta a multa chegar pra nós.

    Envie uma Resposta
    • alotatuape

      Os radares estão por toda parte, o que não se percebe é o reinvestimento dos valores cobrados nas multas em educação de trânsito. As ciclovias são um fiasco em diversos lugares, temos propostas em andamento como o estacionamento em 45º no Tatuapé, busque isso no site e fique por dentro. Como sabe, sempre cabe recurso após a notificação, mas conseguir um deferimento é outra história. Boa sorte.

      Envie uma Resposta
  2. Gostaria de saber se vocês sabem me dizer quando foi alterada a velocidade da Av. Conselheiro Carrão de 60 km para 50km.

    Att

    Envie uma Resposta
    • alotatuape

      Prezado Alexandre, estamos em contato com a CET desde ontem (13/08) para responder sua pergunta com detalhes que esclarece dúvidas de vários outros leitores, já que o assunto é polêmico e está causando arrepios nos motoristas quanto às multas e a atenção redobrada para circularem pela cidade. Por isso, sua questão foi tão pertinente. Leia, por favor: CET implanta redução de velocidade máxima em mais cinco vias e Velocidades mudarão em SP, apesar das polêmicas e protestos. Esperamos que com isso possamos ter respondido sua pergunta.

      Envie uma Resposta
      • AO PASSAR NA AVENIDA REGENTE FEIJÓ CUIDADO OS AGENTES DE TRÃNSITO ESTÃO MULTANDO PELAS COSTAS AS ESCONDIDOS……

        Envie uma Resposta
        • alotatuape

          Perucelo, seja bem-vindo.

          Envie uma Resposta

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*