Quatro décadas de obra mediúnica no campo da literatura, pintura e escultura

7 de junho de 2014 às 6h – atualizado às 18h06

Flávio Freitas – Com informações da Wikipédia
Edição final – Alô São Paulo

Marilusa com Chico Xavier. Foto: Arquivo particular

Marilusa com Chico Xavier. Foto: Arquivo particular

Marilusa Moreira Vasconcellos, nasceu em Penápolis, São Paulo, em 1942. Filha de Elpídio Antônio Moreira e Gertrudes Nogueira Moreira, teve uma irmã gêmea, Marileusa Moreira, que faleceu em tenra idade. Sua biografia está na Wikipédia, onde não lhe faltam adjetivos. Desde cedo participou de atividades espíritas, destacou-se no movimento juvenil e foi presidente da Mocidade Espírita Joana D’Arc em Penápolis, colaborando também com os jornais O Penapolense e A Comarca, além de dois programas na Rádio Difusora da cidade.

Foi bolsista do MAM (Museu de Arte Moderna da FAAP) e formou-se em psicologia e casou em 1963 com João Batista Vasconcellos. Sua vivência espírita começou em 1969 com a obra infantil de Monteiro Lobato. Em 1981 lançou seu livro mediúnico “Confidências de um Inconfidente”, pelo espírito de Tomás Antonio Gonzaga. Naquele mesmo ano, também iniciou na pintura mediúnica. Através de sua mediunidade, suas mãos são conduzidas por espíritos artistas que se apresentam como Leonardo Da Vinci, Michelangelo, Picasso, Van Gogh e Renoir ou Di Cavalcanti, Tarsila do Amaral e Portinari, entre outros. Desde 1983, essas obras são produzidas também em público e seu acervo se espalha pelo mundo, através de países como a Grã-Bretanha, Bélgica, Egito, Austrália, Espanha, Portugal, EUA, Brasil, América Latina e outros.

Atualmente, continua seu trabalho de divulgação dos fenômenos mediúnicos à luz do espiritismo, laborando semanalmente no Grupo Bezerra de Menezes, no bairro do Ipiranga em São Paulo. Além disso, participa de eventos nacionais de pintura mediúnica e também é palestrante internacional, já tendo representado o Brasil nos países já citados.

Marilusa Moreira Vasconcellos é considerada uma das maiores médiuns da atualidade e mundialmente reconhecida. Trabalha como psicóloga clínica, hipnóloga em TVP, como ilustradora e conferencista. Seu vasto labor no campo da psicografia, com livros citados em defesa de tese na USP, como fonte em livros didáticos de professores da PUC, Pro Memória e SENAC. Personagens criados por ela, foram aprovados pelo Departamento de Ensino Municipal. Seu empenho no espiritismo também se estende por 38 anos de mensagens consoladoras, além da psicofonia, psicometria, vidência, audiência, desdobramento, psicopictografia que exerce profissionalmente. “Seu trabalho tem emocionado, levado consolo e prazer a milhares de criaturas”, diz o produtor Cultural Flávio Freitas.

Marilusa Moreira Vasconcellos, foto de sua página no facebook. Foto: Arquivo particular

Obras literárias

A escritora está lançando Vida, um livro que traz as experiências da jovem Daniella Bandini Peres. Dentre suas obras, destacamos as que seguem, mas são várias outras.

Confidências de um Inconfidente

Confidências de um Inconfidente

Este é o primeiro livro da série ditada pelo espírito de Tomás Antonio Gonzaga. Revisitando a trama ocorrida no século 18, em Minas Gerais, no Brasil, fatos novos são trazidos à tona, lembrando que a primeira edição foi publicada em 1981 e depois ampliada a cada nova edição. Fatos interessantes explicam vários momentos históricos atuais, numa rede de relações ligadas à reencarnação de alguns destes personagens no século 20, com missões específicas junto à nação brasileira. Emocione-se com o amor inalienável de Marília e Dirceu, personagens explorados nas Cartas Chilenas, detalhadamente explicadas na trama. Surpreenda-se com as revelações surpreendentes, revisitando e cumprindo a missão maior de reescrever uma história tão distorcida em nossos livros didáticos. Grande parte da trama foi comprovada, na publicação e reestudo histórico dos Autos da Devassa da Inconfidência Mineira, que ocorreu alguns anos depois do lançamento das revelações, presentes na primeira edição da obra.

