Zona Oeste inicia projeto piloto de entrega noturna de cargas


Terça-feira, 14 de outubro de 2014 às 15h54

Testes acontecerão até fevereiro de 2015 e terão participação voluntária de 18 empresas. Objetivo é reduzir o impacto no trânsito da cidade das entregas em estabelecimentos como shoppings centers, hipermercados e atacadistas.

SECOM | PMSP – A zona oeste da capital iniciou nesta segunda-feira (13) um projeto piloto de entrega noturna de cargas. Os testes acontecerão até fevereiro de 2015 e terão participação voluntária de 18 empresas. O objetivo da iniciativa é reduzir o impacto no trânsito da cidade das entregas em estabelecimentos como shoppings centers, hipermercados e atacadistas. Para o prefeito Fernando Haddad, o período de testes auxiliará na criação de um novo modelo para a circulação de cargas pela cidade.

“Vamos avaliar caso a caso, começando com alguns atacadistas e ampliando o número de participantes do projeto. Vamos avaliando o impacto e eventualmente abranger a cidade toda. A experiência internacional demonstra que os resultados são muito bons. Para a comunidade, teremos audiências, para medir os efeitos e fazer correções ao longo do projeto”, afirmou Haddad, em coletiva de imprensa realizada na sede da Prefeitura.

Com a entrega noturna, é possível melhorar a mobilidade da cidade utilizando o sistema viário em horário em que, atualmente, se encontra ocioso. Segundo a Secretaria Municipal de Transportes, 76 mil caminhões circulam por dia no centro expandido. Ao mesmo tempo, 80% do espaço das ruas e avenidas no mini-anel viário fica ocioso durante a madrugada. O centro expandido é uma área localizada ao redor do centro histórico, delimitada pelo mini-anel viário, composto pelas marginais Tietê e Pinheiros, mais as avenidas Salim Farah Maluf, Afonso d’Escragnolle Taunay, Bandeirantes, Juntas Provisórias, Presidente Tancredo Neves, Luís Inácio de Anhaia Melo e o Complexo Viário Maria Maluf.

O período de teste ocorrerá entre as 21h e 5h e durará 30 dias. Os estabelecimentos participantes estão na área delimitada pelas vias Marginal Tietê, Ponte da Freguesia do Ó, Marquês de São Vicente, Pompéia, Heitor Penteado, Dr. Arnaldo, Pacaembu, ponte da Casa Verde e Marginal Tietê. A região escolhida para os testes contém restrições de tráfego para entregas diurnas e tem instaladas empresas de grande porte, como shopping e home centers e super ou hipermercados.

São Paulo vista de cima, durante a noite. Horário piloto de entregas será das 21h às 05h. Foto: Paulo Pinto / Fotos Públicas. A imagem foi feita no dia 12/09, na Marginal do Rio Tietê.

Jilmar Tatto e Fernando Haddad em coletiva à imprensa, durante o anúncio do projeto piloto de entrega noturna de cargas. Foto: Heloisa Ballarini / SECOM

No total, 18 organizações participam voluntariamente. Na primeira fase, que terminará em 13 de novembro, estão o Grupo Pão de Açúcar (GPA); Assaí Atacadista; O Boticário; Antilhas Embalagens; Drogaria São Paulo; Droga Raia e Coca Cola. “Os benefícios esperados são aumento da produtividade das entregas, com uso de veículos maiores, redução do preço do frete, menos trânsito, carga e descarga mais rápida”, disse o secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto.

As próximas duas etapas ocorrerão em dezembro de 2014 e fevereiro de 2015, envolvendo outras 11 empresas. Mais informações sobre as três etapas estão disponíveis no documento apresentado nesta manhã. Durante o processo, serão avaliados a fluidez do tráfego, emissão de poluentes, produtividade das entregas, ruído e segurança. Os dados serão sistematizados e servirão de parâmetro para eventuais implementações futuras.

De acordo com as informações da Secretaria de Comunicação da Prefeitura (SECOM), o trabalho é uma parceria da Secretaria de Transportes com o Centro de Inovação em Sistemas Logísticos da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Cislog); o Sindicato das Empresas de Transporte de Carga de São Paulo (Setcesp) e o Instituto de Desenvolvimento do Varejo (IDV).

Segundo o Setcesp, o horário noturno das entregas é uma demanda antiga do setor. O sindicato estima que atualmente cerca de 10% das entregas na capital já são realizadas durante a noite.

Também fazem parte do projeto o policiamento militar da região e a Subprefeitura da Lapa. De acordo com o secretário Jilmar Tatto, o comando da área integrará a parceria por meio da reorganização do efetivo, de forma a acompanhar as rotas utilizadas pelos caminhões.

A implantação do projeto não altera as regras para os Veículos Urbanos de Cargas (VUCs), que continuarão com permissão de circulação.

A iniciativa integra um conjunto de ações destinadas a organizar a circulação de veículos de carga na capital, que inclui ainda as discussões sobre a mudança de local do Ceagesp e a ampliação do Terminal de Cargas Fernão Dias, na Vila Maria. Além disso, conforme a SECOM, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) vem desenvolvendo uma pesquisa inédita sobre a origem e destino de cargas na cidade.

Experiências bem-sucedidas

Essa experiência de entrega noturna já teve resultados positivos em 2010 na cidade de Nova York, com o projeto Off-Hour Delivery que envolveu três grandes empresas (Wholefoods, Foot Locker e Sysco) e 35 estabelecimentos. Na cidade norte-americana, os resultados foram positivos, obtendo ganhos de eficiência e produtividade, além de redução de poluição. O projeto foi transformado em política oficial daquela cidade.

 


Assuntos relacionados

 

alotatuape

Autor: alotatuape

Share This Post On

Enviar um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*