“Xixi na cama”: sem bronca, com delicadeza


Domingo, 28 de fevereiro de 2016 às 07h35


A enurese noturna tem como característica a perda involuntária de urina durante o sono em crianças acima de 5 anos que não apresentam qualquer alteração orgânica no trato urinário. O famoso “xixi na cama” acomete aproximadamente 15% das crianças por volta dos 5 anos; 7%, aos 10 anos e 3%, aos 12 anos. A incidência é maior nos meninos do que nas meninas. As chances são maiores quando há histórico familiar do problema.

De acordo com a presidente do Departamento de Nefrologia da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Maria Helena Vaisbich, antes de considerar a enurese noturna, o mais importante é o pediatra ou nefropediatra descartar outros problemas orgânicos. “Primeiro de tudo, devemos checar se o paciente sofre de uma perda de urina diária. O que diferencia o quadro de enurese de eventuais distúrbios miccionais é justamente esta urgência urinária durante o dia”, explica.

 

"Xixi na cama": particularidade da criança deve ser tratada com delicadeza e no consultório médico. Foto: divulgação

"Xixi na cama": particularidade da criança deve ser tratada com delicadeza e no consultório médico. Foto: divulgação

 

Até os cinco anos, o quadro pode ser normal. Para identificar a presença de uma patologia mais grave, é indicada a realização de ultrassonografia pré e pós miccional com medida do volume da bexiga – para constatar se há resíduo na bexiga após a criança urinar. Além disso, fazer um diário miccional, feito pela família, ajuda a avaliar quantas vezes a criança urina ao dia e o volume das micções.

“É possível resolver a enurese, desde que o profissional habilitado faça o diagnóstico correto. O mais grave é tratar o problema quando, na verdade, a criança apresenta distúrbios mais graves que podem comprometer a função renal”, alerta a especialista.

Para o tratamento, existem terapias específicas, com a administração de um similar ao hormônio antidiurético, um sistema de alarme e até mesmo tratamento fisioterápico.

Dicas e cuidados

Dra. Maria Helena frisa que o diário miccional é fundamental para entender a rotina da criança e reconhecer uma disfunção urinária. Em caso de diagnóstico de enurese, um dos principais aconselhamentos é evitar a ingestão de líquidos após o jantar – e caso seja ofertado, que a quantia seja mínima.

“Levar a criança para fazer xixi enquanto dorme também atrapalha, pois ela perde a noção do horário que deve urinar. Além disso, não dê bronca, pois não é culpa dela. É preciso mudar alguns paradigmas na sociedade. Não se deve levantar o assunto na frente das pessoas, mas, sim, discutir em consulta, tratando com delicadeza. Quanto mais se sentir pressionada, pior será a evolução”, conclui a especialista.

Trombose: Uma das complicações decorrentes é a embolia pulmonar, presente em 2% dos casos. Foto: divulgação

Trombose: Uma das complicações decorrentes é a embolia pulmonar, presente em 2% dos casos. Foto: divulgação

Leia mais sobre
MEDICINA

Leia as últimas publicações

Recent Videos

Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo
Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo
Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo
Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes
Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo
Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo
Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo
Telescópio Gigante Magalhães, vídeo
  • Programa PIPE para inovação em São Paulo, vídeo

  • Deputados querem votar mudanças no sistema eleitoral e fundo público de campanhas, vídeo

  • Continue acompanhando do espaço os movimentos do furacão Irma, vídeo

  • Liderada pelo deputado André Fufuca, Câmara vota pautas importantes

  • Sessão conjunta do Congresso Nacional, ao vivo

  • Plenário da Câmara dos Deputados, ao vivo

  • Acompanhe a votação da denúncia contra o presidente Michel Temer, ao vivo

  • Telescópio Gigante Magalhães, vídeo

Categorias

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*