A moça da ilha, por Tomás A. Gonzaga

A moça da ilha

O nome das personagens não importa. O que mais chama a atenção na trama são os fatos históricos. Vamos encontrar assuntos polêmicos neste livro, provando que assuntos como dinheiro, poder e sexualidade já são amplamente discutidos desde a Roma antiga. Neste épico, o grupo de espíritos que se encontraram na Inconfidência Mineira recorrem ao começo do Cristianismo, no século I da era cristã. Por uma coincidência do destino, o barco em que fugiam leva o grupo familiar cerne da história a novas paragens: a Roma Antiga. Lá, visões dantescas são observadas e apesar de um final não tão feliz, demonstra as primeiras conquistas da semente viva do amor, transformando vidas e provando que a lei de acusação e efeito é absoluta em todos os tempos.

De Mário a Tiradentes

De Mário a Tiradentes

“Desde a infância o pequeno acostumou-se a seguir os pais na labuta e subserviência honesta e despretensiosa, através dos campos eivados de trigo, que deviam servir à população faminta, cedendo-lhe o pão graciosamente, ou dos vinhedos e olivais, pastos verdejantes entrecortados por rios gentis. Curioso, o garoto apreciava ouvir o relato dos adultos entre os demais servos, sobre as guerras que se estendiam por todas as fronteiras, e ouvia os ecos dos discursos acalorados de catão, traduzidos de forma até grosseira, pela populaça, num misto de admiração, respeito e inveja”...assim começa o relato psicológico da criança, Caio Mário, mais tarde General romano que conquistou vaga no senado por sete vezes, conforme vaticínio de Marta, a pitonisa. Numa relação de amor e ódio por Sextílio, perseguida impiedosamente por inimigos encarnados e desencarnados, desenrola-se a trama de poder e conquistas da nação romana. Este romance nos dá a compreensão das vidas difíceis que desenrolaram-se a Caio Mário, vindo culminar num resgate de amor e luz nas terras brasileiras. Encontramos os personagens históricos reunidos numa trama, que vem ligando a todos no vagaroso relógio das areias do tempo.

O Espírito da Paraliteratura

O Espírito da Paraliteratura
Um estudo da obra psicográfica de John Wilmot Rochester.

Tese que demonstrou nos meios acadêmicos a literatura espírita. Thais Montenegro Chinelatto, especialista em Comunicação, conseguiu esta proeza, com nota dez, numa das maiores universidades do Mundo, desvendando o universo da psicografia do Conde Rochester e mostra o estudo sistematizado do arcabouço paraliterário promovido por Tomás Antonio Gonzaga, através da tarefa mediúnica da médium Marilusa Moreira Vasconcellos. Apresentada a uma banca, obteve nota máxima de avaliação, por fundamentar de forma conclusiva o estilo literário de diversos autores espirituais na Europa e no Brasil atual. Fonte riquíssima de estudos para questões doutrinárias da psicografia e sua experimentação no campo da ciência e da literatura.

As obras da médium Marilusa Moreira Vasconcellos, estão disponíveis na Livraria Espírita: www.radhu.com.br. Nesse site, o leitor encontrará outras informações sobre a artista, entre elas seus belos cartões (vendidos atualmente a 2 reais cada), poesias, o endereço do seu próprio blog e outras informações.

Abaixo mostramos algumas pinturas.

Jarro

Frufru

Bela

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*